Iniciativas Sustentáveis: Feito Brasil – A riqueza da diversidade

Por Karen Pegorari Silveira

Muito se fala em diversidade hoje em dia, mas poucas empresas conseguem realmente enxergar a diversidade como uma vantagem competitiva. O fato é que muitos estudos comprovam que organizações compostas por um público interno diverso possuem mais condições de atender às demandas dos consumidores, cada vez mais diferenciadas, como mostra o documento Como as Empresas podem (e devem) valorizar a Diversidade, do Instituto Ethos. Nele, podemos conferir alguns dos inúmeros benefícios de incluir profissionais com perfis diferentes como, por exemplo, a redução da rotatividade; a melhora da produtividade; maior flexibilidade em relação a mudanças; além do reconhecimento adequado de desempenho e novos talentos, que em um ambiente de discriminação poderiam ser reprimidos.

Vantagens como essas também inspiraram uma pequena indústria de cosméticos artesanais do Paraná, no sul do Brasil, a trabalhar com a diversidade. A Feito Brasil foi criada em 2004 por Lena Peron – mais conhecida como “Mama da Feito”, com a imensa vontade de quebrar o padrão e a mesmice do mundo dos negócios. Para ela, a valorização e respeito às diferenças são a base e o fundamento para um bom trabalho. “Na Feito Brasil, somos e precisamos do diferente. Não fazemos distinção étnica, política, religiosa, de gerações ou orientação sexual, muito menos por identidade de gênero, e acreditamos que as diferenças se completam e divergem para a superação e para a missão de encantar, acolher e inspirar as pessoas”, diz a presidente.

Hoje a empresa conta com 25 colaboradores, sendo 95% de mulheres, 5% de homens, 37% entrou na Feito como seu primeiro emprego, 21% são negras e 5% albinas. Dentre elas, 37% são mães.

E as diferentes visões da empresa não param por aí. A Feito se distingue pela forma como produz e também pelo local escolhido para construir a fábrica, que está instalada em um sítio na pequena cidade de Mandaguaçu (PR). Todo o processo de produção dos cosméticos é artesanal: a farmacêutica cria a formulação, passa por testes (sem utilizar animais), chega para a produção manual, enquanto a área de criação elabora a embalagem e a arte do rótulo para então seguir para o envasamento. Todas as matérias-primas são de origem vegetal e certificadas. Todos os produtos são isentos de substâncias de origem animal, óleo mineral, silicones e parabenos, além disso são procedentes de fabricantes e fornecedores qualificados, que adotam testes de segurança e eficácia e fazem o uso sustentável dos recursos naturais.

Esta postura rendeu o reconhecimento da ONU, que atribuiu a categoria ouro do Prêmio WEPS à empresa. A condecoração tem como propósito incentivar e reconhecer os esforços das empresas que promovem a cultura da equidade de gênero e o empoderamento da mulher no Brasil.

“Ganhar esse OURO é receber com ele não somente a recompensa e o reconhecimento por anos de esforço, mas dotar-se de amor, generosidade e comprometimento infinitamente maiores pela luta em favor das mulheres e da igualdade de oportunidades”, depõe Lena Peron, a fundadora.

Sobre a Feito Brasil

A empresa possui faturamento anual de mais de R$3 milhões e é a única marca nacional a ser revendida na Sephora. Todos os seus produtos são veganos e não utilizam  a imagem feminina de forma sexista.

VEJA OUTRAS INICIATIVAS SUSTENTÁVEIS