Bachiana Sesi-SP participa da abertura da Bienal do Livro de São Paulo

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Sob regência do maestro João Carlos Martins, a Bachiana Sesi-SP participou nessa quinta-feira (09/08) da abertura oficial da 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Teatro Elis Regina, no Anhembi, na capital.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Zeca Camargo, curador geral do evento, apresentou a orquestra como uma das mais renomadas do país, composta de jovens e experientes músicos que difundem a música clássica para o mundo. “Esse projeto contribui para a formação e talento dos nossos músicos”, afirmou.

Após a apresentação da orquestra, Marcelo Araújo, secretário da Cultura, que representou o governador Geraldo Alckmin, afirmou que a Bienal traz visibilidade à produção literária no Brasil. O secretário alertou para números que mostram que o mercado editorial brasileiro está crescendo, apesar de o índice de leitura ainda ser muito baixo. “O governo do estado tem aprimorado ações de incentivo à leitura”, garantiu citando o exemplo de sucesso da Biblioteca São Paulo, localizada no extinto Carandiru.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, mencionou a importância de a prefeitura apoiar um evento como este, que levará 10 mil alunos com vale livros e 500 professores da rede pública para visitarem a Bienal este ano.

“A cidade de São Paulo se sente muito honrada em ser anfitriã deste evento”, afirmou ao dizer que a expectativa de pública de 2012 é de 800 mil pessoas, ou seja, 60 mil a mais do que na última edição. “Estamos contribuindo com toda a nação brasileira na importância dos livros e da leitura”, concluiu.

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, apresentou os programas e políticas governamentais de incentivo à leitura e afirmou que o Ministério da Cultura já investiu, só neste ano, R$ 373 nessa área. “Estamos trabalhando com programas de diversas ordens: livros, biblioteca, literatura e leitor”, explicou.

Ana de Hollanda disse estar otimista em relação à importância internacional que o Brasil vem ganhando no âmbito cultural. “O Brasil está crescendo e há um interesse crescente pela cultura brasileira”, afirmou ao mencionar os vários convites que o país recebeu para ser homenageado em eventos literários internacionais, como a Feira de Frankfurt, na Alemanha, por exemplo. “Nós estamos muito contentes de participar dessa já histórica Bienal do Livro de São Paulo”, concluiu.

A Bachiana encerrou sua participação no evento com uma interpretação do Hino Nacional.

Bachiana Sesi-SP encerrará comemorações do centenário da Faculdade de Medicina da USP

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Paulo Skaf (Fiesp) e José Otávio Costa Auler Junior (vice-diretor da FMUSP)

No dia 19 de dezembro, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) encerra as comemorações do seu centenário. E o responsável por fechar o evento com chave de ouro será a Bachiana Sesi-SP . O convite foi feito – e aceito — nesta quarta-feira (04/07) durante encontro entre o vice-diretor no exercício da diretoria da FMUSP, José Otávio Costa Auler Junior, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), Paulo Skaf, na sede das entidades. A festa de encerramento acontecerá no pátio da faculdade, na Av. Dr. Arnaldo, em São Paulo.

Na reunião, Skaf e Auler Junior também conversaram sobre possíveis projetos futuros em parceria entre a Fiesp e a Faculdade de Medicina da USP. O vice-diretor da instituição de ensino presenteou o presidente das entidades da indústria com o livro Trajetória da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – Aspectos históricos da “Casa de Arnaldo”.

Também participaram do encontro a assessora de imprensa da Faculdade de Medicina na USP, Ligia Trigo; o superintendente operacional do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem de São Paulo (Senai-SP), Walter Vicioni Gonçalves; o coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde (Comsaúde) da Fiesp, Ruy Baumer; e a integrante do Comsaúde, Débora Teixeira de Oliveira Mainardi.

Para saber mais sobre a Bachiana Sesi-SP, clique aqui.

Paulo Skaf prestigia ensaio geral da Escola de Samba Vai-Vai

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Novamente com patrocínio da Fiesp, a escola apresenta neste ano o enredo “Mulheres que Brilham, A Força Feminina no Progresso Social e Cultural do País”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Paulo Skaf, Ana Hickmann e João Carlos Martins no ensaio geral da Escola de Samba Vai-Vai

O maestro João Carlos Martins, homenageado ano passado no enredo A música Venceu! à frente da orquestra Bachiana Sesi-SP, acompanhou Skaf na visita à sede . Eles foram recebidos pelo presidente da Vai-Vai, Darly Silva (Neguitão), pela Rainha da Bateria, Camila Silva, e pela Musa do Carnaval 2012, Janaína.

A apresentadora Ana Hickmann, madrinha da escola, marcou presença no ensaio que, mesmo com chuva, não espantou a multidão concentrada na sede da agremiação na Rua São Vicente, no bairro da Bela Vista.

Paulo Skaf, que participou do desfile campeão no ano passado, voltará à avenida com a Vai-Vai. Desta vez, dispensará o carro alegórico e será um dos milhares de componentes que sairão no asfalto.


Bachiana do Sesi-SP toca pela 1ª vez com a Vai-Vai em teatro de Nova York

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Bachiana Sesi-SP e Vai-Vai tocam no Lincoln Center, em Nova York

O maestro da orquestra Bachiana Sesi-SP, João Carlos Martins, já se apresentou no teatro do Lincoln Center em Nova York pelo menos cinco vezes. Mas no final do mês passado ele voltou a sentir a sensação de estreia com elementos novos em sua orquestra: os ritmistas da escola de samba paulista Vai-Vai.

“Quando os músicos são de qualidade como os da Vai-Vai, quando existe afinidade musical, é muito fácil juntar. Eles entraram de casaca em pleno Lincoln Center, portando a dignidade de uma escola de samba”, avaliou o maestro Martins.

No dia 25 de setembro, a Bachiana Sesi-SP se uniu aos integrantes da bateria da Vai-Vai em Nova York. Esta foi a primeira vez que uma bateria de escola de samba participou de um concerto no grande teatro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Plateia do Lincoln Center aplaude de pé concerto da bachiana do Sesi

Na primeira parte do repertório, a Bachiana Sesi-SP tocou obras de Vivaldi e Bach que deixaram o maestro João Carlos Martins mundialmente conhecido. No segundo momento, ao lado da bateria da Vai-Vai, foram executadas composições de Villa Lobos e outros grandes compositores brasileiros.

“Esta demonstração de apoio do Sesi e da Fiesp a uma orquestra de iniciativa privada é uma prova de que o Brasil está mudando. Tenho certeza que outras federações em nosso País cada vez mais vão seguir esse exemplo”, afirmou o maestro.

Segundo Martins, os planos para o próximo concerto no exterior podem incluir o Japão. Ele ainda estuda a possibilidade de voltar aos Estados Unidos em 2012, depois da calorosa recepção deste ano no teatro Lincoln Center.

“O público enlouqueceu. Nós tivemos de dar cinco bis. Do começo ao fim foi emoção, mas talvez o momento mais forte foi a execução do Hino Nacional no final”, lembra o maestro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Filarmônica Bachiana Sesi-SP ao final do concerto no Lincoln Center: cinco bis


Ainda no final de setembro, a filarmônica do Sesi-SP e a bateria da Vai-Vai também se apresentaram no Broward Center, em Fort Lauderdale, Flórida. “Posso dizer que é a bachiana levando a cultura brasileira para outros países. O Sesi está fazendo um trabalho que extrapola o Brasil”, disse Walter Vicioni, superintendente operacional do Sesi-SP.

Vicioni espera iniciar trabalhos com orquestras nas unidades do Sesi em São Paulo a partir de 2012. “Vamos perseguir essa meta de ter 20 orquestras infanto-juvenis.” Atualmente, 120 mil alunos compõem o sistema de educação básica do Sesi.

Bachiana Sesi-SP abre temporada 2011 do projeto Sesi Música

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

O projeto Sesi Música 2011 (série erudita/instrumental) inaugurou nesta quarta-feira (06/07) sua temporada com um concerto especial comemorativo da orquestra Bachiana Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins.

Concerto Especial comemorativo da temporada Sesi de Musica 2011. Foto: Julia Moraes

O maestro João Carlos Martins rege a Filarmônica Bachiana Sesi-SP


No programa, clássicos dos compositores eruditos Johann Sebastian Bach, Ludwig van Beethoven e Astor Piazzolla foram muito aplaudidos pelos convidados que lotaram o Teatro do Sesi São Paulo e tiveram a oportunidade de ver a participação do pianista Marcelo Bratke, um dos grandes intérpretes de Villa-Lobos.

Programação erudita

O pianista Marcelo Bratke e o maestro João Carlos Martins. Foto: Julia Moraes

O pianista Marcelo Bratke e o maestro João Carlos Martins

Na abertura da sexta temporada do Sesi Música, Fernando Greiber, diretor-titular do Comitê de Ação Cultural da Fiesp e membro do Conselho Regional do Sesi-SP, informou que a entidade promoverá cerca de 230 concertos nos próximos oito meses. As apresentações serão realizadas nos 19 teatros do Sesi-SP, situados nas maiores cidades do estado.

“Estamos criando não somente plateias para a música erudita, mas um mercado de trabalho para nossos músicos se desenvolverem profissionalmente”, explicou Greiber.

Walter Vicioni, superintendente operacional do Sesi-SP destacou a importância do projeto, que não seria possível sem o apoio do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, presente ao evento. “Nesta gestão [Skaf] nunca ficamos a meio caminho dos nossos objetivos”, declarou Vicioni.

Entre os convidados estava Thobias da Vai-Vai , ex-presidente da Escola de Samba Vai-Vai. A agremiação conquistou o título de campeã do Carnaval deste ano com o enredo A Música Venceu, ao narrar a história de superação e vida de João Carlos Martins, que perdeu parte dos movimentos das mãos, mas não abandonou a música ao se tornar maestro.

Sob regência de Sergei Eleazar de Carvalho e com Martins ao piano, Jean William interpreta obras de Gaetano Donizetti e Adoniran Barbosa. Foto: Junior Ruiz

Sob regência de Sergei Eleazar de Carvalho e com Martins ao piano, Jean William interpreta obras de Gaetano Donizetti e Adoniran Barbosa

Quase no término da exibição, Martins sentou-se ao piano e tocou Libertango, de Astor Piazzolla. Em seguida, o jovem tenor Jean William fechou a noite ao interpretar a ópera de Gaetano Donizetti, O Elixir do Amor, e a orquestrada Trem das Onze, de Adoniran Barbosa, sob regência de Sergei Eleazar de Carvalho.

João Carlos Martins afirmou que no dia 25 de setembro, a Filarmônica Bachiana Sesi-SP estará pela quinta vez em Nova Iorque, para abrir a temporada no Lincoln Center.

Formação musical

Idealizada por João Carlos Martins e patrocinada pelo Sesi-SP, a Bachiana Sesi-SP prevê a inclusão social de jovens carentes através da formação musical. A orquestra é formada por trinta jovens que antes participavam de diferentes projetos sociais e vinte músicos profissionais.

Além da orquestra, o maestro também é idealizador da Fundação Bachiana Filarmônica, que dá aulas de iniciação à música para 1.165 crianças e jovens carentes.

Assista ao vídeo do evento

Paulo Skaf vai à quadra da Vai-Vai

Djalma Lima, Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), assistiu na noite de domingo (20) ao ensaio da Escola de Samba Vai-Vai. O líder empresarial foi conferir, na quadra da comunidade, os últimos ajustes para o desfile da agremiação, que este ano escolheu o enredo A Música Venceu.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141418

Paulo Skaf e o maestro João Carlos Martins com os diretores da Vai-Vai


O tema foi inspirado na trajetória de vida e nos exemplos de superação de João Carlos Martins, maestro internacionalmente reconhecido como um dos maiores intérpretes da obra do compositor alemão Johann Sebastian Bach .

Apesar de seu talento, Martins substituiu os solos de piano pela regência após consecutivas lesões nas mãos. Hoje comanda a Filarmônica Bachiana Sesi-SP, patrocinada pela entidade, e que leva a música erudita para diferentes palcos e públicos do Brasil e do exterior.

Na quadra da Vai-Vai, Martins ousou novamente: tocou trechos da 5º Sinfonia de Beethoven, juntando a sonoridade da filarmônica com a descontração dos instrumentos da bateria da escola.