Fundos de investimento podem ser usados no combate às mudanças climáticas

Lucas Alves, de Copenhague, Dinamarca, para Agência Indusnet Fiesp

Marco Antonio Fujihara, especialista em mudanças climáticas e consultor da Fiesp. Foto: Flávio Martin

Pioneiro na criação de um fundo de investimento em capital de risco voltado ao combate das mudanças climáticas, o Brasil vai apresentar a iniciativa inovadora nesta quinta-feira (10), às 16h, em Copenhague, como parte dos eventos que ocorrem paralelamente à Conferência de Mudança do Clima, da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Vamos mostrar como é possível fazer investimentos deste tipo sem comprometer a integridade dos projetos”, explica o especialista em mudanças climáticas e consultor da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Marco Antonio Fujihara.

O exemplo a ser mostrado é o Fundo Brasil Sustentabilidade, que está estruturado de acordo com as leis brasileiras e voltado a empresas que têm potencial para gerar créditos de carbono no âmbito dos Mecanismos de Desenvolvimentos Limpos (MDL).

Crescimento

Entre 2006 e 2007, o investimento da indústria brasileira em private equity cresceu 143%. “Este crescimento consistente se deve à disponibilidade de boas oportunidades de investimento dos mercados de capitais, que permitem saídas bem sucedidas”, justificou Fujihara.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) opera uma linha de financiamento em private equity. O superintendente da área ambiental do Banco, Sérgio Weguelin, fará sua apresentação durante o evento.