Sucesso de público, espetáculos gratuitos do Teatro do Sesi-SP voltam para curta temporada

Agência Indusnet Fiesp 

Atendendo a pedidos, dois sucessos de público em 2016 voltam aos palcos do Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em curta temporada, com sessões gratuitas de quarta a sábado, às 20h, e no domingo às 19h. Tróilo e Créssida reestreia a partir da próxima semana, no aniversário da cidade de São Paulo, dia 25 de janeiro. A montagem inédita, que dá vida à comédia ácida passada na Grécia Antiga, é um dos trabalhos pouco conhecidos de William Shakespeare (1564-1616), sob direção de Jô Soares. Na sequência, o premiado espetáculo Peer Gynt, de Henrik Ibsen (1828-1906), retorna aos palcos dia 22 de fevereiro e fica em cartaz até 19 de março.

Os elencos passaram por algumas mudanças. Na peça Peer Gynt, Mel Lisboa será substituída por Helô Cintra, Nábia Villela terá em seu lugar Luciana Ramanzini e Luciana Carnieli dará lugar para Daniela Cury. No elenco masculino, haverá apenas revezamento entre os atores, Marco França será substituído por Jonatan Harold na regência e Piano e por Romis Ferreira (já integrante do elenco) no Papel de Rei dos Trols. Dagoberto Feliz também será substituído por Jonathan Harold e Cacá Toledo.

Premiações

Sucesso infantil do ano de 2016, Peer Gynt foi indicada a oito categorias do 3º Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (antigo FEMSA), conquistando sete delas. A peça foi eleita como melhor espetáculo jovem de 2016. O espetáculo também recebeu os prêmios de melhor figurino, melhor trilha musical adaptada e melhor produção para o Sesi-SP, além dos títulos de melhor diretor para Gabriel Villela, melhor ator para Chico Carvalho e melhor atriz coadjuvante para Maria do Carmo Soares (que interpreta a mãe do protagonista).

O espetáculo também levou o Grande Prêmio da Crítica da Associação Paulista dos Críticos de Arte (Prêmio APCA) e foi indicado como melhor estreia de teatro e melhor espetáculo infantil no Prêmio Melhores do Ano do Guia da Folha 2016.

Com o Prêmio Aplauso Brasil 2016, Gabriel Villela venceu com Peer Gynt na categoria Melhor Figurino, e Ataíde Arco Verde, como melhor ator coadjuvante por Tróilo e Créssida.

Serviço

Tróilo e Créssida – Uma comédia sinistra

Temporada: 25 de janeiro a 19 de fevereiro de 2017
Datas e horários: de quarta a sábado, às 20h e aos domingos às 19h
Local: Teatro do Sesi-SP (Av. Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Capacidade: 456 lugares
Duração: 120 minutos
Gênero: Comédia
Classificação indicativa: 14 anos
Grátis. As reservas antecipadas são realizadas on-line pelo sistema Meu Sesi www.sesisp.org.br/meu-sesi. Os ingressos remanescentes são distribuídos no dia do evento, conforme horário de funcionamento da bilheteria.

Mais informações:www.sesisp.org.br/cultura | Tel.: 3528-2000

Peer Gynt

Temporada: 22 de fevereiro até 19 de março
Datas e horários: de quarta a sábado, às 20h e aos domingos, às 19h
Local: Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, 1313 (em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Gênero: Poema dramático
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 110 min
Grátis. As reservas antecipadas são realizadas on-line pelo sistema Meu Sesi www.sesisp.org.br/meu-sesi. Os ingressos remanescentes são distribuídos no dia do evento, conforme horário de funcionamento da bilheteria.

Mais informações:www.sesisp.org.br/cultura | Tel.: 3528-2000

Jovem e livre, Peer Gynt será protagonista do Teatro do Sesi-SP no segundo semestre

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Quem passa pela frente do sobrado em tom de bege, numa rua movimentada do bairro da Aclimação, em São Paulo, não imagina que nos fundos daquela casa há um galpão. E muito menos que, nele, 15 atores se preparam, todos os dias, para o espetáculo que vai reabrir do Teatro do Sesi-SP, no prédio do Sesi-SP e da Fiesp, na Avenida Paulista, atualmente em reforma. Uma preparação que inclui canções dos Beatles, figurinos coloridos e um cenário pensado para receber um protagonista que é um dos maiores símbolos de liberdade no teatro moderno: Peer Gynt. Escrita pelo norueguês Henrik Ibsen, a peça tem direção de Gabriel Vilella e estreia prevista para o próximo mês de setembro.

Peer Gynt é como Hamlet. São obras que mudaram para sempre o teatro”, explica Gabriel Vilella. “É um personagem libertário, que se declara imperador de si mesmo”.

Na trama de Ibsen, o protagonista ganha o mundo e vive as mais variadas experiências até voltar à Noruega, sua terra natal, descobrindo que tudo o que ele procurava estava exatamente ali. Uma epopeia pessoal em busca da liberdade que, no palco do Teatro do Sesi-SP, será embalada por uma trilha sonora jovem, com várias canções dos Beatles. “O caráter libertário do personagem é o que mais me atrai na peça”, diz Vilella. “Peer Gynt é um espetáculo do livre arbítrio, contestatório e transgressor”.

Um trabalho que tem tudo para agradar jovens e adultos. “O teatro é, por excelência, uma descarga hormonal”, afirma o diretor da peça. “Os adolescentes vão pilhar ainda mais a história”.

Protagonista da trama, o ator Chico Carvalho classifica Peer Gynt como “uma peça absolutamente necessária”. “Estamos falando de um personagem transgressor, que busca um sentido para a sua vida”, diz Carvalho. “Numa época conservadora como a que estamos vivendo hoje, isso provoca a imaginação da plateia, reforça a atitude política e lúdica do teatro”.

O espetáculo traz ainda a atriz Mel Lisboa no elenco, entre outros nomes. “Nossos atores são deslumbrantes, temos uma equipe afinada e segura”, diz Vilella. “Estou bobo com o resultado”.

Quanto mais colorido melhor

Nessa fase de pré-produção, os figurinos, assinados por Vilella, são um dos itens em estágio mais avançado. Para compor a saga do protagonista, não faltarão peças coloridas e máscaras trazidas de países da Europa, do Peru e de tribos indígenas brasileiras. Um trabalho minucioso e arrematado com tecidos nobres, como sedas trazidas da Índia.

Alguns dos figurinos de Peer Gynt: adornos, sedas e muita cor em cena. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

O cuidado com as roupas que vestem os personagens em suas peças rendeu ao diretor uma indicação ao Prêmio Shell de Teatro de São Paulo no primeiro semestre de 2016 na categoria figurino. A escolha foi pela peça Rainhas do Orinoco. A premiação será em março de 2017, depois de apontados os nomes escolhidos no segundo semestre deste ano.

Enquanto o resultado não vem, o frio na barriga fica por conta da estreia de Peer Gynt, astro do Teatro do Sesi-SP no segundo semestre. “Conhecemos a história linda que tem o Teatro do Sesi-SP”, diz Vilella.