Confira os destaques da 15ª edição do FILE

Agência Indusnet Fiesp

Aberto para o público a partir desta terça-feira (26/08), o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica é principal encontro da América Latina sobre arte digital. Com entrada gratuita, a mostra reúne diversas formas de expressão artística: instalações, animações, games, vídeos e performances.

A programação vai ocupar a Galeria de Arte do Sesi-SP, reaberta depois de uma reforma de cinco meses, e mais quatro áreas: o Espaço Fiesp, a Galeria de Arte Digital Sesi-SP (fachada do prédio), o Espaço Mezanino e a calçada das estações Consolação, Trianon-Masp e Brigadeiro, que recebe performances interativas.

Veja quais são os destaques desta edição do FILE:

Galeria de arte do Sesi-SP
Espaço principal de exposições do Centro Cultural Fiesp 

Rio Amazonas interativo (clique aqui para ver mais)
The Mamori Expedition, da belga Els Viaene, é uma instalação de madeira que replica o caminho que a artista seguiu durante uma expedição pela floresta Amazônica brasileira, em 2009. Ela levou consigo um dispositivo para gravar sons e um GPS para registrar sua jornada. Uma vez que o visitante interage com a obra por meio da vareta chamada “hidrofone”, ele escutará os sons da floresta na mesma posição que a artista se encontrava no rio.

Esteira de ginástica que dá vida a figuras que representam a nossa sociedade (clique aqui para ver mais)
Esta instalação Down with Wrestlers with Systems and Mental Nonadapters!, dos russos Dmitry & Elena Kawarga, traz à tona a noção da fascinação pela máquina e pela tecnologia que tinha a sociedade antes da Primeira Guerra Mundial. Segundo os artistas, ao caminhar em uma esteira, o visitante sente-se como um Deus, pois o movimento do “mecanismo social” depende de seus passos, no entanto, a proposta é que ao final de experiência ele perceba que é apenas mais uma figura entre tantas outras.

Sons que se transformam em luz (clique aqui para ver mais)
Murmur é uma obra dos franceses Chevalvert, 2Roqs, Polygraphik & Splank, que permite a comunicação entre os visitantes e a parede na qual está ligada por uma fita de LED. A instalação simula o movimento de ondas sonoras, criando uma ponte luminosa entre os mundos físico e virtual. Há um efeito visual mágico no modo como as ondas sonoras se movem e se transformam em imagens projetadas.

Japan Media Arts (clique aqui para ver mais)
Uma das instalações do festival Japan Media Arts é a Falling Records, do artista Ei Wada – Toki Ori Ori Nasu. Nesta obra, a fita magnética se desenrola amontoando-se no recipiente enquanto a música toca e o tempo passa. Quando a fita para, ela é rebobinada em alta velocidade ao som de uma trilha sinfônica.
Performances interativas FILE Metrô
Calçada das estações Consolação, Trianon-Masp e Brigadeiro

Ver a partir do toque (clique aqui para ver mais)
Touchy, performance do artista de Hong Kong, Eric Siu, é uma câmera humana – um dispositivo que é vestido e que transforma um ser humano em uma câmera operante. O indivíduo que está usando o dispositivo é constantemente “cegado”, a menos que alguém toque sua pele. O toque faz com que os obturadores na frente das lentes se abram e restaurem a visão do usuário. Quando o contato físico é mantido por 10 segundos, a câmera tira uma “Touch-Snap” (uma foto é tirada pelo Touchy), que é exibida no LCD do dispositivo.

Rosto do público no corpo do artista japonês (clique aqui para ver mais)
O artista japonês Katsuki Nogami usa os rostos de pessoas nas ruas no lugar de sua própria face com um tablet na performance YamadaTaroProject. Você pode reconhecê-lo por um rosto exibido no tablet, como um nome ou ícone da internet. As pessoas nas redes sociais escolhem um rosto para si mesmas, um rosto de uma celebridade ou de um personagem de animação. Essa performance expressa a temporalidade e o anonimato da internet. O nome desse projeto, YamadaTaro, é um nome extremamente comum no Japão, como “João da Silva”.

Ver o mundo sob novos pontos de vista (clique aqui para ver mais)
A performance dos alemães The Constitute: Sebastian Piatza & Christian Zoellner, Eyesect, permite que os usuários vivenciem seu ambiente sob novos pontos de vista. Duas câmeras portáteis captam o entorno e transmitem os dados das imagens direto para os olhos. As percepções espaciais se formam dentro do sistema sensorial humano. Braços e dedos se tornam músculos oculares e criam perspectivas humano-biológicas.
FILE Anima+ (Espaço Fiesp)
Área reservada para as animações

Javier Polo / Turanga Films – Europe in 8 bits – Espanha
Europe in 8 bits é um documentário de 76 minutos que explora o mundo da chip music, um estilo musical que reaproveita aparelhos antigos de videogames e os transforma em instrumentos para criar novas sonoridades.

Rosana Urbes – Guida – Brasil
Na história, Guida, uma doce senhora que há 30 anos trabalha como arquivista em um fórum da cidade, tem sua rotina entediante modificada ao se deparar com um anúncio para aulas de modelo vivo em um centro cultural.

Wesley Rodrigues – Viagem na Chuva – Brasil
A ideia central deste curta-metragem é utilizar a simbologia da chuva como representação metafórica de passagem e trajetória da vida.


FILE Games (Espaço Fiesp)
Para os fãs dos jogos

Minority Media Inc. – Papo & Yo – Canadá (jogo de PS3)
Papo & Yo é a história do menino Quico e de seu melhor amigo, o Monstro. O Monstro é uma fera enorme com dentes afiados, mas isso não o impede de querer brincar com ele. O Monstro, porém, tem um problema muito perigoso: o vício em rãs venenosas. Basta ver uma rã pulando que ele se transforma em um ser violento, que põe todos em risco, inclusive Quico. Mesmo assim, Quico ama seu Monstro e quer salvá-lo.

Through Games – FRU – Holanda (mostra Interplay)
FRU é um jogo eletrônico de enigma inspirado em Kinect, que apresenta um uso inovador do aspecto periférico: o jogo usa a silhueta do jogador como uma “máscara” entre dois mundos diferentes. Os enigmas no jogo são desvendados quando uma pose é feita ou de acordo com a velocidade do movimento. O jogador dita o ritmo da experiência.

Jason Roberts – Gorogoa – Estados Unidos (mostra Game Comics)
Gorogoa é um mundo encantador ilustrado à mão e inserido em um enigma singular. Para desvendar o enigma, o jogador reorganiza alguns azulejos em uma grade simples e os coloca lado a lado ou empilhados. Mas cada azulejo também é uma janela para uma parte distinta do mundo nesse jogo, ou talvez para um mundo diferente – e cada janela tem seu próprio jogo. Todavia, a chave para avançar nunca está em um só azulejo, mas nas conexões entre todos os azulejos.


Serviço
FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso – Av. Paulista, 1.313 (Metrô Trianon-Masp)
Informações: (11) 3146-7405/ 7406
Classificação indicativa: L – Livre para todos os públicos

Entrada gratuita

Exposição (Galeria de Arte do Sesi-SP)
Datas e horários: De 26 de agosto a 5 de outubro de 2014 (diariamente, das 10h às 20h)

FILE Anima+, FILE Games e Vídeo Arte (Espaço Fiesp) L – Livre para todos os públicos
Datas e horários: de 26 de agosto a 7 de setembro de 2014 (diariamente, das 10h às 20h)

FILE LED SHOW (Galeria de Arte Digital Sesi-SP) L – Livre para todos os públicos
Datas e horários: de 26 de agosto a 7 de setembro de 2014 (todos os dias, das 20h às 22h – obras interativas, e das 22h às 6h – obras visuais)

FILE Metrô – Performances (calçada das estações de Metrô Consolação, Trianon-Masp e Brigadeiro) L – Livre para todos os públicos
Datas e horários: de 26 a 31 de agosto de 2014 (das 12h às 21h)

FILE Workshop (Espaço Mezanino) 16 – Não recomendado para menores de 16 anos
Datas e horários: de 26 a 29 de agosto de 2014, das 10h30 às 21h

Programação completa e inscrições gratuitas para workshops: www.file.org.br

File 2013 começa no dia 23/07, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso

Agência Indusnet Fiesp

Falta pouco para a capital paulista sediar o principal evento de arte e tecnologia do Brasil. Entre os dias 23 de julho e 1º de setembro, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), realiza a 14ª edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File). A programação vai ocupar quatro espaços no prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na Avenida Paulista. Todos dentro do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso:  a Galeria de Arte, Galeria de Arte Digital Sesi-SP (que consiste na fachada do edifício), o Espaço Fiesp I e o Espaço Mezanino. Isso além da estação Trianon-Masp do metrô, localizada em frente ao prédio. E o que é melhor: toda a mostra terá entrada gratuita.

Uma das principais novidades desta edição do evento é o chamado File Led Show. Do que se trata? De uma obra interativa do grupo francês 1024 architecture a ser exibida na Galeria de Arte Digital Sesi-SP, ou seja, na fachada do prédio na Paulista. A ideia é que os visitantes usem a voz para alterar as imagens exibidas. E promete ser uma das atrações mais comentadas da mostra.

Haverá ainda instalações e obras diversas reunindo arte e mídias eletrônicas. Os trabalhos serão organizados em divisões como File Instalações Interativas, File Games, File Maquinema, File Anima+, File Tablet, File Media Art, File Metrô, File Hipersônica e o File Led Show. Haverá ainda simpósios e workshops sobre temas variados, como, por exemplo, dinâmicas de conservação da arte contemporânea e computação não convencional nas artes.

Instalação Cloud Pink: visitantes poderão tocar em nuvens num painel. Foto: Divulgação

Instalação Cloud Pink, do File 2013: visitantes poderão tocar em imagens de nuvens num tecido. Foto: Divulgação

Entre os destaques das obras interativas, têm tudo para fazer sucesso instalações como a Cloud Pink (nuvem rosa, numa tradução livre), dos artistas Hyunwoo Bang e Yunsil Heo, da Coreia do Sul, na qual os participantes podem tocar em nuvens cor de rosa projetadas num tecido suspenso no ar. Vale a pena prestar atenção também no Monkey Business (negócio/assunto de macaco, numa tradução livre), de Ralph Kistler e Jan M. Sieber, da Espanha, na qual um macaco de brinquedo reage aos movimentos dos visitantes.

No File Anima será exibido o Attraction (Atração), o primeiro anime interativo do mundo, uma produção da França, Japão e Brasil. Entre muitas outras opções.

Quem gosta de jogos não pode perder games como o 140, de Jeppe Carlsen, e Machinarium, do estúdio Amanita Design.

Caso venha para a Paulista de metrô, o visitante poderá ver ainda a instalação interativa Corpo Digitalizado, da brasileira Juliana Cerqueira. Com a obra, será possível digitalizar o próprio corpo em diferentes posições, podendo ver o resultado em monitores de TV.

Detalhe do anime Attraction, destaque do File Anima+, dentro do File. Foto: Divulgação

Detalhe do anime Attraction, destaque do File Anima+, produção do Brasil, França e Japão. Foto: Divulgação


Para saber mais sobre o File 2013, só conferir a programação no site do Sesi – SP. Ou na própria página do evento. Confira também imagens das principais atrações no nosso Flickr:

Serviço

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File 2013)
Período: De 23 de julho a 1º de setembro
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1313)
Programação: http://www.sesisp.org.br/cultura/exposicao/file-14-edicao.html

Organizadores do File destacam estímulo à arte digital promovido pelo evento

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em 2000, Paula Perissinoto e Ricardo Barreto criaram o primeiro Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, o File. O evento chega agora à sua 14ª edição, que começa nesta terça-feira, dia 23/07, mantendo seu principal objetivo: promover, divulgar e estimular a produção estética digital no Brasil.

Hoje, o evento faz parte da agenda cultural não só de São Paulo mas do País, reunindo trabalhos de várias partes do mundo e com as mais diferentes linguagens. De acordo com os organizadores, esse ano, eles receberam mais de mil propostas por meio de edital internacional, vindos de cerca de 30 países.

“A linguagem digital se tornou parte da sociedade contemporânea, está no nosso dia a dia”, diz Paula. “Nada mais natural que os artistas façam uso dessas ferramentas para se expressar”.

Paula: linguagem digital mais acessível. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Paula: linguagem digital mais acessível, parte da sociedade contemporânea. Foto: Julia Moraes/Fiesp


Para ela, houve um grande avanço de todos os aspectos da arte digital, desde que o File começou. “O File é um produto cultural que está evoluindo ao longo do tempo, acompanhando a proposta de evolução contínua do universo digital”, afirma a organizadora.

Paula destaca ainda o crescimento do público do evento. “Desde 2004, temos o apoio do Sesi-SP, o que contribuiu muito para a democratização da arte digital”, diz. “O fato de ser realizado na Paulista, na frente de uma estação de metrô e totalmente gratuito, torna o File mais acessível. Isso representa uma inclusão digital e cultural muito importante.”

Sob vários ângulos

Ricardo Barreto reforça ainda o diferencial da arte digital. “A gente tenta mostrar vários aspectos da arte digital, sob vários ângulos”, explica. “Quem visitar a área de animação, por exemplo, vai ter uma visão do que está acontecendo no mundo em relação a isso”, diz. “E entender como a animação está relacionada com os games, com a música eletrônica, com o cinema”, afirma.

Ricardo: arte digital sob vários ângulos. Foto: Julia Moraes/Divulgação

Ricardo: arte digital sob vários ângulos em discussão nos trabalhos do File 2013. Foto: Julia Moraes/Divulgação


O File estará aberto ao público de 23 de julho a 1º de setembro, em diversos espaços do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1313). Veja a programação completa no site do evento: http://www.sesisp.org.br/cultura/exposicao/file-14-edicao.html.

File abre inscrições gratuitas para simpósios e workshops

Agência Indusnet Fiesp

De 23 a 26 de julho, artistas e pensadores apresentarão panoramas sobre produção estética da arte eletrônica em simpósios e workshops organizado pelo Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File) no Centro Cultural Fiesp-Ruth Cardoso. Também participam dos debates artistas, teóricos e pesquisadores brasileiros e estrangeiros do tema cultura digital.

Principal evento de arte e tecnologia do Brasil, a 14ª edição do File, realizado entre 23 de julho e 1º de setembro pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), vai ocupar  quatro espaços no prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Todos dentro do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso:  a Galeria de Arte, Galeria de Arte Digital Sesi-SP (que consiste na fachada do edifício), o Espaço Fiesp I e o Espaço Mezanino. Isso além da estação Trianon-Masp do metrô, localizada em frente ao prédio. E o que é melhor: toda a mostra terá entrada gratuita.

 Veja programação do File Symposium 

Workshops

Sala de Ensaios – 23  a 25/07 – 10h30 às 14h30
Botaniq – Conservação de Arte através da Experiência do Interator – Brasil
A oficina “Conservação de Arte através da Experiência do Interator” é aberta a pessoas de diversas disciplinas e não requer conhecimento prévio sobre arte, ilustração nem habilidades com artes visuais.Os participantes da oficina irão explorar a melhor maneira de documentar obras de arte/performances baseados em suas próprias experiências.

Espaço Mezanino – 23 e 24/07 – 10h30 às 14h30
Isabel Paiva – PaperBots Workshop – Portugal
O PaperBot é um pequeno dispositivo construído com LEGO Mindstorms, que reage ao movimento ou à presença, movimentando dobraduras de papel. Sua construção combina um cálculo digital e físico, isto é, as propriedades cinéticas de um material de baixa tecnologia – a memória das dobras do papel – com alta tecnologia e ativadores mecânicos – como os encontrados nos LEGO Mindstorms e na plasticidade do código. Em meu workshop de dois dias no FILE vou ensinar como construir PaperBots.

Espaços Mezanino – 25 e 26/07 – 10h30 às 14h30
Víctor Mateo Carabajal – Oficina de Percussão Atari Punk – Brasil | Brazil
Construção de um instrumento de percussão eletrônica com base no APC (Atari Punk Console).Exploração de controle de tensão em um APC. Exemplos: Sequencer, outros sinais de controle, sensor de batimento cardíaco como LFO. Geração de escalas pitagóricas com o APC.

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File 2013)
Período: De 23 de julho a 1º de setembro
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1313)
Programação: http://www.sesisp.org.br/cultura/exposicao/file-14-edicao.html

Candidatas a Miss São Paulo visitam exposição do File no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756865

Candidatas a Miss São Paulo visitam o File na Galeria de Arte do Sesi


As 30 candidatas ao título de Miss São Paulo 2012 visitaram a 13ª edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), no final da tarde desta terça-feira (07/08), na Galeria de Arte do Sesi-SP, localizada no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, na capital.

A decisão de título da mais bela paulista será no próximo sábado (11/08). Segundo as candidatas, o File foi o programa escolhido para visitação por reunir modernidade e cultura.

Considerado o maior encontro de arte digital do país, o File 2012 já recebeu mais de 20 mil visitantes em três semanas. A exposição termina em 19 de agosto. A entrada é aberta gratuitamente público.

 Serviço

File – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso
Endereço: Av. Paulista, 1313 (Metrô Trianon-Masp)
Informações: tels. (11) 3146-7405 / 7406
Classificação indicativa: livre
Entrada franca

Exposição (Galeria de Arte do Sesi-SP)
Data/horário: De 17 de julho a 19 de agosto de 2012 (de terça a sábado, das 10h às 20h; às segundas-feiras, das 11h às 20h; e aos domingos, das 10h às 19h)

Leia mais
Veja mais programação cultural no site do Sesi-SP Cultura

Interatividade e diversidade tecnológica marcam a 13ª edição do File

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Interatividade e muita diversão. Esta é a proposta da 13º edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE), aberta gratuitamente ao público a partir desta terça-feira (17/07), no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Av. Paulista, 1313, capital), além do Museu da Imagem e do Som (MIS) e das estações do metrô Trianon-Masp e Consolação, também na Av. Paulista. E que tem tudo para superar o sucesso das edições precedentes, a julgar pela presença do público já na abertura oficial da exposição.

Pouco mais de duas horas depois, a organização do File registrou a passagem de mais de 300 pessoas pelo Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso. Entre elas crianças, empresários e estudantes, como o universitário Diego Marchetti, que visitou a feira pela primeira vez e ficou impressionado: “Achei tudo muito interessante. A distribuição das atrações e a forma como feira foi montada facilita a interatividade”.

Diferente das tradicionais exposições de arte, em que o visitante não pode tocar nas peças, o File estimula a participação do público por meio de instalações interativas, games, animação, maquinemas e músicas eletrônicas, repleto de cores, luzes e sons que despertam as mais diversas sensações.

Entre as inúmeras atrações, destaca-se o “Túnel” – Rejane Catoni e Leonardo Crescenti (Brasil), uma escultura cinética e interativa, composta por 92 pórticos que se desalinham em função da posição da massa corporal. Outra obra que chama a atenção o público é o “Efecto Mariposa” – Patrício Gonzales Vivo (Argentina), que proporciona aos visitantes a simulação de um ecossistema na superfície de um cenário de cinzas vulcânicas em tempo real.

A obra interativa despertou o interesse da filha da fonoaudióloga, Elisa Sakata, para quem o File é uma excelente opção de lazer e entretenimento durante o período de férias escolares: “Os projetos aguçam a curiosidade das crianças, fazendo com que elas entendam os avanços na área de tecnologia e possam ter esta vivência”.

A artesã Maria Paula também se impressionou com as atrações deste ano: “Visitei a exposição do ano passado e confesso que esta edição superou as minhas expectativas. É maravilhosa! Meu filho de oito anos ficou sabendo da abertura e pediu para vir. Ele também quer interagir com as obras e vivenciar as novas tecnologias que possibilitam várias formas de arte”, contou.

A exposição do File ficará em cartaz no Centro Cultura Fiesp –Ruth Cardoso até o dia 19 de agosto.

Acompanhe a programação completa do Festival no site

Centro Cultural Fiesp: File é aberto com grafite digital e animações tridimensionais

Talita Camargo – Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756865

Paula Perissonotto. 'Parceria sólida com o Sesi-SP nos possibilita continuar inovando'

Em evento no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, em São Paulo, aconteceu na noite desta segunda-feira (16/07), no Teatro do Sesi-SP, a cerimônia de abertura da 13ª edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), maior encontro nacional sobre arte digital.

Ocupando quatro espaços do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (além do Teatro do Sesi-SP, a Galeria de Arte, o Espaço Fiesp e o Espaço Mezanino), o File tem se constituído como uma plataforma cultural internacional, de acordo com a curadora do evento, Paula Perissonotto. “Essa parceria sólida com o Sesi-SP nos possibilita continuar inovando e trazendo novidades para um público amplo que cresce a cada ano que passa”, afirma a curadora.

“Este é um evento gratuito com uma programação maravilhosa. O público de São Paulo tem tudo a ver com o File e vai saber aproveitar muito bem essa oportunidade”, concluiu Paula Perissonotto.

Na opinião de Ricardo Ohtake, diretor geral do Instituto Tomie Ohtake, o evento cumpre um papel importante. “O File provoca uma transição da alta tecnologia para arte que é muito importante.”

Segundo Marco Lorenzi, diretor do Instituto Europeu de Design (IED), o File provoca uma “mistura muito interessante de seriedade com criatividade.”

Evento de abertura

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756865

Performance musical com animações tridimensionais projetadas.

A cerimônia de abertura contou com a apresentação do VJ Suave, duo formado por Ygor Marotta e Cecilia Soloaga, que faz parte do File Hipersônica. A dupla propôs a utilização do projetor como ferramenta para o grafite digital.

O chinês GayBird misturou o campo visual com o musical em sua performance Digital Hug, que uniu instrumentos criados por ele a imagens e animações tridimensionais projetadas.

O File também tem instalações no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS) e nas estações de metrô Consolação e Trianon-Masp.

Entre as atrações estão animações, instalações interativas, aplicativos para tablets, games, performances, workshops, mesas-redondas, encontros com artistas internacionais e maquinemas (games produzidos com estética cinematográfica).

Serviço

File – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso
Endereço: Av. Paulista, 1313 (Metrô Trianon-Masp)
Informações: tels. (11) 3146-7405 / 7406
Classificação indicativa: livre
Entrada franca

Workshops

Data: de 17 a 20 de julho de 2012

Exposição (Galeria de Arte do Sesi-SP)

Data/horário: 16 de julho, às 19h30 (abertura para convidados). De 17 de julho a 19 de agosto de 2012 (de terça-feira a sábado, das 10h às 20h; às segundas-feiras, das 11h às 20h; e aos domingos, das 10h às 19h)

File Anima+ e File Games (Espaço Fiesp)

Data/horário: de 17 a 29 de julho de 2012 (de terça-feira a sábado, das 10h às 20h; às segundas-feiras, das 11h às 20h; e aos domingos, das 10h às 19h

Agendamento de grupos: de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 17h, pelo telefone 3146-7439. Contato: Leni Arietti

File Hipersônica (Teatro do Sesi-SP)

Data/horário: de 17 a 20 de julho, às 20h
File Symposium e mesas-redondas (Espaço Mezanino)
Data/horário: de 17 a 20 de julho, das 15h às 19h30

File Anima+ (MIS)

Datas: dias 21 e 22 de julho de 12
Local: Av. Europa, 15, Pinheiros

File Anima+ (Metrô)

Data/horário: de 17 a 22 de julho, das 18h às 22h
Local: Metrôs Trianon-Masp e Consolação

Para mais informações, visite o site do Sesi-SP.

Leia mais

Prêmio File Prix Lux apresenta indicados e inicia votação popular

Agência Indusnet Fiesp 

O Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File) apresentará os indicados ao prêmio File Prix Lux, nesta segunda-feira (3), a partir das 20h, no Teatro do Sesi São Paulo. Na ocasião, o público receberá orientações sobre o voto popular e poderá iniciar a votação por meio da web.

Porto Alegre, Recife e Rio de Janeiro são as outras capitais onde acontecerão atividades a fim de mobilizar o público para a votação. Dos mais de mil inscritos, 90 estão na disputa pelo Prêmio.

A iniciativa foi concebida para complementar as ações do File na área das linguagens eletrônicas e digitais e tem como objetivo premiar, incentivar e estimular o aparecimento de novos talentos. Além de inovar e agregar diferenciais ao festival, o File Prix Lux imputa valor às manifestações e confere aos artistas contemplados repercussão nacional e internacional.

Inédita na América Latina, a iniciativa valoriza a arte do século XXI e está sendo viabilizada pela primeira vez pelo Santander, por meio da Lei Rouanet de incentivo à Cultura.

Durante a exposição do File, o público terá acesso a 90 trabalhos; o mais votado ganhará uma menção honrosa no valor de R$ 10.000. Estão previstas performances ligadas às linguagens digitais e coquetel para receber o público.

Programação 3 de maio, a partir das 20h, no Teatro do Sesi São Paulo:

  • Performance “Sonocromática”, artista “Ao Cubo” – performance visual e sonora que faz referência ao trabalho do artista brasileiro Abraham Palatinik. Criada por Andrei Thomaz, Francisco Serpa, Lilian Campesato e Vitor Kisil, a obra apresenta, no centro do palco, uma caixa com faces de tecido branco com luzes coloridas em seu interior. Simultaneamente, uma animação com luzes é projetada no fundo do palco. A apresentação prossegue com sons produzidos e captados em tempo real.
  • Orientações e dicas sobre a votação popular online.
  • Performance “Lúmen”, artista /João Penoni: Fluxo luminoso. O artista recria o seu próprio corpo. Em ambiente totalmente escuro, seu movimento deixa um rastro de luz. Luzes coloridas piscam do seu corpo acrobata que evolui suspenso por uma barra invisível. A claridade que não é própria do corpo e que só se faz perceber porque é nele refletida é, em Lúmen, incorporada. Através de mecanismos artificiais, o performer apresenta um corpo iluminante. A presença viva do artista fica registrada no espaço escurecido da performance. Ilumina o olhar do espectador.
  • Coquetel 

Sobre o File e o File Prix Lux

Desde 2000 o File (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica) constitui uma plataforma interdisciplinar internacional para incentivar o desenvolvimento de projetos inovadores e criativos na área das artes e das tecnologias.

Trata-se de uma organização cultural sem fins lucrativos que viabiliza a reflexão sobre as principais questões do contexto eletrônico-digital contemporâneo mundial, sempre tendo em vista uma visão globalizada e transdisciplinar na complexidade política do universo cultural de nosso tempo.

Durante dez anos, o File colaborou, através de exposições e simpósios, com o desenvolvimento estético-tecnológico que as novas linguagens eletrônicas e digitais possibilitam às culturas contemporâneas, bem como posicionou o Brasil no contexto mundial dessas novas tendências. Em 2010, realizará um objetivo há muito esperado: contemplar os projetos inscritos com um prêmio internacional em dinheiro.

O File Prix Lux concederá sete prêmios (primeiro lugar, segundo lugar e cinco menções honrosas) a cada uma das três categorias, oferecendo assim 21 prêmios em dinheiro no valor total de R$ 285 mil.

Categorias

1 – Arte interativa: toda pesquisa e experiência no âmbito da arte que utiliza mídias interativas e que leva em consideração a interseção entre arte, ciência e tecnologia, bem como as possíveis transversalidades com outras disciplinas, sendo: instalações, performances, projetos de internet, realidade virtual, realidade aumentada, mesas multitoques, objetos digitais, projeções outdoor, projetos para celulares, grafites eletrônicos, VRML, etc.

2 – Linguagem Digital: todas as pesquisas e experiências no amplo âmbito da multiplicidade das disciplinas que utilizam mídias digitais, bem como as possíveis transversalidades entre elas, sendo: jogos digitais (em todas as suas modalidades), animações (em todas as suas modalidades), cinema digital, maquinemas, vídeo digital, arquitetura digital, moda digital, design digital, robótica, vida artificial, arte biológica, arte transgênica, arte-software, novas interfaces, second life performances, animes, hipertextos, roteiros não lineares, inteligência artificial, fotografias-panoramas digitais, linguagem de programação, poesia digital, dança digital, etc.

3 – Sonoridade Eletrônica: todas as pesquisas e experiências no âmbito dos sons, portanto tendo uma abrangência maior que o âmbito da música e aberta às possíveis transversalidades com outras disciplinas, sendo: performance sonora, instalações sonoras, arte sonora, música genética, música biológica, música eletrônica erudita, música pop-eletrônica, dramaturgia radiofônica, rádio-arte, paisagem sonora, robótica sonora, videomúsica, poesia sonora, etc.

Serviço:
Apresentação dos indicados ao prêmio File Prix Lux
Data e horário: 3 de maio de 2010 (segunda-feira), às 20h
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Av. Paulista, 1313, Capital
Vagas limitadas. Confirmar presença pelo email: fileprixlux.producao@gmail.com
Info: www.fileprixlux.org

Últimos dias para conferir File 2009 no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso

Até domingo (20), o Sesi-SP apresenta gratuitamente ao público a 10ª edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File). A exposição está em cartaz na Galeria de Arte do Sesi. Visitas às segundas-feiras, das 11h às 20h, de terça-feira a sábado, das 10h às 20h, e aos domingos, das 10h às 19h.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1537756865

Cerca de 300 artistas de mais de 30 países participam da 10ª edição do Festival de Linguagem Eletrônica (File)


As criações do  File 2009 mostram uma grande diversidade de pesquisas e de produções nacionais e internacionais. Participam desta edição cerca de 300 artistas – entre grupos, coletivos e trabalhos individuais – de mais de 30 nacionalidades, com produções em várias áreas da cultura digital: arte interativa, games, screenings , performances, arte sonora, realidade virtual, discussões teóricas e o cinema digital 4K.Maior festival de arte e tecnologia do Brasil e da América Latina e um dos maiores acontecimentos nesta área, há dez anos o File vem inserindo o País no contexto mundial da arte e tecnologia, bem como da mídia arte, realizando uma compilação de produções artísticas no campo das artes eletrônicas e digitais e funcionando como um indicador da pluralidade dessas produções.


Serviço

Exposição: Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File)
Local: Galeria de Arte do Sesi

Endereço: Av. Paulista, 1313, Metrô Trianon-Masp, Capital

Datas e horários: até 20 de setembro – Segunda-feira, das 11h às 20h. Terça a sábado, das 10h às 20h. Domingo, das 10h às 19h.

Informações: tels. (11) 3146-7405 / 7406

Recomendação etária: livre

Entrada franca

Agendamento de grupos: de segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 17h, pelo telefone 3146-7396, com Leni.