Prefeito de Atlanta se reúne com empresários na Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O prefeito de Atlanta, capital da Georgia, Kasim Reed, se reuniu com diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e com empresários na manhã desta terça-feira (08/04). A pauta do encontro foi o estreitamento das relações comerciais entre São Paulo e a capital do estado mais populoso dos Estados Unidos.

Prefeito da cidade de Atlanta, Kasim Reed, na Fiesp. Foto: Everton Amaro/FIESP

“Estamos aqui porque acreditamos no futuro do Brasil e principalmente no de São Paulo, entendemos de forma clara porque vocês são a sétima economia do mundo e viemos aqui compreendê-los”, afirmou Reed ao iniciar uma rápida apresentação sobre a cidade e as possibilidades de negócios oferecidas por lá. Mais cedo, Reed e sua comitiva, entre eles o diretor da Delta Airlines no Brasil, Luciano Macgno, se reuniram com diretores da Fiesp.

A reunião e o seminário foram conduzidos pelo diretor de Negociações Internacionais do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, Mario Marconini. O cônsul-geral dos Estados Unidos em São Paulo, Dennis Hankins, também participou dos encontros.

“Tivemos a oportunidade de conversar um pouco com o prefeito e eu acredito que ter um representante de uma cidade tão poderosa quanto Atlanta é realmente importante para nós”, disse Marconini.

Marconini: bons contatos com Atlanta. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Marconini: bons contatos com a poderosa Atlanta. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Segundo ele, a objetivo do encontro é “explorar algumas possibilidades para facilitar oportunidades de negócio entre as duas cidades”.

O vice-presidente da Câmara Metropolitana de Comércio de Atlanta (Metro Atlanta Chamber), Jorge Fernandez, apresentou, durante o seminário, oportunidades de negócios para empresários paulistas na cidade norte-americana.

“Em Atlanta possuímos fortes negócios em tecnologia da informação para saúde, tecnologia móvel, processamento de transações financeiras, software de segurança para Internet e em mídia digital”, afirmou. “Inclusive a Georgia é o quarto estado dos Estados Unidos para a produção de filmes”.

Segundo Fernandez, o estado da Georgia exportou para o Brasil US$ 1,6 bilhão em 2013, uma vez que o país ficou em sétimo lugar como principal destino para as exportações de produtos do estado norte-americano. “Nossa missão é elevar o posicionamento do Brasil”, afirmou o vice-presidente da câmara.

Aviação

Presente nos dois encontros, o diretor da Delta Airlines no Brasil, Luciano Macgno reforçou a parceria da companhia aérea, com sede em Atlanta, com a Gol.

“Estamos fazendo muita coisa com a Gol, em qualquer ponto do Brasil você pegar um voo da Gol com conexão com a Delta, com o mesmo bilhete. E esperamos fazer mais”, afirmou Macgno.

Segundo ele, a companhia opera 42 voos non stop entre Brasil e Estados Unidos por semana.

Primeiro-ministro da Geórgia oferece zona franca de comércio ao Brasil

Premiê da Georgia, Nika Gilauri (esq.), com presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf (centro), e o diretor-secretário da entidade, Nicolau Jacob Neto (dir.)

República situada entre a Europa e a Ásia, a Geórgia quer facilitar os negócios do Brasil na região, incentivando empresários brasileiros a instalar bases comerciais no seu território.

A proposta foi apresentada nesta quarta-feira (18/04) pelo primeiro-ministro georgiano Nika Gilauri durante reunião com o presidente da Federação e do Centro das Indústrias de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Paulo Skaf, na sede da entidade.

“Oferecemos ao Brasil bases na Geórgia para que as empresas recebam os lucros que, atualmente, ficam com os intermediários”, explicou Gilauri. Ele se refere a empresas que intermedeiam importações de açúcar, café e carne de frango do Brasil aos países do leste europeu. “Precisamos fortalecer nosso nicho econômico e virarmos o melhor ambiente para o setor privado e a melhor porta de entrada para os países vizinhos”, completou. Os principais parceiros comerciais da Geórgia são os países vizinhos Turquia, Azerbaijão e Ucrânia.

O presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf, sugeriu um levantamento dos setores da indústria brasileira que poderão aproveitar as oportunidades de negócios oferecidos pela Geórgia. “Vamos manter uma pessoa de nossa equipe em contato com a embaixada da Geórgia no Brasil para chegar a alguma conclusão sobre o que pode ser interessante e chamar mais setores da indústria”.

Em 2011, a Geórgia importou US$ 77,8 milhões em açúcares e produtos de confeitaria do Brasil. Os setores de produtos químicos inorgânicos e de carnes e miudezas exportaram, respectivamente. o equivalente a US$ 63,2 milhões e US$ 31,6 milhões.