Iniciativas Sustentáveis: International Paper – Comunidade em foco

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545052447

Por Karen Pegorari Silveira

Os impactos negativos da indústria de papel e celulose nas comunidades do entorno exigem que a empresa e a sociedade mantenham relacionamento próximo e de amplo diálogo, e para que isso ocorra de forma agradável muitas empresas desenvolvem projetos em conjunto para atender as necessidades desta população.

Assim também é o trabalho do Instituto criado pela indústria de papel e embalagens International Paper (IP), que em 2014, investiu mais de R$ 1,3 milhão, sendo 20% desse valor por meio de incentivos fiscais via Imposto de Renda e ICMS da empresa.

Atualmente, o Instituto contempla projetos ou ações em todas as cidades brasileiras em que possui operação e já impactou, diretamente, mais de pessoas 32 mil pessoas em 2014 com 9 projetos próprios e outros 2 projetos realizados por meio de programas de incentivo fiscal do Governo Estadual e Federal (PROAC-ICMS e PRONAC regulado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet).

O projeto Apicultura Solidária teve início em 2011 e visa o uso múltiplo das florestas de eucalipto, priorizando o desenvolvimento socioambiental nas áreas de atuação da IP, além de geração de renda para apicultores locais. A dinâmica do projeto consiste em uma atuação de colaboração mútua, na qual a IP libera o uso de áreas de floresta de eucaliptos para que os apicultores instalem suas colmeias e caixas de captura necessárias à produção de mel, colaborando com o aumento de sua renda. Devido à alta produção de mel, os apicultores montaram stands dentro das fábricas de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, podendo assim vender o mel para os funcionários da IP. Outra ação feita com o intuito de divulgar o projeto internamente, foi a distribuição de bisnagas de mel nas salas de reuniões da IP, dispostas em uma embalagem com o formato de uma colmeia.

O projeto EducAção Socioambiental, composto de concurso de redação, concurso literário e a atividade de plantio, é realizado há 39 anos na unidade de Mogi Guaçu. Além de colaborar com a formação de crianças e adolescentes socialmente responsáveis, realiza a conservação e a restauração ambiental de áreas verdes nos municípios de Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi. O projeto une ações educacionais e socioambientais por meio dos concursos e da conservação ambiental, em que as escolas participantes levam seus alunos para plantar mudas nativas em áreas degradadas. Esta ação de plantio, que é itinerante, percorreu os três municípios participantes e, em 2014, o reflorestamento ocorreu em diferentes áreas da cidade de Mogi Guaçu, além de contar com a participação de voluntários da IP.

Lançado em 2010 na IP, o Projeto Escola Formare, desenvolvido pela Fundação Iochpe (franquia social), oferece curso de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, com certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). As aulas do programa são ministradas em um período de 10 meses e os profissionais da IP são educadores voluntários (EVs). Formare Luiz Antônio formou a sua quarta turma de Assistentes de Produção da Indústria de Processos em 2014, com a ajuda de mais de 100 profissionais voluntários que atuaram como Educadores Voluntários, Supervisores de Prática Profissional e Tutores do programa “Mire-se no Exemplo”. No mesmo ano, os alunos voluntariamente se organizaram, planejaram e executaram uma campanha para arrecadação de agasalhos na unidade. No total foram arrecadados mais de 200 itens entre roupas, cobertores e fraldas, sendo doados às duas instituições de assistência social do município de Santa Rosa de Viterbo (Asilo São Vicente de Paula e Casa Abrigo). Formare Mogi Guaçu formou a sua quinta turma de Assistentes de Produção da Indústria de Processos, sendo a unidade que engloba o maior número de profissionais voluntários, só esse ano o projeto contou com a participação de quase 200 voluntários entre eles Educadores Voluntários, Supervisores de Prática Profissional e Tutores. Ainda em 2014, os alunos e educadores voluntários se organizaram, planejaram e executaram uma campanha para arrecadação de produtos de higiene, que posteriormente foram doados ao CAC de Mogi Guaçu (Centro de Atendimento à Criança).

O EmCena Brasil é uma caravana itinerante com um Teatro Móvel que utiliza um contêiner adaptado para palco, com toda a infraestrutura de iluminação, som, camarins, tela de cinema e 400 banquetas para a plateia cobertas por uma tenda de 250m2. São realizados espetáculos teatrais para adultos e crianças, apresentações de circo, sessões de cinema, contação de histórias, oficinas, exposições e shows musicais, além de uma biblioteca com mais de 500 títulos em livros infantis e gibis. O IIP levou para os municípios de Paulínia (SP), Suzano (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP) e Rio Verde (GO).

O Projeto Guardiões das Águas, realizado desde 2008 na região de Luiz Antônio, tem como missão informar e conscientizar os participantes quanto ao uso racional da água, além de incentivar ações de conservação. Devido ao calendário escolar atípico de 2014, houve a necessidade de postergar o projeto para o 2º semestre. Independente desse fator, a campanha teve o seu tempo de duração normal, que foram de 4 meses (agosto a novembro).

O Watchatchá é um Circo Científico em show que traz uma série de experiências como “Água pelo Mundo”, em que os cientistas malucos mostram que apesar de nosso planeta ser composto por cerca de 70% de água, apenas uma pequena parte é potável. Todos os conceitos científicos são passados de maneira divertida e interativa.

Há também outros projetos, como o Casa Vhida, o Guardiões, o Programa de Educação Ambiental (PEA), o Guardiões do Verde, Cidade do Livro, o Semeando o Futuro e o Natureza e Corpo.

Segundo Glaucia Faria, coordenadora de Responsabilidade Social Corporativa da IP, a empresa se sente responsável por sua atuação. “Acreditamos que os projetos sociais são capazes de transformar a realidade, ao trazer desenvolvimento e benefícios para a comunidade. O projeto Cidade do Livro, por exemplo, contribui com esse processo ao despertar o prazer de ouvir e ler histórias e conscientizar quanto à importância do livro para o desenvolvimento socioeducacional”, conclui.

Sobre a International Paper

No Brasil, a IP atua em dois negócios: papéis para imprimir e escrever e também embalagens. Com aproximadamente 2.8 mil profissionais, o sistema integrado de produção de papel para imprimir e escrever da International Paper é composto por três fábricas: duas no Estado de São Paulo e uma no Mato Grosso do Sul. Seus produtos, as linhas de papéis para imprimir e escrever Chamex e Chamequinho e a linha gráfica de papéis Chambril, são produzidos a partir de florestas 100% plantadas, renováveis e certificadas.

(27/10/2015)