Na Fiesp, secretário adjunto de Planejamento avalia relações do Brasil com exterior

Mayara Baggio, Agência Indusnet Fiesp

Para analisar os atuais esforços do Brasil com parceiros comerciais, o Conselho Superior de Comércio Exterior da Fiesp (Coscex) recebeu nesta terça-feira (20) o secretário adjunto de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Renato Baumann.

Segundo o presidente do Coscex, Rubens Barbosa, apesar do cenário atual desafiador, o Brasil figura como uma das dez maiores economias do mundo e os investidores ainda miram oportunidades locais de médio e longo prazo.

De acordo com Baumann, o governo brasileiro negocia memorandos de entendimento e acordos com pelo menos cinco países: Estados Unidos, com destaque para os contratos de parceria público-privada (PPPs) e compras públicas; China, com o Fundo Brasil-China de investimentos; França e Japão; além da Itália, interessada sobretudo em projetos de rodovias. “Nossa expectativa é que o fundo com os chineses passe a operar até o final deste mês”, observou o secretário.

OCDE

Baumann explicou ainda que uma eventual participação do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) exigiria a incorporação de 280 normas solicitadas a todos os interessados em fazer parte da entidade multilateral. O grupo reúne atualmente 35 países e tem como foco a promoção de políticas sociais, apoio na resolução de problemas de competitividade das economias e medição comparativa de produtividade, fluxos de comércio e investimentos.

O secretário afirmou que até outubro deste ano um conselho deverá sinalizar a aceitação ou não do processo de entrada do Brasil na organização, assim como de outros países que estão na fila de espera da OCDE. “Há um grande interesse na entrada de um dos Brics (o grupo dos países em desenvolvimento) na entidade”, completou.


Baumann: governo negocia acordos com pelo menos cinco países. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp