Ministério da Saúde e setor produtivo estabelecem grupo misto de trabalho

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544578361

Da esq. p/ dir.: Ruy Baumer, Alexandre Padilha, Paulo Skaf e Adib Jatene, durante reunião com representantes do setor produtivo, na Fiesp



O saldo positivo da reunião entre o ministro Alexandre Padilha, da Saúde, e o presidente Paulo Skaf, da Fiesp, além de representantes do setor produtivo, inclui a construção de grupo misto de trabalho, atuante no setor de saúde. Outro ponto diz respeito às possíveis parcerias público-privadas e a intensificação da campanha de combate à dengue no estado de São Paulo.

Skaf lembrou que o Sesi-SP conta com programas como Prazer de Estar Bem (mais de 300 mil crianças atendidas, visando à integração da alimentação equilibrada e das práticas esportivas) e o Alimente-se Bem. “Em termos de prevenção de saúde ao trabalhador, foram alcançadas mais de cem mil pessoas”, explicou.

Padilha lembrou que já existe um termo de cooperação com o Sesi Nacional, a fim de acompanhar a qualidade de vida dos seus trabalhadores, e que poderá ser ampliado. E frisou os próximos passos dados em termos de telemedicina e acesso permanente via internet, para melhoria de diagnósticos, que podem contar com parcerias público-privadas.

“Em São Paulo, há um modelo de PPP com a indústria e o comércio quanto a procedimentos administrativos para ampliação e qualificação dos serviços na área da saúde”, confirmou Padilha.

Ele ainda informou aos representantes do setor produtivo, presentes ao encontro, que se encontra disponível para consulta pública, desde esta quinta-feira (7), programa de avaliação e desempenho do Sistema Único de Saúde (SUS), a fim de obter um índice de expressão nacional, estadual e municipal como instrumento de aprimoramento de gestão pública.

“Trata-se de política permanente de qualificação”, explicou Padilha, reforçando que quer promover esse debate com diversos setores da sociedade e conta com o apoio da indústria.

Parceria contra a dengue

De acordo com levantamento do Ministério da Saúde, houve recuo do número de casos de dengue registrados no país, nos primeiros três meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. O total de óbitos retrocedeu 62% e os casos graves caíram 69%. No cômputo geral, houve 43% menos casos notificados.

No entanto, o ministro Alexandre Padilha alertou que ainda é preciso manter a vigilância. Em seu entendimento, a mobilização da população contribuiu para essa redução dos índices. Segundo o Ministro, a rede de saúde suplementar está menos preparada para detectar os sinais graves de dengue e nela se concentra a maior parte dos casos que leva a óbito.

O presidente Paulo Skaf colocou à disposição a experiência do setor produtivo. A Fiesp desencadeou campanha contra a dengue alcançando todas as unidades do Sesi/Senai no estado. A campanha ganhará contornos mais intensos nas regiões de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, locais onde há maior número de casos registrados.