O melhor amigo do homem ganha exposição no Centro Cultural Fiesp

Raisa Scandovieri, Agência Indusnet Fiesp

O lendário fotógrafo documental franco-norte-americano Elliott Erwitt, prestes a completar 89 anos, é conhecido por sua irreverência e ironia na hora de apontar uma câmera. Mais do que fotos de celebridades e registros do dia a dia das cidades por onde passou, foram seus registros como agudo observador do mundo canino que o destacaram no cenário internacional. O resultado dessa fascinação poderá ser visto na exposição Vida de Cão, que estreia na Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp, no dia 4 de julho. O espaço fica aberto à visitação diariamente, das 10h às 20h, com entrada gratuita, até 24 de setembro.

A fim de propor reflexões bem-humoradas e espirituosas sobre a relação entre os cães e os seres humanos, a seleção do curador João Kulcsár reúne 50 fotografias, elencadas originalmente no livro DogDogs (1989), do próprio Erwitt. “Ele consegue mostrar como nosso relacionamento com o melhor amigo do homem tem raízes na semelhança mútua e na emoção, sem deixar de lado o senso estético e crítico”, comenta Kulcsár, que se encontrou pessoalmente com o homenageado, antes de montar a mostra inédita.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539695452

Foto de Elliott Erwit que integra exposição Vida de Cão, no Centro Cultural Fiesp.


Durante o encontro em Nova York, realizado em junho deste ano, o próprio Erwitt gravou um vídeo inédito, comentando um pouco sobre sua carreira, principais trabalhos e sua relação com o Brasil, para ser exibido exclusivamente na exposição.

Em tempos de Photoshop e redes sociais como o Instagram, as imagens em preto e branco clicadas em vários países – incluindo Brasil, Inglaterra, França e Irlanda –, entre os anos de 1946 e 2004, prometem encantar amantes dos caninos, não apenas pela temática, mas pela comicidade escondida em cada foto, bem ao estilo de seu criador.

Segundo o curador, “ele usava o preto e branco como linguagem para expressar seu raro talento: provocar o riso sobre tudo, até sobre si mesmo”. Outra de suas marcas registradas é o uso da ilusão para “criar composições que parecem surreais ou improváveis à primeira vista”, completa.

Desde seus primeiros trabalhos fotografando cães em 1946, Elliott Erwitt continua a surpreender com seus jogos de ilusão, composições carregadas de ironia e que trazem à tona cenas do cotidiano pautadas no aspecto cômico da condição humana.

A exposição Vida de Cão é a terceira, de quatro exposições do Sesi-SP em parceria com a Magnum Photos em 2017, para comemorar o aniversário de 70 anos da agência.


Sobre Elliott Erwitt

Membro da maior agência de fotojornalismo do mundo, a Magnum Photos, Elliott Erwitt nasceu em Paris, em 26 de julho 1928. Filho de russos, cresceu na Itália e se mudou para os EUA com 11 anos, sem falar uma palavra de inglês.

Com 14 anos adquiriu sua primeira câmera, mas foi apenas nos anos 1950 que se tornou fotógrafo profissional, atuando tanto em publicações jornalísticas diversas quanto como fotógrafo de peças comerciais.

Em 1951, foi recrutado pelo serviço militar e assumiu vários deveres fotográficos enquanto servia em diferentes postos na Alemanha e na França. Anos depois, enquanto estava em Nova York, Erwitt conheceu o fotógrafo húngaro Robert Capa, que o convidaria a se juntar à Magnum Photos em 1953. Chegou a presidir a agência no final da década de 1960, mas a partir da década de 1970 voltou-se para o cinema, produzindo vários documentários e filmes.

A fama e o reconhecimento por seu trabalho vieram graças aos registros em preto e branco tirados de forma irônica que preenchiam as situações mais simples do cotidiano com leveza e bom humor.  Ainda hoje, “o que mais o atrai na hora de registrar uma cena é a espontaneidade”, diz Kulcsár.


SOBRE A GALERIA DE FOTOS

Inaugurada em janeiro de 2017, a Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp é gerenciada pelo Sesi-SP, com uma programação voltada para a difusão da produção fotográfica como expressão artística e cultural. Em quatro exposições anuais, o espaço dá oportunidade a novos artistas e reverencia o trabalho de profissionais já consagrados.


Serviço:

Exposição Vida de Cão

Período: 4 de julho a 24 de setembro de 2017

Horários: diariamente, das 10h às 20h

Local: Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp (Avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon Masp do Metrô)

Curadoria: João Kulcsár

Realização: Sesi-SP

Agendamentos: de segunda a sexta, das 10h às 18h, pelo telefone 11 3146 7439.

Grátis. Mais informações em www.centroculturalfiesp.com.br.

Cartier-Bresson ganha exposição inédita no Centro Cultural Fiesp

Raisa Scandovieri, Agência Indusnet Fiesp  

Foi em 1932, com 24 anos de idade, que o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004) adquiriu na cidade de Marselha uma câmera Leica, que se tornou uma extensão do seu olho e transformou para sempre seu interesse casual pela fotografia em paixão. Nos três anos seguintes, Bresson ficou conhecido pela criação de uma das mais originais e influentes narrativas visuais da história.

Em homenagem a esse ícone da fotografia mundial, estreia no próximo dia 18, na Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp, a exposição inédita no Brasil Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias. As 58 fotos selecionadas pelo curador João Kulcsár são fruto dos quatro primeiros anos de trabalho do fotógrafo francês, famoso pelo conceito do “momento decisivo” (publicado no livro Images a la Sauvette, em 1952). A mostra fica aberta para visitação até 25 de junho, diariamente, das 10h às 20h, com entrada gratuita.

“Henri Cartier-Bresson é um dos mais importantes e influentes fotógrafos do século XX, mas nessa mostra podemos perceber um outro momento dele, o percurso de um jovem fotógrafo durante um período de intensa liberdade e compromisso pelo acaso”, afirma o curador.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539695452

Bresson: um dos mais importantes e influentes fotógrafos do século XX. Foto Reprodução: Helcio Nagamine/Fiesp


Mesmo que na época da produção desses trabalhos ele ainda não tivesse desenvolvido o conceito que viria a influenciar fotógrafos do mundo inteiro, já é possível perceber sua preocupação em capturar momentos únicos, sob a óptica da pintura, sua primeira paixão. Ele mesmo costumava dizer que “a fotografia era um meio de desenhar”.

A descoberta de novas formas de composições, enquadramentos e extensões da imagem que aprimorou são resultado de suas experiências na Academia de André Lhote, na década de 1920, das amizades com precursores do surrealismo, como Max Ernst, e de viagens pela Europa e África. Nessas jornadas, passava os dias flanando em busca da casualidade de cenas impensáveis que via no cotidiano.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539695452

Fotografia de Bresson: novas formas de composição. Foto Reprodução: Helcio Nagamine/Fiesp


“Sempre consternado com muitas questões que pudessem tornar a fotografia de certa forma harmoniosa, ele se empenhava em difundir um senso de geometria ímpar, que o seguiu em suas produções posteriores. Seu trabalho fotográfico exercitou a liberdade e o instinto impulsivo do olhar, presentes, acima de tudo, em seu jeito de pensar, falar, sentir e viver intensamente”, explica Kulcsár.

Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias é a segunda, de quatro exposições do Sesi-SP em parceria com a Magnum Photos, em 2017, para comemorar o aniversário de 70 anos da agência.

Serviço:

Exposição Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias

Curadoria: João Kulcsár

Período: de 18 de abril a 25 de junho de 2017

Horários: diariamente, das 10h às 20h

Local: Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp (Av. Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)

Grátis. Agendamentos de grupos escolares e sociais podem ser feitos pelo telefone 3146-7439, de segunda a sexta, das 10h às 18h30 ou pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi

Mais informações: www.centroculturalfiesp.com.br

 

 

Centro Cultural Fiesp realiza palestra do fotógrafo Jonne Roriz no dia 17 de junho

Especialista em fotografia esportiva, o fotógrafo Jonne Roriz ministra palestra na segunda-feira (17/06), às 20h, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

Roriz, profissional do jornal O Estado de S.Paulo que trabalha como freelancer no mercado editorial, corporativo e publicitário, vai falar sobre as novas tecnologias na fotografia esportiva, além de contar detalhes de grandes eventos que já cobriu no exterior. O evento, que acontece no Espaço Mezanino, tem entrada gratuita.

A palestra faz parte do projeto “Olhar a toda prova”, nome da exposição em cartaz no Centro Cultural Fiesp até 30 de junho. A mostra reúne imagens de atletas de várias modalidades esportivas.

Entre as imagens de “Olhar a toda prova”, há fotos de Jonne Roriz, especialista em fotografia esportiva. Em sua carreira, já fotografou grandes os eventos do esporte como GPs de Formula 1, Jogos Pan Americanos, Copas do Mundo e Olimpíadas.

A exposição conta também com um módulo com cinco imagens acessíveis (relevo, braille, audiodescrição) ao público deficiente visual, ampliando a abrangência da exposição para as questões da inclusão social que o esporte é capaz de promover.

No dia seguinte, terça-feira (18/06), o curador da exposição, João Kulcsár,  acompanhado por um fotógrafo deficiente visual, faz visita guiada voltada para deficientes visuais no  Centro Cultural Fiesp.

As inscrições para a palestra de Jonne Roriz podem ser feitas pelo telefone (11) 3146-7384. Clique aqui e veja mais informações sobre o projeto “Olhar a toda prova”. Para conhecer o trabalho de Jonne Roriz, acesse seu site oficial.


Sesi-SP promove oficina de fotografia no sábado (08/06)

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) inicia neste sábado (08/06) uma série de atividades fotográficas direcionada para professores e interessados em incrementar suas habilidades fotográficas.

O ciclo de atividades abre oportunidade para profissionais, deficientes visuais e amadores desenvolverem seu potencial com a máquina fotográfica e faz parte da agenda da exposição “Olhar a toda prova”, que acontece do Espaço Fiesp II, no Centro Cultural Fiesp.

Na atividade deste sábado (08/06), os inscritos na oficina saem da calçada em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) em passeio pela Avenida Paulista. A ideia é passar pela experiência de fotografar objetos e cenas utilizando todos os sentidos com exceção da visão. Conforme a dinâmica, os participantes são vendados e guiados pelos colegas da oficina, tentando cumprir as tarefas fotográficas designadas pelos educadores.

O objetivo é fazer com que os interessados na arte fotográfica estimulem sua percepção sensorial e emocional, além de desenvolverem as capacidades dos outros sentidos. A equipe de apoio para a oficina contará com dois educadores, sendo um deficiente visual. Esta primeira atividade é indicada apenas para professores com experiência na área.

Outras três atividades fazem parte do ciclo de palestras e oficinas. Uma delas é a palestra do fotógrafo Jonne Roriz, que acontece das 20h às 21h30, no dia 17 de junho, no espaço mezanino do prédio sede da Fiesp (Avenida Paulista, 1313).

No dia 18 de junho, acontecem mais duas atividades. Uma delas é a oficina de percepção fotográfica, aberta ao público geral, será realizada, das 10h às 12h, destinada ao público em geral, sem a necessidade de conhecimento prévio.

Fechando as atividades, das 19h às 20h30, no Espaço Fiesp, está programada uma visita guiada para que deficientes visuais conheçam a exposição “Olhar a toda prova”.

O público para cada uma das atividades é de, no máximo, 20 alunos. Menores deverão estar acompanhados por responsáveis. Para participar, basta uma máquina fotográfica comum ou um celular com câmera.

Inscrições

As inscrições devem ser feitas pelo telefone (11) 3146-7384.

Mostra fotográfica revela o Lula estadista e o homem do povo

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539695452

Mostra fotográfica LULA: recorte dos momentos históricos e representativos do ex-chefe de Estado no Brasil e no cenário internacional, e também em eventos na Fiesp


Há fotografias que apenas registram a história e outras que demonstram quem realmente faz a história. Foi esta a intenção da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) ao promover a exposição LULA: compor uma delicada leitura do ex-presidente que não mudou apenas sua trajetória pessoal – de Caetés, Pernambuco, ao Palácio do Planalto –, mas teceu outro curso para o País.

Pelas lentes de Ricardo Stuckert, seu fotógrafo oficial, Luiz Inácio Lula da Silva não é visto apenas como ex-sindicalista, ex-metalúrgico, ex-presidente, mas sim como o eterno cidadão brasileiro.

A exposição, aberta ao público, reúne fotos coloridas e em preto e branco, um recorte dos momentos históricos e representativos do ex-chefe de Estado no Brasil e no cenário internacional, além de sua participação em eventos na Fiesp, entre eles, a entrega do título de presidente emérito da Fiesp ao vice José Alencar, em 2009.

O ex-presidente foi clicado junto a populares, recebendo o abraço de Nelson Mandela, acenando a Fidel Castro, comemorando, emocionado, a vitória da presidente Dilma Rousseff e ao lado do ex-presidente dos Estados Unidos, George Bush.

A mostra fotográfica integra a homenagem feita a Lula no último dia 18, na sede da Federação, pelo presidente Paulo Skaf e setores representativos da comunidade empresarial. Para Skaf, a exposição é uma forma de reviver grandes momentos e revelar quem é o ex-presidente, “uma pessoa simples, um cidadão e homem do povo”.

Serviço
Mostra fotográfica LULA
Período: Até 18 de setembro. De terça-feira a sábado, das 10h às 20h. Segunda-feira, das 11h às 20h. Domingo, das 10h às 19h. Entrada franca
Local: hall do térreo inferior do edifício sede da Fiesp, à Av. Paulista, 1313 (em frente ao Metrô Trianon-Masp)

Ficha técnica: Com curadoria de Juca Varella e projeto expográfico de Haron Cohen, a Mostra reúne 54 fotos, algumas inéditas, a maioria de Ricardo Stuckert, fotógrafo oficial do ex-presidente. Também integram a exposição imagens do acervo da Fiesp.

Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso promove exposição Orgulho da Saracura

Agência Indusnet Fiesp

Em cartaz até o dia 26 de setembro, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, a exposição fotográfica Orgulho de Saracura retrata a escola de samba Vai-Vai, a mais antiga de São Paulo. Como parte das comemorações dos 80 anos da tradicional agremiação sambística, a mostra estará aberta à visitação gratuita entre 10h e 20h, de segunda-feira a domingo.

O tema extraído do samba Que barulho, que barulho é aquele?, de autoria de Tino e Guariba foi escrito por volta de 1940. O acervo conta com fotografias antigas e recentes, letras de músicas com croquis de carnaval, esculturas, troféus, instrumentos musicais, fantasias e pavilhões. O histórico das ações sociais também estará presente na maior parte da exposição.

Serviço
Exposição: Orgulho de Saracura
Local: Espaço Fiesp – Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp
Datas e horários: até 26 de setembro – de segunda-feira a domingo, das 10h às 20h.
Informações: (11) 3266-2581 ou www.vaivai.com.br

Últimos dias para ver a exposição A Renault de Doisneau

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539695452Até 6 de dezembro, o Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso apresenta a mostra A Renault de Doisneau, que traz 106 imagens, em sua maioria preto e branco, clicadas pelo fotógrafo Robert Doisneau em dois períodos distintos em que trabalhou para a Renault.

Trata-se de um valioso registro histórico da indústria automobilística do período entre guerras e logo após a Segunda Guerra Mundial. A curadoria é da historiadora e conservadora do acervo da empresa Ann Hindry.

Autor da famosa foto “O Beijo do Hotel de Ville”, que perpetuou o beijo de um casal em frente à prefeitura de Paris (1950), Robert Doisneau iniciou sua carreira como fotógrafo anos antes, aos 22 anos, mergulhado no universo das linhas de montagem da francesa Renault, onde trabalhou como funcionário regular de 1934 a 1939.

Nesse período, ainda desconhecido, registrou com sensibilidade e um olhar único a transformação da indústria e do automóvel, reunindo uma preciosa série de imagens de carros, autopeças, maquinário pesado, dos vários setores das fábricas localizadas nos arredores de Paris e o dia a dia de seus operários em situações variadas.

Numa segunda fase, entre 1946 e 1955, Doisneau foi convidado a voltar à empresa, já como fotógrafo consagrado, para produzir fotos publicitárias dos principais modelos da montadora. As imagens trazem alegres casais passeando descontraidamente em parques e belas modelos em registros bem humorados, como a da jovem sorridente estirada no porta-malas de um Frégate tomando chá, sugerindo notável espaço e conforto.

Serviço:
Exposição A Renault de Doisneau
Temporada: até 6 de dezembro de 2009.
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso / Espaço Fiesp
Endereço: Avenida Paulista, 1.313 – térreo inferior – Metrô Trianon-Masp
Informações: (11) 3146-7405 / 7406 / www.sesisp.org.br/centrocultural
Horário de funcionamento: segundas-feiras, das 11h às 20h ; terça a sábado, das 10h às 20h; domingos, das 10h às 19h.
Recomendação etária: Livre
Entrada franca
Visitas monitoradas e agendamento de grupos: de segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 13h, e das 14h às 17h, pelo telefone 3146-7396 – (falar com Leni)