Com Fabiana e Serginho, seleções brasileiras vencem sul-americano feminino e masculino

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O Brasil comemorou neste fim de semana a conquista de dois títulos em competições internacionais. Contando com Fabiana e Serginho (atletas do Sesi-SP) em quadra, as seleções brasileiras feminina e masculina de vôlei garantiram o título do Campeonato Sul-Americano 2015. No feminino, essa foi a 19ª conquista. Para os homens, foi o 30º título na competição.

O primeiro grupo a levantar o troféu na noite de sábado (3) foi o feminino, após vencerem o Peru por 3 sets a 0 (25/17, 25/21 e 25/13), em Cartagena, na Colômbia. O Brasil terminou a competição com cinco vitórias em cinco jogos e nenhum set perdido. A Colômbia ficou com a medalha de bronze ao superar a Argentina por 3 sets a 2 (25/21, 26/24, 19/25, 23/25 e 15/6).

Natália foi a maior pontuadora, com 16 acertos. A ponteira Gabi, com 11, e as centrais Juciely e Fabiana, com oito cada, também pontuaram bem pelas brasileiras. Pelo lado do Peru, a atacante Ângela Leyva foi quem mais marcou, com 11 acertos.

Na manhã de domingo (4), foi a vez da seleção masculina levantarem o caneco. A equipe derrotou a Argentina, também por 3 a 0 (25/16, 25/19 e 25/16), na decisão do Sul-Americano realizado em Maceió e pela 30º vez sagram-se campeões. Esta foi a 31ª edição da competição.

A seleção dirigida pelo técnico Bernardinho venceu o Peru por 3 sets a 0, o Chile por 3 a 1 e a Venezuela por 3 a 0, pela fase classificatória. Classificado para a semifinal, o Brasil bateu a Colômbia por 3 sets a 0 e garantiu a vaga na final. A Argentina também chegou invicta depois de vencer Guiana, Uruguai, Colômbia e Venezuela.

Além do título, o Brasil apareceu em quatro premiações individuais. Bruninho foi o melhor levantador, Evandro, o melhor oposto, Isac, o melhor central e o líbero Serginho foi eleito o melhor jogador do Campeonato Sul-Americano. Outros premiados foram os ponteiros Quiroga, da Argentina, e Jimenez, da Colômbia. O central Imhoff e o líbero Santucci, ambos da Argentina, também foram reconhecidos.

Melhor jogador da competição, o líbero Serginho falou com a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) após a partida. “Esperávamos um jogo mais duro, mas foi importante imprimir nosso ritmo. Estudamos bastante o time deles e acho que, por isso, o jogo se tornou fácil. A Argentina sempre é uma equipe de respeito, que sabe jogar muito bem. Entramos em quadra respeitando muito o time deles e agora estou muito feliz com essa premiação”, disse o líbero do Brasil.

Campanha Feminina:
(29.09) – Brasil 3 x 0 Uruguai (25/14, 25/11 e 25/15)
(30.09) – Brasil 3 x 0 Chile (25/16, 25/6 e 25/15)
(01.10) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/16, 25/17 e 25/14)
(02.10) – Semifinal – Brasil 3 x 0 Colômbia (25/17, 25/12 e 25/12)
(03.10) – Final – Brasil 3 x 0 Peru (25/17, 25/21 e 25/13)

Campanha Masculina:
(30.09) – Brasil 3 x 0 Peru (25/8, 25/9 e 25/15)
(01.10) – Chile 1 x 3 Brasil (25/23, 18/25, 14/25 e 23/25)
(02.10) – Brasil 3 x 0 Venezuela (25/16, 25/8 e 25/14)
(03.10) – Semifinal – Brasil 3 x 0 Colômbia (25/19, 25/14 e 25/10)
(04.10) – Final – Brasil 3 x 0 Argentina (25/16, 25/19 e 25/16)

Vôlei do Sesi-SP reencontra São Caetano e mira na sétima vitória na Superliga

Agência Indusnet Fiesp

Sem clima de revanche, mas com lições aprendidas e buscando mais três pontos. Esse é o pensamento do time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para o jogo da próxima sexta-feira (05/12) contra o São Cristóvão Saúde/São Caetano, na Vila Leopoldina, às 19h30.

No último encontro com as rivais, as Meninas da Vila acabaram eliminadas do Campeonato Paulista na semifinal, perdendo a chance de conquistar um título inédito. Mas se alguém acha que a partida traz uma expectativa de vingança, se engana. Para a capitã Fabiana Claudino, aquele jogo é passado e o que importa agora é o futuro.

“Não existe esse sentimento (de revanche). O que passou, passou. Elas ganharam por merecimento. Agora temos mais um desafio que precisamos ultrapassar. O São Caetano é uma equipe forte e provou isso no Paulista. Então, temos que ter atenção redobrada e muita obediência tática para vencer o jogo”, afirmou a central, que ganhou o Viva Vôlei no último jogo contra o Brasília, na terça-feira (02/12).

Mesmo com a sexta vitória seguida, Fabiana diz que o time não pode deixar o nível cair se quiser se manter no topo. “O jogo de terça foi muito difícil, pela qualidade e experiência do Brasília. Mas nossa equipe está muito focada e trabalhando forte para manter a boa campanha. Sabemos que, se pretendemos conquistar algo, não podemos pensar em relaxar”.

O pensamento da capitã está alinhado com o treinador Talmo de Oliveira. Aquela semifinal já foi, marcou, mas deixou um aprendizado que será útil para sexta e para o restante da competição.

“Estamos em um outro campeonato e sentimos por não termos feito a final do Paulista. Mas aprendemos e crescemos muito com isso. Agora teremos outra oportunidade de vencermos o São Caetano dentro de casa e o foco para a partida é total”, completou Talmo.

O Sesi-SP está em 3ª lugar na tabela, com 18 pontos conquistados em seis partidas. O time perdeu apenas um set até agora na Superliga. O São Caetano está na 6ª posição, com sete pontos em sete jogos. Após o jogo de sexta, o Sesi-SP faz o clássico regional contra o Pinheiros (09/12), terça, fora de casa e em seguida o Praia Clube, na Vila Leopoldina, quinta (11/12).

Sesi-SP enfrenta São Bernardo Volei pela quinta rodada da Superliga 2014/15

Agência Indusnet Fiesp

Após vencerem o Uniara/Afav por 3 sets a 0 (25/17, 27/25 e 25/18), na última quarta-feira, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), recebe na Vila Leopoldina o São Bernardo Volei. Quarto colocado na classificação geral, o time do técnico Talmo de Oliveira entra em quadra nesta sexta-feira (28/11), às 20h, em busca de mais uma vitória na Superliga 2014/15.

O time do Sesi-SP entra em quadra pela quinta rodada da competição para garantir mais três pontos, manter a campanha invicta e se aproximar cada vez mais dos líderes.

A levantadora Carol Albuquerque, destaque nas últimas partidas e segunda colocada no ranking da CBV em levantamento, com 29,89%, alerta que o time precisa estar com alerta máximo para a partida desta sexta. Mesmo com as derrotas das adversárias, a jogadora acredita que não será um jogo fácil e o São Bernardo entrará em quadra em busca da primeira vitória.

“Estamos em uma crescente boa, mas contra o São Bernardo não tem jogo fácil. Já jogamos contra elas no Paulista e conhecemos um pouco o jeito delas de jogar. Precisamos entrar ligadas, atentas aos fundamentos e continuar vencendo. O time do São Bernardo virá forte atrás da vitória e nós não podemos descuidar”.

Após o jogo contra o São Bernardo Volei, o Sesi-SP sairá da Vila Leopoldina para enfrentar o Brasília Volei, dia 02/12.

Como sempre ocorre nos jogos na Vila Leopoldina, antes das partidas é realizada a Campanha pelo Alimento. O torcedor pode trocar 1 quilo de alimento não perecível por um ingresso para assistir o jogo e assim ajudar a Casa do Pequeno Cidadão.

Serviço

Superliga 2014-2015 – Feminina

Sesi-SP x São Bernardo Volei

Data: 28/11 (sexta-feira), às 20h

Local: Ginásio da Vila Leopoldina, Rua Carlos Weber, 835 – Vila Leopoldina, São Paulo-SP

Entrada gratuita (1 quilo de alimento não perecível por ingresso)

Por pouco: Sesi-SP reage, mas deixa vitória escapar no final

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Mais uma vez, faltou apenas um set. Como o time masculino, que caiu no tie-break diante do Taubaté sem conseguir levar para o golden set, o feminino também sucumbiu na hora crucial. Depois de recuperar uma partida onde perdia por 2×0, as meninas da Vila não superaram o São Cristóvão Saúde/São Caetano no tie-break e acabaram eliminadas do Campeonato Paulista com a derrota por 3×2 (25/20, 25/16, 21/25, 22/25 e 15/11).

Agora, o time se prepara para a estreia na Superliga, dia 10/11, contra o São José dos Campos, fora de casa.

Apresentando os mesmos erros da partida anterior, o Sesi-SP demorou a se encontrar na partida e viu o São Caetano dominar nos dois primeiros sets, dando a impressão de que fecharia com facilidade. No terceiro set, no entanto, as donas da casa voltaram a dar as cartas, forçando o quinto set. Foi quando faltou a mesma vibração e sobrou apenas a eliminação. Mesmo utilizando todas as jogadoras que tinha à disposição, Talmo não conseguiu encontrar uma maneira de neutralizar o ataque adversário, principalmente de Sonaly e Thaisinha, que desequilibraram.

O jogo

Talmo mandou para quadra a equipe com Fabiana, Claudinha, Suelle, Mari, Monique, Bia e Suelen. Entraram Carol, Michelle, Liz, Pri Daroit e Bárbara.

O Sesi-SP precisava vencer o primeiro set com autoridade para colocar pressão no São Caetano, mas aconteceu o oposto. Jogando muito bem, o time do ABC nunca esteve atrás do placar, enquanto as meninas da Vila repetiam erros da primeira partida. Sem o passe na mão, Claudinha não acionava Fabiana como queria, facilitando a marcação de Monique e Suelle.Para tentar melhorar o quesito, Talmo colocou Pri Daroit no lugar de Mari, mas não surtiu o efeito esperado. Do outro lado, Mara e Thais viraram os ataques, mantendo a vantagem do São Caetano, que fechou em 25/20 após Saraellen explorar o bloqueio de Suelle.

O Sesi-SP melhorou seu jogo no segundo set, mas continuava correndo atrás do São Caetano no placar. O time chegou a liderar em 11/10, mas duas marcações erradas da arbitragem mudaram o cenário e Talmo pediu tempo. A mira também não estava boa e muitos ataques saíam da quadra, dando pontos para as rivais. Talmo fez a inversão colocando Carol e Liz nos lugares de Monique e Claudinha, mas o time não respondeu e a vantagem aumentou, ficando inalcançável. Com isso, Paula explorou o bloqueio de Bia e fechou para o São Caetano em 25/16, com autoridade.

O terceiro set se tornou o tudo ou nada para o Sesi-SP. Começou bem, com o time abrindo 2/0, mas logo permitiu a virada. Bia, no bloqueio, empatou e Mari ampliou. Mas a defesa rival estava em noite inspirada e a bola, por mais difícil que fosse, respingava e voltava. Talmo passou a usar as duas líberos e com Michelle na defesa o time melhorou, a ponto de conseguir seu primeiro tempo técnico da partida em 08/06.Sabendo que não havia outra opção senão ir para cima, Talmo colocou Mari para tentar virar as bolas que Suelle e Pri não conseguiam. Deu certo. A camisa 10 inflamou o time e venceu praticamente todos os duelos na rede. Desta forma, finalmente o Sesi-SP encontrou seu jogo e fechou a etapa em 25/21, levantando a Vila Leopoldina.

Para as donas da casa, o quarto set era a sobrevivência no campeonato. Para as visitantes, a hora de sacramentar o sonho da final. E foi, de longe, o set mais agressivo. O Sesi-SP voltou a apresentar dificuldades no passe, mas Mari e Monique compensavam virando as bolas. Com 07/10 no placar contra, Talmo pediu tempo. As orientações deram certo, Fabiana foi para o saque e a eficiência de Bia no bloqueio virou o jogo para 11/10.Novamente, a Vila pegou fogo. A arbitragem marcou errado um bloqueio de Pri, assinalando fora, mas o juiz de linha corrigiu, aumentando o fôlego do Sesi-SP, que abriu 14/10. Daí foi segurar a diferença até fechar em 25/22, empatando a partida e levando para o tie-break.

Porém, no início do quinto set, o jogo desandou. O time ficou no bloqueio e viu as rivais abrirem boa vantagem, numa etapa de tiro curto, chegando a 09/03. Fabiana chegou a marcar o quarto ponto e Talmo fez a inversão, mas o saque de Carol foi na rede, esfriando a reação. A levantadora do São Caetano, Carol, também errou o saque e devolveu a bola, mas Fabiana não aproveitou e a vantagem de cinco pontos se manteve. Com 13/08, Pri errou mais um saque, quando não podia, dando o match point para as rivais, que fecharam com Silvana na saída de rede em 15/09, se classificando para as finais.

Sesi-SP conta com Fabiana e volta à casa para conseguir a vaga na final

Agência Indusnet Fiesp

Ainda envolvida com o Campeonato Paulista, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) tem uma tarefa complicada nesta quarta-feira (29/10), às 19h, na segunda semifinal contra o São Cristóvão Saúde/São Caetano. Com a derrota na primeira partida disputada na segunda-feira (27/10) por 3×2, Fabiana e cia agora precisam vencer o jogo e depois conseguir outra vitória no golden set para ficar com a vaga na final.

No último confronto, o Sesi-SP venceu os dois sets em que abriu larga vantagem, mas não conseguiu superar as rivais quando a pontuação ficou próxima. Para o técnico Talmo de Oliveira, um fundamento foi essencial para definir a partida, além da falta de ritmo. Com a classificação direta para a semifinal, o Sesi-SP ficou 16 dias sem jogar.

“O diferencial do primeiro jogo foi o saque. Quando sacamos bem, no segundo e no quarto set, vencemos. Nos outros, elas foram melhores. Me surpreendeu um pouco porque não foi como treinamos. O São Caetano tem um time muito rápido e muito bem preparado. Não conseguimos colocar em prática nosso melhor jogo. Também pesou a falta de ritmo de duas semanas sem jogar, enquanto elas vieram de uma semifinal dura contra o Uniara.

Agora que o jogo já passou, Talmo sabe a receita e ela passa por um jogo conjunto melhor e menos erros. O treinador não divide a partida em duas. É um jogo só.

“Para esta partida, precisamos jogar muito mais conscientes e com conjunto melhor. Demos muitos pontos de bobeira, temos que diminuir os erros. Tem que ser um jogo de pelo menos quatro sets. Então vamos entrar sabendo disso”.

Durante a partida da segunda-feira, Fabiana ficou no banco a maior parte do tempo, entrando só no terceiro set. Talmo justificou, mas garante que para esta quarta, a capitã começa jogando.

“A Fabiana chegou agora e o entrosamento com a Claudinha ainda não é o ideal. Claro que vamos trabalhar muito, mas a Bárbara e a Bia vinham jogando e estavam bem. Só que a Bárbara começou a ter dificuldade na virada de bola então coloquei a Fabiana. E a presença dela impacta, também. É uma imagem forte, marcante. Quarta, ela joga de início”.

Sesi-SP é derrotado pelo Praia Clube na segunda partida dos playoffs

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

A equipe de vôlei feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) perdeu o segundo jogo das quartas de final da Superliga contra o Banana Boat/Praia Clube, realizado neste sábado (29/03) por 3 sets a 1, na casa do adversário, em Uberlândia. As parciais foram de 19/21, 17/21, 21/17 e 18/21.

As quartas de final são definidas em melhor de três. Como o Sesi-SP venceu o primeiro jogo e o Praia Clube, o segundo, as equipes vão se encontrar novamente no próximo sábado (05/04), na Vila Leopoldina. O vencedor disputa a semifinal contra o Molico/Nestlé, de Osasco.

O time do Sesi-SP começou com as jogadoras Dani Lins, Ivna, Dayse, Suelle, Fabiana, Suellen e a central Fran, que substituiu Bia, que desfalcou a equipe por estar com dengue. Entraram Carol, Neneca e Pri Daroit.

“A gente errou muito hoje, mas agora não temos que ficar pensando nesse jogo. Agora é pensar para a frente, no próximo jogo, que vai ser em casa e ir com tudo”, declarou a oposta Ivna, em entrevista para o canal SporTV no fim do jogo.

O jogo

Como já era esperado, o jogo começou difícil. A torcida adversária lotou o ginásio de Uberlândia e o time mineiro ficou na frente no placar até a primeira parada técnica, quando o Sesi-SP chegou ao empate. O Praia Clube forçou o ataque e ampliou a vantagem, mas o Sesi-SP não desanimou e ainda conseguiu chegar ao empate por 18 a 18. Mas o set ficou com o Praia Clube por 21 a 19.

No segundo set, Sesi-SP continuou com dificuldade para definir as jogadas e novamente o Praia Clube assumiu a liderança desde o começo do set. O técnico do Sesi-SP mexeu no time, colocou a ponta Pri Daroit, e o Sesi-SP conseguiu marcar 13 a 12 e equilibrou a disputa. Mas deu Praia Clube, que fechou por 21 a 17.

O Sesi-SP voltou com vontade para o terceiro set e mostrou sua força. Melhorou em todos os fundamentos, acertou as falhas e ficou na frente desde o começo até o 16º ponto, quando o Praia Clube empatou. Mas o Sesi-SP conseguiu ganhar por 21 a 17.

Com uma equipe querendo levar o jogo para o quinto set e outra buscando evitar o tie-break, o quarto set começou disputado, ponto a ponto. O Praia Clube começou a ganhar vantagem marcando 12 a 9 no placar. O Sesi-SP não desistiu da partida e, no finalzinho, chegou perto do adversário, fazendo 18 pontos contra 19 do Praia Clube. Mas o set acabou com a vitória do time mineiro – que marcou o último ponto por causa de um cartão vermelho para o Sesi-SP e venceu a partida.

Em partida difícil, Sesi-SP conquista oitava vitória na Superliga

Agência Indusnet Fiesp

Em quarto lugar na tabela da Superliga 2013/2014, o time de vôlei feminino do Sesi-SP enfrentou, nesta sexta-feira (14/02) o Vôlei Amil, segundo colocado, e venceu por 3 sets a 2, com parciais de 21/17, 17/21, 21/19, 21/17 e 15/7. As posições na tabela não se alteraram, mas é a oitava vitória consecutiva do Sesi-SP, o que reforça a boa fase da equipe, que recentemente foi campeã do Campeonato Sul-Americano.

O time que começou a partida contra o Vôlei Amil foi formado por Dani Lins, Fabiana, Ivna, Suelle, Dayse, Bia e a líbero Suelen. Fabiana foi a maior pontuadora da partida, com 22 pontos e o Troféu Viva Vôlei foi para Suelen.

No primeiro set, o Sesi-SP saiu atrás no placar, mas conseguiu virar no finalzinho e fechou por 21 a 17. O time de Campinas voltou forte para o segundo set e chegou a abrir seis pontos de vantagem. Dessa vez, não deu chance para a reação do Sesi-SP e repetiu o placar de 21 a 17, porém na posição de vencedor.

No terceiro set, foi a vez do Sesi-SP assumir a liderança no placar no início. O Vôlei Amil chegou a passar na frente e a disputa foi difícil até o final, mas o Sesi-SP levou a melhor e ganhou por 21 a 19.  No quarto set, a disputa foi equilibrada do começo ao fim, mas deu Campinas: 21 a 17. No set decisivo, o Sesi-SP mostrou mais competência e venceu por 15 a 7.

 

Giovane e Talmo destacam valor da escola e do professor no incentivo à prática esportiva

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Mediados por Eduardo Carreiro, Talmo de Oliveira e Giovane Gávio debatem o Brasil olímpico, na Bienal do Livro

O investimento em educação de qualidade e o incentivo à prática esportiva são duas importantes ferramentas de transformação social. A opinião é dos medalhistas olímpicos Giovane Gávio e Talmo de Oliveira, respectivamente técnicos das equipes masculina e feminina de voleibol do Sesi-SP, que participaram do debate “O Brasil Olímpico”, realizado nesta terça-feira (14/08) no estande das editoras do Sesi-SP e Senai-SP, na Bienal do Livro de São Paulo, sob a mediação do diretor da unidade do Sesi Vila Leopoldina, Eduardo Carreiro.

Na avaliação de Giovane Gávio, técnico do time masculino, o esporte contribui para o desenvolvimento pleno do ser humano e as escolas, especialmente os professores, exercem um papel preponderante no processo de aprendizagem e na motivação de crianças e jovens.

“O esporte é muito mais do que medalhas olímpicas. O esporte tem um papel social fantástico. Ele pode ser uma excelente ferramenta e, quando aliado à educação, pode transformar a nossa sociedade em algo cada vez melhor”, afirmou Gávio. E completou: “Eu só consegui chegar onde eu cheguei porque tive a sorte de ter um professor de educação física que era apaixonado por esporte. Ele me inspirou.”

Na mesma linha, Talmo de Oliveira, técnico do time feminino, destacou a importância da criação de uma política pública que proporcione educação de qualidade para crianças e jovens de todo o Brasil.

“A gente sempre fica ligado no resultado final [conquista da medalha] e esquece que tem um longo caminho pela frente”, observou. “Quando se fala em educação, o Brasil está atrás de países menos expressivos economicamente. Eu acredito que para fazer um esporte de primeiro mundo é preciso investir em educação”, apontou.

De acordo com Talmo de Oliveira, a metodologia adotada pelo Sesi-SP – de estímulo à prática esportiva e adoção de hábitos de vida mais saudável – é muito importante para formação plena do indivíduo. E, em sua avaliação, os atletas da indústria paulista têm um papel de destaque neste processo.

“A cultura esportiva é importante e precisa estar presente na vida de todos. É isso que a gente está tentando fazer no Sesi-SP, para que os nossos atletas de seleção sirvam de inspiração e referência aos nossos alunos”, salientou.

Paixão pela Copa do Mundo

No final do debate, os medalhistas olímpicos e treinadores do Sesi-SP prestigiaram o lançamento da coleção “150 anos de futebol”, do autor José Eduardo de Carvalho, que se inspirou na paixão do povo brasileiro pela Copa do Mundo.

“A coleção é uma cartilha para quem não conhece, mas gosta do futebol, e às vezes tem dificuldades em entender algumas coisas. Como é um livro paradidático, a gente dá uma explicada nos fatos históricos, pequenos símbolos do futebol”, disse Carvalho.

Meninas do Sesi-SP vencem as últimas invictas da Superliga 2011/2012

Rodrigo Marinheiro, Agência Indusnet Fiesp

Jogando em casa e com o apoio de sua fanática torcida, o Sesi-SP derrotou na terça-feira (17) o Vôlei Futuro por 3 sets a 2 (parciais de 25/22, 16/25, 25/19, 19/25 e 15/9), em 2h25 de partida.

Meninas do Sesi-SP comemoram vitória sobre Vôlei Futuro

Este foi o terceiro jogo entre a equipe do Sesi-SP, formada a menos de um ano, e a equipe do Vôlei Futuro, atual campeã paulista. Foi também a terceira vitória do time da indústria paulista contra as adversárias.

Com a vitória, as meninas do Sesi-SP continuam ocupando a 5ª colocação da Superliga, mas empatadas em número de pontos (16) com a rival Usiminas/Minas – 4ª colocada. Já o Vôlei Futuro, que ocupava a 1ª colocação e era a última equipe invicta do campeonato, com a derrota, passou a ocupar a 2ª colocação.

As atuais líderes da Superliga são as cariocas do Unilever, que até aqui sofreram apenas um revés. A derrota das atuais líderes foi justamente para as meninas do Sesi-SP, na primeira rodada da Superliga 2011/2012.

O Sesi-SP volta à quadra nesta sexta-feira (20), quando enfrentará o BMG/São Bernardo (SP), às 19h30, no ginásio do Baetão, no ABC Paulista.

Classificação

Equipes Pts T V D
UNILEVER 21 8 7 1
VOLEI FUTURO 21 8 7 1
SOLLYS/NESTLE 21 8 7 1
USIMINAS/MINAS 16 8 6 2
SESI-SP 16 8 5 3
MACKENZIE/CIA.DO TERNO 11 8 4 4
BANANA BOAT/ PRAIA CLUBE 9 8 3 5
BMG/SÃO BERNARDO 9 8 3 5
SÃO CAETANO 6 8 2 6
RIO DO SUL 5 8 2 6
ESPORTE CLUBE PINHEIROS 5 8 1 7
MACAE SPORTS 4 8 1 7

 

Serviço

9ª Rodada da Superliga Feminina de Vôlei2011/2012
BMG/São Bernardo X Sesi-SP
Data: 20/01, sexta-feira, às 19h30
Local: Ginásio Paulo Cheidde “Baetão”
End: Rua Dona Julia Ferreira, 270, Baeta Neves, São Bernardo do Campo, SP

Time feminino do Sesi-SP convoca a torcida para o jogo, nesta terça-feira (10), contra o E. C Pinheiros

Rodrigo Marinheiro, Agência Indusnet Fiesp

O time de vôlei feminino do Sesi-SP segue firme em busca de alcançar seu principal objetivo nesta primeira fase da Superliga Feminina de Vôlei: começar o segundo turno entre as quatro melhores equipes do nacional. Para isso, a equipe da indústria entra em quadra, nesta terça-feira (10), às 21 horas, em busca de mais três pontos contra o E.C Pinheiros, com transmissão ao vivo do canal SporTV.

O técnico Talmo de Oliveira falou sobre a importância de vencer as partidas em casa. “Precisamos utilizar o fator de jogarmos em nosso ginásio. A nossa torcida costuma vibrar muito nas arquibancadas e participar do jogo como se fosse uma sétima jogadora em quadra”, disse.

Em sua breve história no vôlei feminino, o Sesi-SP enfrentou o E.C. Pinheiros em duas oportunidades, ambas pelo Campeonato Paulista de Vôlei. Jogando em casa, no primeiro turno do Paulistão, o Sesi-SP venceu as adversárias de amanhã por 3 sets a 1.

No segundo turno, na casa das rivais, as meninas do Sesi-SP perderam por 3 sets a 2. “Será um clássico muito bonito de se ver, pois é um confronto direto entre duas equipes muito iguais. Acredito que será um grande jogo e nós faremos de tudo para conquistarmos mais uma vitória diante de nossa torcida”, afirmou o treinador.

Serviço:
 
Superliga Feminina de Vôlei 

6º rodada  7º rodada

Sesi-SP x E.C Pinheiros
Dia 10 de janeiro (terça-feira), às 21 horas
Local: Ginásio Sesi Vila Leopoldina
Transmissão do canal SporTV

Rio do Sul x Sesi-SP
Dia 13 de janeiro (sábado), às 21 horas
Local: ginásio Municipal Artenir Werner
End: Rua Princesa Isabel, 670; Canoas – SC