Possibilidades do esporte como ferramenta na formação dos cidadãos

Agência Indusnet Fiesp

A mesa-redonda Um novo olhar para o esporte, integrante da Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental, foi mediada pelo diretor de Esporte e Lazer do Sesi-SP, Alexandre Pflug.

Entre os convidados para debater a relevância do esporte como ferramenta na formação do cidadão estavam Giovane Gávio, técnico do time de vôlei do Sesi-SP, Felipe Fagundes, representante do Sesi nacional e Berivaldo Araújo, diretor-executivo do Instituto Alpargatas.

Araújo ressaltou a necessidade do envolvimento das empresas em atividades sociais, entre elas o esporte, apontado como um forte motivador no crescimento do indivíduo. Segundo ele, o Instituto Alpargatas desenvolve projeto de educação por meio das atividades esportivas nas comunidades onde existem fábricas da entidade. A ação atende crianças de 7 a 17 anos das escolas públicas da região.

“Quando chegamos, 52% dos alunos tinham notas abaixo da média. Um ano depois, erradicamos a reprovação entre os estudantes e hoje a média das notas é de 8,6”, exemplificou Araújo, acrescentando que o projeto abrange também a capacitação dos profissionais, a premiação de incentivo aos alunos e a prática esportiva aliada ao ensino interdisciplinar.

Programa Sesi Esporte

O representante do Sesi nacional apresentou outras possibilidades benéficas formadas através do investimento no esporte. Para a instituição, o Programa Sesi Esporte tem como objetivo promover em caráter socioeducativo, fundamentado na participação, formação e no rendimento, tendo em vista a valorização humana, a promoção social e qualidade de vida.

Sendo assim, a entidade, há dez anos aposta no Programa Atleta do Futuro – uma proposta de desenvolvimento integral e ampliação da cultura esportiva com a meta de formar cidadãos.

“Queremos atingir 500 mil crianças até 2015. Crianças não só para se transformarem em atletas olímpicos, mas especialmente cidadãos que possam fazer diferença no país”, confirmou Fagundes.

Outra iniciativa de sucesso apresentada na mesa-redonda foi a criação dos Jogos do Sesi. Instituído em 1947, o torneio hoje reúne, nas etapas estaduais, dois milhões de trabalhadores, representando 25% do universo das 7.500 indústrias do país.

Exemplo de sucesso

Giovane Gávio, bicampeão mundial de voleibol e técnico da equipe masculina do Sesi-SP

Giovane Gávio contou um pouco de toda a sua trajetória como atleta. E foi através do esporte que o bicampeão olímpico aprendeu importantes valores de vida.

“Quando me mudei pra São Paulo para jogar, aos 16 anos, morava em uma casa com 23 atletas. Dois deles alcançaram a seleção brasileira: eu e Marcelo Negrão. Imaginem se pudéssemos atingir 23 mil garotos”, exclamou o treinador de vôlei do Sesi-SP.

Giovane também reforçou que o investimento no esporte de alto rendimento pode fomentar o interesse das crianças para fortalecer a base da modalidade. “Nós somos exemplo e, através disso, podemos fazer um grande bem para a sociedade”, concluiu.