Com risco de desabastecimento até 2015, reúso protagoniza conscientização ambiental

Mariana Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Ciesp

Governo e setor privado concordam: o momento é de cooperação para se evitar um colapso no sistema de abastecimento de água no País. Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), 55% dos municípios brasileiros – que representam 70% do consumo – correm o risco de chegar em 2015 com problemas no fornecimento.

Investir em água de reúso para utilização industrial aparece como uma das alternativas para solucionar essa equação, que aponta o descompasso entre a oferta e o aumento da demanda. Fomentar a adoção dessa prática pelas empresas foi um dos objetivos do seminário “Ganhos econômicos e ambientais com Reúso de Água”, realizado pela Fiesp e o Ciesp nesta terça-feira (22), data em que se comemora o Dia Mundial da Água.

“A escassez preocupa, sem dúvida, mas o importante é tomar as providências e olhar para frente”, destacou Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Ciesp. “Mais do que lamentar a situação em que chegamos com relação à água, é preciso trabalhar para produzir mais com menos.”

Skaf ressaltou que o empresariado já tem a consciência de que investir em Produção mais Limpa não é apenas uma medida ambiental, e, no final das contas, representa economia e ganho de competitividade.

Eduardo San Martin, diretor de Meio Ambiente do Ciesp

Eduardo San Martin, diretor de Meio Ambiente do Ciesp, reforçou o alerta: “A redução dos custos de produção está diretamente atrelada à redução do consumo de água”, sublinhou.

Investimentos

A Agência Nacional de Águas (ANA) garantiu que os cortes de R$ 50 bilhões no Orçamento da União para 2011, anunciados no mês passado pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, não afetarão os investimentos da pasta em recursos hídricos.

“Desta vez não houve contingenciamento de recursos, e isso é histórico. O orçamento para esse fim saltou de R$ 80 milhões para R$ 250 milhões”, afirmou o diretor da ANA, Paulo Rodrigues Vieira.

A lei 9984/00 estabelece o percentual de 0,75% sobre a energia gerada pelo setor hidrelétrico, como pagamento pelo uso de recursos hídricos, destinado ao Ministério do Meio Ambiente/ANA para implementação da Política e do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos.