No polo aquático, Sesi-SP fica com vice-campeonato inédito na Liga Nacional

Agência Indusnet Fiesp

Na final da VI Liga Nacional de Polo Aquático, o time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) fez uma ótima partida na tarde de sábado (14/12) diante do Fluminense, mas não conseguiu superar a maior experiência da equipe carioca, que venceu o jogo por 13 a 9, com parciais de 3-2, 4-3, 2-2

Com o resultado, o Sesi-SP ficou com o vice-campeonato, melhor participação de sua equipe desde que começou a participar da Liga Nacional. O presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, entregou o troféu e as medalhas de prata aos atletas e comissão técnica. O Fluminense, com 15 vitórias em mesmo número de jogos, conquistou o tricampeonato da competição.

O jogo foi marcado pelo duelo entre dois craques: Tony Azevedo (Sesi-SP) e Felipe Perrone (Fluminense). O carioca, que participou de duas edições dos Jogos Olímpios pela seleção da Espanha, marcou cinco gols e desequilibrou na decisão. Já Azevedo fez quatro gols.

Na análise de Azevedo, principal reforço do Sesi-SP para a temporada, a equipe fez três quartos incríveis, mas não é fácil enfrentar um time com a experiência do Fluminense. “Acho que, com poucos mais anos, o Sesi-SP pode ser uma superpotência no polo aquático.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545077980

Tony Azevedo (8) marcou quatro gols no jogo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O técnico da equipe, André Avallone, disse que o Sesi-SP perdeu para o melhor time do campeonato. “Realmente o Fluminense é muito superior. Um time de estrelas. Nós, um time jovem, mais a experiência do Tony”, avaliou, acrescentando que depois da expulsão do capitão, Rudá, o time deu uma caída.

Ao final da partida, Paulo Skaf cumprimentou o time pelo resultado. “Segundo lugar é muito bom. O Fluminense jogou bem. Estou muito orgulhoso do nosso time polo aquático”, afirmou o presidente, depois de observar que a entrada do Sesi-SO deu um outro panorama para o polo aquático no Brasil. “Hoje temos quase 1000 jovens praticando polo aquático e há poucos anos não tínhamos nenhum. Isso só nos nossos alunos.”

De acordo com o diretor de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Plufg, a campanha foi excelente. “São mais de 10 anos que as finais ficam no eixo entre Fluminense e Pinheiros. Dessa vez a equipe do Sesi-SP conseguiu quebrar esse paradigma e fazer uma final. Jogaram muito bem. O jogo foi equilibrado até o terceiro quarto”, comentou, observado a dificuldade de enfrentar um Fluminense repleto de jogadores de nível internacional. “Nosso time é 100% com garotos categoria de base. Só o Tony que veio para complementar o time nessa temporada. E o time foi muito guerreiro. O esporte é assim. Tem dia que você ganha e tem dia que você perde. Mas o importante é o exemplo que eles vão dar para a garotada.”

Grummy, um dos destaques do Sesi-SP, disse acreditar que a campanha foi muito boa. “A gente veio numa crescente na competição. Fizemos bons jogos e, às vezes, por falta de experiência, deu uma ‘abaixadinha’ no nível. Hoje foi no detalhe. Demos um bom exemplo para a criançada. Agora é continuar trabalhando para se Deus quiser melhorar ainda mais essa campanha.”

Segundo Azevedo, ver um jogo como esse incentiva as crianças e os jovens. “Isso é muito importante para as crianças: ídolos”, resumiu, acrescentando que a estrutura do Sesi-SP é similar à que estava acostumado a ver na Europa, onde jogou muitos anos.

Marcaram pelo Sesi-SP Tony Azevedo (4), Rudá Franco (2), Gabriel Salgado (1), Antonio Inserra (1) e Gustavo “Grummy” Guimarães (1). Pelo Fluminense, assinalaram gols Felipe Perrone (5) Kiko Perrone (3), Bernardo Gomes (2), Josip Vrilic (1), Ádria Delgado (1) e Bernardo Braga (1).