Pela Superliga 2012/13, time masculino do Sesi-SP tem duelo com RJX

Agência Indusnet Fiesp

O torcedor do Sesi-SP ainda não esqueceu. Em março, a chance do bicampeonato masculino na Superliga parou no RJX.

Neste sábado (08/12), às 21h30, as equipes têm um reencontro pela temporada 2012/13 da competição nacional, em jogo válido pela quinta rodada. A partida no ginásio da Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo, tem entrada franca, com ingressos distribuídos no Sesi-SP local.

Depois de sofrer com desfalques no início da Superliga, o técnico Giovane Gávio conta para este confronto com alguns dos principais nomes da equipe: o ponta Murilo, o central Sidão, o líbero Serginho e o oposto Lorena

Invicto na competição, o RJX tem no elenco o levantador Bruninho, o ponteiro Thiago Alves, o ponteiro-passador Dante e o central Lucão, todos companheiros de Murilo, Sidão e Serginho na conquista da prata olímpica em Londres 2012.

O duelo tem transmissão pelo SporTV.

Leia mais

Sesi-SP: irresistível poder de reação

Agência Indusnet Fiesp 

Na quinta-feira (11),  no ginásio da Vila Leopoldina, o time da indústria paulista perdia por 2 a 0 do Brasil Vôlei, de São Bernardo, e conseguiu virar o placar de forma espetacular, vencendo por 3 sets a 2, parciais de 23/25, 23/25, 25/18, 25/20 e 15/12 em 2h13 de partida.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540135008

Murilo comemora a sensacional vitória da equipe com o treinador Giovane Gávio e o líbero Jeffe. Foto: Vitor Salgado

Houve muito equilíbrio no primeiro set. Jogadas de alto nível técnico de ambos os lados, tendo como protagonistas Murilo, Gustavo, Léo, Enoch Eli, Sidão, Jeffe e Jotinha do Sesi-SP, e Serginho, do Brasil Vôlei, titular da seleção brasileira. Porém, o adversário levou uma pequena vantagem e fechou o set em 25 a 23.

Já no segundo set, o Sesi-SP só não venceu por uma questão de detalhes, que acabaram sendo ajustados nos sets seguintes. Murilo defendia e atacava com disposição várias bolas, assim como Léo, maior pontuador do jogo, com 26 pontos. Quanto ao bloqueio, funcionava em perfeita simetria com Enoch Eli, Gustavo e Sidão. Um show de gigantes.

Aliás, por falar em gigantes, Gustavo, com seus 2,13m de altura, foi novamente um dos destaques da partida e está se firmando cada vez mais como titular absoluto da equipe paulistana. Dos 20 pontos de bloqueio do Sesi-SP no jogo, ele fez 6, sem contar sua participação direta em mais de 20 ações que renderam pontuação.

No entanto, o adversário novamente levou vantagem e fechou o set com o mesmo placar do anterior: 25 a 23.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540135008

Thiago Barth ataca forte e marca mais um ponto para a equipe da indústria. Foto: Vitor Salgado

Perdendo por 2 sets a 0, não havia outra opção para o Sesi-SP. Era ganhar ou ganhar. O treinador Giovane Gávio conversou com os jogadores, ajustou algumas falhas e aí a equipe da indústria dominou absoluto no terceiro set, empurrado por uma torcida extremamente vibrante.

Para se ter uma ideia, aos 17 minutos de jogo, o Sesi-SP assinalava 17 a 12, com muitos desses pontos de bloqueios de Sidão e Gustavo e ataques precisos e velozes de Murilo e Enoch Eli, que se portavam como se estivessem em batalha. Guerreiros absolutos em essência contagiavam seus colegas e a torcida.

Atônito, o Brasil Vôlei sucumbiu à reação da equipe paulista e perdeu o set por 25 a 18. Começava mais uma virada.

Sucesso!

Motivados pela vitória no set anterior, o Sesi-SP entrou com mais garra ainda no 4º set. Precisava vencer mais uma vez. Chegaram a fazer 11 a 5 em cima do adversário, e o bloqueio de Enoch Eli, Sidão e Gustavo acabou virando quase uma muralha intransponível. A bola simplesmente não passava para a quadra do time da indústria.

Por outro lado havia o ataque furioso de Léo, Murilo e Jeffe, o que irritava ainda mais o time de São Bernardo e o saque forçado de Gustavo. E também havia a torcida que àquela altura não parava de gritar. O Sesi-SP esteve boa parte do set cinco pontos à frente do adversário e, assim, terminou em 25 a 20. Empate conquistado na técnica e raça. Agora era o tudo ou nada no tiebreak.

No quinto e decisivo set, o time adversário fez algumas jogadas de meio de rede e conseguiu equilibrar um pouco a partida. Mas era o dia do Sesi-SP que não errava fundamentos e ainda conseguira um ace espetacular de Murilo.

Percebendo que o adversário ficava cada vez mais abalado emocionalmente, afinal tinha permitido o empate do time da indústria, Jeffe começou a convocar a torcida e aí foi uma gritaria geral. Após dois bloqueios perfeitos de Gustavo e Murilo e dois saques forçados de Tiago Barth, o Sesi-SP liquidou a partida em 15 a 12.

Feliz e bastante humilde, Gustavo disse que a partida foi importante para confirmar definitivamente a recuperação, destacando o forte ritmo de treinos de Giovane. Quando questionado se sabia que era uma das peças-chave da equipe para a vitória, ele sorriu e preferiu dizer que tudo foi um trabalho de grupo. “O Sesi-SP está mais unido do que nunca.”

Ficha Técnica

2ª rodada (segundo turno) Superliga Masculina de Vôlei

Sesi-SP x Brasil Vôlei/São Bernardo
Ginásio: Sesi-SP Vila Leopoldina
Parciais: 23/25, 23/25, 25/18, 25/20 e 15/12 em 2h13 de partida.
Arbitragem: Flávio Campos e Marcos Silva (SP)

Sesi-SP – Jotinha, Enoch Eli, Léo, Gustavo, Murilo, Sidão, Jeffe (líbero). Daniel, Filipe e Anderson. Técnico – Giovane Gávio.
Brasil Vôlei – São Bernardo – Raphael, Fabiano, Maurício, Marlon, Serginho (líbero), Ygor, Thiago, Giovanni, Renan, Isac, Carlos e Michael. Técnico – Roberley Leonaldo