Grandes construtoras brasileiras já começam a implantar o BIM

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Membros do Grupo de Trabalho sobre BIM [Building Information Model ou Building Information Modeling], iniciativa do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), reuniram-se na tarde desta quinta-feira (16/10).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542667026

Reunião teve apresentação de estudo que compara as políticas para o BIM entre o Brasil e cinco integrantes da União Europeia. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


O grupo busca tratar especificamente desse tipo de tecnologia que permite a construção virtual de edifícios em terceira dimensão, antes que sejam erguidos de fato.

Segundo o consultor Sérgio Leusin, um dos convidados para o encontro, grandes construtoras brasileiras já começam a implantar a tecnologia. “O que ocorre no Brasil é parecido com o que ocorre com a França, onde empresas pressionam o governo pela implementação do BIM.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542667026

Sérgio Leusin: grandes construtoras brasileiras já começam a implantar a tecnologia BIM. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Leusin apontou algumas recomendações, as quais julga necessárias para uma boa implantação da tecnologia. “No Brasil temos guias Pré-BIM que podem ser atualizados para considerar o BIM.”

Sobre a normalização de produtos digitais da tecnologia, Leusin afirma que “precisamos definir tipos de dados e procedimentos de qualidade de dados”.

Além disso, Leusin disse que é urgente uma regulamentação entre as partes vinculadas ao contrato referente a propriedade intelectual, direitos e deveres entre as partes, além de definir a função do gerente de informação BIM.

Outro ponto destacado é a necessidade de formação de professores com conhecimento técnico em BIM.

Para Mohamed Kasem, que comparou as políticas para o BIM entre o Brasil e cinco integrantes da União Europeia (Finlândia, Noruega, Holanda, Reino Unido e França), a indústria de construção passa por mudança de paradigmas em vários países.

Segundo o consultor, o Reino Unido está em estágio mais avançado na implantação do BIM, com bibliotecas digitais bem desenvolvidas. O único ponto no qual o Brasil apresenta bom desempenho é em infraestrutura em tecnologia da informação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542667026

Leonardo Manzione: são necessárias melhorias na gestão do BIM. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

“Reino Unido é, entre essas nações, a mais evoluída, e está à frente de Brasil e França em relação à implantação do BIM”, afirmou.

Para o consultor Leonardo Manzione são necessárias melhorias na gestão do BIM. “Ausência de manuais de implantação de BIM no Brasil leva a implementações caseiras e improvisadas, com cópias de métodos estrangeiros”, disse Manzione.

Além desse ponto, o consultor afirma que, no Brasil, os contratantes não sabem contratar e receber BIM.