Prótese de mão de baixo custo e sistema hidráulico revolucionário vencem 9º Acelera Startup

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

Depois de uma dura peneira, que selecionou 12 finalistas entre 5.700 projetos inscritos, o 9º Concurso Acelera Startup, da Fiesp, anunciou nesta terça-feira (8/11) seus vencedores.

Na categoria pré-operacional venceu a Protesis, startup de criação de próteses impressas em 3D, a preço mais baixo que o do mercado (R$ 300, contra R$ 1.500 dos produtos atuais de menor custo). A ideia, diz o empreendedor Thiago Jucá, é criar uma rede colaborativa para levar o produto a quem precisa. Investimento pedido é de R$ 500 mil, para compra de software para aquisição de dados à distância e equipamentos e contratação de pessoal.

Jucá explicou na apresentação do projeto aos investidores participantes do pitch do Acelera que uma pessoa que tenha perdido a mão pode precisar de várias próteses ao longo da vida, o que torna ainda mais importante a redução de preço.

A empresa vencedora da categoria operacional foi HPU – Hydraulic Power Unit, evolução dos sistemas hidráulicos, com menor consumo de energia e de óleo, reduzindo o impacto ambiental dos processos produtivos em indústrias que empreguem atuadores hidráulicos. O empreendedor Mauricio Pazini Brandão recebeu o troféu, entregue pelos voluntários que trabalharam no 9º Acelera Startup.

[tentblogger-youtube ZJ1gGbEfn7w]

Sylvio Gomide, diretor do Comitê Acelera Fiesp (CAF), responsável pelo Acelera, disse que o esquema do concurso é o novo modelo de fazer negócios.

Enquanto os vencedores eram escolhidos, Paulo de Moraes, ganhador do 6º Acelera, em 2015 (com o Retentor Eletromagnético Somatec Blocking), narrou sua experiência desde então, dizendo que considera muito positivos os efeitos do prêmio. Destacou a qualidade dos projetos, lembrando que a nona edição é a recordista de participantes. Como recado a eles, disse: “O melhor está por vir”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544851683

Os vencedores da nona edição do Acelera Startup com seus troféus. Foto: Everton Amaro/Fiesp


O prêmio para os vencedores foi um troféu e a inscrição em curso a escolher na Faculdade FIAP, além de acompanhamento contínuo pelo CAF, de forma a atender às necessidades de cada por meio de suporte com mentorias, captação de clientes e/ou parceiros, investimentos etc., colaborando para o desenvolvimento do projeto/startup.

Todos os demais participantes (finalistas ou não) ganham o direito ao programa Continue Acelerando, desenvolvido pelo CAF e pelo Sebrae-SP, com oficinas gratuitas de capacitação.

O Concurso Acelera Startup é o maior evento de investimento-anjo da América Latina e tem como objetivo fomentar o empreendedorismo, além de integrar as necessidades e as expectativas dos empreendedores e dos investidores interessados em investirem em projetos e/ou empresas inovadoras.

Diretor jurídico da Fiesp e do Ciesp fala a empreendedores

Agência Indusnet Fiesp

Helcio Honda, diretor titular do Departamento Jurídico da Fiesp e do Ciesp, fez nesta quarta-feira (20/7) no Comitê de Jovens Empreendedores da Fiesp palestra com o tema “O caminho jurídico do empreendedor”. A ideia, explicou Honda, era explicar os desafios no dia a dia para os empreendedores, do ponto de vista jurídico.

Honda destacou que a parte jurídica é “fonte de pepinos e abacaxis”. A complexidade do Brasil se soma à parte tributária. Há enorme quantidade de problemas jurídicos nas empresas em geral. “Precisa ter fé” para ser empresário, disse Honda. O governo poderia ajudar, mas no país não há ambiente favorável ao empreendedor.

Cumprimento de obrigações tributárias é grande questão, disse Honda. É um dos grandes entraves ao funcionamento das empresas.

Um alívio apontado por Honda vem da alteração da legislação do Simples, a lei complementar 123, PL125/2015. A mudança em discussão tem a participação da Fiesp, por meio do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) e corrige aspectos da Lei do Simples, que é extremamente complicada. Implanta a mudança gradual de alíquotas de imposto. Só entra em vigor em 2018, com aumento para R$ 4,8 milhões do limite anual de faturamento, contra os atuais R$ 3,6 milhões.

Uma ressalva feita por Honda é que nessa alteração o ICMS (tributo estadual) e ISS (municipal) serão centralizados para faturamento até R$ 3,6 milhões, mas daí até o limite o pagamento será separado.

Muito importante, ressaltou o diretor jurídico da Fiesp e do Ciesp, é a regulamentação do investidor anjo (que aporta recursos em startups sem se tornar sócio). Não é sócio da empresa, pela regulamentação nova, sem participar de contingências trabalhistas e tributárias, por exemplo.

O projeto, explicou Honda, tem que voltar para a Câmara, onde deve ser aprovado e será uma grande ferramenta. Em sua análise, permitirá atrair o investimento inicial necessário para bons negócios.

Honda convidou especialistas para explicar aos presentes propriedade intelectual, aspectos tributários e trabalhistas e pôs a Fiesp à disposição dos empreendedores, para orientação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544851683

Helcio Honda durante palestra para empreendedores na Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp