Ceará dá exemplo em educação, cultura, ética e cidadania

Eliane Belfort, diretora-titular do Comitê de Responsabilidade Social/Fiesp, Agência Indusnet Fiesp

Volto de Fortaleza vestida de humanidade. O sol dessa terra aquece o coração de seus nativos, que dão ao visitante o calor da acolhida e o aconchego da amizade. Com carinho e bem-querer pela cidade, nos levam a desvendá-la, imaginá-la e, mais que vivê-la, senti-la. É assim, embebida de Fortaleza, que lhes conto a riqueza dos projetos produzidos e operados pela Fundação Demócrito Rocha, criada pelo Grupo de Comunicação O Povo, objeto de minha visita àquela terra.

Mais que projetos, são obras de arte voltadas para a educação, principalmente, para a cidadania, a ética, a cultura e, sobretudo, a cultura regional. Segundo Wânia Dummar, diretora das organizações O Povo, “não é possível desenvolver cidadania e ética sem amar e valorizar seu lugar e seu espaço. E só se ama o que se conhece e o que se chama de seu”.

Uma pequena parte do trabalho de 80 anos deste grupo de comunicação do Ceará estará na 5ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental deste ano. Durante o evento, a Universidade Livre do País e a Universidade Aberta do Nordeste (UAN), fruto dos projetos de educação do grupovão mostrar suas experiências e resultados.

Em 1996, a Unesco atestou a importância do trabalho realizado pela Fundação Demócrito Rocha, assinando convênio com esta instituição e iniciando parceria em projetos de educação, cultura, ciências sociais, ciências exatas e comunicação.