Skaf e Haddad firmam parceria para construção de complexo educacional de R$ 166,8 milhões em Itaquera

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Ciesp, do Sesi-SP e do Senai-SP, e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, assinaram nesta quarta-feira (29/6), no Gabinete da Prefeitura, escritura de concessão de uso de área, por 99 anos, para construção do Complexo Educacional do Sesi-SP e do Senai-SP.

O terreno tem 21.164 metros quadrados, está localizado próximo ao estádio do Corinthians (Itaquerão) e em frente à estação de metrô e ferroviária de Itaquera, e abrigará uma escola de educação básica do Sesi-SP e uma escola de ensino profissionalizante do Senai-SP. O projeto para a construção das duas unidades terá investimento de R$ 166,8 milhões.

A nova escola do Sesi-SP unificará quatro escolas externas da entidade existentes na Zona Leste – os Centros Educacionais 074 da Vila Cisper, o 293 de Engenheiro Goulart, o 329 do Jardim IV Centenário e o 379 da Vila Carrão – e atenderá 1.536 alunos, sendo 36 turmas do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 12 turmas do 1º ao 3° ano do Ensino Médio.

Segundo Skaf, o projeto deverá ser apresentado em até um ano. As obras devem durar até 4 anos. Sesi-SP e Senai-SP, disse Skaf, normalmente constroem em terrenos doados pelas prefeituras, mas na cidade de São Paulo foi aberta exceção porque essa modalidade de concessão é a possível pela legislação. Há, afirmou, uma grande demanda na Zona Leste, carente de espaços de educação e cultura. “Não tenho a menor dúvida que essa área ficará diferenciada na cidade.”

Haddad explicou que a área é municipal e não tinha destinação específica. “Estamos mapeando as oportunidades para que esse seja um centro vivo da Zona Leste”, afirmou, destacando que o local é de muito fácil acesso.

A unidade terá 13.394,74 metros quadrados e será projetada com 36 salas de aula, 6 laboratórios – sendo 2 de Informática Educacional, 2 de Ciência e Tecnologia, 1 de Química e Biologia e 1 de Física – biblioteca escolar, área de convivência, 2 quadras poliesportivas cobertas e com vestiários e cozinha com refeitório. As instalações terão total acessibilidade para portadores de necessidades especiais e pessoas com mobilidade reduzida. Somente para esta unidade, serão destinados R$ 60,8 milhões.

A escola do Senai-SP será verticalizada, com três andares, terá o total de 17.959,53 metros quadrados e tem previsão de consumir R$ 106 milhões, entre obras e equipamentos. Ela será a oitava unidade da instituição na Zona Leste e oferecerá cursos nas áreas de Metalmecânica, Conectividade e Telecomunicações, Urbanismo e Meio ambiente, Alimentos, Mobilidade Urbana, Logística, Design, Infraestruturas Sustentáveis e Sistemas de Segurança. Paulo Skaf lembra que pode haver alterações nesse perfil. “O Senai-SP muda a cada minuto”, afirmou. “Lá na frente vamos ver.”

Os programas educacionais atenderão jovens que buscam qualificação para o primeiro emprego, jovens e adultos que buscam formação técnica e adultos interessados em programas de formação inicial e continuada. “O Objetivo do Senai-SP é empregar”, destacou Skaf. A unidade também oferecerá consultorias, serviços laboratoriais e informações tecnológicas para as indústrias da região.

>> Ouça boletim sobre o Complexo Educacional

Formação completa e integrada

Em agosto do ano passado, Skaf e Haddad assinaram, na sede da Fiesp, escritura de concessão em uso de área para construção do Complexo Cultural Itaquera Sesi Senai. Com área de 40.674,48 metros quadrados, o terreno abrigará um teatro, espaços para cursos de formação e especialização em artes e cultura, um centro de incentivo à Matemática e às Ciências, com Midiateca e Exposições temporárias. O investimento previsto para este complexo cultural, que terá área construída de 8.500 metros quadrados, é de R$ 35 milhões.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Skaf e Haddad na assinatura da concessão de uso para complexo educacional do Sesi-SP e do Senai-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Sesi-SP e Senai-SP construirão complexo cultural em Itaquera em parceria com Prefeitura de SP

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) assinaram nesta quarta-feira (5/8) com a Prefeitura da cidade a escritura para concessão de um terreno de mais de 40 mil metros quadrados na região de Itaquera, destinado à construção do Complexo Cultural Itaquera Sesi Senai.

Segundo o presidente do Sesi-SP e do Senai-SP, Paulo Skaf, o complexo deve ficar pronto em até três anos.

“Na primeira fase, vamos investir cerca de R$ 40 milhões. Há também a possibilidade de construirmos duas escolas, para as quais destinaremos mais R$ 100 milhões. Temos, portanto, a disponibilidade de investir mais de R$ 140 milhões na região”, disse Skaf ao assinar a escritura.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, participou da cerimônia de assinatura, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). “É uma boa notícia para Itaquera”, afirmou Haddad. “Vamos ter um complexo do lado da Arena (Corinthians) que vai se somar a outros equipamentos, temos escolas estaduais, Fatec, Etec, e agora posteriormente o Sesi e o Senai. Então aquela região vai se transformar muito nos próximos anos.”

Para o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, o projeto “amplia o conceito de pátria educadora. Percebo que há a ideia de que as coisas acontecem apenas dentro da escola, o que não é verdade, porque a família, a sociedade, a empresa e outras instituições também educam”.

Complexo educacional


Representação artística do Complexo Cultural Itaquera Sesi Senai

Representação artística do Complexo Cultural Itaquera Sesi Senai


Além do polo para atividades culturais, a intenção do Sesi-SP e do Senai-SP é construir no terreno de Itaquera um complexo educacional. Devem ser construídas uma escola de educação básica e uma para formação profissional.

Já o polo cultural deve contar com um teatro para 800 espectadores, espaços para cursos de formação e especialização em artes e cultura e um centro de incentivo à matemática e ciências, com midiateca e exposições temporárias.

O complexo cultural deve abranger uma área total construída de 8,5 mil metros quadrados. As escolas do Sesi-SP e do Senai-SP devem ocupar área de ao menos 16 mil metros quadrados do total concedido, além de outros cinco mil metros quadrados que devem ser incorporados para compensar parte do terreno que não pode ser usada porque no local há tubulação da Sabesp.

“Vamos encaminhar um novo PL para agregar cinco mil metros ao que já foi cedido para que o projeto não tenha que passar por alteração”, disse Haddad.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Imagem artística do interior do Complexo Cultural Itaquera Sesi Senai

Avaliação do valor de imóveis é teórica, diz Paulo Skaf sobre aumento do IPTU

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A reavaliação do valor dos imóveis em São Paulo feita pela prefeitura de São Paulo é teórica, afirmou o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, nesta terça-feira (10/12). O item é base de cálculo para o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), anunciado em outubro deste ano.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Paulo Skaf: na expectativa pelo anúncio da decisão do TJ-SP. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


“Essa avaliação é duvidosa e não aceitamos os números que foram colocados. O IPTU todos os anos se corrige pela inflação”, afirmou Skaf durante a coletiva de fim de ano da Fiesp e do Ciesp.

O presidente da Fiesp e do Ciesp confirmou que as entidades estão “na expectativa” pelo anúncio da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) sobre o aumento do IPTU, anunciado pelo prefeito Fernando Haddad em outubro.

Em novembro deste ano, a Fiesp e o Ciesp ingressaram na Justiça com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) para barrar o aumento IPTU. A decisão do TJ-SP sobre a Adin deve ser conhecida nesta quarta-feira (11/12).

Segundo Skaf, o aumento de 55% para imóveis residenciais e de 88% para imóveis comerciais é médio, uma vez que “tem aumentos que mais que dobram”.

“O que a população de São Paulo quer não é mais impostos, mas melhora da qualidade dos serviços públicos”, defendeu Skaf. “Somos contra isso – seja pelo princípio da capacidade contributiva, seja porque essa avaliação é duvidosa”, completou.

A Fiesp e o Ciesp estão defendendo que existe um princípio constitucional chamado de “capacidade contributiva”,  segundo o qual o cidadão não pode arcar com impostos maiores que a sua capacidade de pagamento. De 2009 a 2013, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a renda do trabalhador paulistano subiu menos de 10%.

Como o IPTU será cobrado

A capital tem 3,1 milhões de imóveis contribuintes inscritos no IPTU. Cerca de 2,6 milhões de contribuintes são residenciais, sendo um milhão de imóveis isentos. Neste cenário, o aumento do IPTU deve atingir ao menos 1,4 milhão de imóveis pagantes, segundo a Fiesp.

Ainda de acordo com cálculos da federação, apenas 173 mil imóveis residenciais pagantes devem receber um redução média de 3,9% do IPTU. No entanto, na medida em que a taxa é anualmente corrigida pela inflação, este grupo também deve ser atingido pelo aumento do tributo, em média cerca de 2%.

Paulistanos apoiam iniciativa da Fiesp de entrar com ação contra o aumento do IPTU

Giovanna Maradei e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Nas ruas, os paulistanos são só elogios à iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) de entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade para barrar o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) anunciado pela Prefeitura de São Paulo. O reajuste, que chega a 35% e se estende para os próximos anos, foi aprovado pela Câmara em duas votações, sancionado pelo prefeito Fernando Haddad e pode entrar em vigor em 2014, valendo para imóveis comerciais e residenciais.

A ação, com pedido de liminar para imediata suspensão da lei, está sendo proposta em conjunto pela Fiesp,  Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), sindicatos filiados à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) e pela Associação Comercial de São Paulo.

Para o analista de sistemas Leandro Fernandes da Rocha, de 35 anos, a cidade precisaria oferecer mais “infraestrutura” à população diante do que está sendo cobrado. “Seria preciso dar mais recursos para a população para depois se pensar em um aumento desses”, afirma. “É duro ver tantos buracos na rua, pagar IPTU caro e nada ser feito. Apoio totalmente a iniciativa da Fiesp, esse reajuste não cabe no bolso de jeito nenhum”.

O corretor de seguros Fernando Berton,  de 33 anos, lembra que a inflação também não acompanha o aumento previsto para o IPTU em São Paulo. “Na verdade, nenhuma aplicação na Bolsa ia render tudo isso”, diz. “Muito boa a ideia da Fiesp de entrar com uma ação na Justiça”.

Fernando: “Muito boa a ideia de Fiesp de entrar com uma ação contra isso na Justiça”. Foto: Fiesp

Fernando: “Muito boa a ideia de Fiesp de entrar com uma ação contra isso na Justiça”. Foto: Fiesp


Segundo a analista financeira Juliana Tintino Ferraz, de 25 anos, o reajuste de até 35% no imposto é “ridículo”. “Se você pega um ônibus de manhã é um horror, nunca dá para pegar o primeiro”, afirma. “Os hospitais públicos são uma vergonha, enfim, os serviços prestados pela Prefeitura são muito ruins”. Para ela, é “justo” que a Fiesp, em parceria com outras entidades, se mobilize diante do assunto.

Totalmente inviável

Na opinião da contadora Liliane Camargo de Souza, de 36 anos, os brasileiros já pagam “muitos impostos”, sendo a elevação do IPTU em São Paulo “totalmente inviável”. “A gente não tem nem infraestrutura básica necessária, não dá”. Por isso mesmo, segundo ela, a atitude da Fiesp diante do assunto é tão importante. “Eu acho uma ideia muito boa, alguém tinha que tomar a iniciativa, já é um começo”.

Liliane: “A gente não tem nem infraestrutura básica necessária, não dá”. Foto: Fiesp

Liliane: “A gente não tem nem a infraestrutura básica necessária, não dá”. Foto: Fiesp


O casal Angelina da Silva Onório, de 71 anos, e Sebastião Onório, de 76, ambos aposentados, também não economiza críticas ao reajuste. “Estão exagerando, atropelando o cidadão brasileiro. Exageram nos impostos e oferecem poucos serviços para a sociedade, muito abaixo daquilo que estão cobrando”, diz Onório. “A gente paga imposto até para respirar”, concorda Angelina. “Apoio a Fiesp, alguém precisa entender as necessidades da sociedade”, afirma Osório.

Compartilhando das mesmas ideias do casal, o motorista Genebaldo Silva Santos, de 74 anos, não tem outra palavra além de “absurdo” para classificar o reajuste do IPTU em São Paulo. “Isso para mim é um absurdo, um absurdo, um absurdo, um absurdo”, diz. “Que a Fiesp consiga evitar isso na Justiça”.

Sesi-SP apresenta a exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’

Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Prêmio Nobel. Foto: Fundação Nobel

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) apresenta, na próxima segunda-feira (11/11), a exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

O evento terá a presença do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP, Paulo Skaf; do superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP), Walter Vicioni; do rei Carl XVI Gustav; da rainha Silvia da Suécia, do americano David Gross, prêmio Nobel de Física; do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; e do prefeito da capital, Fernando Haddad.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Caderno de anotações do escritor Mario Vargas Llosa. Foto: Fundação Nobel

A mostra inédita na América Latina é organizada em parceria com o Museu Nobel, sediado em Estocolmo, na Suécia, e reúne objetos e documentos exclusivos sobre a trajetória de descobertas e pessoas que transformaram a humanidade, como o próprio criador da premiação, o químico Alfred Nobel (1833 – 1896).

Entre as preciosidades selecionadas para a exibição em São Paulo, estão o caderno de anotações do escritor Mario Vargas Llosa, ganhador do Nobel de Literatura, em 2010. E mais documentos exclusivos, obras de arte e invenções como rádio transistorizado, penicilina, plástico, câmera digital, disco rígido, ponteiro laser, computador e outras ideias que revolucionaram o mundo.

Serviço
Abertura da exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’
Data e horário: 11 de novembro, segunda-feira, às 19h30
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1.313 – Cerqueira César – São Paulo – SP)
Evento exclusivo para convidados

Expo 2020: Fiesp recebe delegados do BIE para coquetel em agenda oficial da candidatura de São Paulo

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Dezenas de delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), responsáveis pela escolha da cidade-sede da Exposição Universal 2020, a Expo 2020, participaram na noite desta sexta-feira (20/09) de coquetel na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O encontro, parte da agenda oficial elaborada pelo Comitê de Candidatura de São Paulo aos membros do BIE, reforçou o compromisso da indústria com a realização do evento. As cidades concorrentes, além de São Paulo, são Dubai (Emirados Árabes Unidos), Ecaterimburgo (Rússia), Izmir (Turquia) e Ayutthaya (Tailândia). A decisão, programada para o mês de novembro, será em Paris.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, e prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Foto Everton AmaroFiesp


Em seu discurso de boas vindas aos delegados, de diversos países de todos os continentes,  o 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, disse que a indústria está ao lado da prefeitura de São Paulo na candidatura.

“A casa da indústria apoia o pleito da cidade de São Paulo de abrigar este que é um dos mais importantes eventos do mundo”, disse Ometto.

“Um dos mais importantes papéis da indústria tem sido o de fomentar o desenvolvimento e atrair as atenções do mundo e mostrar do que é capaz o Brasil”, prosseguiu o 2º vice-presidente da Fiesp.

“Capaz de inovar, criar oportunidades. Juntos, trabalhamos por um país mais justo, com qualidade de educação, gosto pelo esporte, respeito pela cultura. Zelamos pela qualidade de vida, visando ao desenvolvimento sustentável, com os olhos voltados para o futuro”, continuou Ometto, pedindo aos delegados que, ao partir, levem não só uma boa impressão da cidade, mas o carinho e a hospitalidade dos paulistanos. “E a certeza de que essa é uma terra de gente que se empenha fazer o melhor todo dia”, encerrou.

 >> Presidente da Fiesp participa de simpósio sobre candidatura paulistana à Expo 2020

Em entrevista à reportagem, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse que a candidatura vem se fortalecendo pela consistência. “Independente do resultado, São Paulo vai se sair bem porque apresentou uma candidatura forte, coerente com sua gênese, sua história, um projeto que dialoga com o futuro de São Paulo, dialoga com a comunidade local, com os anseios do Brasil de ter uma maior presença internacional.”

“Estamos vencendo com louvor cada etapa do processo”, resumiu, afirmando que há sintonia do tema da candidatura com a essência da cidade. “A diversidade é realmente um traço essencial da nossa cidade. Isso ficou muito perceptível para os delegados.”

Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo , disse à reportagem que, após cumprir mais uma etapa da candidatura, o trabalho diplomático irá se acentuar até novembro, num trabalho de corpo a corpo com os delegados.

Segundo ela, uma das vantagens da candidatura é “a força da construção humana que São Paulo representa.”

“Eu acho que conseguimos transmitir a força da cidade e o quanto a realização desse evento irá deixar de legado”, explicou a vice-prefeita sobre as atividades realizadas nesta semana, com destaque para o simpósio “São Paulo: Força da Diversidade” ao longo desta sexta-feira (20/09) no hotel Hilton.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo; 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto; prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; Julio Semeghini, secretário estadual de Planejamento. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O evento contou com a presença de do secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, representando o governador Geraldo Alckmin. O assessor Especial para Assuntos Internacionais do Governo de São Paulo, Rodrigo Tavares, também participou.

Coquetel

O coquetel contou com o serviço de quitutes tipicamente brasileiros, como moqueca de peixe de pirarucu, tapioca, carne seca com abóbora, caldinho de feijão com torresmo, creme de mandioquinha, e doces como quindim, manjar de coco e pudim de leite.

Os delegados ainda puderam ouvir música brasileira, com a cantora Paula Lima e banda, interpretando clássicos do samba e da MPB.

Foto: presidente da Fiesp participa de simpósio sobre candidatura paulistana à Expo 2020

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, participou na manhã desta sexta-feira (20/09) do simpósio “São Paulo: Força da Diversidade”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Michel Temer discursa; sentados: Fernando Haddad, Nádia Campeão, Paulo Skaf e Rodrigo Tavares. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O evento, dedicado a apresentar e promover a candidatura paulistana à Exposição Universal (Expo) 2020, reuniu delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), que têm direito a voto para a escolha da cidade sede.

A cerimônia de abertura contou com pronunciamento do vice-presidente da República, Michel Temer, e da vice-prefeita de São Paulo e presidente do comitê de candidatura, ádia Campeão, além do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e do assessor Especial para Assuntos Internacionais do Governo de São Paulo, Rodrigo Tavares, entre outras autoridades.

Apoio da Fiesp

A Fiesp apoia a candidatura paulista à Expo 2020. Já em maio de 2012, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu o secretário-geral do BIE, e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início de outubro do ano passado, a Fiesp assinou um acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

Em março deste ano, a entidade recebeu, em sua sede, a missão do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE) que veio para inspecionar a candidatura de São Paulo em uma série de encontros que tiveram representantes do poder público municipal, estadual e federal.

Em junho, Skaf acompanhou, em Paris, na França, a apresentação da candidatura feita por Haddad.

Senai-SP e Senac formam 1.800 alunos do Pronatec

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) formaram nesta sexta-feira (19/07) um total de 1.800 alunos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), projeto criado pelo governo federal em 2011 para ampliar a oferta de cursos profissionalizantes.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

O Senai-SP e o Senac formaram nesta sexta-feira (19/07) um total de 1.800 alunos do Pronatec. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Os formandos deste semestre participaram de um dos 60 cursos oferecidos pelo Pronatec. O Senai-SP oferece cursos profissionalizantes pelo Pronatec para ao menos 700 alunos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Walter Vicioni, do Senai-SP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Este ano, pretendemos, com o apoio da prefeitura de São Paulo, atingir a 100 mil indivíduos com nossos programas para atender a essa politica pública estabelecida pelo Pronatec”, afirmou Walter Vicioni, diretor regional do Senai-SP, durante o evento.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, também participou da formatura.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Prefeito Fernando Haddad. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Vocês têm um certificado hoje de formação que deu a um brasileiro [Luiz Inácio Lula da Silva] condições de chegar à presidência da República. É muito importante a conquista de hoje porque vocês têm um passaporte para uma vida melhor, uma condição de trabalho melhor”, afirmou Haddad.

Bruno de Lima, ex-morador de rua, foi orador oficial da turma deste semestre.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Bruno de Lima, orador da turma. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Você se sente mais importante. E a pessoa que te vê em uma posição melhor também quer fazer parte. E eu percebo que o interesse aumentou, um sinal de que o programa deu certo e eu espero que isso continue”, afirmou. O programa formou aproximadamente 200 alunos em situação de rua.

Segundo a ministra do Desenvolvimento Social de Combate à Fome, Tereza Campello, que também participou da formatura, de 8 milhões de vagas destinadas pelo Pronatec para formação profissional no Brasil, um milhão serão destinadas para pessoas inscritas no Cadastro Único, que atende à população de baixa renda.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Ministra Tereza Campello. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Era um povo historicamente excluído dos cursos de qualificação no Brasil e precisávamos ofertar cursos de qualidade. Para isso, criamos o Pronatec”, afirmou Campello.

Sobre a participação do Senai-SP no programa, Campello afirmou que a escola é “parceira em todo o Brasil. É um orgulho para nós trabalhar com o Senai”, completou.

Foto: Paulo Skaf visita ‘Cidade das Crianças’, em Paris, na França

Agência Indusnet Fiesp

Em sua passagem pela capital francesa, onde reforçou o apoio à candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, visitou na tarde de quarta-feira (12/06) a “Cidade das Crianças”, na Cité des Sciences, no parque La Villette, juntamente ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o governador do Estado, Geraldo Alckmin.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, durante visita à Cidade das Crianças, na Cité des Sciences, no parque La Villette. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Foto: autoridades participam da abertura solene do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha

Agência Indusnet Fiesp 

A presidente da República, Dilma Roussef, o presidente da Alemanha, Joachim Gauck, e os presidentes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Skaf e Robson Braga de Andrade;  junto a autoridades brasileiras e alemãs, reuniram-se na tarde desta segunda-feira (13/05), para a abertura solene do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA 2013), que aconteceu no WTC, em São Paulo.

Na ocasião, a orquestra Bachiana do Sesi-SP interpretou os hinos da Alemanha e do Brasil,  regida pelo maestro João Carlos Martins.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Autoridades na solenidade oficial de abertura do Encontro Econômico Brasil-Alemanha. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Na foto, da esquerda para a direita:

1 – [encoberto] Robson de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
2 – Fernando Haddad, prefeito de São Paulo
3 – Helena Chagas, ministra-chefe da Comunicação Social da República Federativa do Brasil
4 – Harald Braun, secretário-executivo do Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros da da República Federal da Alemanha
5 – Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior da República Federativa do Brasil
6 – David Gill, secretário-executivo e chefe do gabinete presidencial da República Federal da Alemanha;
7 – Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo
8 – Joachim Gauck, presidente da República Federal da Alemanha
9 – Dilma Rousseff, presidente da República Federativa do Brasil
10 – Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores da República Federativa do Brasil
11 – Anne Ruth Herkes, secretária de Estado do Ministério da Economia e Tecnologia da República Federal da Alemanha
12 – Aloizio Mercadante, ministro da Educação da República Federativa do Brasil
13 – Hans-Jürgen Beerfeltz, secretário-executivo do Ministério Federal de Cooperação Econômica da República Federal da Alemanha
14 – Guilherme Afif Domingos, ministro da secretaria da Micro e Pequena Empresa da República Federativa do Brasil
15 – Ulrich Grillo, presidente da Confederação das Indústrias Alemãs (BDI)
16 – Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

Fiesp tem assento no Conselho da Cidade de São Paulo criado pela Prefeitura

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, participou na manhã desta terça-feira (26/03), da cerimônia de instalação do Conselho da Cidade de São Paulo, que aconteceu na sede da Prefeitura.

A Fiesp tem assento no organismo formado por 130 membros que representam setores empresarial, comercial, acadêmico, religioso e ONGs, entre outros. O objetivo é o de assessorar o poder executivo a formular políticas públicas, diretrizes e ações estratégicas para melhorar a qualidade de vida na capital paulistana.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Fernando Haddad, prefeito da capital paulista, durante cerimônia de instalação do Conselho da Cidade de São Paulo. Foto: Cesar Ogata/Secom

“Esse é um Conselho representativo dos moradores dessa cidade, dos que amam essa cidade, dos que querem acompanhar o andamento da administração pública, dos que querem sugerir, recomendar, criticar, apoiar essa cidade; e dos que querem tentar o seu futuro em longo prazo em São Paulo”, afirmou o prefeito Fernando Haddad.

“O mundo inteiro olha para São Paulo com interesse e espanto nos números espetaculares de população, território, produção cultural e científica, capacidade de inovação e, sobretudo, por sua pluralidade e diversidade”, assinalou Haddad, ressalvando que a cidade ainda ainda enfrenta “enormes desafios”.


Parceria da Prefeitura com Senai-SP

Ao falar de uso do potencial da cidade em ações efetivas para beneficiar a população, Haddad mencionou como exemplo a parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) no Programa de Qualificação Profissional da População em Situação de Rua, lançado na segunda-feira (25/03).

“Ontem, eu e Paulo Skaf lançamos uma ação efetiva voltada para essa população [moradores de rua] que envolve não apenas a formação profissional e acolhimento do sistema de educação e de assistência de saúde, mas, depois de qualificados pelo nosso grande Senai, [essas pessoas] poderão prestar serviços para o setor empresarial”, explicou.

Haddad lembrou que o Conselho da Cidade de São Paulo é um canal de comunicação aberto. “O que nós pretendemos com esse Conselho é promover a política maior, aquela em que as pessoas possam se reunir e expressar suas opiniões em relação à nossa cidade”.

E concluiu: “esse é um espaço para quem quer ajudar a desenhar São Paulo para o futuro e a encontrar os caminhos de superação. Todos aqui temos apenas uma certeza: se os problemas são grandes, não é menor a nossa capacidade de solucioná-los. São Paulo tem essa força”.

Senai-SP participa de programa da Prefeitura para qualificação profissional de moradores de rua da cidade de São Paulo

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Paulo Skaf, participou nesta segunda-feira (25/03) do lançamento do “Programa de Qualificação Profissional da População em Situação de Rua” – iniciativa da Prefeitura de São Paulo que conta com o apoio do Senai-SP.

O evento foi realizado na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, no centro da cidade, com presença do prefeito Fernando Haddad, dos secretários municipais Rogério Sottili (Direitos Humanos e Cidadania) e Luciana Temer (Assistência Social), do representante do Movimento Nacional de População em Situação de Rua, Anderson Lopes, do senador Eduardo Suplicy e do diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, entre outras autoridades, empresários, representantes de organizações não governamentais e, principalmente, moradores de rua.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Paulo Skaf parabeniza iniciativa da Prefeitura de São Paulo de prover qualificação profissional para moradores de rua, com o apoio do Senai-SP. Foto: Junior Ruiz/FIESP

Na ocasião, o Senai-SP, Prefeitura e secretarias municipais de Assistência Social e do Direitos Humanos e Cidadania assinaram termo de cooperação técnica em que assumem compromisso de somar esforços para capacitar profissionalmente pessoas em situação de rua na capital paulista.

O objetivo do programa, que conta com recursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério da Educação, é de propiciar condições para inclusão social e inserção no mercado de trabalho, tendo a meta de, ainda neste ano , garantir profissionalização e emprego para 2.000 pessoas em situação de rua na cidade. A estimativa da Prefeitura é que, atualmente, existam cerca de 15 mil pessoas nessas condições em São Paulo.

A metodologia prevê a realização de cursos periódicos de ocupações como auxiliar administrativo, almoxarife, confeccionador de bolsas e acessórios, mecânico de motores a diesel, mecânico de bicicleta, padeiro, pedreiro de alvenaria, eletricista instalador predial, encanador, pintor, vidraceiro e aplicador de revestimento cerâmico. Os cursos começam já no mês de abril.

Skaf: projeto dá oportunidade de capacitação e emprego

Em seu pronunciamento durante a cerimônia, o presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, elogiou o empenho do prefeito Fernando Haddad e reiterou apoio total à prefeitura.

“O Senai-SP e o Sesi-SP têm essa preocupação com as pessoas. Nós abrimos, todos os anos, um milhão de matrículas por ano no estado de São Paulo. E esse projeto, que é do carinho e vem do coração do prefeito, agora também faz parte do nosso coração.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Cerca de 15 mil pessoas estão em situação de rua na cidade de São Paulo. Em parceria com Prefeitura,Senai-SP vai capacitar 2 mil pessoas neste ano. Foto: Junior Ruiz/FIESP

Skaf ressaltou que a competência dos secretários municipais e das equipes do Senai-SP dará a velocidade necessária para a execução do programa. “É muita felicidade fazer parte desse projeto que muda a vida das pessoas e dá oportunidade de capacitação e emprego.”

O prefeito Fernando Haddad disse que o objetivo do programa é oferecer alternativas a pessoas em situação de rua. “Estamos dispostos a oferecer não só a capacitação, mas transporte e alimentação. E, especialmente, às mulheres, o apoio necessário, através das redes de apoio.”

Cursos começam em abril

O diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, explicou que os cursos têm início no mês de abril, em grupos de 200 pessoas, a cada dois meses. Os alunos recebem auxílio para alimentação e transporte, além da chamada “Bolsa Permanência”.

“O aluno irá receber esse adicional [a bolsa] na medida em que tenha aproveitamento dos cursos”, comentou Vicioni, acrescentando que a escolha dos cursos oferecidos levou em conta a oferta de vagas, uma vez que o objetivo é propiciar a empregabilidade dessas pessoas.

Direitos humanos

De acordo com o secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Rogério Sottili, o programa trabalha para garantir a dignidade das pessoas em situação de rua.

“Tratar dos direitos humanos é uma questão central do governo, pois muda a vida das pessoas”, afirmou Sottili, ressaltando que o sucesso do programa será fundamental para a atuação transversal das secretarias e a participação de parceiros e da própria população.

O diretor da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, Antônio Magalhães Gomes Filho, relembrou ter sido declamado, neste mesmo auditório no ano de 1868, o poema “Navio Negreiro”, marco contra a escravatura no Brasil, por um célebre ex-aluno, o poeta baiano Castro Alves (1847-1871). “Hoje, com muito orgulho, recebemos outro ex-aluno – o prefeito Fernando Haddad – que veio anunciar esse programa que, tenho certeza, vai ter forte impacto na vida das pessoas.”

Primeiro-ministro da Nova Zelândia recebe medalha Ordem do Mérito Industrial

Agência Indusnet Fiesp 

Antes da reunião com os empresários brasileiros, que aconteceu na tarde desta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, encontrou-se com o presidente da entidade, Paulo Skaf, e com o prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad. Na ocasião, Skaf concedeu medalha da Ordem do Mérito Industrial ao premiê da Nova Zelândia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Paulo Skaf, presidente da Fiesp; John Key, primeiro-ministro da Nova Zelândia; e Fernando Haddad, prefeito da cidade de São Paulo. Foto: Junior Ruiz

A Ordem do Mérito Industrial foi criada em abril de 2007 e já condecorou autoridades como o presidente e o vice-presidente da República nos mandatos de 2003 a 2010, Luiz Inácio Lula da Silva e José de Alencar, respectivamente; a atual presidente da Argentina, Cristina Kirchner; Michelle Bachelet, presidente do Chile no mandato de 2006/2010, e David Cameron, primeiro-ministro do Reino Unido, entre outras autoridades brasileiras e mundiais.

‘São Paulo tem toda a condição de abrigar a Expo 2020’, afirma Fernando Haddad na Fiesp

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad, participou na manhã desta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), da primeira missão de inspeção do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que em novembro irá escolher a cidade-sede da Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Prefeito Fernando Haddad fala das razões para a cidade de São Paulo ser a escolhida. Foto: Airton Vignola

Confiante, Haddad acredita que a visita da comitiva do BIE é muito salutar para esclarecer dúvidas e para comprovar viabilidade do plano de negócio apresentado pela cidade.

“A delegação vai perceber que se trata de um projeto que faz sentido. São Paulo é uma cidade cosmopolita e que tem toda a condição de abrigar a Exposição Universal, não apenas pela sua infraestrutura, mas pela sua cultura. Uma cultura voltada para abertura, para acolhimento, para receber, para intercambiar”, afirmou o prefeito de São Paulo.

O evento teve a participação do secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini. O segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, representou a entidade.

Visita a Pirituba

Realizada de cinco em cinco anos, a Expo é considerada o terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico – atrás apenas dos Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Espera-se que a edição de 2020 reúna cerca de 30 milhões de visitantes ao longo de seis meses.

Nos trabalhos que prosseguem até quinta-feira (14/03), a comitiva do BIE tem a missão de analisar o projeto paulistano para sediar a Expo 2020. Está programada uma visita dos delegados ao local onde será construído o centro de exposição, no bairro de Pirituba.

Na quarta-feira (13/03), o grupo tem viagem marcada para Brasília (DF), onde serão recebidos pela presidente Dilma Rousseff.

Segundo o prefeito de São Paulo, os custos do novo centro de exposição – estimado em US$ 3 bilhões – deverão ser autofinanciáveis. No seu entendimento, a construção deste novo ambiente vai trazer desenvolvimento para região noroeste da cidade.

“Isso [candidatura] está coroando um processo de melhoria dos indicadores ambientais, sociais, de distribuição de renda e assim por diante. Neste contexto que nós queremos acolher a exposição”, completou.

A escolha do país-sede acontecerá em novembro de 2013. As outras candidatas a sediar a Expo 2020 são Ayutthaya (Tailândia), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Esmirna (Turquia) e Iekaterimburgo (Rússia).

Participação da Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Fernando Haddad e João Guilherme Sabino Ometto: reunião com delegados do BIE. Foto: Ayrton Vignola

A candidatura de São Paulo conta com o apoio da Fiesp. Em maio de 2012, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu Locertales e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer, e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

Na ocasião, Temer anunciou o seu apoio à candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020.

Além disso, o presidente da Fiesp integrou a comitiva brasileira que, defendeu, em Paris, a candidatura de São Paulo.

No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020. O documento reforça o compromisso da federação em desenvolver ações, como a elaboração de estudos e projetos relacionados a candidatura da cidade para o Expo 2020.

Sobre o Expo 2020

Criado em 1851, a Exposição Universal promove a troca de experiência entre dezenas de países, sobre temas importantes como: sustentabilidade, inovação tecnologia, cultura e urbanismos.

A exposição deixou legados importantes em diferentes áreas de conhecimento, como por exemplo, a construção de dois marcos da arquitetura: a Torre Eiffel, em Paris, e o edifício Atomium, em Bruxelas, na Bélgica. O telefone, por exemplo, teve sua primeira aparição pública na edição de 1876, na Filadélfia (EUA). A última edição foi realizada em Xangai, em 2010, alcançando 73 milhões de visitantes e a participação de 190 países.

Fiesp recebe missão do BIE para avaliar candidatura de São Paulo à Expo 2020

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Sede da Fiesp: quatro dias de reuniões técnicas para inspeção da candidatura de São Paulo à Expo 2020. Foto: Julia Moraes

Agência Indusnet Fiesp

Começa nesta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a missão do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE) com o objetivo de inspecionar a candidatura da cidade de São Paulo à Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

Logo pela manhã, o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e mais nove integrantes da comitiva, têm um encontro com a vice-prefeita, Nadia Campeão, e com secretário municipal de Relações Internacionais e Federativas, Leonardo Barchini.

Em seguida, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, fazem uma apresentação sobre as razões locais, nacionais e internacionais para São Paulo sediar a Expo 2020, abordando o contexto político, social e econômico. A agenda dos grupos técnicos prossegue até quinta-feira (14/03).

Terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico, atrás apenas dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo, a Expo tem duração de seis meses e acontece a cada cinco anos. É considerada referência na troca de experiências em temas como urbanismo e sustentabilidade.

São Paulo concorre com outras quatro cidades: Ayutthaya, na Tailândia; Dubai, nos Emirados Árabes; Ecaterimburgo, na Rússia; e Esmirna, na Turquia.  A decisão da cidade-sede da Expo 2020 será anunciada em novembro deste ano, em Paris.

A candidatura de São Paulo conta com o apoio da Fiesp. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf,  recebeu Locertales e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer. No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

“O Brasil está em um momento muito positivo. Daqui até 2020, grandes eventos terão sido realizados e essa grande exposição vai criar uma sinergia em todos esses bons momentos pelos quais o país irá passar”, disse Skaf após a assinatura do protocolo.

Infraestrutura e desenvolvimento

O evento exigirá uma infraestrutura especial e resultará em um significativo desenvolvimento para a cidade-sede. Caso São Paulo seja a escolhida, está prevista a construção de uma área de aproximadamente cinco quilômetros quadrados (três vezes maior que o parque Ibirapuera).

O novo centro de exposições será o maior da América Latina, com diversos pavilhões que após o evento serão transformados em escolas, postos de saúde e teatros.

Para sediar a exposição, a candidatura paulistana escolheu um local na zona norte da cidade, entre o bairro de Pirituba e o parque estadual do Jaraguá.

História 

A Exposição Universal nasceu há mais de um século e meio e reúne países do mundo todo a cada cinco anos.

A primeira edição foi em 1851, em Londres, no Palácio de Cristal, construído para a ocasião. A Torre Eiffel foi projetada para a edição de 1889. Durante os anos, a exposição apresentou grandes inovações ao mundo, como a iluminação pública, o telefone e o elevador.

Em 2010, a cidade de Xangai, na China, recebeu 73 milhões de visitantes e contou com a participação de 190 países.

Fiesp recebe visita de prefeito de São Paulo, Fernando Haddad

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, recebeu nesta sexta-feira (01/02) o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, recebe pela primeira vez na Fiesp o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Foto: Junior Ruiz

Foi a primeira visita do prefeito empossado em 1º de janeiro deste ano. Na pauta, possibilidades de parceria na área educacional e de atuação conjunta na candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020, entre outros temas.

Ao final do almoço, que teve a participação do 1° vice-presidente da Fiesp, Benjamin Steinbruch, e do professor Walter Vicioni, superintendente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), o prefeito concedeu breve entrevista coletiva.

Veja como foi a entrevista:

Possibilidades de parcerias entre Prefeitura e Sistema Fiesp

Na verdade eu sou fã tanto do Sesi quanto do Senai. Acho que são instituições que já vêm prestando há décadas serviço inestimável ao país. E como prefeito eu não podia deixar de visitar a Fiesp, e meu amigo Paulo Skaf, para já estabelecermos uma carta de intenções, o que nós podemos fazer juntos por São Paulo.

E as possibilidades são inúmeras. Desde um programa para abordar e recuperar moradores de rua, passando por Pronatec [Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego], até projetos mais ambiciosos como novas escolas do Sesi e do Senai em São Paulo, com a cessão do terreno pela Prefeitura, e um centro olímpico que nós começamos a discutir hoje também no município de São Paulo. Isso para citar alguns – nós conversamos longamente sobre possibilidades de parcerias.

O ânimo do Paulo é grande – o meu, é equivalente. Acho que vamos fazer um bom trabalho juntos. Eu acompanho o trabalho do Paulo Skaf há muitos anos. Vejo o entusiasmo com que ele trata os projetos do Sesi e do Senai no Estado. Quer fazer mais parcerias na capital. E eu , pelo meu desempenho no Ministério da Educação, de me aproximar do Sistema S, eu conheço com alguma profundidade o que vocês já fazem.

Doação de terrenos

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212451

Haddad: "Estamos dispostos a investir nisso. Aumentar a presença do Sesi e do Senai na capital". Foto: Junior Ruiz

Tem um projeto tramitando na Câmara [de Vereadores] que não foi aprovado. Nós nos comprometemos a pedir urgência nesse projeto. Queremos fazer a doação da área na região do Itaquerão para que uma nova escola possa surgir ali. Vai ser vizinha da Fatec, vizinha do estádio, já também vizinha da universidade federal. Nós agora desapropriamos um terreno e estamos encaminhando a doação para o Ministério da Educação. Estamos dispostos a investir nisso. Aumentar a presença do Sesi e do Senai na capital.

Centro de Convenções e Expo 2020

São duas coisas separadas, o Centro de Convenções e a Expo. O Centro de Convenções é um projeto mais antigo, amadurecido. A Expo, a nossa candidatura, que vamos defender este ano, é um desdobramento do primeiro projeto. Nós sabemos que precisamos de um alinhamento com o setor privado, a União e o governo estadual para viabilizar o projeto, que é bilionário, importante para São Paulo. O município precisa unir forças para defender a candidatura.

Paulo Skaf almoça com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, recebe nesta sexta-feira (01/02) para almoço o prefeito Fernando Haddad.

O encontro acontece às 12h30, na sede da entidade. Esta é a primeira vez que Haddad vem à casa da indústria paulista como prefeito da capital do Estado.

Brasil está preparado para dar salto de qualidade

O Brasil acordou tarde para a agenda da educação e é preciso, portanto, apressar o passo.

Este foi o tom dado por Fernando Haddad, à frente do Ministério da Educação desde 2005, ao participar da reunião do Conselho Superior de Responsabilidade Social (Consocial) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, nesta sexta-feira (25).

Em sua análise, o Brasil perdeu todo o século 20 quando a maioria dos países desenvolvidos universalizou o Ensino Básico. O País fez isto apenas nos anos 80. A mudança de cenário começa a ocorrer com a Lei Calmon (1983) e a Constituinte (1988), que tornou a educação um direito subjetivo. A partir daí, o Brasil acelerou, mas é necessário fazer mais.

“É preciso que a Educação Básica, que é o grande problema nacional, ganhe espaço e se consolide como uma política bem-sucedida”, pediu a presidente do Consocial, a ex-secretária Maria Helena Guimarães de Castro.

Haddad sinalizou que a cultura do aprendizado está mudando desde o momento em que se passou a divulgar dados por escola e por rede, pois assim se dá a dimensão da responsabilidade e é possível fixar metas em um sistema altamente capilarizado, que soma 200 mil escolas.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) ajuda a calibrar essa necessidade. A nota sete é a média mundial para quem está à frente quando o assunto é educação, caso da Holanda e Coréia. A nota cinco vale para países que estão em desenvolvimento, como Portugal, com indicador na casa dos 5,2.

“Estávamos em 3,5, em 2001, e subimos para 4,2, mas a nota seis será confortável, pois estará na média dos 30 países mais ricos do mundo”, disse Haddad. Segundo o ministro, o Brasil tinha 3,9% de investimento público do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, e, em 2008, atingiu 4,6%, o que significa R$ 21 bilhões adicionais. O ideal é um investimento direto mínimo de 6%.

“A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) investe 5%, pois tem dívida educacional menor. O Brasil precisa de 20% a mais para alcançar o mesmo patamar dos outros países”, argumentou Haddad.

Em termos de Ensino Superior, o Brasil sai na frente, ocupando a 13ª posição em produção científica mundial e tendo os melhores cursos de pós-graduação da América Latina. As vagas de graduação das universidades federais dobraram, segundo o ministro, e, somando o ProUni, as vagas triplicaram em relação a 2003.

Atenção à licenciatura em busca de qualidade

O ano de 2010 chegará com novidades. Uma delas é a nota de corte para as licenciaturas, baseando-se no resultado obtido no Enem. A meta é elevar o nível do futuro professor, que será responsável pela formação de outros estudantes.

Quando o aluno for admitido em uma instituição particular, os custos serão suportados pelo Estado. É uma espécie de financiamento: 1% da dívida será abatido a cada mês trabalhado na rede pública após a conclusão da licenciatura. Conta esta que fecha com 100 meses de exercício profissional e carga horária de 20 horas semanais.

Outra inovação tratada pelo ministro diz respeito a banco on-line de nota de professores. Será criada uma prova nacional cujos resultados ficarão abrigados no site do MEC (www.mec.gov.br). A partir deste banco, as prefeituras com vagas disponiveis poderão selecionar os profissionais ali inscritos que melhor atenderem suas necessidades.

“É uma dinâmica positiva, um modelo a favor da qualidade”, completou o ministro, que acredita estimular assim o docente a se manter atualizado. “O professor é a chave do desenvolvimento do País. É precisar resgatar sua auto-estima e a estima pelo professor”, finalizou.