Pré-sal deve ser transformado em renda para sociedade o quanto antes, diz diretor da Fiesp na Isto É Dinheiro

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540313605

Imagem da reportagem. Foto: Agência Fiesp

O diretor-titular do Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Carlos Cavalcanti, foi um dos convidados do painel “Pré-sal – um mar de oportunidades”, debate realizado pela revista Isto É Dinheiro no dia 26/11 – a cobertura pode ser lida na edição mais recente (nº 791), com o nome “Pré-sal, a hora é agora”.

Cavalcanti alerta para a necessidade de imprimir rapidez na criação da cadeia do pré-sal.

“Temos de transformar o óleo negro em renda para a sociedade o mais rápido possível.”

Segundo o titular do Deinfra, a indústria de base paulista já é a maior fornecedora da Petrobras e das empresas contratadas. Em sua análise,  o atual desenvolvimento da indústria de petróleo é similar ao do setor automotivo em 1960.

O diretor da Fiesp observou, ainda, que o governo de São Paulo não tem um plano concreto para a indústria de petróleo.

“Nada aconteceu para o desenvolvimento do porto de São Sebastião nem em termos de infraestrutura na Baixada Santista”, disse Cavalcanti, que mencionou a existência de um comitê formado por secretários estaduais sem interlocução com a sociedade.

‘Não basta propor ações que beneficiem somente a indústria’, diz Skaf à Isto É Dinheiro

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540313605Em breve entrevista à coluna “Dinheiro na Semana”, da edição 776 (16/08/2012) da revista Isto É Dinheiro , o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, explica que as lutas da entidade levam em consideração os interesses do país.

“Não basta propor ações que beneficiem somente o setor industrial. Foi assim nas campanhas encabeçadas pela entidade pelo fim da CPMF, pela queda dos juros e pela retomada das concessões das empresas de energia que vencem em 2015”, responde Skaf na primeira das três perguntas.

Em seguida, o presidente da Fiesp explica que essas campanhas só são possíveis com estudos, propostas e ações políticas que “melhoram o entendimento do empresário e da sociedade sobre as tendências da economia, sobre a situação e perspectivas para os setores.”

De acordo com o líder das indústrias paulistas, as campanhas tem de ser boas para o setor representado e para o Brasil. “Só assim se consegue legitimidade”, afirma.

A entrevista pode ser lida online: http://www.istoedinheiro.com.br/blogs-e-colunas/coluna/4_DINHEIRO+NA+SEMANA

Presidente da Fiesp participa da cerimônia de premiação ‘As melhores da Dinheiro 2012’

Agência Indusnet Fiesp

Na noite dessa quinta-feira (16/08), Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), participou da entrega do cerimônia do Prêmio As melhores da Dinheiro 2012.

A cerimônia, realizada no Credicard Hall na capital paulista, contou com a presença de ministros de Estado, como Guido Mantega (Fazenda), Edison Lobão (Minas e Energia) e Aldo Rebelo (Esporte), além do senador Aécio Neves, entre outras autoridades.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540313605

Skaf entrega o prêmio a Armando Comparato Jr.

Paulo Skaf entregou o prêmio a Armando Comparato Junior, presidente da fabricante de cabos e sistemas de alta tecnologia para energia e telecomunicações Prysmian. A empresa foi a melhor colocada na categoria Maquinário, Componentes Elétricos e Telecomunicações.

Skaf também foi convidado a entregar o troféu à indústria de cosméticos Natura, vencedora, pelo segundo ano consecutivo, na categoria Farmacêutico, Higiene e Limpeza.

 Sobre o prêmio

O prêmio As melhores da Dinheiro 2012 é considerado o mais completo e abrangente ranking empresarial do Brasil.

Em sua 9ª na edição, a premiação buscou avaliar a gestão das 1000 maiores empresas do país, sob os aspectos de sustentabilidade financeira, recursos humanos, inovação e qualidade, responsabilidade social e ambiental e governança corporativa.

O ranking é feito a partir de análise da revista Istoé Dinheiro, em parceria com a consultoria KPMG e a Trevisan Escola de Negócios. Por meio de um sistema de pontuação com base nas informações recebidas, são escolhidas as melhores empresas de cada um dos setores analisados.