Pinacoteca recebe réplicas em bronze desenvolvidas pelo Senai-SP

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539811228

Sina”, de Rodolpho Bernadelli. A peça original (à esquerda) e a réplica feita pelo Senai-SP (à direita). Foto: Juan Saavedra/Fiesp

Museu de arte mais antigo da capital paulista, a Pinacoteca do Estado de São Paulo acaba de ganhar duas novas peças para seu acervo. Em cerimônia na tarde de sábado (15/06), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) entregou à Pinacoteca duas réplicas em bronze das peças “Busto de Dom Pedro II”, de Zépherin Ferrez, e “Sina”, de Rodolpho Bernadelli, pertencentes ao acervo do museu.

Resultado de convênio entre as instituições, as peças foram esculpidas pelo Centro Técnico em Fundição Artística do Senai-SP, instalado na unidade Nadir Dias de Figueiredo, em Osasco, na grande São Paulo. O trabalho teve a coordenação técnica do artista plástico Israel Kislansky.

“Este evento tem uma extrema significação. É parte de uma primeira etapa da colaboração entre a Pinacoteca e Senai-SP”, celebrou o diretor técnico da Pinacoteca, Ivo Mesquita, na solenidade realizada no segundo andar do edifício, marco arquitetônico da cidade. “O Centro técnico [do Senai-SP] vem desenvolvendo um trabalho importantíssimo no sentido da recuperação das técnicas e procedimentos na fundição artística, isto é, esculturas, monumentos, elementos arquitetônicos e decorativos, preservando uma tradição começada no Brasil no século XVII”, elogiou Mesquita.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539811228

Na foto, com o Busto de Dom Pedro II, reprodução feita pelo Senai-SP, da esquerda para direita: Marcelo Araújo (secretário de Cultura do Estado de São Paulo), Ivo Mesquita (diretor técnico da Pinacoteca), Fernando Greiber (diretor do Comcultura/Fiesp) e Israel Kislansky (assessor técnico do Senai-SP). Foto: Juan Saavedra/Fiesp

Em seu rápido pronunciamento, o diretor do Comitê de Ação Cultural da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Fernando Greiber, disse que o convênio é resultado de uma diretriz da gestão do presidente das instituições, Paulo Skaf, de promover a integração das entidades à comunidade cultural e artística do Estado de São Paulo.

“São peças feitas em gesso e, na medida que tenhamos a possibilidade de fundi-las em bronze, nós estamos dando a elas vida eterna”, comentou Greiber. “Esse convênio nos enche de muita alegria. Que esse trabalho continue e dê frutos como essas peças em bronze”, completou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539811228

Pinacoteca mostrou confiança no Senai-SP, segundo Célio Jorge Deffendi, assessor do Sesi-SP para assuntos de Educação e Cultura. Foto: Juan Saavedra/Fiesp

Célio Jorge Deffendi, assessor do Sesi-SP para assuntos de Educação e Cultura,  lembrou que as duas peças integraram a exposição “Fundição Artística no Brasil”, aberta ao público no Centro Cultural Fiesp entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano.

“O presidente Paulo Skaf tem incentivado fortemente essa ação cultural. Nós tivemos uma exposição no início do ano. Essas coisas são extremamente importantes para a preservação do patrimônio histórico brasileiro”, destacou Deffendi, agradecendo a confiança da Pinacoteca ao ceder as peças originais ao Senai-SP para que ambas fossem trabalhadas em bronze. “Isso também é uma prova de confiança muito grande na competência técnica do pessoal do Senai-SP.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539811228

Secretário Marcelo Araújo destacou importância do Centro técnico do Senai-SP para os museus. Foto: Juan Saavedra/Fiesp

O secretário estadual de Cultura, Marcelo Araújo, disse que teve oportunidade de participar do projeto ainda na condição de diretor da Pinacoteca, e pediu a Greiber e Deffendi que transmitissem a Skaf seus cumprimentos pela iniciativa. “A importância desse projeto devolve para a realidade brasileira uma das linguagens mais tradicionais da arte que tinha praticamente desaparecido”, observou Araújo.

“A criação do Centro de fundição traz de volta essa possibilidade. É importante para os museus e para os artistas. E para a indústria, é uma atividade que tem imenso potencial. Tenho certeza de que o Centro de fundição tem um futuro brilhante em nome da memória e da cultura brasileira”, encerrou, sugerindo um novo desafio: a réplica em bronze da peça “O Brasileiro” (1940), de Raphael Galvez, escultura em gesso que é um dos destaques do acervo permanente da Pinacoteca.

O Centro Técnico em Fundição Artística do Senai-SP

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539811228

“Busto de Dom Pedro II”, de Zépherin Ferrez, réplica feita pelo Centro técnico em Fundição Artística do Senai-SP. Foto: Juan Saavedra/Fiesp

Dedicado à recuperação e modernização dos processos de fundição artística no Brasil, o Centro Técnico em Fundição Artística do Senai-SP funciona em Osasco, na grande São Paulo.

De acordo com Israel Kislansky, as peças entregues à Pinacoteca são resultado de um trabalho que começou em 2008, com um projeto de capacitação de uma equipe de técnicos do Senai-SP habilitados a adquirir o know-how de fundição em bronze.

“Fizemos uma série de ações como viagens a Europa, onde visitamos as principais fundições e os principais acervos, oferecemos cursos para esses técnicos de habilidades artísticas, como escultura, desenho, história da arte, e também tivemos um convênio com a Pinacoteca, em que, com a responsabilidade de reproduzir a obra de um grande autor, exigiu-se a preparação”, explicou. “Esses modelos foram usados para se adquirir o máximo de conhecimento possível”, completou Kislansky.

Além da capacitação e de investimento em equipamentos, a iniciativa abriu cursos especializados em fundição de obras de arte e originou dois livros sobre o assunto, lançados pela editora Senai-SP e editora Sesi-SP, respectivamente.