Retrospectiva 2012 – Fiesp investe em ações com foco no capital humano

Agência Indusnet Fiesp

Um dos fatores mais significativos para ampliar a competitividade das empresas – o investimento na qualificação e bem-estar dos profissionais – foi alvo de iniciativas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) durante o ano de 2012.

Paulo Skaf e Altamiro dos Reis Neto, vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos de São Paulo (ABRH-SP), durante o Fórum Capital Humano. Foto: Everton Amaro

A entidade promoveu, pela primeira vez, o Fórum Capital Humano Ferramentas de Desenvolvimento e Competitividade, um encontro de especialistas e profissionais de Recursos Humanos com o intuito de discutir as questões que afetam o desenvolvimento humano como fator de competitividade nas organizações.

De acordo com o diretor do Departamento de Ação Regional da Fiesp, Sylvio de Barros, o evento teve também o objetivo de aproximar as empresas, por meio de seus profissionais de recursos humanos, às escolas mantidas pelas indústrias, além de apresentar os  produtos e serviços disponibilizados pelo Sesi-SP e Senai-SP.

VII Congresso da Micro e Pequena Indústria. Foto: Everton Amaro

A gestão de recursos humanos como fator estratégico para as empresas também esteve no centro dos debates do VII Congresso da Micro e Pequena Indústria, promovido pela Fiesp.

Durante o evento, os empresários tiveram a oportunidade de conhecer serviços e cursos disponíveis em conceituados centros de ensino, como Universidades São Judas e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

Em junho, a sede da Fiesp e do Ciesp recebeu o fórum setorial ‘Sou Capaz’, com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre a Lei de Cotas e as regras para empregar pessoas com deficiência no Brasil, parte do esforço da Fiesp no sentido de buscar equivalência de oportunidades para todos os cidadãos, ampliando cada vez mais sua participação na formação do capital humano no Estado de São Paulo.

Capacitação para diversos setores

Outro foco das entidades da indústria foi atender à demanda de capacitação das indústrias de diversos setores. Já no início do ano foram oferecidas, em 42 escolas Senai-SP de 26 municípios paulistas, mais de 3.500 vagas gratuitas para os 28 cursos técnicos. A entidade também ofereceu vagas em 13 cursos superiores de tecnologia nas Faculdades Senai.

No mês de maio, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, anunciou cursos inéditos do Senai-SP em Santos para atender ao setor portuário e retroportuário. O programa contempla a oferta de 1,2 mil vagas em diferentes programas de iniciação, qualificação, aperfeiçoamento e especialização.

Para atender à procura por projetos para o pré-sal, a Fiesp, em parceria com o

Senai-SP e a Universidade de São Paulo (USP), lançou o Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação na Cadeia de Petróleo e Gás (Nagi P&G). O programa tem a meta de formar, entre 2012 e 2014, 400 empresas que receberão assessoria para elaborar projetos de inovação e para aprender a requisitar verbas em instituições de fomento. A Iniciativa da Fiesp em conjunto com o Ciesp e o Senai-SP foi destaque no caderno de negócios e carreiras do jornal Folha de S.Paulo.

Programa NAGI P&G em Sertãozinho, interior de São Paulo. Foto: Divulgação

A Fiesp ainda promoveu uma série de encontros com sindicatos de indústrias, visando desenvolver um programa voltado a necessidades específicas de capacitação de mão de obra. No mês de março, ocorreram os primeiros encontros privilegiando os sindicatos que representam os fabricantes aparelhos elétricos e eletrônicos, as indústrias de iluminação, de fios elétricos e dos setores de borracha e plástico.

Para suprir a demanda de 40 mil profissionais nas áreas de costura, modelagem e corte, o Programa de Formação de Mão de Obra de Costura Industrial disseminou as diversas opções de capacitação para profissionais das indústrias têxteis e de confecção.

Valorização humana

Com o objetivo de estimular as boas práticas no quesito gestão e valorização de seus colaboradores, as entidades da indústria promoveram o Prêmio Sesi Qualidade no Trabalho (PSQT). Quatro empresas paulistas estiveram no pódio nacional de premiadas.

Vencedores do Prêmio Sesi Qualidade no Trabalho. Foto: Julia Moraes

 

Em parceria com o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), a Fiesp realizou programas dirigidos ao bem-estar e à qualidade de vida dos trabalhadores, como o Ação Indústria Saudável, na cidade de Birigui, no mês de outubro.

O também ofereceu uma programação especial aos trabalhadores da construção civil. Em pleno canteiro de obras, operários da capital assistiram de forma lúdica à palestra do programa do Administre seu Dinheiro de Forma Consciente.

Palestra da Dra. Albertina Pizzamiglio, durante a Campanha Pense Rosa. Foto: Helcio Nagamine

A preocupação com a mão de obra feminina foi destacada pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf.  Durante o Humanidade 2012, ele propôs campanha para garantir creches a todas as mães que trabalham.

No mês de outubro, a entidade participou da campanha Pense Rosa, promovendo uma palestra de conscientização sobre prevenção e combate ao câncer de mama às funcionárias das entidades da indústria.

Fiesp promove em junho debates sobre inclusão profissional no Fórum Sou Capaz

Evento: Fórum Setorial Sou Capaz – Inclusão Profissional de Pessoas com Deficiência

Área: Eventos

 

Local de realização:

Edifício-sede da FIESP – Av. Paulista, 1313 – São Paulo – SP

 

Data do evento:

27/6/2012

 

Horário do evento:
08:00 às 12:30

 

Programa:

PROGRAMA

08h00 – Credenciamento e Welcome Coffee

08h45 – Abertura e composição da mesa principal

09h00 – Apresentações do Programa “Sou Capaz”

09h30 – Contextualizando a Lei de Cotas de Pessoas com Deficiência: Elaboração, Vigência e Eficácia
Frederico Antônio Gracia, Presidente da 73ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB de Guarujá

10h10 – Práticas da Fiscalização do Trabalho para a Inclusão Profissional de Pessoas com Deficiência
José Roberto Melo, Superintendente Regional do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo – MTE.

10h50 – Programa de Reabilitação do INSS como Alternativa de Cumprimento de Cota
Mauro Luciano Hauschild, Presidente do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS

11h20 – Acessibilidade e Compatibilidade de Ocupações Profissionais
Helvécio Siqueira, Diretor da Escola SENAI “Ítalo Bologna”, em Itu

12h00 – Panorama da Inclusão Profissional sob o Ponto de Vista do Empresário
Sylvio Alves de Barros Filho, Diretor Titular do Departamento de Ação Regional da FIESP

12h30 – Encerramento

Clique aqui para se inscrever

Público e privado unem esforços em reabilitação

Cesar Augusto, Agência Indusnet Fiesp

Experiências tanto no setor público quanto privado se mostram eficazes na luta contra a reincidência e reestruturação da cidadania do indivíduo que cumpre ou já cumpriu pena de prisão. Em Goiás, a Cia. Hering implantou fábricas intramuros, que empregam detentos em regime fechado no Estado. A experiência beneficia os apenados com ajuda de custo e remissão de pena proporcional aos dias trabalhados.

Para o gerente da Plataforma Goiás da Cia. Hering, Cláudio Schwaderer, é impressionante a diferença que a capacitação e o trabalho fazem na vida das pessoas. “Muitas vezes um banho de água quente, um sabonete, um par de sapatos já têm um significado enorme. É incrível para quem está longe dessa realidade como são coisas importantes para eles”, observou. “Essas coisas ajudam a resgatar a cidadania.”

O prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi, é outro que empolga ao falar dos resultados dos programas implantados na cidade, no modelo de cooperativas. “Temos dois tipos, por onde já passaram mais de 800 pessoas nos últimos anos.” Segundo Lippi, 80% dos cooperados acabam conseguindo se reinserir no mercado de trabalho e, até o momento, nenhum voltou a cometer crimes. Todos eles recebem ajuda de custo e remissão de pena.