Sustentabilidade é tema da missão técnica empresarial em Nova York

Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544918076

Bernardo Borges, Caio Amaral e José Rinaldi. Foto: Arquivo/Fiesp

Com o intuito de aprofundar o conhecimento de projetos de construção limpa, os chamados “Green Building”, o Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Fiesp enviou uma missão técnica para Nova York, Estados Unidos, na última segunda-feira (14).

Em encontro no Consulado brasileiro naquele país, na terça-feira (15), o diretor-titular do Deconcic, José Carlos de Oliveira Lima, relatou as ações sustentáveis realizadas pela área de construção no Brasil e disse que espera trazer a expertise que falta para tornar o processo comum para o setor em larga escala.

“Observamos que todo o processo realizado aqui [nos EUA] é igual ao do Brasil. O que precisamos aprender é o que fazer para estimular os órgãos governamentais a incentivar esse processo na maior parte das construções. Afinal, com certificações como o LEED os benefícios são sociais, econômicos e ambientais”, explicou Oliveira Lima.

A certificação que o diretor se refere trata-se do Leadership in Energy and Environmental Design, que consiste na avaliação e certificação para edifícios sustentáveis, concedido pela ONG Conselho Norte-Americano de Construção Verde (U.S. Green Building Council).

Essa análise é dada de acordo com critérios de racionalização de recursos atendidos por um edifício. “Construções com esse certificado chegam a economizar até 25% de energia e água, garantindo uma grande eficiência energética”, complementou o diretor.

Em alta

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544918076

Oliveira Lima entrega projeto de investimentos no setor ao embaixador Osmar Chohfi. Foto: Arquivo/Fiesp

Oliveira Lima destacou, ainda, que o setor da construção no Brasil encontra-se em plena atividade, registrando índices da capacidade instalada em torno de 87%: “Para se ter uma ideia, a intenção dos empresários em ampliar seus investimentos no parque fabril está em 85%”.

“O Brasil foi um dos últimos países a entrar na crise e um dos primeiros a sair”, enfatizou o diretor do Deconcic/Fiesp no encontro com o Cônsul Geral em NY, o embaixador Osmar Chohfi.

Também participaram da reunião o diretor-executivo da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, Roberto David de Azevedo, e empresários do setor.

Às vésperas do jogo de estreia do Brasil na Copa do mundo, o embaixador propôs à equipe técnica do Deconcic a realização de um projeto que contemple as oportunidades de investimento no setor, e que estas sejam apresentadas aos investidores americanos.

“Seria ideal realizarmos um seminário específico para a integração de interesses empresariais. Com isso, fortaleceríamos as relações econômicas entre os Estados Unidos e o Brasil”, avaliou o Cônsul Geral.

Cases

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544918076

Fachada de edifício com placas de captação de energia solar. Foto: Arquivo/Fiesp

A missão técnica iniciou sua programação visitando duas importantes edificações que incorporaram em seus projetos construções voltadas à redução do consumo de energia elétrica e de reúso de água. Tal ação propicia importantes vantagens econômicas tanto para os moradores quanto para as cidades, e ao país de um modo geral.

O “The Solaire-Live Green” é um dos primeiros edifícios residenciais dentro deste conceito, com a certificação LEED. O sistema avalia o desempenho da edificação com parâmetros em seis categorias: sustentabilidade do local; uso da água; eficiência energética; atmosfera e qualidade do ar; materiais e inovações; e processo de projeto.

Um outro case visitado foi a Torre 7 do conjunto de edifícios do WTC-World Trade Center. Após o ataque às torres gêmeas em 11 de setembro, essa foi a primeira torre a ser reconstruída. Todo o projeto contemplou o conceito de sustentabilidade, a exemplo de sua fachada de alto desempenho energético, que possui um sistema de ventilação natural para suprir a necessidade de resfriamento da sub-estação de energia existente no mesmo empreendimento.

A aplicação do sistema de avaliação e certificação LEED nessa Torre foi o conceito de utilização de materiais de construção locais, limitando o fornecimento a cerca de 800 quilômetros, visando à economia de combustíveis e priorizar os fabricantes dos materiais empregados dentro desse perímetro.

Construções Verdes

Nos próximos dias, a comitiva da Fiesp deverá visitar também a Feira Green Buildings, que aborda de maneira específica o tema sustentabilidade em seus principais pilares: econômico, social e ambiental.