Reunião do Code tem visita surpresa de medalhistas paralímpicos do Sesi-SP

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

A reunião plenária do Comitê da Cadeia Produtiva do Desporto da Fiesp (Code) desta quarta-feira (28/9) teve como surpresa para seus participantes a visita de dois medalhistas paralímpicos do Rio 2016 que integram a equipe do Sesi-SP. Janaína Petit Cunha, medalhista de bronze no vôlei feminino sentado nos Jogos Paralímpicos do Rio, explicou que foi atleta olímpica. Profissional do Pinheiros, sofreu um acidente que a impediu de continuar jogando. “Com o apoio do Sesi-SP voltei a sorrir e a gostar de jogar.” Disse que estava com muita vontade de ganhar medalha no Rio e afirmou que é graças ao Sesi-SP que existe o vôlei sentado no Brasil. Mario Frugiuele, coordenador do Code, destacou a importância dada ao esporte por Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi-SP. O Brasil, afirmou, precisa do tipo de motivação demonstrada pelos atletas paraolímpicos.

Medalha de prata no revezamento 4x100m no atletismo nos Jogos Paralímpicos do Rio, Renato Nunes da Cruz lembrou que o esporte paraolímpico é recheados de exemplos de dor e superação. Formado como eletricista de instalação no Senai-SP, trabalhando no Metrô de São Paulo quando foi atingido por uma peça de 400 kg, acidente que levou à amputação de sua perna esquerda. Estimulado por um maratonista, começou a caminhar, depois correr. Encontrou o Sesi-SP (“ou o Sesi-SP me encontrou”) e se tornou um atleta de alto rendimento. Recordista brasileiro nos 100m e 200m rasos, declarou-se muito feliz por ter passado pelo Senai-SP e agora ser atleta do Sesi-SP.

Luis Claudio Marques, gerente de Esportes do Sesi-SP, fez a apresentação dos atletas paralímpicos. Disse que 14 atletas do Sesi-SP competiram em 4 modalidades e conquistaram 11 medalhas. Frisou a importância da oportunidade e do apoio para os atletas. Também nos Jogos Olímpicos competiram 14 atletas do Sesi-SP.

Mario Frugiuele, presidente do Code, agradeceu a presença dos atletas e pediu que integrassem a mesa e mostrassem suas medalhas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539786733

Renato Cruz e Janaína Petit Cunha (com uniforme do Sesi-SP) participaram de reunião do Code. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Na sequência da reunião, Victor Hajjar fez uma apresentação sobre os Jogos Paralímpicos, destacando sua organização.

Maureen Flores, pesquisadora que foi gerente de Sustentabilidade nos Jogos do Rio, falou sobre Inovação no Esporte. Frisou que falaria sobre negócios, sobre o que chega ao mercado. Falou sobre pesquisa a respeito do tema, em que estudou casos da Austrália, Brasil, Holanda e Espanha. Dela resultaram recomendações para a formulação de políticas públicas, recomendações para geração de conhecimento sobre inovação no esporte e recomendações para o modelo de negócios do sistema esportivo.

Maureen defendeu a necessidade de desenvolver um ecossistema digital para o esporte e listou desafios para o Brasil, que incluem a falta de cultura de exportação entre as startups – Frugiuele destacou que o câmbio irreal impede a venda no exterior.