Dezesseis cidades paulistas vão para a final do Prêmio Municípios que Fazem Render Mais

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Nesta quarta-feira (7), foram divulgados os 16 municípios classificados para a final do Prêmio Municípios que Fazem Render Mais.

Promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o prêmio tem por objetivo identificar, reconhecer e disseminar as melhores práticas de gestão dos recursos públicos, valorizando os esforços voltados à melhoria da capacidade de planejamento, inovação e prestação de serviços das prefeituras para os cidadãos.

A metodologia e o processo seletivo do prêmio foram conduzidas pelo Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas. Nos próximos meses, os municípios classificados serão visitados por um grupo de técnicos da FGV para continuidade da avaliação.

Com essa iniciativa, a Fiesp pretende identificar e divulgar, no primeiro trimestre de 2012, os nove melhores municípios paulistas nos quesitos Sustentabilidade; Transparência; Participação Popular; Contribuição para o Desenvolvimento Local; Custeio e Qualidade do Investimento; Responsabilidade Fiscal e Social.

Esta primeira edição do Prêmio no Estado de São Paulo contou com a inscrição de 73 municípios (11% dos municípios paulistas) que, juntos, somam mais de 10,5 milhões de habitantes (25,5% da população do estado e 35% da população do interior paulista).

Municípios classificados para a final

Até 50 mil habitantes Aguaí, Guararema, Ilha Solteira, Monte Mor, Santo Antônio da Alegria e Sud Mennucci
De 50 mil a 250 mil habitantes Araçatuba, Araraquara, Catanduva, Embu das Artes, Itapetininga, São Carlos, São João da Boa Vista e Taboão da Serra
Acima de 250 mil habitantes Santos e São José dos Campos

Para saber mais sobre o Prêmio, clique aqui.

 

FGV divulga detalhes da próxima fase do Prêmio Municípios que Fazem Render Mais

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

A partir desta sexta-feira (21/10), as prefeituras inscritas no Prêmio Municípios que Fazem Render saberão como foram avaliadas nessa primeira etapa do concurso.

Promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o prêmio tem por objetivo identificar, reconhecer e disseminar as melhores práticas de gestão dos recursos públicos, valorizando os esforços voltados à melhoria da capacidade de planejamento, inovação e prestação de serviços das prefeituras para os cidadãos. A metodologia e o processo seletivo do Prêmio foram conduzidos pelo Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Os 74 municípios inscritos tiveram sua documentação avaliada pela equipe técnica da FGV, sob os critérios da sustentabilidade, transparência, participação popular, contribuição para o desenvolvimento local, custeio e qualidade do investimento e responsabilidade fiscal e social. Na próxima semana, esses municípios receberão e-mail informando sua condição perante a fase seguinte.

Conforme o regulamento do Prêmio, 15 municípios passarão para a segunda fase, mas este número poderá variar para mais ou para menos segundo a qualidade dos questionários. Esses municípios finalistas receberão carta explicativa e questionário, no qual serão solicitadas informações específicas sobre as ações, programas, projetos e medidas adotadas pelas prefeituras.

O Prêmio Municípios que Fazem Render teve uma significativa adesão em sua primeira edição no estado de São Paulo, principalmente entre os municípios menos populosos. Do total de inscritos, apenas 13 eram cidades com mais de 250 mil habitantes. Mais da metade, isto é, 34 municípios, tem entre 50 e 250 mil habitantes. E 27 dos municípios inscritos possuem menos de 50 mil habitantes.

Leia mais:

Prêmio Municípios que Fazem Render Mais

Mais de 70 cidades concorrem ao “Municípios que Fazem Render Mais”

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

No primeiro trimestre de 2012 serão conhecidos os nove municípios paulistas vencedores do Prêmio Municípios que Fazem Render Mais.

Promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o prêmio tem por objetivo identificar, reconhecer e disseminar as melhores práticas de gestão dos recursos públicos, valorizando os esforços voltados à melhoria da capacidade de planejamento, inovação e prestação de serviços das prefeituras para os cidadãos. A metodologia e o processo seletivo do Prêmio são conduzidos pelo Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Na primeira edição do concurso no Estado de São Paulo, 74 prefeituras inscreveram-se. Nos próximos meses, especialistas da FGV avaliarão a gestão desses municípios sob os critérios de sustentabilidade, transparência, participação popular, contribuição para o desenvolvimento local, custeio e qualidade do investimento e responsabilidade fiscal e social.

Leia mais:

Prêmio Municípios que Fazem Render Mais

Prefeituras podem se inscrever, até hoje, em concurso sobre melhores práticas de gestão

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

O prazo limite para as prefeituras paulistas confirmarem sua inscrição ao prêmio Municípios que Fazem Render Mais, promovido pela Fiesp, é esta quarta-feira (14).

Em razão da repentina greve dos Correios, as inscrições serão recebidas, excepcionalmente, por e-mail. Os municípios interessados devem enviar a ficha de inscrição escaneada ou mensagem manifestando a intenção de participar para o endereço municipiosquefazemrender@fgv.br, até a meia-noite de hoje. A confirmação de recebimento da inscrição será enviada pela equipe da Fundação Getúlio Vargas, por e-mail.

Vale ressaltar, no entanto, que a participação no Prêmio só será efetivada com o envio do questionário preenchido, com as respectivas cópias, tão logo sejam normalizados os serviços dos Correios.

Incentivo à eficiência 

Inédito no estado de São Paulo, o prêmio Municípios que Fazem Render Mais pretende reconhecer e disseminar as melhores práticas de gestão dos recursos públicos em várias dimensões da administração, como sustentabilidade, transparência, participação popular, contribuição para o desenvolvimento local, custeio e qualidade do investimento e responsabilidade fiscal e social.

Após a criteriosa análise das informações fornecidas pelas prefeituras participantes, os especialistas da Fundação Getúlio Vargas (FGV) visitarão, no início de 2012, os municípios pré-qualificados.

Os trinta finalistas e nove municípios vencedores – divididos em três categorias de acordo com o número de habitantes – serão conhecidos no mês de março. O intuito dessa divulgação é valorizar as melhores práticas e inspirar outros gestores públicos municipais para a adoção de iniciativas similares.

Para saber mais detalhes sobre o Prêmio, acesse o site: www.fiesp.com.br/premiomunicipios.

Fiesp vai premiar a boa gestão pública no estado

Cesar Augusto, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) trouxe para o Estado o prêmio Municípios que Fazem Render Mais. O objetivo é identificar, reconhecer e disseminar as melhores práticas de gestão dos recursos públicos, valorizando os esforços voltados à melhoria da capacidade de planejamento, inovação e prestação de serviços das prefeituras para os cidadãos.

A Fiesp já começou a enviar cartas aos prefeitos de cada uma das 645 cidades. Serão avaliados diversos itens da gestão, como sustentabilidade, transparência, participação popular, contribuição para o desenvolvimento local, custeio e qualidade do investimento e responsabilidade fiscal e social. As inscrições foram prorrogadas até o dia 14 de setembro e o prêmio será entregue em março de 2012.

A metodologia e o processo seletivo do prêmio serão conduzidos pelo Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), cujos técnicos visitarão os municípios pré-qualificados e, ao final, elegerão nove deles divididos em três categorias: até 50 mil habitantes, de 50 mil até 250 mil habitantes e acima de 250 mil habitantes.

“A ideia é valorizar as boas ideias, as iniciativas que dão resultado positivo e consequente retorno à população das cidades”, explica o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

Já em outubro, 30 cidades serão pré-selecionadas. Destas, 15 passam para a fase final, quando os municípios são visitados pelos técnicos da FGV, em fevereiro de 2012. Em março, as nove vencedoras serão anunciadas.

Apenas os 30 finalistas e os vencedores de cada categoria serão divulgados. Com isso, os municípios que não tiverem iniciativas enquadradas nos critérios de premiação não serão conhecidos. Isso garante a divulgação das boas iniciativas, sem necessidade de expor os demais.

Serviço:
Projeto: Municípios Que Fazem Render Mais
Quem pode participar: todas as 645 prefeituras de São Paulo (por adesão)
Prazo de inscrição: 14 de setembro de 2011
Custo: gratuito
Informações e inscrições no site: www.fiesp.com.br/premiomunicipios

Prefeito de Joinville vê eficiência e transparência na gestão um caminho irreversível

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Vista aérea de Joinville (SC)

Mais populosa e industrializada em seu estado, Joinville foi considerada uma das melhores cidades em gestão na Região Sul do País, conquistando, em 2010, o primeiro lugar no Prêmio Municípios que Fazem Render Mais, na categoria de cidades com mais de 250 mil habitantes.

Neste ano, as prefeituras paulistas terão oportunidade de participar do Prêmio Municípios que Fazem Render Mais que está sendo promovido, no estado, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. As inscrições vão até o dia 31 de agosto. Mais informações já estão disponíveis no site do Prêmio: www.fiesp.com.br/premio-municipios.

Em entrevista à Agência Indusnet Fiesp, o prefeito de Joinville, Carlito Merss, incentiva prefeitos paulistas a participarem da premiação que, pela primeira vez, é realizada no estado de São Paulo

Agência Indusnet Fiesp – Prefeito, sua cidade é uma das mais populosas do estado. Na sua avaliação, esse fator oferece dificuldades na obtenção de resultados?

Carlito Merss, prefeito de Joinville (SC)

Carlos Merss – De fato Joinville é a primeira mais populosa de Santa Catarina e a mais rica, mas também possui problemas gigantescos. Por exemplo, 45% das vias não têm asfalto e calçamento. Herdei uma cidade com apenas 14% de acesso a saneamento. Nesses dois anos, foram investidos R$ 220 milhões em obras nessa área (contando também com verbas do PAC), o que permitirá que 38% da população tenha acesso a saneamento. Até o fim do mandato quero chegar a 50%.

AI – A que o senhor atribui a conquista do Prêmio?

CM – Sem dúvida, o principal motivo foi a transparência e honestidade, que é a marca do nosso governo. Criamos o Portal da Transparência, que tem se tornado referência para outros municípios. Pelo portal você pode consultar no mesmo dia uma compra realizada pela prefeitura, com todos os detalhes. Esse  é apenas um aspecto, mas sei que podemos melhorar mais. Somos, por exemplo, considerados pelo Ministério das Cidades como uma Cidade Acessível, pois todas as nossas obras já estão sendo planejadas com acessibilidade.

AI – Como foi a avaliação dos itens sustentabilidade, transparência da gestão pública, participação popular, contribuição para o desenvolvimento local, custeio e qualidade do investimento, responsabilidade fiscal e social?

A questão do orçamento participativo, avaliado no Prêmio, já era uma prática em nossa Prefeitura. Temos aqui o Conselho de Desenvolvimento de Joinville (Desenville), composto por associações e representantes dos vários setores da sociedade, que acompanha e fiscaliza a qualidade das nossas obras.

A questão da responsabilidade fiscal foi um grande desafio, pois, no primeiro ano do meu mandato, 52% do orçamento referia-se a folha de pagamento, algo inviável. Temos feito esforços, com total responsabilidade, para baixar esse custo em 47% do orçamento. Eu me orgulho de dizer que 35% do nosso orçamento é destinado à Saúde, enquanto a constituição prevê 15%. Conseguimos aumentar a receita da prefeitura com medidas de combate à sonegação, realizando a revisão do IPTU e ampliando a fiscalização.

AI – O senhor acredita que o Prêmio pode ser considerado um Raio X da gestação municipal?

CM – Sim, com certeza. E, em minha opinião, não há outra saída. É um fato irreversível que os gestores públicos busquem a eficiência e transparência. Fiquei extremamente feliz de participar e ganhar esse Prêmio com apenas dois anos de mandato.

AI – Como considerou toda a organização e processo da avaliação do Prêmio?

CM – Ser avaliado pela Fundação Getúlio Vargas, uma instituição de referência no País, foi maravilhoso. É claro que nos exigiu esforços. Um grande desafio foi colher os dados, pois nem todos estavam disponíveis, além de saber usar corretamente as informações. Ter esse acompanhamento dos técnicos da FGV, durante 60 dias, foi muito bom e nos ajudou a ser mais organizados.

AI – Neste ano, a Fiesp promoverá, pela primeira vez, o Prêmio Municípios que Fazem Render Mais, no estado de São Paulo. O que o senhor diria aos prefeitos paulistas?

CM – Eu diria que participem do Prêmio, mostrem seus números, façam sua autoavaliação e escolham as prioridades que consideram convenientes para seus municípios. Em Joinville, eu escolhi o saneamento básico. Em uma conferência em Istambul, ouvi que a cada unidade monetária gasta com Saneamento, você economiza quatro em Saúde. No meu entendimento, isso também é pensar em futuro.

Fiesp premia boa gestão municipal

Cesar Augusto, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) anunciou nesta sexta-feira (15/07), na sede da entidade, a criação do a Prêmio Municípios que Fazem Render Mais, que avaliará as 645 cidades do Estado de São Paulo. O objetivo é identificar, reconhecer e disseminar as melhores práticas de gestão dos recursos públicos, valorizando os esforços voltados à melhoria da capacidade de planejamento, inovação e prestação de serviços das prefeituras para os cidadãos.

Iniciativa da Fiesp, o projeto avaliará itens importantes para o bom desempenho da gestão municipal, como sustentabilidade, transparência da gestão, participação popular, contribuição para o desenvolvimento local, custeio e qualidade do investimento e responsabilidade fiscal e social. “Não faremos um ranking, queremos divulgar experiências positivas”, afirmou Paulo Skaf, presidente da federação.

As inscrições vão até o dia 31 de agosto e o prêmio será entregue seis meses após o encerramento das inscrições.

A metodologia e o processo seletivo do Prêmio serão conduzidas pelo Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas, que irá visitar os municípios pré-qualificados e, ao final, elegerá 9 deles divididos em três categorias: até 50 mil habitantes, de 50 mil até 250 mil habitantes e acima de 250 mil habitantes.

Leia mais:

Saiba todos os detalhes sobre Prêmio Municípios que Fazem Render Mais