Proteção contra incêndios e explosões ganha debate na Fiesp

Mayara Baggio, Agência Indusnet Fiesp

Para incentivar e impulsionar a cultura de prevenção de acidentes nas indústrias, o Departamento de Segurança (Deseg) realizou nesta terça-feira (1) o seminário “Gestão de proteção contra incêndios e explosões”. Segundo o vice-presidente da entidade e diretor do Deseg, Ricardo Lerner, a compreensão plena dos aspectos da gestão de riscos é essencial para que as empresas tenham mais segurança jurídica e para que haja garantia de que vidas serão salvas por essas ações.

Na avaliação do engenheiro de Segurança do Trabalho e diretor da Trainnet, Claudio Szulcsewski, é necessário que o setor esteja ciente de que uma gestão eficiente e bem coordenada tem como objetivo a segurança do ser humano. “Precisamos de medidas acauteladoras, feitas a partir de levantamento prévio dos riscos, o que pode representar uma importante economia para as empresas que quiserem prevenir acidentes e agir de forma proativa na busca de soluções mais seguras”, defendeu Szulcsewski.

O vice-coordenador da Câmara de Inspeção Predial do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo (Ibape), Gerson Viana Silva, por sua vez, lembrou que “a comunicação das regras contra o incêndio deve ser elaborada com muita clareza, com tratativas bem definidas”. Para Silva, muitas instituições modernas ainda adiam os processos administrativos responsáveis pelos cumprimentos de regulamentos essenciais para prevenção de acidentes.

Da Agência Brasil de Segurança, o diretor Celso de Oliveira elencou quais os principais componentes de um sistema de gestão de proteção contra incêndios e explosões. Como não há uma orientação oficial sobre o assunto, Oliveira indicou que deve ser criada uma referência para essa atividade, que deve conter um sistema para implantar, monitorar e revisar todos os padrões de segurança da área, envolvendo todos os funcionários. De acordo com o diretor, não existe um modelo de gestão dessa natureza atualmente.

O mapeamento de aspectos legais e normativos do tema foi tratado pelo gerente da Speedy Safety, Aleksander Grievs, pelo engenheiro de Segurança do Trabalho, Carlos Cotta, e pelo chefe de Operações do Corpo de Bombeiros de São Paulo, Frank Itinoce. Os especialistas discutiram ainda a capacitação para uma gestão de sucesso com o gerente da Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeções (Abendi), João Rufino, a formação dos profissionais do setor com a professora e coordenadora de Projetos Educacionais do Centro Paula Souza, Joyce Bartelega, e o diretor da Prenvisa, Dennis Ferreira de Figueiredo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545148907

Szulcsewski: uma gestão eficiente e bem coordenada tem como objetivo a segurança do ser humano. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp