850 milhões de reais é o que custarão à indústria paulista os 14 feriados de 2010

Agência Indusnet Fiesp,

Às vésperas de mais um feriado, Corpus Christi, pesquisa da Fiesp e do Ciesp, com 478 empresas de diversos portes, aponta que 59% delas interrompem suas atividades produtivas durante o feriado, mas acomodam a produção em outros dias em horário normal. Já 31% interrompem as atividades e são obrigadas a fazer hora extra para recuperar a produção, enquanto 10% não interrompem as atividades.

Encomendada pelo Departamento de Economia das entidades, a pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 21 de maio e escutou 478 empresas. Da amostra, 68% são micro e pequenas, 25% médias e 7% grandes.

Quando a pesquisa leva em consideração o porte das empresas, os resultados mostram que 61% das pequenas e 58% das médias empresas param as atividades em feriado e acomodam a produção em horário normal. O mesmo não acontece com as grandes empresas: 41% continuam trabalhando mesmo em feriados.

Pontes
O estudo também considerou os dias ponte dos feriados, e os resultados são:

  • 49% das empresas interrompem suas atividades produtivas, mas os funcionários fazem compensação;
  • 28% não param;
  • 15% interrompem, mas acomodam a produção em horário normal; 8% param, mas são obrigadas a fazer hora extra.

Na estratificação por porte, as pequenas, 52% e as médias, 48% interrompem suas atividades em dias de ponte e os funcionários fazem compensação, enquanto 62% das grandes trabalham normalmente em dias ponte.

Custo do Produto
A pesquisa verificou, ainda, como os feriados interferem no custo do produto, que em média tem uma alta de 2,2% nesses períodos.

Segundo a análise, nas empresas que interrompem suas atividades e acomodam a produção em horário normal, o aumento médio é de 1,7%. Já para as que interrompem as atividades fazendo horas extras para recuperar a produção o custo é bem maior: 3,2%. Enquanto para as que não interrompem as atividades o aumento médio fica em 2,4%.

Na divisão por porte, no entanto, não há muita diferença. O aumento médio dos custos com um dia de feriado para as pequenas é de 2,3%, para as médias, 2,1% e para as grandes, 2,2%. Ao expandir estes 2,2% sobre o custo total da produção de um dia da indústria paulista, tem-se o valor de R$ 60,7 milhões, para os 14 feriados do ano tem-se o valor total de R$ 800 milhões.


Para acessar o estudo completo, clique aqui
.