Megapolo Cubatão debaterá desenvolvimento planejado da Baixada Santista

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073378

João Guilherme Sabino Ometto, vice-presidente da Fiesp, e Marcia Rosa, prefeita de Cubatão



Defender os interesses do setor industrial de Cubatão de forma planejada e sustentável. Este é o objetivo da 6ª edição do Megapolo Cubatão, que acontecerá no município no próximo dia 10 de junho. Sob iniciativa do sistema A Tribuna de Comunicação, realizado pela Una Marketing de Eventos, com o apoio da Fiesp, o encontro foi anunciado oficialmente na sede da federação nesta quarta-feira (11).

Autoridades e empresários reforçaram a relevância do encontro, que discute e busca soluções para os entraves nos processos de desenvolvimento e a melhoria da infraestrutura logística e energética do polo industrial.

João Guilherme Sabino Ometto, vice-presidente da Fiesp, salientou a importância da região da Baixada Santista para o desenvolvimento do estado de São Paulo. “A indústria está alinhada com o desenvolvimento sustentável de Cubatão em todas as áreas, e o empenho dos empresários é muito grande neste sentido. O Megapolo vai levantar muitos problemas que podem ser resolvidos em conjunto”, adiantou Ometto.

Parte destas dificuldades surgiu com o crescimento do porto de Santos e do polo petroquímico. A questão logística urge devido à crescente demanda de caminhões, principalmente em épocas de safra, o que satura o tráfego no sistema Anchieta-Imigrantes e na rodovia Cônego Domenico Rangoni , segundo Mario Cilento, diretor da Carbocloro.

“O próprio horário de entrada e saída das indústrias ocasiona congestionamentos crônicos quase que diariamente”, apontou Cilento. Ele acredita que o potencial hidroviário, além de facilitar a chegada de cargas no porto, pode solucionar os engarrafamentos. “A hidrovia vai fornecer mão de obra, especializada ou não, para o pré-sal”, completou.

Qualificação

Marcia Rosa, prefeita de Cubatão, sublinhou a preocupação com a empregabilidade e a formação de mão de obra especializada. Ela espera que o evento produza resultados concretos, como a instalação de um campus da Poli-USP no município.

“Nossa cidade é a única que tem área para a construção de um parque tecnológico, ou para a extensão da parte tecnológica da Universidade Federal do ABC. Os debates em torno destes temas durante o Megapolo Cubatão podem concretizar estes avanços”, destacou Rosa.