Artigo: Construção Civil e a Responsabilidade Social

Imagem relacionada a matéria - Id: 1553421742

Os artigos assinados não necessariamente expressam a visão das entidades da indústria (Fiesp/Ciesp/Sesi/Senai). As opiniões expressas no texto são de inteira responsabilidade do autor

————————————————————————————————————————————————————————

*Por Haruo Ishikawa

O ano de 2018 foi muito difícil tanto para a indústria da construção paulista como para o SindusCon-SP, que a representa. O PIB da construção acumulou queda de cerca de 30% nos últimos cinco anos. O número de demissões no setor ainda suplantou o de contratações, embora em ritmo menor. Devemos ter fechado o ano com pouco mais de 600 mil trabalhadores empregados, recuando ao número de empregados registrados em dezembro de 2008.

Da mesma forma como ocorreu com os demais sindicatos, o SindusCon-SP viu suas receitas diminuírem com o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical. Um grande esforço foi realizado na busca de novas fontes de receita, para não prejudicar a prestação de serviços às empresas associadas. E, felizmente, conseguimos com isso realizar todas as ações de Responsabilidade Social previstas em nossa programação anual.

Com o tema “Conquistando um novo futuro”, realizamos a 11ª edição do ConstruSer – Encontro Estadual da Construção Civil em Família. Considerado o maior evento de responsabilidade social da construção paulista, o ConstruSer atingiu mais de 22 mil pessoas, entre trabalhadores da construção e seus familiares, na capital e em todas as cidades-sede das Regionais do SindusCon-SP no interior do Estado.

Durante todo o dia, foram oferecidos atendimentos médicos, odontológicos e educacionais, além de muitas opções de lazer. Os participantes beneficiaram-se de um total de 245 mil atendimentos proporcionados pelo sindicato e por seus principais parceiros: Sesi-SP, Senai-SP e Seconci-SP, além de outras entidades

Outro evento relevante foi a 18ª edição anual da Megasipat – Mega Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho, realizada com os mesmos parceiros em todo o Estado. Mais de 2.700 participantes de 307 empresas vivenciaram um dia de atividades voltadas à prevenção em saúde e segurança do trabalho, tornando-se multiplicadores de boas práticas nos respectivos canteiros de obras.

Durante todo o ano, mantivemos o Programa SindusCon-SP de Segurança, em parceria com o Senai-SP. Nos primeiros oito meses do ano, cerca de 1.000 canteiros de obras de mais de 500 empresas que empregam 87 mil trabalhadores já haviam sido visitados pelos técnicos de segurança do programa. Conferiu-se o atendimento às exigências da Norma Regulamentadora 18 do Ministério do Trabalho, que trata da segurança no ambiente de trabalho da construção, e das demais normas de saúde e segurança. Muitas melhorias foram implementadas, graças ao trabalho dos técnicos de segurança.

Outro destaque foi a continuidade do Programa de Elevação da Escolaridade, mantido em parceria com o Sesi-SP, e que se destina proporcionar conhecimentos básicos de português e aritmética aos trabalhadores do setor. Até agosto, 127 funcionários frequentavam os cursos nas 33 salas que haviam sido abertas.

Bastante relevante foi o 5º Prêmio Seconci-SP de Saúde e Segurança do Trabalho, que obteve muita repercussão no setor. A premiação foi realizada em parceria com o Seconci-SP para reconhecer e divulgar as práticas de saúde e segurança do trabalho mais bem-sucedidas, implementadas em canteiros de obras do Estado. Foram laureados 16 canteiros de obras de 9 empresas, além do Trabalhador Modelo e do Empresário do Ano que se destacaram nesta área. Para os trabalhos de avaliação dos participantes, contamos mais uma vez com o auxílio dos técnicos do Senai-SP.

Também divulgamos nossas práticas de responsabilidade social em eventos como o Enic – Encontro Nacional da Indústria da Construção, a Canpat – Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho do Ministério do Trabalho, e o Seminário Unificado em Segurança e Saúde dos Trabalhadores da Fundacentro.

Ao mesmo tempo, seguimos participando da Fiesp por intermédio do Cores e do Depar, além de outras entidades e órgãos, como a Comissão de Política e Relações Trabalhistas da CBIC, os Comitês Permanente Regional do Estado de São Paulo e Nacional da NR-18, e o Fórum de Ação Social e Cidadania da CBIC.

Ter realizado tanto em meio às dificuldades que caracterizaram a vida associativa em 2018 nos deixa com a sensação do dever cumprido, no sentido da contribuição efetiva que a responsabilidade social proporciona à indústria da construção e ao país.

HARUO ISHIKAWA é vice-presidente de Capital-Trabalho e Responsabilidade Social do SindusCon-SP, presidente do Seconci-SP, membro do Cores e do Depar da Fiesp e líder de Saúde e Segurança do Trabalho da Comissão de Política e Relações Trabalhistas da CBIC.

Artigo: Desafios à Responsabilidade Social na indústria da construção

Imagem relacionada a matéria - Id: 1553421742

Os artigos assinados não necessariamente expressam a visão das entidades da indústria (Fiesp/Ciesp/Sesi/Senai). As opiniões expressas no texto são de inteira responsabilidade do autor

————————————————————————————————————————————————————————

*Por Haruo Ishikawa

O que nos une, ativistas sociais, é tornar a vida melhor, melhorar a humanidade, melhorar as pessoas. Na vida empresarial, investimento social dá visibilidade e lucro, quando feito de forma profissional e sustentável. Ele se tornou uma característica mundial das empresas e um fator de valorização das ações de muitas delas nas bolsas de valores.

Nesta perspectiva, o trabalho das instituições em que militamos apresenta diversos desafios. No SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção), nosso foco é o bem-estar do trabalhador e de seus familiares, buscando incessantemente valorizá-los. Zelar pela motivação pessoal e pelo crescimento profissional do trabalhador é condição indispensável à prevenção de acidentes e à elevação da produtividade na construção.

Com esta perspectiva, desenvolvemos ações que incluem: o ConstruSer (Encontro Estadual da Construção Civil em Família), a Megasipat (Mega Semana Interna de Prevenção de Acidentes), o PSS (Programa SindusCon-SP de Segurança), a liderança do tema da Segurança do Trabalho dentro da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), a coordenação da bancada patronal do CPN (Comitê Permanente Nacional) da NR-18, e a inserção segura de Pessoas com Deficiência nos canteiros de obras.

O mais difícil no trabalho social é transmitir motivação e conhecimentos para uma massa enorme, heterogênea e pulverizada de pessoas. Na construção, falamos com 2,3 milhões de trabalhadores, dos quais mais de 670 mil no Estado de São Paulo.

Assim, para atingir o maior número de empresas e trabalhadores, optamos por ações e eventos que se viabilizam mediante valiosas parcerias. O ConstruSer, por exemplo, maior evento de responsabilidade social da construção paulista, é uma realização do SindusCon-SP com Fiesp, Sesi-SP, Senai-SP e Seconci-SP (Serviço Social da Construção).

Durante um dia inteiro, mais de 20 mil trabalhadores e seus familiares encontram-se nos Centros de Atividades do Sesi-SP na capital e no interior paulistas. Realizam exames médicos e participam de esportes e atividades sobre educação, geração de renda por meio de arte e criatividade, sustentabilidade ambiental, educação financeira, alimentação, nutrição, cultura e segurança no trabalho e no lar. De 2008 a 2017, o ConstruSer já recebeu 331 mil trabalhadores da construção civil e seus familiares, gerando 3,5 milhões de atendimentos em 724 atividades oferecidas gratuitamente.

A Megasipat, o maior evento de saúde e segurança do trabalho da construção civil paulista, busca despertar o interesse do trabalhador na prevenção da saúde de acidentes de trabalho, além de abordar temas como higiene, medicina e segurança do trabalho, proteção ao meio ambiente, ética, cidadania e responsabilidade social.

Realizado em parceria com Sesi-SP, Senai-SP e Seconci-SP na capital e no interior do Estado, o evento auxilia as empresas do setor a complementar as suas Sipats (Semanas Internas de Prevenção de Acidente de Trabalho) e formar agentes de boas práticas, multiplicadores em suas respectivas empresas. De 2000 para cá, a Megasipat contribuiu para formação de cerca de 30 mil trabalhadores em 4 mil empresas.

O PSS, realizado em parceria com o Senai-SP, visa orientar as construtoras sobre os cuidados com a Segurança do Trabalho. Técnicos visitam permanentemente os canteiros de obras em todo o Estado, verificando se estão atendendo a NR-18 e as demais Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho para a prevenção de acidentes.

Na Comissão de Política e Relações Trabalhistas da CBIC, desenvolvemos atividades, ações e publicações destinadas à segurança do trabalho. No momento, estamos realizando a Canpat (Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes na Indústria da Construção), mediante seminários nas cinco regiões do país.

O evento conta com parceria dos Sesis, Seconcis e do Ministério do Trabalho, e aborda os temas de interesse do momento: inovações e boas práticas em Saúde e Segurança do Trabalho, atuação das entidades na prevenção de acidentes e reforma trabalhista.

Em parceria com as entidades dos trabalhadores e o Seconci-SP, e com anuência do Ministério do Trabalho, desenvolvemos uma ação permanente visando à inserção segura de Pessoas com Deficiência na Construção Civil, em atendimento à Lei de Cotas. Também orientamos as empresas ao preenchimento da cota de aprendizes.

A preservação da saúde e da segurança do trabalhador também é objeto de várias cláusulas das Convenções Coletivas que o SindusCon-SP assina anualmente com as entidades dos trabalhadores. As construtoras obrigam-se a uma modesta contribuição mensal para o Seconci-SP, que em contrapartida proporciona atendimento médico e odontológico ambulatorial gratuito para os funcionários das mesmas e seus dependentes.

Além disso, o SindusCon-SP tem vasta atuação na área da sustentabilidade. Destacam-se a colaboração com o governo estadual para a Montagem do Sigor (Sistema Estadual de Gerenciamento Online de Resíduos Sólidos) e as ações para estimular a construção sustentável, com preservação dos recursos naturais e combate à emissão de gases estufa.

Desta forma, exercemos nossa responsabilidade social, em busca de um Brasil economicamente forte, socialmente justo e ambientalmente desenvolvido.

*Haruo Ishikawa é vice-presidente de Capital-Trabalho e Responsabilidade Social do SindusCon-SP, presidente do Seconci-SP, líder de SST na CBIC, coordenador da Bancada Patronal do CPN da NR-18 e membro do Comitê de Responsabilidade Social.