Denise Fraga: ‘Digo aos amigos que estão mal para irem ao cinema’

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A noite desta terça-feira (22/04) foi de reverência ao cinema no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo. Isso porque o assunto esteve no centro do debate entre duas mulheres que são referência na área no Brasil: a atriz, produtora e escritora Denise Fraga e a cineasta Tata Amaral. Ambas foram as convidadas do InteligênciaPontoCom de abril, bate papo com personalidades da área cultural promovido todos os meses pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

“Cinema é como igreja para mim”, afirmou Denise. “Digo aos amigos que estão mal para irem ao cinema”, brincou. A atriz disse ter “imagens doces da sala escura”, memórias trazidas desde a infância. “A arte cinematográfica sempre teve um significado especial para mim, nunca pensei em ser atriz de cinema, vocês imaginem a minha emoção”.

Para ela, a sétima arte é reveladora e capaz de “ler pensamento”. Principalmente se for fruto de uma boa parceria entre ator e diretor. “É ótimo tentar achar a verdade que aquele diretor quer dizer, um jogo de sedução”, explicou. “Essa vontade de acertar na mosca o que o diretor quer é uma delícia”.

Denise, à esquerda, e Tata: parceria afinada no cinema. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Denise Fraga, à esquerda, e Tata Amaral: parceria afinada no cinema. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Parceiras no InteligênciaPontoCom e no filme “Hoje”, que estreou em 2013, Denise e Tata destacaram o trabalho. A película, baseada no livro “Prova Contrária”, de Fernando Bonassi, conta a história de Vera, uma ex-militante política que, depois de se mudar para um novo apartamento, passa a relembrar os anos de ditadura militar que viveu ao lado do marido.

“Quando a Denise topou fazer o “Hoje”, senti, pelo telefone, uma vibração positiva”, contou Tata. “A gente tem encontros com as pessoas na vida e essa foi uma parceria criativa muito forte”.

Segundo a cineasta, atriz tem “generosidade”. “Ela me perguntava como eu queria as coisas, nunca vi um ator fazer isso”, brincou. “Adoro ator, mas às vezes você sente uma inquietação que deixa essas pessoas impermeáveis”, disse. “E a Denise ainda chega na hora, não dá problema”.

Deus mora nos detalhes

A protagonista do filme também não economizou elogios ao trabalho da diretora. “As cenas cresciam muito no set porque a Tata nunca chega com uma proposta dura, engessada”, disse. “Ela, como eu, acredita que Deus mora nos detalhes”.

Segundo Denise, cinema “é uma arte que cabe muito às mulheres”. “Assim como os bordados”, afirmou.

Denise: “cinema é uma arte que cabe muito às mulheres”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Denise: “cinema é uma arte que cabe muito às mulheres”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O saldo dessa parceria afinada foi, de acordo com Denise, a apresentação, nas telas, da personagem “mais dramática e complexa” de sua carreira. “Tenho uma família muito grande e que prefere que eu faça comédia, como grande parte do público, mas as pessoas que foram ver o “Hoje” porque eu convidei levaram para casa coisa melhor do que a comédia que eles estavam esperando”, explicou.

Mesmo afirmando “adorar comédia”, a atriz diz observar uma certa “ditadura” nesse sentido no Brasil. “As pessoas têm medo de gastar dinheiro para ver outra coisa. Até os produtores ficam com receio de investir quando é um drama, achando que não vai render bilheteria”.

Referências nacionais

Atriz conhecida por seu trabalho no teatro, na televisão e no cinema, Denise Fraga ficou conhecida por espetáculos teatrais como “Chorinho”, “Sem Pensar”, “A Alma Boa de Setsuan”, “A Quarta Estação” e “Trair e Coçar é só Começar”.

Na televisão, esteve à frente de diversos programas, como o quadro “Retrato Falado”, no “Fantástico”, na Rede Globo, além de atuar em novelas, humorísticos e minisséries. Seus trabalhos mais recentes foram os seriados “3Teresas” para  o canal GNT e “A Mulher do Prefeito”, para a TV Globo, ambos em 2013.

Já no cinema, trabalhou em mais de 12 longas-metragens no cinema, como “Por trás do Pano”, “Cristina Quer Casar” e “As Melhores Coisas do Mundo”, além do próprio “Hoje”.

Uma das mais importantes cineastas brasileiras, Tata Amaral conquistou mais de 50 prêmios em festivais nacionais e internacionais. Seu filme “Antônia”, inspirou uma série de televisão homônima, indicada ao Emmy 2007, o Oscar da televisão. Com “Hoje”, conquistou seis prêmios no Festival de Brasília e chegou a finalista na categoria Melhor Direção do 10º Prêmio Fiesp/Sesi-SP.


Ganhador pela segunda vez, Cauã Reymond envia vídeo de agradecimento

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Ocupado com as gravações da novela Avenida Brasil, da Rede Globo, Cauã Reymond não pode comparecer à cerimônia do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista, que o consagrou como o vencedor na categoria “melhor ator”. Mas não deixou de manifestar sua satisfação.

Em um vídeo enviado especialmente para a ocasião, Cauã arrancou aplausos da plateia que compareceu ao Teatro Sesi São Paulo na quarta-feira (02/05) para o evento. “Quando receber o prêmio, vou colocá-lo na minha estante e olhar para ele com muito orgulho”, reconheceu.


Eleito também melhor ator na sexta edição do Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista em 2010, com o filme Se Nada Mais der Certo, Cauã Reymond começou sua carreira em 1998, aos 18 anos, trabalhando como modelo na Europa. Pouco tempo depois estreou na televisão, no seriado Malhação. Daí, até estrelar no horário nobre na novela Da Cor do Pecado, foi uma questão de (pouco) tempo.

Atualmente Cauã soma mais de 20 participações em novelas, séries e filmes, além de uma passagem pelo teatro com as peças Em Alto Mar e Essa Nossa Juventude. Acumula ainda outros prêmios de melhor ator em 2008 pela novela A Favorita: Troféu Imprensa (SBT) e Prêmio Contigo de Televisão (Editora Abril).

Foi também melhor ator coadjuvante nos prêmios Melhores do Ano (Rede Globo), além de dois Prêmios Extra de Televisão em 2008 e 2010, por A Favorita e Passione, respectivamente.