Iniciativas Sustentáveis: GranBio – inovação em biocombustíveis

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540183361

Por Karen Pegorari Silveira

Nos últimos anos, as discussões sobre os efeitos das mudanças climáticas têm crescido no mundo. Diversos países se comprometeram e estão buscando alternativas e soluções para promover uma verdadeira revolução verde, onde os produtos feitos com recursos fósseis devem ser substituídos por renováveis.

Essa também foi a oportunidade que uma empresa brasileira de biotecnologia industrial enxergou. A GranBio transformou biomassa em produtos renováveis e para isso criou um modelo de negócios inovador, em que atua do começo ao fim da cadeia produtiva – da matéria-prima à distribuição do produto final -, integrando tecnologias próprias e de parceiros.

Utilizando como matéria-prima apenas a palha da cana-de-açúcar, a GranBio deu início à produção de etanol celulósico (ou de 2ª geração – 2G) em fábrica localizada na cidade nordestina de São Miguel dos Campos (AL). Para abastecer a unidade, a palha da cana é recolhida dos canaviais e comprada de usinas parceiras, o que proporciona um aproveitamento dos resíduos deixados no campo. Ou seja, o que antes era descartado, agora é transformado em etanol.

Como no setor não havia nenhuma empresa que prestasse serviço de recolhimento de palha, a GranBio desenvolveu um sistema que atende à essa demanda, tanto para projetos próprios quanto para terceiros. Além de estudar tamanho e peso de fardos que sejam ideais para a produção do bicombustível, foi necessário fazer algumas adaptações no maquinário que recolhe a palha (com suporte de parceiros). “Todo este processo trouxe um grande aprendizado e uma nova oportunidade de negócios para a empresa”, destaca o vice-presidente de Negócios da GranBio, Alan Hiltner.

Foi criado também um programa de melhoramento genético da cana-de-açúcar para que esta passe a apresentar maior teor de fibras e não de açúcar. Conhecida como cana-energia, essa variedade é desenvolvida por meio do cruzamento de espécies ancestrais e híbridos comerciais de cana-de-açúcar, resultando em uma planta mais robusta, com maior teor de fibra e potencial produtivo.

A cana-de-açúcar, que já era amplamente utilizada para produzir açúcar e etanol por meio de seu caldo, vem se tornando ainda mais promissora na medida em que pode ser totalmente utilizada (palha, bagaço e caldo) para gerar também bioquímicos e biocombustíveis de segunda geração, além da geração de energia elétrica, sem poluir o planeta.

Para Alan Hiltner, “o Brasil tem a chance de conquistar papel de liderança nesta agenda, pois pode produzir a biomassa mais competitiva do mundo, com variedades de cana-de-açúcar e cana energia, e já possui uma frota adaptada ao consumo de biocombustíveis”, afirmou.

Investimentos como estes são algumas das ações que podem ser tomadas para mudar o rumo das mudanças climáticas e, ainda, gerar lucro para empresas e promover desenvolvimento econômico e social para o Brasil.

Sobre a GranBio

Fundada em 2011 é uma empresa de biotecnologia industrial 100% brasileira e controlada pela GranInvestimentos S.A. Foi eleita em 2013 uma das empresas mais inovadoras da América do Sul pela revista americana Fast Company. A empresa tem sede em São Paulo (capital). Possui ainda um Centro de Pesquisas em Biotecnologia, em Campinas-SP, e a Estação Experimental para desenvolvimento de novas variedades de biomassa, em Barra de São Miguel-AL.