Na nova escola de Agudos, alunos do Sesi-SP já fazem planos para futuro profissional

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Agudos

Tornar-se advogado, arquiteta, veterinária e professora – são estas as aspirações de alguns alunos entre 9 e 10 anos da nova escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em Agudos.

Em conversa com a reportagem, momentos antes da solenidade de inauguração, as crianças mostram convicção ao falar de planos para um futuro não tão próximo.

A poucas semanas de completar 10 anos, Daniela Nogueira quer ser veterinária quando crescer e “ter uma lojinha para abrigo de animais. Vou ter uma gatinha também”, diz a aluna do Sesi-SP, que gosta das aulas de educação física e matemática.

Já a amiga Gabriele Ravezes, também com 9 anos, quer ser arquiteta. O que ela mais gosta de fazer na escola são os projetos com montagem de peças e tecnologia. Ela se inspirou na escolha profissional da mãe para decidir pela carreira. “Minha mãe está estudando para ser arquiteta, quero ser igual a ela.”

Também influenciado pela família, Vitor Augusto Murbach, 9 anos, pretende ser advogado. “É porque minha irmã mais velha diz que pareço um”, diz com as mãos cruzadas sobre a mesa.

Já Yasmin Piotto Sanches Silva, 9 anos, encontrou no jeito “legal” da professora uma inspiração para seguir a profissão. “Ela ensina muitos jogos legais. Também quero ser professora. Eu já brinco de escolinha.”

A aula preferida de Yasmin e da amiga Bruna Aparecida Simões Terra, com 10 anos, é a de educação física. Mas Bruna também gosta do espaço da sala de aula. E pensa em seguir a profissão dos pais: comerciante de artigos eletrônicos.

Da esquerda para a direita, Yasmin, Nicole e Bruna: não faltam planos para o futuro. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Da esquerda para a direita, Yasmin, Nicole e Bruna: não faltam grandes planos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Mais falante do grupo, Nicole Cunha Romacho, de 10 anos, não sabe exatamente o que quer ser quando crescer, mas tem uma certeza. “Quero é ganhar muito dinheiro para comprar roupa, sapato, comida. Já pensei em cuidar de planta, ser cabeleireira”, conta a menina ao resumir seus planos para levar uma vida confortável no futuro.