Demanda por energia elétrica no Brasil pode chegar a 1,2 mi GW/h em 2040

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A demanda por energia elétrica no Brasil pode chegar a 1,2 milhão gigawatt-hora (GWh) em 2040, apontou estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgado nesta quarta-feira (03/07), durante seminário sobre o assunto na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O prognóstico faz parte do levantamento Futuro Energético e a Geração Nuclear, elaborado pela FGV Projetos. O estudo indica que a utilização de energia nuclear no Brasil deve atender à demanda futura.

“Ficou claro que o sistema elétrico está em transição. E uma transição que tem dimensão econômica, energética e regulatória”, afirmou o professor Otavio Mielnik, coordenador de projetos da FGV, no seminário.

Mielnik: mudanças na geração elétrica no Brasil. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Mielnik apresentou estudo no seminário: sistema elétrico está em transição no Brasil. Foto: Julia Moraes/Fiesp


Para projetar a condição do setor de energia elétrica no país em 2040, a FGV Projetos elaborou três cenários para direcionar os rumos do setor nos próximos anos.

Considerando um cenário de controle de mercado, no qual o crescimento econômico seria maior no curto prazo, a 4% ao ano até 2017, e menor no longo prazo, a 3%, o Brasil consumiria até 1,02 milhão gigawatt-hora (GWh) de energia elétrica.

Em cenário de racionalidade econômica, com um crescimento econômico inferior no curto prazo, a 2,5% ao ano –podendo alcançar patamares de expansão pré-crise, de 4% ao ano, posteriormente— o consumo brasileiro de energia chegaria a 1,1 milhão gigawatt-hora (GWh).

O maior consumo seria se o país enfrentasse um cenário de crescimento anual de 2,5% até 2015 e posteriormente a 5%.  Neste caso, a demanda por energia chegaria a 1,2 milhão gigawatt-hora (GWh). “É claro que os recursos públicos não serão suficientes para suprir a demanda”, disse Mielnik. “Mas o setor privado poderia contribuir e inovar trazendo sua experiência”, concluiu.