24º PRÊMIO FIESP DE MÉRITO AMBIENTAL – VENCEDORAS 2018

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540338430

A edição 2018 do prêmio promovido pelo Departamento de Desenvolvimento Sustentável da Fiesp recebeu 65 cases. Os finalistas foram contemplados com troféu e o selo do Mérito Ambiental.

Saiba mais sobre os cases vencedores da 24ª edição nos links abaixo:

Vencedora grande porte:

Ford Motor Company Brasil

Manual para indústria alcançar o resíduo zero para aterro


Vencedora pequeno porte:

Habitar Construções Inteligentes

Entulho Zero na Construção Civil

Ford, Habitar e Eletropaulo vencem 24º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental

Agência Indusnet Fiesp

A Ford Motor Company Brasil venceu o 24º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental entre as empresas de grande porte. Na categoria de pequeno porte, a vencedora foi a Habitar Construções Inteligentes. Em responsabilidade social, o prêmio foi para a Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo. O anúncio foi feito nesta terça-feira (5 de junho), no final do primeiro dia das atividades da Semana de Meio Ambiente da Fiesp.

O Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental é uma das principais iniciativas de reconhecimento das ações da indústria na área de sustentabilidade. Foram mais de 400 projetos inscritos nos últimos 10 anos, e os números comprovam o crescente engajamento das empresas em questões ambientais. A edição deste ano teve o recorde de projetos inscritos. Foram 65, de 57 empresas, conforme enfatizou Nelson Pereira do Reis, diretor titular do Departamento de Desenvolvimento Sustentável (DDS) da Fiesp e do Ciesp. “Os bons números traduzem o reconhecimento dos esforços empreendidos pelas empresas, bem como a evolução de seus índices”, disse.

Os projetos traduzem a dedicação e a competência das empresas e servem de exemplo a outros, o que já é um ganho expressivo, segundo Walter Lazzarini, presidente do Conselho Superior de Meio Ambiente da Fiesp.

Para a diretora do Comitê de Responsabilidade Social da Fiesp (Cores), Gracia Fragalá, a agenda do desenvolvimento sustentável traz fortemente a questão do social, pois não há desenvolvimento econômico sem o ambiental e o social. “Mesmo diante da crise, os projetos de responsabilidade social continuaram a ser executados e a sociedade espera que as lideranças empresariais assumam este papel”, concluiu.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540338430

Vencedores do 24º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O projeto que deu o prêmio à Ford foi o Manual para indústria alcançar o resíduo zero para aterro. Ele engloba diversos fatores, como a diminuição de resíduos gerados, maior quantidade de produtos em reúso e reciclagem, incentivo para a educação ambiental, além de ideias inovadoras. O projeto envolveu os colaboradores de todas as plantas com o seguinte foco: gerenciamento de resíduos, desde sua origem até a destinação final, com etapas padronizadas que contemplam adequação de estrutura; caracterização dos resíduos; triagem; armazenamento do resíduo; estudo da possibilidade de reaproveitamento do resíduo gerado; avaliação de parceiros ambientais e empresas recicladoras; disposição final adequada; avaliação das possibilidades de prevenção ou minimização da geração de resíduos; monitoramento do processo contínuo; ecoeficiência da coleta seletiva e conscientização.

Em janeiro de 2017 foi alcançada a meta Zero Resíduos para Aterro em todas as Plantas do Brasil: em São Paulo, fábricas de motores e transmissões de Taubaté (em 2014), planta de São Bernardo (em 2016), mais o campo de provas, em Tatuí, além da fábrica de motores de Camaçari (Bahia) que foi lançada em 2014 já com o conceito de aterro zero. O resultado: evitou-se a destinação de aproximadamente 4 milhões de quilos de resíduos para aterro por ano.

Para Edmir Mesz, supervisor de Qualidade Ambiental da Ford América do Sul, a meta global para se alcançar o aterro zero era 2020, mas foi obtida antes do prazo estabelecido para o final de 2018, em função de iniciativas como ênfase na segregação, conscientização de todos os cooperadores e o apoio da alta administração. O segredo? Apenas gestão e mudanças eficientes no processo e a disponibilização do seu Manual para ser compartilhado por outras empresas para que também zerem sua pegada ambiental com práticas sustentáveis.

Menções honrosas:

HP Brasil – Economia circular nas operações de manufatura da HP Brasil

Companhia Brasileira de Alumínio – Gestão preventiva para melhoria do desempenho ambiental, social e econômico da transformação plástica do alumínio

Eaton – Aterro zero

BASF – Projeto Triple E – Excelência em eficiência energética

MRV Engenharia e Participações – Plano de gestão de carbono MRV

O projeto vencedor da categoria de pequeno porte, da Habitar Construções Inteligentes foi Entulho zero na construção civil. A construção civil é responsável por cerca de 14% do PIB nacional, gerando grande quantidade de entulho e gerando impactos no meio ambiente. Entre os objetivos do projeto, relatar o desenvolvimento da tecnologia desenvolvida na cidade de Pindamonhangaba-SP; reduziu o desperdício dos insumos na construção civil dos atuais 35% para menos de 2%; reduziu o tempo de obra em aproximadamente 30%; reduziu os custos da obra em aproximadamente 20% comparado aos sistemas construtivos atuais. O projeto se utilizou de tecnologias mais modernas para a construção civil a fim de alcançar a meta de desperdício zero com a inovação dos processos produtivos neste segmento.

O diretor da Habitar, Gustavo Faria, enfatizou que a empresa tem 4 anos de existência, surgiu em um momento de economia difícil especialmente para o setor de construção civil, um segmento que sente a crise em primeiro lugar e demora a se recuperar quando a economia retoma o seu ritmo.

Segundo ele, o objetivo traçado no projeto foi de aproveitamento máximo e desperdício ínfimo. “É possível sim ter sucesso na parte social e de sustentabilidade”, disse ao reforçar que a empresa está seguindo o caminho certo.

Menções honrosas:

GEDI – Desenvolvimento e inovação – Projeto de reutilização do lodo da ETA para produção de cargas para tintas acrílicas;

Solum Ambiental e Equipamentos Eletromecânicos – Vorax DuoTherm – Equipamento para processamento de resíduos de qualquer classe através de gradiente térmico.

Responsabilidade Social

A Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo foi a vencedora na categoria Responsabilidade Social, graças ao projeto Transformação de Consumidores em Clientes (TCC). Como maior distribuidora de energia elétrica do país, 18 milhões de pessoas são atendidas em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital, que produzem 17% do PIB nacional. No Brasil, o consumo de energia elétrica dobrou nos últimos 20 anos, mas 350.000 residências ainda não têm acesso ao serviço. Portanto, a regularização de ligações clandestinas é oportunidade para conter os elevados custos de manutenção, redução de margem de lucratividade, prejuízos à qualidade do fornecimento, além de oferecer risco à população. Com ligações estáveis e seguras, há menor probabilidade de pane e sobrecargas no sistema, que podem ocasionar incêndios e queima de eletrodomésticos. Em 2017, foram realizadas 65.500 regularizações, em comunidades de baixa renda, superando a meta estabelecida para o período, e estreitando relações com as mesmas. Os principais resultados do TCC abrangem benefícios ambientais – com a troca de equipamentos ocorre a diminuição de emissão de gases poluentes –, sociais, com a melhoria da qualidade de vida, e econômicos. Desde o início do projeto, em 2004, foram beneficiadas 1.595 comunidades de baixa renda, envolvendo 3,3 milhões de pessoas, 2,8 milhões de lâmpadas substituídas, 69.000 geladeiras substituídas e 12.500 chuveiros econômicos instalados. No cômputo total, mais de 825.000 novas unidades consumidoras até dezembro do ano passado.

Ao saber da premiação, Patricia Vasconcelos, especialista em sustentabilidade da Eletropaulo, “houve o reconhecimento do projeto e sua contribuição para a sociedade, que faz a diferença quando se leva energia de qualidade, minimizando risco de acidentes e incêndios e proporcionando o desenvolvimento da comunidade”, disse. Para ela, foi muito importante o projeto ter conquistado o reconhecimento da indústria neste 24º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental. “A importância do projeto vai além da entrega de energia, entrega-se cidadania”, concluiu.

Menções honrosas:

Cervejaria AMBEV – Cervejaria Ambev e a responsabilidade socioambiental: Água AMA, mais que uma água, uma causa;

Siemens – Projeto Experimento;

CPFL Energias Renováveis – Programa Raízes: segurança hídrica no Semiárido do Rio Grande do Norte;

Tereos Açúcar e Energia Brasil – Risco zero em casa

Para saber mais sobre os cases do 24º Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental visite as páginas listadas a seguir.

Cases vencedores: http://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/24o-premio-fiesp-de-merito-ambiental-vencedoras-2018/

Menções Honrosas: http://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/24o-premio-fiesp-de-merito-ambiental-mencoes-honrosas/

Destaque Responsabilidade Socioambiental: http://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/24o-premio-fiesp-de-merito-ambiental-destaque-responsabilidade-socioambiental/

Iniciativas Sustentáveis: Ford – Formação técnica e comportamental

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540338430

Por Karen Pegorari Silveira

A cidade de Camaçari (BA) é um dos municípios mais ricos do Nordeste do Brasil. Fundado em 1758, conheceu grandes modificações populacionais na década de 70 com a implantação do polo petroquímico e, em 2000, com a chegada da Ford, que gerou empregos, demandou maior oferta de serviços e, em troca de benefícios e subsídios, qualificou e formou a mão-de-obra local.

Para isso, a empresa lançou um programa de educação para jovens da rede pública municipal de ensino, com foco no ingresso no mercado de trabalho. Ele faz parte das ações de responsabilidade social da empresa e é financiado pela Ford Fund, braço filantrópico da montadora, em parceria com o SESI e o SENAI.

Foram selecionados estudantes da rede estadual de ensino que apresentaram melhor histórico escolar (foco em português e matemática) e boa performance na entrevista pessoal. Todas as escolas de ensino médio de Camaçari foram envolvidas na seleção.

As aulas são de segunda à sexta-feira, 4h por dia, com frequência mínima obrigatória de 75% das aulas. Também é oferecido lanche e transporte e a execução é feita pelo Sesi, instituição parceira da Ford na operação de projetos sociais. 

Na fase 1, há aulas de comportamento no ambiente de trabalho, Comunicação escrita; matemática e lógica; inglês básico; informática; segurança e proteção da saúde no ambiente do trabalho; 5S; 3R; higiene pessoal; gerenciamento do tempo; administração do seu dinheiro; ética; relacionamento interpessoal; formação social e pessoal. Além de palestras de executivos da empresa sobre carreira; visita à fábrica da Ford; atendimento odontológico; e teste de aptidão para a fase 2.

Na fase 2, os cursos técnicos capacitam para os cargos de auxiliar de eletricista; auxiliar de mecânico de automóveis; auxiliar de mecânico de máquinas industriais; e auxiliar administrativo.

Na fase 3 é a seleção para o Programa Jovem Aprendiz da Ford com 30 vagas, o que inclui 9 meses de curso no Senai e mais 8 meses de experiência prática na fábrica.

Este programa teve início em 2013 e, desde então, já foram atendidas 90 escolas, 2855 alunos e 263 professores. No ano passado, 40 escolas participaram e mais de 1200 alunos e 122 professores foram beneficiados.

Para o presidente da Ford na América do Sul, Steven Armstrong, o programa vai além de premiar os alunos com melhor desempenho. “O seu propósito é incentivar todos os estudantes a se desenvolver, com uma perspectiva de futuro focada nas competências para a inserção no mercado de trabalho. Além disso, tem um grande poder de multiplicação, com um modelo que pode ser replicado por outras empresas”, disse.

Sobre a Ford

A Ford do Brasil começou seus primeiros investimentos em 1919, sendo a primeira produtora de automóveis a se instalar no Brasil. Possui atualmente fábricas nas cidades paulistas de São Bernardo do Campo, Taubaté e sede na cidade baiana Camaçari (BA), além de um campo de provas na cidade de Tatuí – SP.


Senai de Taubaté terá investimento de R$ 10 milhões

Elcio Cabral, Agência Indusnet Fiesp

O presidente do Sistema Fiesp, Paulo Skaf, anunciou novos investimentos no Senai de Taubaté, durante a cerimônia de inauguração da nova linha de produção dos motores Sigma, na fábrica da Ford, na cidade, dia 17.

A unidade receberá, em 2010, investimentos da ordem de R$ 10 milhões para reestruturação. O objetivo é transformá-la em um centro de referência de ensino de tecnologia automobilística.

“Quando vim a Taubaté, em junho, inaugurei investimentos de R$ 10 milhões nas áreas de mecânica, mecatrônica, e no curso da faculdade de fabricação mecânica. Agora, iremos modernizar toda a parte automobilística. Essa unidade será um centro de inovação e tecnologia com excelência mundial”, disse Skaf.

Segundo o presidente, os investimentos representarão, também, um aumento no número de alunos. “Já temos 22 mil matrículas por ano aqui no Senai de Taubaté, e esse número vai aumentar”, afirmou.

Em 2009, o Senai desenvolveu 15 cursos, com total de 1.076 horas/aluno de treinamento. São cursos variados – desde informática básica até aulas específicas na área de motores. Dentre os alunos formados, 278 foram contratados pela Ford para a nova linha de produção.