Prêmio File Prix Lux apresenta indicados e inicia votação popular

Agência Indusnet Fiesp 

O Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File) apresentará os indicados ao prêmio File Prix Lux, nesta segunda-feira (3), a partir das 20h, no Teatro do Sesi São Paulo. Na ocasião, o público receberá orientações sobre o voto popular e poderá iniciar a votação por meio da web.

Porto Alegre, Recife e Rio de Janeiro são as outras capitais onde acontecerão atividades a fim de mobilizar o público para a votação. Dos mais de mil inscritos, 90 estão na disputa pelo Prêmio.

A iniciativa foi concebida para complementar as ações do File na área das linguagens eletrônicas e digitais e tem como objetivo premiar, incentivar e estimular o aparecimento de novos talentos. Além de inovar e agregar diferenciais ao festival, o File Prix Lux imputa valor às manifestações e confere aos artistas contemplados repercussão nacional e internacional.

Inédita na América Latina, a iniciativa valoriza a arte do século XXI e está sendo viabilizada pela primeira vez pelo Santander, por meio da Lei Rouanet de incentivo à Cultura.

Durante a exposição do File, o público terá acesso a 90 trabalhos; o mais votado ganhará uma menção honrosa no valor de R$ 10.000. Estão previstas performances ligadas às linguagens digitais e coquetel para receber o público.

Programação 3 de maio, a partir das 20h, no Teatro do Sesi São Paulo:

  • Performance “Sonocromática”, artista “Ao Cubo” – performance visual e sonora que faz referência ao trabalho do artista brasileiro Abraham Palatinik. Criada por Andrei Thomaz, Francisco Serpa, Lilian Campesato e Vitor Kisil, a obra apresenta, no centro do palco, uma caixa com faces de tecido branco com luzes coloridas em seu interior. Simultaneamente, uma animação com luzes é projetada no fundo do palco. A apresentação prossegue com sons produzidos e captados em tempo real.
  • Orientações e dicas sobre a votação popular online.
  • Performance “Lúmen”, artista /João Penoni: Fluxo luminoso. O artista recria o seu próprio corpo. Em ambiente totalmente escuro, seu movimento deixa um rastro de luz. Luzes coloridas piscam do seu corpo acrobata que evolui suspenso por uma barra invisível. A claridade que não é própria do corpo e que só se faz perceber porque é nele refletida é, em Lúmen, incorporada. Através de mecanismos artificiais, o performer apresenta um corpo iluminante. A presença viva do artista fica registrada no espaço escurecido da performance. Ilumina o olhar do espectador.
  • Coquetel 

Sobre o File e o File Prix Lux

Desde 2000 o File (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica) constitui uma plataforma interdisciplinar internacional para incentivar o desenvolvimento de projetos inovadores e criativos na área das artes e das tecnologias.

Trata-se de uma organização cultural sem fins lucrativos que viabiliza a reflexão sobre as principais questões do contexto eletrônico-digital contemporâneo mundial, sempre tendo em vista uma visão globalizada e transdisciplinar na complexidade política do universo cultural de nosso tempo.

Durante dez anos, o File colaborou, através de exposições e simpósios, com o desenvolvimento estético-tecnológico que as novas linguagens eletrônicas e digitais possibilitam às culturas contemporâneas, bem como posicionou o Brasil no contexto mundial dessas novas tendências. Em 2010, realizará um objetivo há muito esperado: contemplar os projetos inscritos com um prêmio internacional em dinheiro.

O File Prix Lux concederá sete prêmios (primeiro lugar, segundo lugar e cinco menções honrosas) a cada uma das três categorias, oferecendo assim 21 prêmios em dinheiro no valor total de R$ 285 mil.

Categorias

1 – Arte interativa: toda pesquisa e experiência no âmbito da arte que utiliza mídias interativas e que leva em consideração a interseção entre arte, ciência e tecnologia, bem como as possíveis transversalidades com outras disciplinas, sendo: instalações, performances, projetos de internet, realidade virtual, realidade aumentada, mesas multitoques, objetos digitais, projeções outdoor, projetos para celulares, grafites eletrônicos, VRML, etc.

2 – Linguagem Digital: todas as pesquisas e experiências no amplo âmbito da multiplicidade das disciplinas que utilizam mídias digitais, bem como as possíveis transversalidades entre elas, sendo: jogos digitais (em todas as suas modalidades), animações (em todas as suas modalidades), cinema digital, maquinemas, vídeo digital, arquitetura digital, moda digital, design digital, robótica, vida artificial, arte biológica, arte transgênica, arte-software, novas interfaces, second life performances, animes, hipertextos, roteiros não lineares, inteligência artificial, fotografias-panoramas digitais, linguagem de programação, poesia digital, dança digital, etc.

3 – Sonoridade Eletrônica: todas as pesquisas e experiências no âmbito dos sons, portanto tendo uma abrangência maior que o âmbito da música e aberta às possíveis transversalidades com outras disciplinas, sendo: performance sonora, instalações sonoras, arte sonora, música genética, música biológica, música eletrônica erudita, música pop-eletrônica, dramaturgia radiofônica, rádio-arte, paisagem sonora, robótica sonora, videomúsica, poesia sonora, etc.

Serviço:
Apresentação dos indicados ao prêmio File Prix Lux
Data e horário: 3 de maio de 2010 (segunda-feira), às 20h
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Av. Paulista, 1313, Capital
Vagas limitadas. Confirmar presença pelo email: fileprixlux.producao@gmail.com
Info: www.fileprixlux.org