Holandeses buscam informações do setor brasileiro de Defesa

Agência Indusnet Fiesp

José Augusto Corrêa, diretor do Departamento de Comércio Exterior e Relações Internacionais da Fiesp. Foto: Vitor Salgado

Maior investidora estrangeira no Brasil em 2009, a Holanda está interessada em conhecer o nosso setor de Defesa. Para tanto, enviou comitiva, que desembarcou nesta segunda-feira (26), na sede da Fiesp, e foi recebida pelo Departamento da Indústria de Defesa (Comdefesa) da entidade.

O diretor-adjunto do Departamento de Comércio Exterior e Relações Internacionais (Derex), José Augusto Corrêa, apresentou a estrutura da Fiesp e a balança comercial brasileira. Nela foi possível verificar que a Holanda ocupou a primeira posição entre os investidores estrangeiros no Brasil no ano passado, com participação de US$ 6,5 bi.

Já o coordenador da Divisão de Mercado Internacional do Comdefesa, Roberto Carvalho, mostrou como a indústria de Defesa está se desenvolvendo. Ele reforçou que neste novo momento, marcado pela Estratégia Nacional de Defesa, o Brasil passou de mero comprador para parceiro estratégico.

“Eles vieram para conhecer o parque industrial de Defesa do Brasil, mas na verdade  não costumam comprar material fora da Europa”, ressaltou Carvalho. O coronel salientou ainda que o setor de Defesa da Holanda tem forte tradição na indústria naval, justamente porque o país foi construído abaixo do nível do mar.

O coronel do Exército da Holanda, Richard Hendrik, disse que seu país se prepara para formular um novo documento para as Forças Armadas, similar à Estratégia Nacional de Defesa. “Temos equipamentos equilibrados nas três forças, algo comparável à Austrália e Reino Unido”.

De acordo com Hendrik, a Holanda está respondendo a questionamentos, como que contribuição pode oferecer ao mundo, quais valores o país defenderá, qual o tamanho do esforço de defesa é necessário levando em conta a segurança, entre outros. As respostas ajudarão na formulação da nova política de Defesa.