Outubro Rosa: câncer de mama mata mais de 13 mil no Brasil por ano

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O Brasil registra por ano mais de 570 mil novos casos de câncer. Desses diagnósticos, mais de 57 mil são câncer de mama, que mata ao menos 13 mil homens e mulheres brasileiras todos os anos.

As informações foram apresentadas na manhã desta quarta-feira (01/10) pela Ph.D Maira Caleffi, presidente da Federação das Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), em uma palestra realizada na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

“Câncer de mama é um problema de saúde pública e queremos influenciar as políticas públicas com relação à saúde porque não vai bem”, afirmou Maira ao falar para funcionárias do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542272862

Maira Caleffi: na maioria dos casos, o câncer de mama é silencioso. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Segundo tipo de maior ocorrência no mundo, o câncer de mama acomete principalmente mulheres acima dos 40 anos. A doutora Maira alerta que toda mulher acima dessa idade deve fazer o exame de mamografia pelo menos uma vez ao ano.

Ela reiterou que o autoexame, no qual a mulher apalpa a própria em mama, não pode ser confundido como diagnóstico do surgimento ou não da doença. “Eu prefiro não chamar isso de autoexame, mas de autocuidado. Quem faz exame é o médico.”

Maira também afirmou que, na maioria dos casos, o câncer de mama é silencioso. “A gente só nota ele [tumor] na mão quanto já está com mais ou menos dois centímetros”, disse a doutora sobre o que seria o segundo estágio da doença.

Mesmo após o diagnóstico, 50,2% dos pacientes demoram até oito meses para iniciar algum tipo de tratamento, informou a médica.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542272862

Presidente da Femama informou que tumores de dois a cinco centímetros têm 70% de chances de serem curados, enquanto nos casos com mais de cinco centímetros as chances de sobrevida são de apenas 40%. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Segundo Maira, em casos de tumores com menos de um centímetro de diâmetro, as chances de sobrevida são de 98%, no caso dos tumores com um centímetro, as chances de cura são de 95%. Já tumores de dois a cinco centímetros têm 70% de chances de serem curados, enquanto nos casos com mais de cinco centímetros as chances de sobrevida são de apenas 40%.

A médica também comentou o aumento de mastectomias preventivas após a atriz Angelina Jolie anunciar que havia feito o procedimento nas duas mamas por conta de seu carregamento genético. A mãe da atriz morreu da doença aos 56 anos.

“Ela tinha o gene marcado, vários casos de câncer na família em mulheres jovens. Ela pensou no que poderia fazer pelo seu futuro”, comentou Maira. “Mas se você tem alguns casos na família e não herdou a mutação, porque hoje a gente consegue medir isso, para quê tirar tudo se você tem a mesma probabilidade que o resto da população?”, questionou.


Outubro Rosa

A palestra de Maira Caleffi foi um dos primeiros eventos oficiais do movimento Outubro Rosa para este ano. Nesta noite, a Fiesp vai exibir na fachada do prédio o laço rosa, símbolo da campanha de combate ao câncer de mama. Durante 19 dias, a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP vai projetar o laço, sempre no período entre 20h e 6h do dia seguinte.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542272862

Francisca Harley, presidente de Amigas Américas: associação já ajudou a realizar 280 mil exames de diagnóstico do câncer de mama. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Também participou do lançamento oficial da campanha a Amigas Américas, iniciativa de brasileiros e norte-americanos para o combate ao câncer de mama.

De acordo com a presidente da Amigas Américas, Francisca de Paula Harley, a associação já ajudou a realizar 280 mil exames de diagnóstico do câncer de mama, além de doar 22 mamógrafos para 11 estados brasileiros.

O Sesi-SP também deve fazer sua contribuição para o diagnóstico precoce do câncer de mama. A primeira unidade de móvel da entidade para exames de mamografia também começa a fazer seus primeiros exames ainda este ano, provavelmente em dezembro.

>> Sesi-SP realiza ações de prevenção ao câncer de mama