‘Medidas paliativas não adiantam’, diz presidente da Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

“O Brasil precisa de medidas urgentes, estamos chegando no limite e medidas paliativas não adiantam”. O alerta foi feito, na manhã desta terça-feira (12/08), pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, que participou da 25ª edição do Congresso Brasileiro do Aço, realizado no complexo WTC, na capital paulista.

Para Steinbruch, a margem de piora em relação ao quadro atual “é imensa”. “Temos que usar a nossa criatividade, inteligência e poder de fazer para tirar o país dessa situação”.

Steinbruch: “Temos que usar a nossa criatividade, inteligência e poder de fazer para tirar o país dessa situação”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Steinbruch: “Temos que usar a nossa criatividade, inteligência e poder de fazer para tirar o país dessa situação”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Em sua participação, o presidente da Fiesp comparou o Brasil com Japão ao citar artigo de sua autoria publicado nesta terça-feira (12/08) no jornal Folha de S. Paulo. No texto, Steinbruch classifica como “louváveis” as medidas adotadas e apresentadas pelo primeiro ministro japonês, Shinjo Abe com o objetivo de combater a estagnação econômica na terra do sol nascente.

“O Japão vinha de um cenário de deflação e falta de crescimento há muitos anos, mas o ministro adotou políticas diferenciadas, criativas, que estão começando a fazer efeito”. Segundo ele, é de ações assim que o Brasil precisa. “Só uma mudança muito grande e agressiva pode corrigir essa situação”, disse, sempre lembrando que vivemos num “país fantástico e que tem tudo”.

Mais rapidez

Além de ações diferenciadas, Steinbruch defendeu que se tenha “mais proximidade e rapidez nas decisões”.

Nesse ponto, defendeu ele, o setor produtivo está a postos para colaborar. “O setor produtivo é criativo, diferenciado, está preparado. Temos empresas estruturadas e preparadas para desafios maiores, somos parceiros”, destacou. “A iniciativa privada vai na frente com uma sinalização forte de que estamos amparados no sentido de que podemos acreditar e investir”.

De acordo com o presidente da Fiesp, basta uma “sinalização”. “Precisamos dessa sinalização urgente. A partir do momento em que for dado o sinal, nós vamos avançar”.

Também participaram do  debate no Congresso Brasileiro do Aço autoridades como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Mauro Borges Lemos.


No aniversário da cidade, presidente do Sesi-SP assina renovação do Sistema em Tietê

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Tietê

No aniversário de 172 anos de Tietê, município a aproximadamente 160 kms da capital, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Paulo Skaf, assinou neste domingo (09/03) a renovação, por mais um ano, do convênio do Sistema Sesi-SP de Ensino com a Prefeitura local.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Presidente Paulo Skaf e o prefeito Manoel David com o convênio assinado. Foto :Everton Amaro/Fiesp


Com material didático próprio, o Sistema Sesi-SP de Ensino é uma metodologia que engloba processos de ensino, aprendizagem e pesquisa. Essa concepção educacional parte da perspectiva de que toda criança ou adolescente é capaz de aprender se lhe forem oferecidas boas situações de aprendizagem.

Em seu discurso, Skaf falou sobre a importância da parceria com a cidade. “Hoje, as 29 escolas municipais de Tietê, com 5.076 alunos e o envolvimento de 250 professores e gestores trabalham com o Sistema Sesi-SP de Ensino, uma grande satisfação para nós, por podermos contribuir com a educação das crianças. Também temos programado para Tietê cursos técnicos na área de comunicação, por meio do Senai-SP”, afirmou.

Para o prefeito de Tietê, Manoel David, o Sistema Sesi-SP de Ensino gerou benefícios para a educação da cidade. “Além de trazer economia para o município, o Sesi-SP trouxe uma qualidade muito grande no ensino. O Sistema Sesi-SP motiva o aluno e o professor, que consegue passar seus conhecimentos para o aluno de forma que ele realmente aprenda. Acredito que no final do ano que vem, estaremos comemorando uma grande vitória na educação de Tietê.”

Falando sobre o desenvolvimento da região de Tietê, Skaf colocou o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) à disposição para atender a demanda da indústria local.

“Com os novos investimentos das indústrias em Tietê, o prefeito pode contar com o Senai-SP para formar mão de obra e facilitar que essas indústrias se instalem, se fortaleçam e se desenvolvam e que a cidade atraia mais investimentos”, disse Skaf.

A cerimônia terminou com a apresentação da Bachiana Sesi-SP, com regência do maestro João Carlos Martins, e a apresentação do tenor Jean William.

Homenagens

O vice-presidente da República, Michel Temer, natural de Tietê, foi um dos homenageados durante o evento. O evento contou ainda com a participação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Ambos anunciaram medidas de governo na ocasião. A cerimônia também teve homenagem a duas personalidades da cidade, em função do Dia Internacional da Mulher: a vereadora Conceição Dal Bó e a professora Dona Dinda, que deu aula de matemática ao vice-presidente da República.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Cerimônia contou com apresentação da Bachiana Sesi-SP. Foto: Everton Amaro/Fiesp



Sesi-SP apresenta a exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’

Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Prêmio Nobel. Foto: Fundação Nobel

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) apresenta, na próxima segunda-feira (11/11), a exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

O evento terá a presença do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP, Paulo Skaf; do superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP), Walter Vicioni; do rei Carl XVI Gustav; da rainha Silvia da Suécia, do americano David Gross, prêmio Nobel de Física; do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; e do prefeito da capital, Fernando Haddad.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Caderno de anotações do escritor Mario Vargas Llosa. Foto: Fundação Nobel

A mostra inédita na América Latina é organizada em parceria com o Museu Nobel, sediado em Estocolmo, na Suécia, e reúne objetos e documentos exclusivos sobre a trajetória de descobertas e pessoas que transformaram a humanidade, como o próprio criador da premiação, o químico Alfred Nobel (1833 – 1896).

Entre as preciosidades selecionadas para a exibição em São Paulo, estão o caderno de anotações do escritor Mario Vargas Llosa, ganhador do Nobel de Literatura, em 2010. E mais documentos exclusivos, obras de arte e invenções como rádio transistorizado, penicilina, plástico, câmera digital, disco rígido, ponteiro laser, computador e outras ideias que revolucionaram o mundo.

Serviço
Abertura da exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’
Data e horário: 11 de novembro, segunda-feira, às 19h30
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1.313 – Cerqueira César – São Paulo – SP)
Evento exclusivo para convidados

Presidente da Catalunha visita a Fiesp para promover o intercâmbio com o Brasil

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Buscando incentivar os negócios entre o Brasil – em especial o estado de São Paulo – com a Catalunha, o presidente da comunidade espanhola, Artur Mas i Gavarró, visitou a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na manhã desta quarta-feira (10/07).

Além dele, cerca de 50 empresários catalães também estiveram na Fiesp para saber mais sobre a indústria e a economia brasileiras. Antes de vir a São Paulo, a delegação já havia passado pelos estados do Ceará, Santa Catarina e Rio de Janeiro.

O diretor-titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, Antonio Fernandes Guimarães Bessa, deu as boas-vindas ao presidente. “É grande o nosso interesse e o nosso esforço para receber as autoridades e os empresários da Catalunha, uma vez que temos um grande número de pessoas e de empresas de lá no nosso país.”

O encontro com os catalães na Fiesp: troca de experiências em diferentes áreas. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Encontro com catalães na Fiesp: troca de experiências em diferentes áreas. Foto: Everton Amaro/Fiesp


“Nos anos 90, quando abrimos uma delegação específica do governo catalão no Brasil, escolhemos colocá-la em São Paulo porque sabíamos que era a principal economia do Brasil, da mesma forma que a Catalunha é a principal economia da Península Ibérica e do sul da Europa”, disse o presidente. “São Paulo, com uma dimensão grande; nós, com uma dimensão menor, mas ocupando a mesma posição sob o ponto de vista da liderança econômica.”

Considerando as dimensões de São Paulo e da Catalunha, o presidente citou uma série de ações de sucesso, que podem servir de exemplo para o estado, como o investimento em desenvolvimento científico da Catalunha, que tem hoje 12 universidades, sendo nove públicas e três privadas. “A Catalunha representa apenas 0,1% da população mundial, mas responde por 1% de toda produção científica mundial, dez vezes mais do que corresponderia à nossa população.”

Referência em transporte público

Outro exemplo catalão mencionado pelo presidente foi o transporte público, que segundo Gavarró foi um dos assuntos da sua conversa com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. “Temos um dos melhores sistemas de transporte público de toda União Europeia e dos mais avançados do mundo”, afirmou. “Nós, que somos bem menores que São Paulo, com 7,5 milhões de habitantes sendo apenas 3,5 milhões na área metropolitana, temos mais que o dobro de linhas de metrô e de quilômetros que São Paulo, que tem 12 milhões de pessoas na capital.”

Gavarró: Catalunha é referência em transporte e meio ambiente. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Gavarró: Catalunha é referência em transporte e meio ambiente. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O presidente também falou da importância do investimento da Catalunha em meio ambiente. “Nos últimos 20 anos, houve um grande esforço de modernização na Catalunha para coleta e tratamento de resíduos, entre outras ações ambientais. Como resultado, as praias catalãs hoje são consideradas as melhores da Europa.”

Gavarró mencionou o trabalho realizado na área de arquitetura e urbanismo. “Há cerca de 25 anos, de forma democrática, começamos a transformar bairros degradados, construídos nos anos 50 sem controle, em lugares não só com qualidade urbanística, mas com qualidade de vida. Podemos também contribuir com São Paulo na área de planejamento urbano e em programas de desenvolvimento social.”

O presidente encerrou a sua apresentação na Fiesp falando sobre o potencial turístico que ainda não foi totalmente explorado no Brasil. “Todos os anos, a Catalunha recebe 15 milhões de turistas estrangeiros, que é mais que o dobro da nossa população. A Espanha, que tem 45 milhões de habitantes, recebe 63 milhões de turistas. Que é mais do que recebe todo o Brasil, com 200 milhões de habitantes. Podemos também oferecer nossa experiência nesse campo.”

Economia brasileira

 Para dar um panorama amplo da economia brasileira, foram convidados representantes de diversos setores para apresentar dados recentes e informações relevantes sobre a atividade nacional.

O diretor do Derex, Antonio Fernandes Guimarães Bessa, apresentou a situação macroeconômica do Brasil e também falou sobre tecnologia da informação. A apresentação sobre as medidas e políticas mais recentes na área de infra-estrutura foi feita pelo gerente do Departamento de Infra-estrutura  (Deinfra) da Fiesp, Roberto Moussalem. Anícia Aparecida Pio, gerente do Departamento de Meio-ambiente (DMA), apresentou as vantagens e os problemas brasileiros na área ambiental.

Moussalem participou do encontro representando o Deinfra. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Moussalem participou do encontro representando o Deinfra, da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Sobre o setor de autopeças e metalurgia, o convidado foi Francisco Marianno, do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças). O diretor do Derex, Newton de Mello, falou sobre o setor de maquinário agrícola.

O encerramento do encontro foi feito por Felipe Puig, chefe de governo da Catalunha, que reforçou a importância da troca de experiências com São Paulo, destacando as experiências catalãs. “Somos um país que não tem riquezas naturais como o Brasil. Não temos água em abundância como vocês e não temos Estado próprio. Mesmo assim, a Catalunha desenvolveu um sistema empresarial e industrial de alta competitividade mundial”, disse. “Viemos para o Brasil com interesse para conhecer o que vocês podem oferecer às nossas empresas. Mas também para oferecer ao Brasil um modelo de gestão e a nossa experiência em diferentes áreas.”

Foto: Paulo Skaf visita ‘Cidade das Crianças’, em Paris, na França

Agência Indusnet Fiesp

Em sua passagem pela capital francesa, onde reforçou o apoio à candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, visitou na tarde de quarta-feira (12/06) a “Cidade das Crianças”, na Cité des Sciences, no parque La Villette, juntamente ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o governador do Estado, Geraldo Alckmin.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, durante visita à Cidade das Crianças, na Cité des Sciences, no parque La Villette. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Fiesp acompanha, em Paris, defesa de candidatura de São Paulo à Expo 2020

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, desembarcou nesta segunda-feira (10/06) em  Paris, na França, para acompanhar a defesa da candidatura de São Paulo à sede da Exposição Universal em 2020, a Expo 2020.

Da esquerda para a direita: Skaf, Temer e Alckmin: apoio à candidatura de São Paulo. Prefeito Fernando Haddad também compareceu ao evento. Imagem: Junior Ruiz/Fiesp

Da esquerda para a direita: Skaf, Temer e Alckmin: apoio à candidatura de São Paulo. Prefeito da capital paulista, Fernando Haddad, também compareceu ao evento. Imagem: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf participou de coquetel oferecido por São Paulo aos delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que irá escolher a cidade-sede. O compromisso aconteceu no Palácio de Chaillot, às 19h (hora local), com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer; do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; do prefeito da capital paulista, Fernando Haddad; e do embaixador do Brasil na França, José Maurício Bustani, entre outras autoridades. O encontro teve um show da cantora Daniela Mercury.

Nesta terça (11/06), o presidente da Fiesp participa, novamente ao lado de Temer, Alckmin e Haddad, de um jantar oferecido pelo embaixador Bustani. Na quarta (12/06), às 11h05 (hora local), Skaf acompanha a apresentação da candidatura paulistana à sede da Expo 2020.

Concorrem com São Paulo as cidades de Dubai (Emirados Árabes Unidos); Ecaterimburgo (Rússia) e Izmir (Turquia). O anúncio com o nome da cidade-sede está programado para novembro deste ano.

A Expo 2020 é o terceiro maior evento internacional em termos de impacto cultural e econômico, atrás apenas da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

“Caso São Paulo seja a escolhida, será a primeira cidade da América Latina a sediar o evento”, reforça Skaf em artigo publicado nesta segunda-feira (10/06) no Diário de São Paulo e nos jornais da Rede Bom Dia.

Em março, a Fiesp recebeu, em sua sede, a missão do comitê do BIE com o objetivo de inspecionar a candidatura de São Paulo em uma série de encontros que tiveram representantes do poder público municipal, estadual e federal. Na ocasião, o espanhol Vicente Loscertales, secretário-geral do BIE, disse que a realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016 no Brasil credenciam São Paulo como potencial sede da Expo 2020.

Skaf e Loscertales: apoio da Fiesp à Expo 2020 em São Paulo. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf e Loscertales: apoio da Fiesp à Expo 2020 em São Paulo. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

O apoio da Fiesp vem de 2012. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

A candidatura
Com o tema “Força da Diversidade, Harmonia para o Crescimento”, a candidatura de São Paulo será apresentada pela diretora e atriz portuguesa Maria de Madeiros – conhecida por filmes como “Pulp Fiction” e “Xangô de Baker Street”, entre outros.

A proposta brasileira defende a promoção de um espírito de amor, tolerância e generosidade que inspira a cultura brasileira e a criação de novas alianças, entendimentos e parcerias em busca de uma globalização mais igualitária com bem estar e segurança para todos.

Se vencer a disputa, São Paulo pode receber mais de 30 milhões de visitantes de todo o mundo entre os dias 15 de maio a 15 de novembro de 2020, período de realização da exposição.

Para isso, um terreno de cinco quilômetros quadrados localizado no bairro de Pirituba receberá um projeto que transformará a região noroeste da cidade no maior pólo cultural e de atração de feiras e eventos na América Latina.

O terreno do futuro Centro de Exposições já foi declarado de utilidade pública para desapropriação. O local compreenderá uma extensão equivalente a quatro vezes o tamanho do Anhembi, atualmente o maior centro de exposições da cidade.

A proposta é que o projeto tenha como legado para a cidade um parque municipal com equipamentos de esportes, cultura e lazer, além de uma reserva ambiental natural. Para facilitar a mobilidade ao local, serão construídas novas estações do Metrô e da CPTM, além de alças de acesso rodoviário.

Por se tratar de um evento nacional, a oficialização da candidatura foi feita por meio da entrega de carta assinada pela presidente Dilma Rousseff, em 28 de outubro de 2011, ao BIE, órgão regulamentador dessas exposições. A delegação do BIE realizou a visita de inspeção a São Paulo entre os dias 11 e 14 de março.

Sobre a Expo

As Exposições Universais surgiram no século 19, na Europa, para estimular a inovação, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico, tão importante para o progresso humano. São realizados a cada cinco anos com seis meses de duração.

Além de divulgar e promover ciência, técnica, arte e cultura, as Expo eram um encontro de negócios que visava fomentar a indústria e promover apresentações públicas de novas invenções. Entre as importantes invenções que esses eventos já apresentaram ao público estão o telefone, de Graham Bell, o elevador de Otis e a máquina de escrever Remington.

As Expo também deixaram um importante legado arquitetônico que se tornaram símbolos para as cidades-sede como a Torre Eiffel (Paris), o Space Needle (Seatle) e o Unisphere (Nova York).

Para a maior metrópole brasileira, a previsão é de que seja construída uma torre de observação e de geração de energia renovável, projetada especialmente para o evento e instalada no ponto mais elevado da parte montanhosa da região, ao norte da área da Expo de São Paulo.


Foto: autoridades participam da abertura solene do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha

Agência Indusnet Fiesp 

A presidente da República, Dilma Roussef, o presidente da Alemanha, Joachim Gauck, e os presidentes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Skaf e Robson Braga de Andrade;  junto a autoridades brasileiras e alemãs, reuniram-se na tarde desta segunda-feira (13/05), para a abertura solene do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA 2013), que aconteceu no WTC, em São Paulo.

Na ocasião, a orquestra Bachiana do Sesi-SP interpretou os hinos da Alemanha e do Brasil,  regida pelo maestro João Carlos Martins.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Autoridades na solenidade oficial de abertura do Encontro Econômico Brasil-Alemanha. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Na foto, da esquerda para a direita:

1 – [encoberto] Robson de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
2 – Fernando Haddad, prefeito de São Paulo
3 – Helena Chagas, ministra-chefe da Comunicação Social da República Federativa do Brasil
4 – Harald Braun, secretário-executivo do Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros da da República Federal da Alemanha
5 – Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior da República Federativa do Brasil
6 – David Gill, secretário-executivo e chefe do gabinete presidencial da República Federal da Alemanha;
7 – Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo
8 – Joachim Gauck, presidente da República Federal da Alemanha
9 – Dilma Rousseff, presidente da República Federativa do Brasil
10 – Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores da República Federativa do Brasil
11 – Anne Ruth Herkes, secretária de Estado do Ministério da Economia e Tecnologia da República Federal da Alemanha
12 – Aloizio Mercadante, ministro da Educação da República Federativa do Brasil
13 – Hans-Jürgen Beerfeltz, secretário-executivo do Ministério Federal de Cooperação Econômica da República Federal da Alemanha
14 – Guilherme Afif Domingos, ministro da secretaria da Micro e Pequena Empresa da República Federativa do Brasil
15 – Ulrich Grillo, presidente da Confederação das Indústrias Alemãs (BDI)
16 – Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

Setores público e privado do Complexo da Saúde estudam oportunidades e acordos em reunião na Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp 

Ao menos 200 representantes do empresariado e do governo se reuniram nesta quinta-feira (11/04) para lançar programas de saúde e assinar acordos voltados para o desenvolvimento e inovação do setor no Brasil.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Da esquerda para a direita: secretário da SCTIE/, Ministério da Saúde, Carlos Augusto Grabois Gadelha; ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; presidente da Fiesp, Paulo Skaf; governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; e Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Empresários e membros do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde (Comsaude) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), membros do Grupo Executivo do Complexo da Saúde (Gecis), do Ministério da Saúde, ministros e outras autoridades realizaram nesta tarde uma reunião conjunta na sede da Fiesp.

“Todas as vezes que vocês quiserem fazer essa reunião aqui, isso vai nos dar muita satisfação”, afirmou Paulo Skaf, presidente da Fiesp ao participar da abertura do encontro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo, durante reunião do Comsaude. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, também participou da abertura e afirmou que “o maior PIB do mundo ainda vai ser da saúde, também a maior quantidade de empregos que o mundo vai ter”.

Na ocasião foram lançados o Profarma III e o Inova Med, pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Inova Farma, pelo presidente da Financiadora de Estudos Projetos (Finep/MCTI).

Governo de São Paulo lança Via Rápida Ambiental da Aquicultura

Agência Indusnet Fiesp, com informações da Secretaria do Meio Ambiente

Em cerimônia a ser realizada nesta terça-feira (13/11), no Palácio dos Bandeirantes, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, lançam o Via Rápida Ambiental da Aquicultura – sistema que inclui a assinatura, pelo governador, de decreto que facilita o processo de licenciamento de atividades aquícolas no Estado de São Paulo.

O lançamento representa um grande avanço para o setor produtivo e atende às políticas de desenvolvimento sustentável. O objetivo é intensificar a produção sustentável de um alimento saudável.

No mesmo ato, os secretários Bruno Covas (Meio Ambiente), Mônika Bergamaschi (Agricultura e Abastecimento) e Eloísa de Souza Arruda (Justiça e Defesa da Cidadania) assinam uma resolução conjunta que regulamenta o licenciamento ambiental da atividade no Estado de São Paulo.

“É uma importante conquista da aquicultura paulista, tendo em vista que a maioria das propostas encaminhadas por suas entidades representativas foram incorporadas às normas agora estabelecidas”, considera Eduardo San Martin, diretor-titular de Meio Ambiente do Ciesp e diretor-adjunto da Fiesp, que representará o presidente das entidades, Paulo Skaf, no evento.

Segundo San Martin, “o Via Rápida atende a um pleito da Fiesp/Ciesp e vai permitir que as empresas, que já estavam em operação e em franco crescimento, possam contar com  mecanismos claros e objetivos para a sua plena regularização e conformidade ambiental. “É uma vitória da indústria. A Fiesp, o Ciesp e os sindicatos e associações e empresas do setor tiveram uma atuação efetiva nas discussões com o poder público na elaboração e aprimoramento dos textos”, lembra o diretor.

San Martin avalia que a Via Rápida Ambiental da Aquicultura constitui um passo importante para regularização ambiental do Setor da Aquicultura no Estado de São Paulo. “Vai possibilitar melhor funcionamento e desempenho desta atividade, bem como contribuir para a maior competitividade do Estado na produção de pescados.”

Produção

O Brasil produz 1.264.764,9 toneladas de pescado ano, sendo 79.262,3 toneladas em São Paulo. As atividades ficarão dispensadas do licenciamento ambiental em razão de seu reduzido potencial poluidor/degradador. Os empreendimentos de aquicultura deverão utilizar sistema eletrônico disponibilizado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo (SAA) e acessível à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

Aquicultura significa o cultivo ou criação de organismos cujo ciclo de vida, em condições naturais, ocorre total ou parcialmente em meio aquático. Os empreendimentos aquícolas envolvem uma série de atividades, dentre elas a piscicultura (criação de peixe), a ranicultura (criação de rã), a carcinicultura (criação de camarão) e malacocultura (criação de moluscos).

Serviço
Lançamento do Via Rápida Ambiental da Aquicultura
Data/ Horário: 13/11/2012, às 15h
Local: Salão dos Despachos, do Palácio dos Bandeirantes – Av. Morumbi, 5000, Morumbi, São Paulo, SP

Paulo Skaf participa de inauguração de primeira fábrica da Hyundai no Brasil

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, participou na manhã desta sexta-feira (09/11), em Piracicaba (SP), da inauguração oficial da primeira fábrica da montadora sul-coreana Hyundai no Brasil. O Senai-SP qualificou mais de 1.300 trabalhadores da unidade, que começou as operações em setembro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Paulo Skaf participa de inauguração de primeira fábrica da Hyundai no Brasil. Foto: Junior Ruiz.


Participaram da solenidade o presidente mundial da companhia, Chang Kyun Han; o vice-presidente da República, Michel Temer; o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Luiz Carlos Quadrelli.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Autoridades do governo federal e estadual participaram da solenidade. Foto: Junior Ruiz

A fábrica da Hyundai ocupa terreno de 1,4 milhão de metros quadrados, com 69 mil de área construída, no bairro Santa Rosa.

Entre os 1.800 funcionários diretos, 80% são de Piracicaba, de acordo com Rodolfo Stopa, presidente nacional da montadora.


Fiesp sedia 17º Congresso da Radiodifusão e recebe governador Geraldo Alckmin

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Congresso de Radiodifusão na Fiesp. Paulo Skaf e Geraldo Alckmin. Foto: Junior Ruiz

Ao lado de Paulo Skaf, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin manifesta apoio a reivindicações do setor

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, esteve nesta terça-feira (25/09) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) durante a abertura do 17º Congresso da Radiodifusão do Estado de São Paulo, evento que tem a realização da Associação das Emissoras de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo (Aesp).

Alckmin – recebido pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf – manifestou apoio a duas reivindicações do setor: a destinação dos canais 5 e 6 da TV VHF para o AM brasileiro, com a finalidade de que as emissoras AMs sejam sintonizadas em FM, e a flexibilização do horário de veiculação do programa Voz do Brasil. “[É] Medida de alto interesse público. Vai beneficiar a população”, disse o governador sobre a proposta que possibilita ao AM ter a qualidade do FM.

Com relação à Voz do Brasil, Alckmin afirmou que com o advento das redes sociais há outras possibilidades de prestação de contas. “Essa flexibilização de horário vai trazer um enorme benefício porque o rádio é muito rápido no sentido de prestar serviço à população”, completou o governador, destacando a capilaridade do veículo e seu papel na integração nacional.

Aesp

Rodrigo Neves, presidente da Aesp, disse que, uma vez aprovado o projeto de lei 595/03, que prevê a flexibilização do horário de veiculação da Voz do Brasil, o programa terá início entre 19h e 22h. “A Aesp fez um grande movimento junto a artistas e deputados federais por São Paulo. Dos 70 deputados da bancada paulistas, 62 declararam apoio à flexibilização”, informou.

Congresso da Radiodifusão. Rodrigo Neves. Foto: Helcio Nagamine

Rodrigo Neves, presidente da Aesp

O presidente da Aesp defendeu ainda a adoção dos canais 5 e 6 da TV VHF para o AM brasileiro. Neves explicou que as ondas médias (AM), com o passar do tempo e o crescimento das cidades, acabaram prejudicadas pelo aumento do ruído elétrico gerado por redes de alta tensão, motores, lâmpadas e eletrodomésticos, entre outros.

“Isso fez com que houvesse uma migração de audiência o AM para o FM por causa da qualidade do som, principalmente pelos mais jovens.”

De acordo com o representante do setor, em julho deste ano a Aesp entregou ao secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Genildo Lins, um relatório comprovando a viabilidade técnica e espectral para que as emissoras AMs sejam sintonizadas em Frequência Modulada (FM).

“Constatamos que aqui no Brasil há seis rádios com essa extensão – é a rádio em que você ouve a televisão. E é exatamente esse espaço que queremos ocupar. Nossa grande reivindicação, Dr. Genildo [Lins, que representou o ministro Paulo Bernardo no evento], ao governo e ao Ministério das Comunicações, é a imediata adoção dos canais 5 e 6 para o AM”, disse Neves, ao entregar a Lins um ofício endereçado ao ministro Paulo Bernardo.

Abra e Abert

Johnny Saad, presidente da Associação Brasileira de Radiodifusores (Abra) e presidente do Grupo Bandeirantes de Rádio e Televisão, sugeriu que o governo acelere a flexibilização do horário de veiculação da Voz do Brasil mediante edição de medida provisória.

Sobre a migração do AM para o FM, Saad comentou ainda que é preciso muito cuidado no processo de transição. “Talvez, a gente possa ver que tipo de apoio possa dar a essa indústria [de aparelhos de rádio]. Queremos que as rádios sejam fabricadas aqui”, afirmou Saad, propondo desonerações para o segmento industrial.

Daniel Slaviero, presidente da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abert) e diretor institucional do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), lembrou que a rádio já passou por outros desafios na história e que soube reinventar-se e ganhar competitividade: “O conteúdo [na rádio] tem credibilidade e proximidade com o ouvinte.”

Fiesp pede a Alckmin mais prazo para recolher ICMS e revisão de questões tributárias

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Da esq. p/ dir.: Josué Gomes da Silva, João Guilherme Sabino Ometto, Paulo Skaf, Geraldo Alckmin e Nicolau Jacob Neto


Aproveitando a presença do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), para a assinatura de um um protocolo de intenções em assuntos internacionais, o presidente da entidade, Paulo Skaf, pediu ao chefe do executivo paulista a ampliação em 60 dias do prazo para recolhimento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), entre outros pleitos na área tributária. O encontro aconteceu na noite de segunda-feira (30/07), durante reunião de diretoria da Fiesp.

“O prazo para recolhimento do ICMS no Estado de São Paulo — e isso pode servir como exemplo para o Brasil e para o Governo Federal — tem que ser alongado”, defendeu Skaf, lembrando que estudo da Fiesp mostra que, em média, as indústrias pagam os impostos 50 dias antes de receberem pela venda dos produtos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Governador Geraldo Alckmin cumprimenta diretores da Fiesp

“O Estado tem recurso para isso. Nós fizemos um estudo de impacto. Não seria renúncia, mas fluxo”, acrescentou.

O governador Geraldo Alckmin compremeteu-se a avaliar os pleitos, delegando as tratativas ao secretário de Fazenda do Estado, Andrea Calabi, presente ao evento.

“Nós vamos fazer o maior esforço para atender às justas reivindicações da alma, do DNA de São Paulo, que é a indústria, um setor fundamental, que agrega valor, gera mais emprego, salários melhores e está na ponta do desenvolvimento, na vanguarda da tecnologia. O Brasil não pode ser exportador de produtos primários”, afirmou Alckmin.

Citando Tolstoi, o governador disse que a verdadeira vocação de cada homem e cada mulher é servir melhor às pessoas.”Não há outro setor que sirva mais as pessoas do que a indústria.”

Alckmin aproveitou a oportunidade para falar de projetos e obras de seu governo nas áreas de infraestrutura, transportes e logística.

Outros pleitos

Skaf apresentou mais cinco pleitos da indústria: a substituição tributária, a desoneração de bens de capital, a revisão do PPI (Programa de Parcelamento Incentivado), a questão tributária no setor de construção pesada e a devolução de créditos de exportação do ICMS.

Com relação à substituição tributária, regime que transfere para o início da cadeia produtiva o recolhimento do ICMS das demais fases, até o consumidor final, Skaf explicou a primeira providência a ser adotada é que o programa não acrescente mais nenhum setor, revendo os setores já incluídos e, naqueles que permaneceram, aumentar de 15 para 30 meses a necessidade de contratação de um instituto de pesquisa para o cálculo da margem do imposto.

A Fiesp solicitou ainda a desoneração de bens de capital. “Alguns setores são prejudicados na compra de máquinas. Alguns tiveram a questão resolvida. Não tem cabimento pagar o imposto, onerando o investimento, e receber quatro anos depois. O Estado já atendeu alguns setores no sentido de ter a compensação imediata. Isso poderia ser estendido a todos o setores”, assinalou Skaf.

Com relação ao Programa de Parcelamento Incentivado (PPI), a Fiesp quer adaptações. “Nosso pedido é que seja feito um programa [que atenda] empresas que estavam e precisam sair e empresas que não estavam e precisam entrar e colocar sua vida em dia”, explicou o presidente da Fiesp.

Outros pedidos contemplam melhorias para setores como construção pesada e a devolução de créditos de ICMS para exportação.

Fiesp e governo do Estado assinam protocolo de intenções em assuntos internacionais

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Ciesp, e Geraldo Alckmin, governador de São Paulo: protocolo de intenções visa sinergia em assuntos internacionais.

Em evento na noite desta segunda-feira (30/07), na sede da entidade, o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiesp), Paulo Skaf, e o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinaram um protocolo de intenções em assuntos internacionais.

O documento prevê estabelecimento de um grupo de trabalho para viabilizar o desenvolvimento de iniciativas conjuntas de aproximação com o setor empresarial internacional. A iniciativa tem como objetivo promover o Estado paulista como polo econômico e de negócios da América Latina.

De acordo com Paulo Skaf, a importância da parceria é procurar, quando for possível, receber missões internacionais ou organizar missões para o exterior de forma conjunta.

“Tudo isso é muito bom para o Brasil e para o Estado de São Paulo. A base [do protocolo] é buscar essa sinergia e poder apresentar o nosso país, o nosso estado, da melhor forma possível no exterior.”

Segundo Geraldo Alckmin, o protocolo surgiu da percepção de que, sempre que vêm à cidade, delegações estrangeiras fazem visitas ao Palácio Bandeirantes e à sede da Fiesp. “O que nós queremos:  trabalhar de maneira integrada com a Fiesp para missões internacionais, de comércio exterior, de parcerias, de desenvolvimento, e para receber as missões estrangeiras”, explicou o governador, citando missões comerciais já agendadas como a de Portugal, ainda este ano, e outra da Alemanha, no início de 2013.

De acordo com Alckmin, a ideia é trabalhar em conjunto, ressaltando a necessidade de fortalecer o comércio exterior e as exportações. “É muito importante para gerar emprego no Brasil num momento em que a economia enfrenta dificuldades no mundo inteiro.”

Paulo Skaf aproveitou para apresentar ao governador alguns pleitos da indústria como o alongamento do prazo para recolhimento do ICMS, entre outros temas tributários.

>


Conheça outros objetivos da Fiesp e do Governo de São Paulo com o protocolo

. Promover a atração de investimentos estrangeiros diretos ao Estado de São Paulo, com foco na agregação de valor e promoção do conteúdo tecnológico;

. Adotar programas comuns para a recepção de delegações estrangeiras e a organização de missões ao exterior;

. Assegurar a troca de informações sobre comércio exterior e investimentos estrangeiros do Estado de São Paulo;

. Realizar estudos de competitividade da indústria paulista com o objetivo de se reunirem dados que possam subsidiar a proposição de políticas públicas com vistas a aumentar a competitividade da indústria localizada no Estado.

Vídeo: Alckmin, Celso Amorim, Edison Lobão e José Serra falam sobre Humanidade 2012

O Humanidade 2012, iniciativa idealizada pela indústrias paulista e fluminense, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, que acontece em paralelo á Rio+20, impressionou diversas autoridades e personalidades da política brasileira que passaram pelo circuito expositivo no Forte de Copacabana.

Veja os depoimentos:

Governador de SP, Geraldo Alckmin

Ministro da Defesa, Celso Amorim

Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão

José Serra

Humanidade 2012

O Humanidade 2012 é um evento da Fiesp e parceiros paralelo à Conferência das Nações Unidades sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que tem por objetivo realçar o importante papel que o Brasil exerce hoje como um dos líderes globais no debate sobre o desenvolvimento sustentável.

A iniciativa é resultado de uma realização conjunta da Fiesp, Sistema Firjan, Fundação Roberto Marinho, Sesi-Rio, Sesi-SP, Senai-Rio, Senai-SP, com patrocínio da Prefeitura do Rio, do Sebrae e da Caixa Econômica Federal.


Presidente da Fiesp recebe Geraldo Alckmin, Kassab e Serra no Humanidade 2012

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Da esquerda para a direita: senador Aloysio Nunes; presidente da Fiesp, Paulo Skaf; o governador Geraldo Alckmin e a primeira dama, Lu Alckmin e o secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Bruno Covas.

Ao longo desta terça-feira (19/06), o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, foi o anfitrião de diversas autoridades que passaram pelo Humanidade 2012 – iniciativa da federação e de parceiros em paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

José Serra e Gilberto Kassab acompanham Paulo Skaf em visita ao espaço Humanidade 2012.

Entre elas, a presença do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.

No final da tarde, Skaf acompanhou uma comitiva que incluía a primeira-dama Lu Alckmin, o secretário de Estado do Meio Ambiente Bruno Covas e o senador Aloysio Nunes (SP) durante um tour do governador pelo elogiado circuito expositivo do Humanidade 2012 – projeto da diretora e cenógrafa Bia Lessa.

Mais cedo, o presidente da Fiesp recebera no Forte de Copacabana o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o ex-governador do estado de São Paulo, José Serra, também em visita guiada pelas salas da exposição.

Pela manhã, Skaf assinou protocolo de intenções para o desenvolvimento de um centro de biogás com os ministros Edison Lobão (Minas e Energia) e Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário); o presidente da Eletrobrás, José da Costa Carvalho Neto; o diretor geral brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Samek; e o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira.

Outro ministro, Mendes Ribeiro Filho (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), encontrou-se rapidamente com Skaf ao passear pelo circuito expositivo do evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Outras presenças no Humanidade 2012

 A senadora Kátia Abreu, do Tocantins, também presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), encerrou as discussões do evento do “Segurança Alimentar e Sustentabilidade no Agronegócio”.

Também passaram pelo evento membros da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa neste nono dia de programação do Forte de Copacabana.

Visitas ilustres

Desde o primeiro dia de agenda do Humanidade 2012, o presidente da Fiesp já teve encontros com o vice-presidente da República, Michel Temer; ministros de estado como Antonio Patriota (Relações Exteriores), Celso Amorim (Defesa), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Luiza Helena de Bairros (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial); e parlamentares como Mara Cristina Gabrilli (deputada federal, São Paulo).

Skaf também recebeu a presidente do conselho do Greenpeace internacional, Ana Toni; o ambientalista Fabio Feldmann; as atrizes Renata Sorrah e Cissa Guimarães; e a chef de cozinha Roberta Sudbrack, entre outros.

Gestão ambiental: Fiesp e governo do Estado assinam protocolo de intenções

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Em cerimônia nesta terça-feira (05/06) no Palácio dos Bandeirantes, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, assinou com o governo do Estado de São Paulo um protocolo de intenções para estudos de redução de Gases de Efeito Estufa (GEE).



 


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf. Foto: Junior Ruiz

Geraldo Alckmin e Paulo Skaf selam termo de compromisso pela sustentabilidade

Com o documento, Fiesp e governo estadual têm o objetivo de trabalhar conjuntamente para encontrar oportunidades de redução das emissões de GEE em segmentos industriais como cimento, siderurgia, celulose e papel, química, alumínio, geração e transformação de energia. O diagnóstico foi traçado pelo “1º Inventário de Emissões de Gases Efeito Estufa (GEE) do Estado“.

O protocolo inclui intercâmbio de dados com o governo e a elaboração de estudos para dimensionar o impacto gerado na indústria pela emissão de GEE. O objetivo é o de formular ações que conciliem o desenvolvimento da economia paulista e as diretrizes da Política Estadual de Mudanças Climáticas (PEMC).

Logo após a assinatura, Paulo Skaf afirmou que o Brasil está mais consciente quanto à temática da sustentabilidade. “Há entrosamento entre a sociedade e os setores produtivos que desenvolvem inúmeras ações em conjunto. Esta parceria beneficia a todos”, comentou Skaf.

Em seu discurso, o governador Geraldo Alckmin destacou a importância de assinar termos de compromisso de responsabilidade pós-consumo e de um envolvimento maior não só da indústria, mas também dos importadores. Mencionou, como exemplo, os setores de telefonia celular, óleo comestível e óleo lubrificante. “A iniciativa privada é parceira”, sintetizou Alckmin.

No evento que celebrou o Dia Mundial do Meio Ambiente, o governador e o secretário de Estado do Meio Ambiente, Bruno Covas, assinaram cerca de 25 documentos relacionados à conservação, preservação e desenvolvimento sustentável.

O evento marcou ainda o lançamento do Relatório 2012 de Qualidade Ambiental.

Reivindicação da indústria é atendida e agora licença será via internet

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Geraldo Alckmin (governardor de SP), Paulo Skaf (presidente da Fiesp) e Bruno Covas (secretário do Meio Ambiente), durante o lançamento do Portal na sede da Fiesp



O novo Portal de Licenciamento Ambiental da Cetesb foi lançado, nesta segunda-feira (24/10), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do vice, Guilherme Afif Domingos.

Para a indústria, a medida mantém a competitividade e a melhoria contínua da qualidade ambiental. “Estamos em sintonia. Reivindicamos ao governador agilidade e simplificação do procedimento para o setor produtivo. O portal trará transparência ao processo”, afirmou Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Ciesp.

“O trabalho e o empreendedorismo estão no DNA do Estado”, enfatizou Alckmin. Para o governador, é fator essencial o estímulo à atividade econômica, emprego e a renda a fim de acabar com a atividade cartorial, pois o excesso de burocracia leva à informalidade.

Agilidade e foco

O lançamento do Portal é sinal de maturidade: “Nós confiamos nas pessoas, por isso 45% dos processos de licenciamento de atividades de baixo impacto passam a ser declaratórias”, acrescentou o governador. De acordo com ele, a ferramenta “não irá flexibilizar o rigor quanto ao licenciamento, mas promoverá a agilidade”.

Essa medida possibilitará que os técnicos da Cetesb tenham foco prioritário sobre os empreendimentos de alto impacto ambiental; o órgão ganhará reforço com a chegada de cem novos funcionários. Mas, segundo o presidente da Cetesb, Octavio Okano, as reclamações somam hoje menos de 0,5% dos licenciamentos.

A previsão é que o prazo de licenciamento seja reduzido de 90 dias para 5 dias para os empreendimentos de baixo impacto. E os mais complexos, que demandam estudos e levam aproximadamente dois anos, em média, tenham prazos reduzidos em pelo menos 30%.

O secretário do Meio Ambiente, Bruno Covas, criticou a demora na concessão do licenciamento: “Uma interferência das regras ambientais nos princípios constitucionais, como a livre iniciativa, o livre mercado”, avaliou.

Com funciona o Portal

Nesta primeira etapa de implantação do Portal, todas as solicitações de alvarás para supressão de vegetação nativa no Estado e intervenções em Áreas de Proteção aos Mananciais da região metropolitana de São Paulo poderão ser feitas via internet. É necessário cadastrar-se e preencher os dados. A segunda etapa, prevista para dezembro, englobará as demais solicitações relativas ao licenciamento ambiental e documentos técnicos, como pareceres.

A medida beneficiará diversos setores, segundo o governo: móveis, hotéis e similares, fabricação e conserva de frutas, laticínios, atividades de impressão, forjaria, estamparia, serviços de tratamento de metais, lâmpadas e equipamentos de iluminação, entre outros.

Para saber mais, acesse o portal.

SIL, a Via Rápida

No evento, também foi apresentado o Sistema Integrado de Licenciamento (SIL) perante os órgãos estaduais e municipais conveniados. Ele reúne Centro de Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, Cetesb e prefeituras conveniadas, somando as autorizações exigidas para o funcionamento de uma empresa.

Pelo sistema, será possível processar os licenciamentos considerados de baixo potencial poluidor e abrir uma empresa em três dias. A ação está orquestrada entre 53 municípios, que assinaram convênio, segundo informou o secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Estado, Paulo Alexandre Barbosa.

Em posse solene, Paulo Skaf pede união por um Brasil mais competitivo

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Na noite desta segunda-feira (26/09), aconteceu a cerimônia de posse das novas diretorias da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) para o quadriênio 2011-2015.

O cenário para o evento não poderia ser mais significativo: o Theatro Municipal de São Paulo, que acaba de completar seus cem anos. Na fachada deste marco histórico e cartão-postal da cidade, uma bailarina, presa a um balão, com movimentos leves e ritmados encantou os convidados, pedestres e motoristas que passavam por ali.

Cerca de 2.000 pessoas estiveram presentes na solenidade, entre autoridades, empresários, representantes de entidades da sociedade civil, estudantes do Sesi-SP e Senai-SP, o prefeito Gilberto Kassab, o governador Geraldo Alckmin, senadores, ministros e representantes diplomáticos de 30 países.

O coral Baccarelli, sob a regência do maestro Sérgio Cascapera, abriu a solenidade, com execução do Hino Nacional. Após a execução do hino, quatro alunos do Sesi-SP e Senai-SP entregaram faixas verde e amarelas para duas bailarinas suspensas que fizeram acrobacias no ar.

Com o apoio maciço das bases empresariais, a chapa única, liderada por Paulo Skaf, foi reeleita no mês de abril para mais um mandato na Fiesp – com 121 dos 123 votos dos presidentes de sindicatos – e no Ciesp, com mais de 2.000 votos; duas das votações mais expressivas da história das entidades.

A chapa, composta por 132 diretores na Fiesp e 134 no Ciesp, tem Benjamin Steinbruch como 1º vice-presidente, João Guilherme Sabino Ometto como 2º vice-presidente e Josué Gomes da Silva como o 3º vice-presidente da federação. No Ciesp, Rafael Cervone Netto foi reempossado como 1º vice-presidente, Fausto Cestari Filho como 2º vice-presidente e José Eduardo Mendes Camargo como 3º vice-presidente.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Em seu terceiro mandato na Fiesp e segundo no Ciesp, o presidente Paulo Skaf terá a seu lado 266 diretores nas duas entidades

Competitividade

Durante a cerimônia de posse, Paulo Skaf agradeceu o apoio e a confiança dos setores industriais garantindo que, sob o seu comando, as entidades permanecerão na luta pelos interesses do Brasil. “A palavra-chave da nossa gestão é competitividade, não apenas da indústria, mas de todo o País.”

O líder empresarial pediu a união de todos os setores sociais para promoção de reformas estruturais, com destaque para tributária. “O número excessivo de tributos tornam os produtos mais caros”. E completou: “A população está cansada de pagar tantos impostos. A nossa expectativa é que esses recursos sejam aplicados nas melhorias dos recursos básicos”.

Representando a presidente da República, Dilma Rousseff, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Fernando Pimentel, destacou o empenho das entidades de classe ao longo de sua história, na luta pelo fortalecimento dos setores produtivos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Paulo Skaf agradeceu o apoio e a confiança dos setores industriais

“A indústria paulista é sem dúvida alguma o maior exemplo de que o País está trilhando o caminho correto. Todo esse sucesso é resultado do trabalho realizado por sua federação”, analisou.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin destacou os investimentos da indústria paulista na área de educação e esporte. “Nós precisamos de instituições sólidas e vemos isso na Fiesp e Ciesp”.

Opinião compartilhada por Gilberto Kassab, prefeito da cidade de São Paulo: “Parabenizo a nova diretoria da Fiesp e do Ciesp e obrigada por tudo que vocês têm feito pelo nosso Brasil”.

No final da solenidade, o pianista Marcelo Bratke e a Camerata Brasil brindaram o público com um repertório intimista, composto por obras do maestro e compositor, Heitor Villa Lobos.

Histórico

À frente da Fiesp e do Ciesp, Skaf liderou a campanha contra a CPMF, extinta em 2007; lutou pela criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, em 2009; e realizou investimentos maciços na área de educação e na capacitação de jovens por meio do Sesi-SP e Senai-SP.

Mais recentemente, as entidades se engajaram na campanha “Energia a Preço Justo”, que visa reduzir o custo da energia elétrica no Brasil por meio da realização de leilões para as concessões que vencem a partir de 2015.

Confira nos links abaixo a diretorias eleitas:

Skaf: Indústria e comércio devem se unir contra altos impostos

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp 

Na solenidade de abertura do 27º Congresso de Gestão e Feira Internacional de Negócios em Supermercados, promovido pela Associação Paulista de Supermercados (Apas), o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, chamou a atenção dos empresários e representantes do poder público presentes ao citar a competitividade como palavra-chave no panorama atual do segmento varejista. “É o que vai fazer a diferença no século 21, e para isso é preciso que a indústria e o comércio estejam de mãos dadas para lutar pela redução dos altos impostos”, afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo, na Apas 2011

Skaf sinalizou que, seja na inovação ou no campo tributário, o setor industrial tem feito “um tremendo esforço para aumentar 0,5% de competitividade, enquanto se paga 17% de impostos na cesta básica no Brasil, contra 5% no mundo”. Estas taxas, segundo ele, afetam mais as famílias que têm renda mensal de até 2 mil reais.

O líder empresarial disse ainda que a inovação deve ser adotada como cultura pelas novas gerações: “Ela é o diferencial da nossa concorrência, e só a união entre os setores fará com que os problemas fiquem menores”, aferiu Skaf.

Maior prazo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou a ampliação, em 30 dias além do limite, para o pagamento do ICMS, exclusivamente para os negócios fechados durante a feira, que segue até o dia 12 de maio no Expo Center Norte.

“Essa parceria entre a Apas e o Procon mostra entendimento da lei do Código do Consumidor, e a vontade de ambas as partes de que o consumidor não seja lesado e que tenha seus direitos preservados”, concluiu Alckmin.

Alckmin aposta na competitividade do Estado ao prorrogar incentivos fiscais para indústria

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, discursa durante cerimônia no Palácio dos Bandeirantes

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, avaliou como acertada a iniciativa do governador Geraldo Alckmin ao prorrogar os benefícios fiscais da chamada “Primavera Tributária” – atualmente denominada “Outono Tributário”. Esses benefícios, que venceriam no final de março, foram prorrogados até 31 de dezembro de 2012.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo

Nesta sexta-feira (18), em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo, Alckmin assinou um conjunto de medidas que prorroga incentivos fiscais, beneficiando mais de 58 mil empresas paulistas.

Somando todas as cadeias ligadas aos setores favorecidos, o impacto positivo se estenderá a 366 mil empresas, no entendimento do governo. Para o Palácio, o objetivo é promover a redução de custos da produção, estimular a economia estadual e gerar emprego.

Os decretos renovam a redução da base de cálculo e o diferimento do ICMS, concedidos a diversos setores, como instrumentos musicais, produtos de higiene e vinho. E outros segmentos que fazem parte de pleitos da Fiesp: brinquedos, produtos alimentícios, perfumaria e cosméticos, call center, têxteis e vestuário.

Distorções corrigidas

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545237447

Andrea Calabi, secretário da Fazenda do Estado de São Paulo

As medidas ajustaram as condições para a concessão dos benefícios, assim como os seus mecanismos de uso. Para o secretário da Fazenda do Estado, Andrea Calabi, “é direito das empresas argumentarem com o Fisco as divergências em torno de inadimplências enquanto usufruem dos incentivos”. De acordo com o presidente da Fiesp, havia necessidade do aperfeiçoamento dessa legislação para a sua utilização.

Segundo Skaf, há outros pontos a serem considerados. “Para que se faça o planejamento de investimento a longo prazo, é importante que a prorrogação anunciada tenha caráter indeterminado”, frisou. Ele também lembrou que o juro de 0,10% ao dia, no caso de eventual inadimplência, somará 50% ao longo de um ano, índice este elevado para o Brasil.

O governador Alckmin foi receptivo às observações do presidente da Fiesp. E afirmou: “Nós somos parceiros de quem investe, gera emprego, cria riqueza e promove o desenvolvimento. Estamos atentos à competitividade”.

Documento divulgado pelo Palácio dos Bandeirantes detalhou pontos importantes do conjunto de medidas anunciado nesta sexta-feira:

  • Os setores submetidos ao regime de Substituição Tributária tiveram prazo especial do ICMS-SP (60 dias fora o mês) estendido até 31 de dezembro de 2012.
  • A lista de produtos do setor têxtil e de vestuário se amplia com a inclusão de mais seis itens: fibras têxteis de comprimento não inferior a 5 mm, telas de alta tenacidade de poliéster, edredom, pufes, almofadas e travesseiros.

Novidades

Além de tratar da prorrogação, o secretario Andrea Calabi anunciou a desoneração para as indústrias de placas de madeiras (MDF) e de móveis, e também da linha branca. A fabricação de geladeiras, freezers, fogões e máquinas de lavar e de secar se beneficia com a redução da base de cálculo do ICMS, diminuindo a carga tributária a 7% nas saídas para o varejo.

Outras medidas dizem respeito à carne, solventes, beneficiamento do amendoim e produção do leite longa vida, iogurte e leite fermentado.