Empresas e gestores disputam ranking dos campeões das Melhores Práticas

Agência Indusnet Fiesp (com informações de Instituto Mais)

A apresentação do Ranking Benchmarking 2011 dos Detentores das Melhores Práticas é uma atração à parte na 4ª FIBoPS – Intercâmbio Internacional Pró-Sustentabilidade, que se realiza no Centro de Eventos São Luiz, em São Paulo, de 26 a 28 de julho.

Os 28 cases divulgados nesta semana (www.benchmarkingbrasil.com.br) serão compartilhados nos miniboxes montados na Ilha Benchmarking, aberta à visitação, e também no BenchMais2, livro que será lançado no encerramento da Feira (dia 28) com presença da ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e apresentação da Orquestra Bachiana Senai-SP. Paulo Skaf, presidente da Fiesp, também está convidado para a cerimônia de abertura.

“Mais do que um selo que certifica as melhores práticas, o Programa Benchmarking compartilha conhecimento aplicado em eventos e publicações técnicas”, explica Marilena Lavorato, presidente do Comitê de Sustentabilidade do Instituto Mais. Para a especialista em gestão socioambiental, o Programa Benchmarking é um contraponto ao greenwashing – práticas maquiadas que já entraram na mira do Conar, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária.

“A exemplo do que ocorreu com movimentos legítimos por sua universalidade e racionalidade nos seus fundamentos e valores, a sustentabilidade também se de tornou alvo da pirataria”, acrescenta Marilena Lavorato.

Programa Benchmarking

O Selo Benchmarking surgiu há nove anos com uma pesquisa em mais de 300 empresas devidamente estruturada na área socioambiental. Desenvolveu metodologia própria baseada na ferramenta de gestão benchmarking (aprender com os detentores das melhores práticas) e, a partir dos resultados, selecionou mais de 200 boas práticas de sustentabilidade com critérios rigorosos e total independência. “É um selo plural, inclusivo, e com o apoio das mais respeitadas instituições do País”, completa Marilena.

O modus operandi do Programa é exclusivo e compreende uma comissão técnica de especialistas de vários países, ligados a instituições representativas, academia e mídia especializada que pontuam os quesitos das práticas sem ter acesso ao nome da organização.

Os mais bem pontuados, acima do índice técnico, são reconhecidos como Benchmarking, ou seja, detentores das melhores práticas de sustentabilidade em uma das temáticas gerenciais: arranjos produtivos, energia, emissões, resíduos, recursos hídricos, educação e comunicação, ferramentas de gestão, manejo e reflorestamento, proteção e conservação, Pesquisa e Desenvolvimento, etc. Este ano, a comissão técnica reuniu 15 especialistas de seis diferentes países que ranqueou, pela metodologia Benchmarking, 28 organizações brasileiras.

Serviço
Feira e Congresso Internacional para Intercâmbio das Boas Práticas Socioambientais (Fibops/Cibops)
Data – De 26 a 28 de julho de 2011
Local – Centro de Eventos São Luiz (Avenida Paulista) – São Paulo, SP. Mais informações: 3257-9660/ 3637-4457 e www.fibops.com.br

Julho Sustentável na Paulista

Agência Indusnet Fiesp (com informações de Instituto Mais)

O anúncio das 34 empresas selecionadas no Programa Benchmarking Ambiental Brasileiro, previsto para a primeira semana do mês, gera expectativa entre as mais de 100 inscritas na nona edição do prêmio.

A classificação no ranking, porém, só será conhecida em 28 de julho, Dia do Benchmarking, solenidade que encerra a Feira Internacional para Intercâmbio das Boas Práticas Socioambientais (FIBoPS), na capital paulista, e que contará com as presenças de autoridades de Governo, entidades da Indústria (Fiesp e Senai), lideranças e especialistas em gestão ambiental no Brasil e Exterior.

“Esses cases foram avaliados por uma comissão internacional, integrada por especialistas de sete países, que não tiveram acesso aos nomes dos autores dos projetos nem das organizações que representavam”, explica Marilena Lavorato, presidente do Comitê de Sustentabilidade do Instituto Mais, entidade organizadora do Programa Benchmarking e da Fibops.

“O Ranking Benchmarking é um reconhecimento merecido ao gestor e a instituição, que faz a diferença com suas práticas de excelência”, acrescenta Marilena, lembrando que essas organizações vão se somar a outras 150 empresas que fazem o maior banco de boas práticas socioambientais do País e que são publicadas nos livros da série BenchMais, que terá seu segundo volume lançado na solenidade de premiação.

Na edição passada, entre os cinco primeiros ficaram o Programa Sambaíba, da Sama Minerações Associadas, o case Sustentabilidade Ponta a Ponta, da rede Walmart, o projeto de Promoção Florestal, da Duke Energy, o case Otimização na Gestão de Resíduos Sólidos, da Souza Cruz, e o projeto Energia Verde, da NeoEnergia.

O BenchMarking Day integra programação da Feira Internacional para Intercâmbio das Boas Práticas Socioambientais (FIBoPS), de 26 a 28 de julho, no Centro de Eventos São Luiz, em São Paulo, Capital.

O Instituto Mais é uma organização não governamental sem fins lucrativos com a missão de construir uma nova cultura pró-sustentabilidade. O Programa Benchmarking e a FIBoPS são atividades do calendário 2011 – CiBoPS (Compromisso Empresarial pelas Boas Práticas Socioambientais).

Skaf: Indústria e comércio devem se unir contra altos impostos

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp 

Na solenidade de abertura do 27º Congresso de Gestão e Feira Internacional de Negócios em Supermercados, promovido pela Associação Paulista de Supermercados (Apas), o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, chamou a atenção dos empresários e representantes do poder público presentes ao citar a competitividade como palavra-chave no panorama atual do segmento varejista. “É o que vai fazer a diferença no século 21, e para isso é preciso que a indústria e o comércio estejam de mãos dadas para lutar pela redução dos altos impostos”, afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329843

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo, na Apas 2011

Skaf sinalizou que, seja na inovação ou no campo tributário, o setor industrial tem feito “um tremendo esforço para aumentar 0,5% de competitividade, enquanto se paga 17% de impostos na cesta básica no Brasil, contra 5% no mundo”. Estas taxas, segundo ele, afetam mais as famílias que têm renda mensal de até 2 mil reais.

O líder empresarial disse ainda que a inovação deve ser adotada como cultura pelas novas gerações: “Ela é o diferencial da nossa concorrência, e só a união entre os setores fará com que os problemas fiquem menores”, aferiu Skaf.

Maior prazo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou a ampliação, em 30 dias além do limite, para o pagamento do ICMS, exclusivamente para os negócios fechados durante a feira, que segue até o dia 12 de maio no Expo Center Norte.

“Essa parceria entre a Apas e o Procon mostra entendimento da lei do Código do Consumidor, e a vontade de ambas as partes de que o consumidor não seja lesado e que tenha seus direitos preservados”, concluiu Alckmin.