Segurança é estratégica para indústria e sua sustentabilidade

É preciso discutir a gestão de riscos e o mapeamento dos processos produtivos para proteger os empreendimentos. A afirmação é de Igor Pipolo, consultor e assessor do Departamento da Indústria de Segurança (Deseg) da Fiesp, durante a abertura do II Seminário de Segurança na Indústria, realizado nesta quarta-feira (9), na sede da entidade.

A consultora Cecília Leote reforçou que “a segurança é um braço da prevenção”, ao tratar das perdas nos negócios a partir de sua experiência no setor varejista, comparando-o com o industrial.

Integrante do Grupo de Prevenção de Perdas (GPP), fundado em 1998, Leote frisou que o conceito de “perda” tem sentido mais amplo, envolvendo falhas na produção, no armazenamento, na distribuição, além da quebra de informações, roubo de cargas, fraudes e furtos internos.

Por isso mesmo é necessário implantar, na indústria, mecanismos para registrar os prejuízos com causa determinada, a exemplo do varejo: “É uma questão de sustentabilidade. Os tempos são outros: em 1990, a inflação em alta mascarava as perdas e hoje se deve combater vícios culturais e o desperdício”, completo Leote.

O Seminário prossegue até o final da tarde de hoje.