Curadora da Play!: objetivo da mostra é transformar público em protagonista

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp 

Em exibição até o dia 4 de maio, a segunda edição da mostra interativa Play! tem como destaque a participação cada vez mais próxima do público, de acordo com a curadora da mostra, Marília Pasculli.

Marília: “Queremos que o público seja o grande protagonista." Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

“Nessa edição, destaco a área interativa montada na Alameda das Flores, em que os participantes ficam numa espécie de mirante, com vista privilegiada da fachada e acesso às interfaces interativas”, diz Marília sobre a exposição aberta na noite de segunda-feira (07/04) na Galeria Digital do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), na Avenida Paulista.

“Queremos que o público seja o grande protagonista, com o uso de smartphones e tecnologia móvel cada vez mais incorporados. É ele quem controla a mostra, estabelece as ações e o dinamismo dos jogos, uma espécie de co-criador das obras.”

Segundo Marilia, além de estimular as relações sociais em um espaço público e ressaltar o valor cultural dos games, a segunda edição da Play! se concentra no aspecto humano do jogo, no usuário.

“Se o jogo futuro estava na mão do usuário e não a indústria do jogo, então qual seria o potencial desses jogos como instrumento de transformação cultural?”, propõe a curadora.

Sobre a relação dos videogames com a arte, Marília diz que os jogos eletrônicos surgiram com recursos mais exigentes e a busca pela evolução dos computadores resultou em novas relações entre o homem e a máquina.

“Desde a época de pico dos jogos de arcade (fliperama), na década de 1970 e início dos anos 80, conhecida como a “idade de ouro” dos videogames, a popularidade, a inovação tecnológica e ainda a estética desses jogos nos trouxeram narrativas escapistas, mundos sedutores decorados com cores fluorescentes e os célebres símbolos pop do nosso tempo. Esses elementos contribuíram para revolucionar padrões visuais de criatividade e design.”

Fiesp em solidariedade ao Dia Mundial de Conscientização sobre a Epilepsia

Agência Indusnet Fiesp

No dia 26 de março é celebrado em todo o mundo o “Purple Day”, ou Dia Roxo, data reservada para a conscientização sobre a epilepsia. Estima-se que 50 milhões de pessoas ao redor do globo tenham a doença. Em 50% dos casos, a causa é desconhecida.

Em solidariedade à iniciativa, a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP pintou, na noite desta quarta-feira (26/03), a fachada da Fiesp de roxo.

A fachada do prédio da Fiesp e do Sesi-SP pintada de roxo: pela luta contra a epilepsia. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

A fachada do prédio da Fiesp de roxo: conscientização a respeito da epilepsia. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Retrospectiva 2013 – Um ano para entrar na história das produções culturais e artísticas

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

Uma agenda cultural agitada e variada. Na área cultural, o ano de 2013 foi intenso, com diversas exposições, espetáculos teatrais, apresentações musicais e bate-papo com personalidades da cena cultural no Inteligência PontoCom.

O ano também foi marcado pelo lançamento do Projeto Sesi-SP em Teatro Musical – que incluiu o espetáculo ‘A Madrinha Embriagada’, dirigido por Miguel Falabella.

Segundo o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni Gonçalves, as ações culturais das entidades da indústria visam abarcar o maior número de pessoas. “O incentivo, fomento e difusão das diversas linguagens artísticas, democratizou o acesso de milhares de pessoas às manifestações culturais, destacando o Sesi-SP como uma das mais proeminentes entidades apoiadoras da arte e cultura no país”, ressalta.

Veja os destaques da área cultural ao longo do ano.

 

Agenda cultural em um clique

Uma das novidades para o público que acompanha as atrações do Centro Cultural Fiesp Ruth Cardosos e nos espaços culturais do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), espalhados por todo os estado, foi o lançamento do aplicativo mobile do Sesi-SP Cultura.

Gratuitamente o dispositivo disponibiliza, na tela do celular ou tablete, toda a programação cultural nas categorias Cinema, Dança, Exposições, Música e Teatro, em cartaz nas 54 unidades do Sesi-SP.

Teatro Musical e ‘A Madrinha Embriagada’

Uma iniciativa pioneira nas áreas cultural e de educação foi o lançamento, no mês de maio, foi lançando o projeto Teatro Musical.

Atriz Stella Miranda e integrantes do elenco de 'A Madrinha Embriagada' cumprimentam Paulo Skaf. Ao fundo, nas poltronas, Walter Vicioni e maestro João Carlos Martins. Foto: Everton Amaro.

Na ocasião do lançamento, o presidente das entidades, Paulo Skaf, ressaltou que os investimentos que a indústria faz em cultura busca beneficiar o maior número de pessoas. “Educação é única forma de dar oportunidade a todos,” afirmou.

A iniciativa foi elogiada por representantes da classe artística – como as cantoras Fafá de Belém e sua filha Mariana Belém, os atores Tiago Abravanel, Rosi Campos e Odilon Wagner, entre outros que estiveram no lançamento. A novidade despertou também o interesse de estudantes e profissionais da área artística.

Com investimentos de R$ 12 milhões, bancados pelas entidades da indústria paulista sem utilização de leis de incentivo.

O projeto Teatro Musical contemplou oficinas de vivência em Teatro Musical, curso de formação de atores e a montagem do musical A Madrinha Embriagada”, que estreou em agosto e ficará 11 meses em temporada no Teatro do Sesi-SP.

Oficinas de vivências no Centro Cultural Sesi Vila Leopoldina

As oficinas de vivências foram realizadas no mês de agosto, no Centro Cultural Sesi Vila Leopoldina, e deverão ser realizadas em outras unidades.  O curso de formação de atores terá início no mês de março de 2014, com duração prevista de três anos.

O ator Miguel Falabella, que dirigiu o musical “A Madrinha Embriagada” é fez a adaptação do premiadíssimo musical “The Drowsy Chaperone” é um grande entusiasta do projeto e considerou a iniciativa da Fiesp e do Sesi-SP sem precedentes na história dos musicais. “É a realização máxima de poder abrir a porta do sonho e da possibilidade para meninos como eu fui um dia. Tenho certeza que vários meninos vão sentar aqui na temporada de ‘A Madrinha Embriagada’ e sair transformados”, afirmou.

O musical “A Madrinha Embriagada”, desde sua pré-estreia, foi marcado pela emoção.

Figuro impecável assinado por Fause Haten e elenco de grandes estrelas do musical brasileiro

Com figurinos de Fause Hauten, o espetáculo reúniu no palco uma orquestra com 15 músicos e um elenco composto por uma constelação de grandes nomes do teatro musical brasileiro, como Stella Miranda, Saulo Vasconcelos, Frederico Reuter, Sara Sarres, Paula Capovilla, Ivan Parente e Kiara Sasso.

No dia 08 de novembro, o espetáculo comemorou a sua 100ª apresentação, com direito a bolo no palco e muita festa! Após um breve recesso de fim de ano, as apresentações retomam ao ritmo normal no dia 08 de janeiro e fica em cartaz até julho de 2014.

Com sistema de reserva on-line de ingressos, o espetáculo tem tido sucesso de público e crítica.

O projeto Teatro Musical  foi destaque na mídia nacional, como nos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo; e internacional, como o site Broadway World. E o espetáculo “A Madrinha Embriagada foi indicado Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como um dos melhores espetáculos teatrais de 2013.


Sucessos nos Teatros do Sesi-SP

No início do ano, o palco do Teatro do Sesi-SP teve uma estreia pra lá de especial: a peça teatral “A Viagem do Capitão Tornado”, dirigida por Leonardo Cortez e encenada por atores com Síndrome de Down do Grupo ADID de Teatro. Após a sessão gratuita, que emocionou a plateia, Leonardo Cortez e o elenco participaram de um bate-papo com o público.

O sucesso de público foi tanto, que a peça retornou ao palco do Teatro do Sesi-SP em abril. O espetáculo, que havia sido encenado em três cidades do interior paulista do Estado no ano passado, ganhou apresentação extra na capital paulista.


Inspirados na campanha do ator Ariel Goldberg para trazer o astro norte-americano Sean Penn à estreia do longa Colegas no Brasil, o elenco do grupo ADID de Teatro também criou sua própria mobilização (#VemAriel) para levar o próprio Ariel à estreia da peça  A Viagem do Capitão Tornado.

O ator Cassio Scapin (em primeiro plano) é o narrador que faz o fio condutor da história

Em março, o musical ‘Lampião e Lancelote’  abriu temporada teateal no Teatro do Sesi-SP. A montagem, que teve direção musical de Zeca Baleiro, contou com a participação dos atores Cássio Scapin, Leonardo Miggiorin, Daniel Infantini e Vanessa Prieto.

Sucesso de público e de crítica, o espetáculo recebeu três prêmios Bibi Ferreira, ganhou Prêmio Arte Qualidade Brasil e, também, foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Cena da peça 'Crônicas de Cavaleiros e Dragões – O Tesouro dos Nibelungos'. Foto: Vivian Fernandez P

Para o público infanto-juvenil, o destaque da programação foi a montagem ‘Crônicas de Cavaleiros e Dragões – O Tesouro dos Nibelungos’, baseado na obra de Tatiana Belinky (1919-2013), que ficou em cartaz no Teatro do Sesi-SP da avenida Paulista de março a junho.

No mês de maio,  o espetáculo “Poema Bar” voltou ao palco do Teatro do Sesi-SP, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, com o ator Alexandre Borges declamando versos dos poetas Vinícius de Moraes e Fernando Pessoa.

Encerrando a temporada de peças teatrais no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, “Fogo Azul de um minuto”, de Daniel Graziane, autor do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, ficou em cartaz no Espaço Mezanino, de agosto a dezembro, com entrada gratuita.  A direção foi de Zé Henrique de Paula e o elenco formado por atores do Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi-SP Cultura.

Exposições

Os  espaços expositivos do Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso — a Galeria de Arte do Sesi, Espaço Fiesp e Galeria de Arte Digital — receberam, ao longo do ano, exposições nacionais e internacionais e de temáticas diversas.

Exposição Fundição Artística no Brasil. Foto: Julia Moraes/FIESP

Como um presente à cidade de São Paulo, que comemorou os seus 459 anos no dia 25 de janeiro, a exposição Fundição Artística no Brasil, no mês de fevereiro, propôs uma visita pela história de quinze esculturas em bronze presentes no dia a dia do paulistano.

A mostra “Evita: paixão e ação” foi o destaque de maio no Centro Cultural Fiesp –Ruth Cardoso. Seis vestidos usados por Eva Perón,  além de acessórios e fotografias em situações diversas que expressam seu carisma,  estavam disponíveis durante a exposição.

A mostra ‘A Arte da Tapeçaria – Tradição e Modernidade’ reuniu, pela primeira vez no Brasil, 48 tapeçarias de Portalegre, do Alentejo. A região é conhecida por suas tapeçarias murais decorativas que reproduzem obras de pintores famosos, por meio de uma técnica manual. A mostra ficou em cartaz até março.

Paulo Skaf e ministro Aldo Rebello. Exposição tem 1.330 obras de arte. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A exposição “Grandes Mestres da Arte Popular Ibero-Americana”, na Galeria de Arte do Sesi-SP, que estreou em outubro, foi uma parceria entre o Sesi-SP e o Fomento Cultural Banamex, do México. A exposição trouxe 1.330 obras de arte. No total, foram mais de 2.300 peças de cerca de 600 artistas da América Latina, Espanha e Portugal.

Em novembro, foi inaugurada com a presença do Rei da Suécia, Carl XVI Gustaf, a exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’, mostra que celebrou os benefícios que as criações dos laureados com o Prêmio Nobel proporcionaram à humanidade. “Tais esforços ecoam e continuaram a ecoar para sempre”.

De cunho social, exposição fotográfica do projeto #Adotei, no mês de dezembro, reuniu 17 imagens de personalidades, artistas e anônimos com seus animais adotados. A iniciativa teve a participação ativista e protetora dos animais Luisa Mell e homenageou o Dia dos Direitos Animais;

No mês de abril, no Espaço Fiesp deu lugar à duas exposições alusivas ao mundo do esporte: a mostra interativa “Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte” e exibição de 48 fotos denominada “Olhar a toda prova”.

Arte digital 

A capital paulista sediou mais uma edição do principal evento de arte e tecnologia do Brasil, o 14º Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), que aconteceu durante o mês de julho. Os organizadores destacaram o estímulo à arte digital promovido pelo evento.


A programação ocupou quatro espaços no prédio da Fiesp, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso:  a Galeria de Arte, Galeria de Arte Digital Sesi-SP (que participou pela primeira vez do File, com a mostra File Led Show); o Espaço Fiesp I e o Espaço Mezanino,  além da estação Trianon-Masp do metrô, localizada em frente ao prédio. Com programação inteiramente, o principal evento de arte e tecnologia do Brasil promoveu também encontros com artistas, mesas redondas e workshops.

Um dos destaques da Galeria de Arte Digital do Sesi-SP do ano foi a  “Mostra Play!”, dedicada ao mundo dos games, exibida em março.  A edição reunindo trabalhos de consagrados criadores de videogames e abrindo espaço para a interação com o público, que pôde jogar clássicos na fachada do edifício-sede da Fiesp, ícone da arquitetura paulistana.

No mês de maio, por  celebração pelo ano Alemanha + Brasil 2013-2014, a Galeria de Arte Digital inaugurou a mostra “Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas“.

“Vivacidades: Poéticas Socioambientais”, foi a atração do mês de setembro. De forma inédita, a mostra reuniu obras visuais e interativas, a fim de se comunicar quem passou pela Avenida Paulista sobre as ações do homem no meio ambiente.

Em novembro, foi inaugurada a segunda edição do SP_Urban Digital Festival, composta por animações, obras de arte interativas, vídeos e performances integradas a dispositivos visuais.

Para encerrar o ano, em exibição desde o dia 9 de dezembro, a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, apresenta uma programação especial de Natal e Ano Novo. As imagens ficam em exibição até o dia 2 de janeiro de 2014, na fachada do edifício-sede da Fiesp.

Além das mostras, o Sesi-SP também realizou, em junho, workshop sobre criação digital em telas urbanas multimídias. E, em outubro, oficinas gratuitas de arte multimídia.


Música e dança
 

A temporada 2013 do Sesi Música começou com uma atração internacional: a banda Budapest Bár, uma das mais expressivas da atualidade na Hungria. O repertório mesclou a música tradicional húngara ao pop, rock, jazz e tango – incluindo composições autorais e releituras de sucessos como “Milonga del Angel”, do compositor argentino Astor Piazzolla, e “Carinhoso”, do mestre Pixinguinha.


Em abril, o Grupo Patérnope, de música erudita, apresentou-se no Centro Cultural Fiesp. A Banda Sinfônica do Estado de São Paulo apresentou-se, em junho, no palco do Teatro do Sesi-SP, que também recebeu o ‘Quarteto Nó na Madeira’, em agosto.

Mais de 500 alunos participaram do coral de alunos dos Novos Núcleos de Música do Sesi-SP

 

Para encerrar o ano, ao menos 3.500 pessoas assistiram na noite de 14 de dezembro a uma apresentação da orquestra Bachiana Sesi-SP, sob regência do maestro João Carlos Martins, interpretando peças de compositores como Beethoven, Mozart e Villa-Lobos no Ginásio Municipal de Esportes Castelo Branco, em Araraquara. O evento contou com a presença de Paulo Skaf.

Na ocasião, o coral de alunos dos Novos Núcleos de Música do Sesi-SP, projeto que deve formar ao menos 22 orquestras de cordas até o final de 2014, apresentou-se pela primeira vez. O projeto inova pelo método Alla Corda, desenvolvido pelo violinista e educador Ênio Antunes. É o primeiro método nacional de ensino de instrumentos de cordas.

Paulo Skaf retribui homenagem recevida do maestro João Carlos Martins

Além disso, 2013 foi um ano de homenagens da Bachiana Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins, ao presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

Em fevereiro, Skaf recebeu uma placa de homenagem pelo incentivo das entidades da indústria paulista à cultura musical. Em março, recebeu uma placa de ouro durante apresentação na Sala São Paulo. Em novembro, nova homenagem durante a última apresentação da Bachiana na capital paulista, no Masp.

O fim de ano também contou com o projeto Concertos Natalinos – somam dez no total -, do Sesi-SP, na esplanada do edifício-sede da Fiesp.

A segunda edição do Encontro de Dança do Sesi-SP, realizado em São José do Rio Preto, em outubro, reuniu cerca de 630 alunos de 31 unidades do Sesi-SP.

Outubro foi marcado pelo Festival Sesi Música 2013 – Edição São Paulo, concurso estadual direcionado aos trabalhadores da indústria paulista. O evento contou com show de Chico Cesar, no Teatro do Sesi-SP, em Campinas.


Videoarte e Cinema

O Sesi-SP e a Fundação Bienal de São Paulo anunciaram, em abril, o lançamento da 1ª Bienal no Sesi-SP: Mostra Itinerante de Videoarte.

De maneira inédita, a 1ª Bienal no Sesi-SP: Mostra Itinerante de Videoarte foi exibida simultaneamente em 55 unidades do Sesi-SP pelo estado, permitindo que mais pessoas tivessem acesso a essa seleção de obras contemporâneas. E, no segundo semestre, foram realizadas atividades nas unidades móvel de arte e cultura do Sesi-SP.

Cao Hamburguer: prêmios de melhor diretor e melhor filme por 'Xingu' no IX Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Ao longo de todo ano, o Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso recebeu diversas mostras de cinema. Em maio, exibiu filmes do cinema francês; em junho, realizou um festival de curtas; e em dezembro, exibiu a mostra inédita de cinema alemão.

De agosto a outubro, realizou-se uma mostra gratuita e itinerante de cinema, com sessões semanais e entrada gratuita, em 53 unidades do Sesi-SP, com exibição de oito filmes finalistas da edição 2013 do Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema. Além disso, de junho a agosto ofereceu a mostra “Cinema e Trabalho”, um projeto que envolveu 52 unidades na capital e no interior do Estado.

Os grandes vencedores do IX Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema, anunciados em junho, foram os filmes “Xingu”, que recebeu prêmios em três categorias: longa-metragem de ficção, direção (Cao Hamburguer) e trilha sonora, e “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, também com tripla premiação: atriz (Camila Pitanga), ator coadjuvante (Zé Carlos Machado) e fotografia (Lula Araújo).

A cerimônia de premiação contou com a presença de personalidades do cinema nacional.

Debates sobre cultura e arte  

Uma expedição ao lado de Amyr Klink no InteligênciaPontoCom. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

A programação “Inteligência PontoCom” trouxe bate-papos mensais entre o público e principais criadores e pensadores das artes, cultura, sociedade e mundo. Nomes expressivos da literatura, artes visuais, cinema, filosofia, sociologia, esporte, teatro e música participam dos fóruns.

Passaram pelo InteligênciaPontCom, em 2013, a diretora Beth Lopes e do autor e dramaturgo Paulo Rogério Lopes. o poeta Sergio Vaz, criador do Sarau da Cooperifa, os cineastas Gregorio Bacic e Ugo Giorgetti  Maria Thereza Vargas, especialista na obra de Cacilda Becker, foi a convidada de setembro.

Chacal convidou o público a experimentar a diferença entre a poesia escrita e a poesia falada, em outubro; e o rapper Emicida e o jornalista Paulo Terron, e o navegador Amyr Klink. 

Literatura

Obras das editoras Sesi-SP e Senai-SP indicadas ao Prêmio Jabuti

A Sesi-SP Editora e Senai-SP Editora realizaram diversos lançamentos ao longo do ano, com destaque para o livro “Programa Sesi-SP Trilha dos Saberes”, de Walter Vicioni Gonçalves, superintendente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP),  em dezembro, na Livraria Cultura no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista.

O grande feito das editoras, foram os cinco títulos indicados ao Prêmio Jabuti, o mais tradicional e conhecido na área de literatura no Brasil. Além disso, as editoras promoveram duas feiras do livro. A primeira, em maio; e a segunda, em novembro.

Pela primeira vez, Galeria de Arte Digital Sesi-SP vai fazer parte do File

Agência Indusnet Fiesp 

Inaugurada no fim de 2012, a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, localizada na fachada do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), estará, pela primeira vez, no Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), evento de arte e tecnologia que começa no próxima terça-feira (23/07).

No gigantesco painel de LED, de 3.700 m², será apresentado o File Led Show, trabalho inédito e interativo do grupo francês 1024 architecture, dos artistas Pierre Schneider & François Wunshel. Da Avenida Paulista, os visitantes poderão mudar as imagens do painel, por meio da voz, falando ou cantando.

O File Led Show fica em exposição até o dia 11 de agosto.

Para saber mais sobre o File 2013, só conferir a programação no site do Sesi–SP Cultura.

File Led Show na fachada do prédio da Fiesp na avenida Paulista. Foto: Divulgação

 

Galeria de Arte Digital Sesi-SP

Em uma iniciativa pioneira do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), o edifício da sede da Fiesp se tornou, desde o final de 2012, uma galeria de arte digital a céu aberto. Inaugurado em 1979 e localizado no epicentro cultural de São Paulo, o prédio com imponente fachada piramidal abriga a Galeria de Arte Digital Sesi-SP, um presente para a cidade de São Paulo

A fachada do prédio tornou-se a primeira galeria de arte digital nesse formato da América Latina. A plataforma eletrônica é formada pela instalação de 26 mil clufsters de LED (light emitting code), que juntas formam um pixel.

O projeto foi idealizado pela produtora Verve Cultural e adotado pelo Sesi-SP e a inauguração da galeria aconteceu com a mostra SP_Urban Digital Festival, em dezembro de 2012.

Serviço

File LED Show
Local: Fachada do prédio da Fiesp (Av. Paulista, 1313)
Data e horário: de 23 de julho a 11 de agosto, diariamente das 20h às 22h (obras interativas) e das 22h às 6h (obras não interativas)
Livre para todos os públicos

Nos dias 3 e 4 de junho, o Sesi-SP realiza workshop sobre criação digital em telas urbanas multimídias

Agência Indusnet Fiesp 

O Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) realiza o workshop “Cidades Informacionais e Media Facades”, ministrado pela artista Rachel Rosalen, nos dias 3 e 4 de junho, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

O workshop aborda as fachadas como interfaces em cidades informacionais contemporâneas. Tais fachadas amplificam a ideia da arquitetura e da cidade como mídia, transformando o exterior dos edifícios em interfaces entre o que ocorre nos interiores e as situações urbanas circundantes.

As aulas práticas e as experiências imersivas no universo digital serão ministradas pelos artistas alemães Pfadfinderei, The Constitute, Mader Stublic Wiermann, pela brasileira Rachel Rosalen, e pela equipe da agência carioca SuperUber. As inscrições para as 40 vagas poderão ser feitas pelo telefone (11) 3146-7383, das 9h às 18h.

A programação é parte da mostra de arte digital “Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas”, que acontece na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, até o dia 09 de junho, em comemoração ao ano da Alemanha no Brasil.

Clique aqui para mais informações.

Veja abaixo alguns exemplos de obras digitais em telas urbanas:

Serviço

Workshop “Cidades Informacionais e Media Facades” – ministrado pela artista Rachel Rosalen
Dias 3 e 4 de junho (segunda e terça), das 15h às 18h
Carga horária: 6 horas
Local: Espaço Mezanino do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso
Vagas: 15
Requisitos: conhecimentos básicos de informática, softwares gráficos como CS5, de edição de vídeo como Final Cut e Processing.

Galeria de Arte Digital do Sesi-SP faz parte das comemorações do ano Brasil-Alemanha

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

A abertura da  nova exposição da Galeria de Arte Digital do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), na noite dessa quarta-feira (15/05), transformou a fachada do edifício-sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) em plataforma para as comemorações do ano Brasil-Alemanha 2013-2014.

Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP. Foto: Mauren Ercolani/Fiesp

Com obras visuais e interativas, a mostra “Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas” mistura culturas dos dois países. “Essa mostra busca um mundo bem melhor para o desenvolvimento da pessoa humana, conectando inovação e inteligência entre o Brasil e a Alemanha”, afirmou o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni.

“Um aspecto muito importante dessa mostra é a interatividade porque não é apenas receptiva; ela envolve o público”, afirmou o presidente mundial do Goethe-Institut, Klaus-Dieter Lehmann, ao destacar o fato de a exposição não está num ambiente virtual, mas sim num espaço público.

Para ele, o papel das duas curadoras, uma de cada nacionalidade, trabalhando em conjunto para dar vida ao projeto, foi muito importante. “Elas tiveram um papel fundamental na escolha das obras e artistas, porque São Paulo e Berlim são cidades diferentes”, afirmou Lehmann.

Marilia Pasculi, da Verve Cultural/Brasil, Susa Pop, do Public Art Lab, curadoras da mostra 'Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas'. Foto: Mauren Ercolani/Fiesp

A curadora Marilia Pasculi, da Verve Cultural/Brasil, explicou que essa mostra é a junção de obras de artistas dos dois países – quatro, no total, que são tratadas como uma única obra. “O nosso briefing para os artistas foi o e pensar nessa fachada como uma janela para o público interagir. A ideia era ser uma mídia urbana, como é”, afirmou.

“Essa mostra é uma plataforma de intercâmbio cultural, um palco digital para os cidadãos”, afirmou curadora Susa Pop, do Public Art Lab. Na opinião da alemã, essa oportunidade permitiu que os artistas mesclassem as culturas das nações. “Eles [os artistas] buscaram misturar as culturas dos dois países e criam algo totalmente novo”, completou.

Brasil-Alemanha 2013-2014

Klaus-Dieter Lehmann, presidente mundial do Goethe-Institut. Foto: Mauren Ercolani/Fiesp

O presidente mundial do Goethe-Institut, Klaus-Dieter Lehmann, lembrou que essa exposição faz parte de uma série de eventos que inauguram as comemorações do ano Brasil-Alemanha, que começou na segunda-feira (13/05) com a vinda do presidente da Alemanha, Joachim Gauck, que participou do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha.

Para Walter Vicioni, essa mostra materializa o tema do ano Brasil-Alemanha [Quando ideias se encontram”]. “É uma conexão da cultura de dois num formato inusitado que provoca um novo olhar dos artistas”, explicou Vicioni.

A curadora Marilia Pasculi concorda. “Esse é o nosso projeto dentro desse cenário. Além de aproximar a arte digital entre os dois países, o público é cocriador da obra e isso é muito importante.”

Clique aqui e conheça mais sobre a mostra “Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas”.

Sesi-SP promove workshops sobre criações digitais em telas urbanas

Danusa Etcheverria, Agência Indusnet Fiesp 

O Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) realiza dois workshops sobre criação digital em telas urbanas multimídias nos dias 16 de maio, 3 e 4 de junho de 2013, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

As aulas práticas e as experiências imersivas no universo digital serão ministradas pelos artistas alemães Pfadfinderei, The Constitute, Mader Stublic Wiermann, pela brasileira Rachel Rosalen, e pela equipe da agência carioca SuperUber. As inscrições para as 40 vagas poderão ser feitas pelo telefone (11) 3146-7383, das 9h às 18h.

A programação é parte da mostra de arte digital “Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas”, que acontece na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, a partir do dia 15 de maio, em comemoração ao ano da Alemanha no Brasil.

As obras visuais e interativas serão exibidas até 9 de junho na plataforma de LED instalada na parte externa do prédio da Fiesp, na avenida Paulista. O projeto tem a curadoria de Marilia Pasculi, da Verve Cultural/Brasil, e de Susa Pop, do Public Art Lab/Alemanha, com o apoio cultural do Goethe Institut.

A Galeria de Arte Digital Sesi-SP é a primeira da América Latina e está instalada na fachada e nas laterais do edifício da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na avenida Paulista. Com 26.241 mil clusters, cada um formado por quatro lâmpadas de LED, instalados em 3.700 m² da estrutura metálica que reveste o prédio, o novo espaço cultural transmite até 4,3 bilhões de combinações de cores.

Programação

1) Experiência imersiva: criação artística em fachadas multimídia – ministrado por todos os artistas participantes e as curadoras do projeto, Marília Pasculi e Susa Pop.
Dia 16 de maio (quinta-feira), das 18h às 22h30
Carga horária: 4 horas – com intervalo.
Local: Sala de ensaios do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso
Vagas: 25
Requisitos: boa compreensão da língua inglesa.
Artistas, curadores e o público vão debater sobre diversas abordagens e modos de criação em telas urbanas multimídia. O público é convidado a experimentar distintos recursos de interatividade e participar de uma visita guiada com os artistas nos bastidores da Galeria Digital Sesi-SP.

2) Cidades Informacionais e Media Facades – ministrado pela artista Rachel Rosalen
Dias 3 e 4 de junho (segunda e terça), das 15h às 18h
Carga horária: 6 horas
Local: Espaço Mezanino do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso
Vagas: 15
Requisitos: conhecimentos básicos de informática, softwares gráficos como CS5, de edição de vídeo como Final Cut e Processing.

O workshop aborda as fachadas como interfaces em cidades informacionais contemporâneas. Tais fachadas amplificam a ideia da arquitetura e da cidade como mídia, transformando o exterior dos edifícios em interfaces entre o que ocorre nos interiores e as situações urbanas circundantes.

Veja abaixo alguns exemplos de obras digitais em telas urbanas:

Fiesp e Sesi-SP abrem suas fanpages para fotos amadoras da Galeria Digital

Agência Indusnet Fiesp

Um dos principais cartões postais paulistanos, o prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) é desde segunda-feira (03/12) um espaço inédito e permanente de arte digital para exibição de obras visuais a céu aberto: a Galeria de Arte Digital do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

Estimulando ainda mais a interação do público, a Fiesp e o Sesi-SP abrem aos interessados a possibilidade de compartilhar suas fotos desse presente das entidades para a cidade de São Paulo.

Para participar, basta enviar a foto da exibição, visível das calçadas na fachada principal da Avenida Paulista entre 20h e seis da manhã.

Todo dia, será selecionada uma foto, que será publicada nas fanpages da Fiesp e do Sesi Cultura– a foto deve ser enviada via e-mail (galeriadigital@fiesp.org.br), no limite de até 3MB, com nome, profissão/atividade, idade e cidade (ou bairro, para quem é do município de São Paulo).

A iniciativa, que não envolve nenhum tipo de premiação, prossegue até o dia 20/12, podendo ser prorrogada no mês seguinte.

A Galeria de Arte Digital é um presente da Fiesp e do Sesi-SP para São Paulo.

São Paulo ganha primeira galeria de arte digital a céu aberto da América Latina

Agência Indusnet Fiesp

O prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), um dos principais cartões postais paulistanos, agora é também em um espaço inédito e permanente de arte digital para exibição de obras visuais a céu aberto.

[veja mais fotos ao final deste texto]

Inauguração da Galeria Digital no prédio da Fiesp. Foto: Mauren Ercolani

A abertura oficial se deu na noite de segunda-feira (03/12), por volta de 20h, quando teve início uma contagem regressiva de aproximadamente 20 minutos até que as luzes foram apagadas e a fachada e as laterais do prédio passaram a exibir a primeira galeria de arte digital da América Latina: a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP.

Com 26.241 mil clusters, cada um formado por quatro lâmpada de LED, instalados em 3.700 m² da estrutura metálica que reveste o prédio da Fiesp, o novo espaço cultural transmitirá até 4,3 bilhões de combinações de cores. A inauguração marcou também o início da primeira edição do SP_Urban Digital Festival, com curadoria da brasileira Marília Pasculli e da alemã Susa Pop.

Durante a exibição, centenas de pessoas ficaram no lado oposto da Avenida Paulista para apreciar o espetáculo. Entre elas, Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), e Walter Vicioni Gonçalves,  superintendente do Sesi-SP, além de diversos diretores da Fiesp, artistas e convidados.

Presente da Fiesp e do Sesi-SP para São Paulo

São 26.241 mil clusters, cada um formado por quatro lâmpada de LED. Foto Mauren Ercolani.

O festival aconteceu durante o mês de dezembro, todas as noites das 20h às 6h, quando o edifício icônico da avenida Paulista virou uma grande tela urbana de novas formas de expressão de arte digital.

Segundo Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi-SP, a Galeria Digital do Sesi-SP é um presente das entidades da Indústria para São Paulo.

“A cidade é pulsante e efervescente durante o dia e a noite. A galeria, baseada em tecnologia e modernidade, traduzirá esse ritmo produtivo e será mais um marco de São Paulo, como existem poucos no mundo.”

Obras audiovisuais

O SP_Urban Digital Festival segue o conceito de Media Facade – a transformação de fachadas arquitetônicas em “telas” para exibição de obras audiovisuais. Na edição 2012, foram expostos trabalhos dos artistas paulistanos VJ Spetto (United VJs), o coletivo BijaRi e Goma Oficina, além dos internacionais Esteban Gutierrez, da Colômbia, do francês Antoine Schmitt, e da dupla Mar Carnet & Varvara Guljajeva, respectivamente da Espanha e Estônia.

Imagem feita durante testes, dias antes da abertura oficial da galeria na Avenida Paulista.

Cada artista teve cinco dias do festival dedicados exclusivamente à transmissão de sua obra, das 20h às 23h. Entre 23h e uma da manhã, o trabalho de Antoine Schmitt tomou conta do prédio0. E a partir desse horário, a programação foi mista e randômica até as 6h.

A obra do francês Antoine Schmitt, renomado mundialmente pelo projeto City Sleep Light, foi um dos destaques do festival. Traduzida como “luz do sono da cidade”, tem como matéria-prima os dados de atividades socioeconômicas do local onde está sendo realizado.

Estes dados são recolhidos a partir de um software que coleta os códigos de fluxos disponíveis na internet de uma cidade específica: trânsito, transações bancárias e movimentação nas redes sociais, por exemplo. Quando a cidade vai dormir, Antoine transforma estes códigos em pulsações de luz branca. Todos os pixels piscam juntos, transformando o edifício em um organismo vivo, que “respira” de acordo com o ritmo da cidade. “Será como observar os batimentos cardíacos da capital paulistana a cada noite”, diz a curadora Marilia Pasculli.

Alguns exemplos de edifícios que sediaram galerias de arte digital em suas fachadas são o ARS Electronica Center, na Áustria; a Uniqa Tower, em Viena; o Shopping Iluma em Cingapura; o MediaLab-Prado, na Espanha, além do renomado Media Facades Festival, que acontece desde 2008 em diversas cidades da Europa.

Veja aqui os artistas que participaram do SP Urban Digital Festival