“Gol mais bonito de Neymar” é detalhado na Fiesp

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O economista Altamiro Lopes Bezerra, especializado em capital humano e diretor do Instituto Projeto Neymar Jr, participou nesta quarta-feira (25 de abril) de reunião do Departamento do Esporte da Fiesp (Code). “É o gol mais bonito que ele já fez”, disse Bezerra a respeito do instituto, que utiliza esporte, cultura, saúde, desporto, ensino profissionalizante para incluir crianças carentes do município de Praia Grande.

As famílias atendidas têm renda per capita de cerca de US$ 100. São crianças e jovens de 7 a 17 anos matriculados na rede municipal de ensino da cidade. O primeiro obstáculo foi que os candidatos não atingiam os 90% de frequência escolar exigidos.

O Instituto foi estruturado com 10 salas para reforço escolar e 10 locais para prática esportiva, incluindo ginásio, campo de futebol (dividida em quatro partes), quadra externa de vôlei de areia, piscina e tatame para judô.

A cada dia a criança tem que frequentar uma disciplina e uma modalidade esportiva diferente. Assim, em rodízio, passa pelas 10 disciplinas e 10 modalidades. A ideia é a formação integral. Para isso é preciso ter acesso à saúde, explicou Bezerra. Cada criança é submetida a exames pelos profissionais do Instituto e recebe tratamento odontológico, psicológico, clínico e oftalmológico.

Os pais também precisam participar – por exemplo comparecendo a oficinas profissionalizantes. A ideia é gerar renda para as famílias –e isso, frisou, a 50 km de São Paulo.

Até 15 anos a frequência é diurna, e a partir daí o ciclo passa a ser noturno. São atendidas 2.700 crianças. O segredo para comportar todas nas instalações do instituto é que a cada hora entra novo grupo de 240 crianças, em rotação dos espaços educacionais e esportivos.

“Se ficar 11 anos no Instituto sendo cuidado, com certeza sairá de lá um cidadão muito melhor do que quando entrou aos 7 anos”, afirmou Bezerra. Não precisa ter sido formado como um atleta.

Bezerra destacou a importância da base, do Ensino Fundamental, para a formação das pessoas que trabalharão na era da Indústria 4.0. “Estamos investindo fortemente na base, trazendo as ferramentas para as crianças.” Há aulas de robótica e de artes plásticas, sempre em parceria com empresas.

A convivência com o diferente é um dos atrativos do Instituto, que nas fases iniciais faz meninas e meninos participarem juntos de todas as atividades.

Há demanda reprimida. O Instituto consegue atender somente 2.700 crianças por ano, e elas entram sempre aos 7 anos de idade. O impacto ainda não pode ser medido, porque o projeto tem apenas 3 anos, explicou, mas o funcionamento do Instituto gerou 128 empregos. Dá uma visão de futuro, de transformação, além da inserção direta na comunidade.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545009777

Reunião do Code, da Fiesp, com a participação do diretor do Instituto Projeto Neymar Jr. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A reunião do Code teve a participação de Janeth Arcain, atleta recordista de títulos no basquete nacional. Mario Eugenio Frugiuele, diretor titular do Code, destacou que ela também mantém, desde 2002, instituto para o desenvolvimento de crianças de 7 a 17 anos por meio do basquete.

“A gente entende que a prática do esporte deve ser obrigatoriamente fazer parte da formação de um cidadão”, disse Frugiuele. “Precisa estudar, ter saúde e praticar esporte.”

Lembrou que a Fiesp estimula o esporte e também o crescimento da indústria a ele ligada.

Janeth disse que o objetivo é o ser humano, o jovem, a criança. Vinda de Carapicuíba, comunidade carente, escolheu aos 13 anos o basquete, por considerá-lo um esporte de superação. Quando foi jogar nos EUA, foi fazer serviço voluntário, atraindo jovens para o esporte. O instituto tem como objetivo dar oportunidade às crianças, que mesmo que não se profissionalizem no basquete sairão formadas.

O Instituto tem parceria com o Sesi-SP há 13 anos, em cujo Programa Atleta do Futuro Janeth vê o modelo para o desenvolvimento dos alunos. Pratica o ensino pelo esporte, empregando seus valores na formação das crianças.

“Gosto de estar presente”, disse Janeth. “Minha maior emoção é ver uma criança fazer sua primeira cesta.” Ela também destacou o papel fundamental das famílias. “Têm que participar.”

Na mesa principal da reunião do Code estava também Fernando Solleiro, vice-presidente executivo da Federação Paulista de Futebol, que disse compartilhar da visão da Fiesp e dos Institutos de formar cidadãos, não somente atletas.