Fiesp distribui redutores de vazão na 17ª Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade

Solange Sólon Borges, Agência Indusnet Fiesp

Duas das maiores feiras do setor ambiental, a Fimai, maior e mais importante da América Latina, e a Ecomondo, terceira maior na Europa, uniram-se para organizar a 17ª edição da Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade. Expositores apresentaram soluções para a indústria minimizar impactos ambientais, contemplando tecnologias sustentáveis de racionalização do uso da água, da energia e, ao mesmo tempo, reduzindo o custo de produção.

A Fiesp contou com stand na feira. Uma das ações da entidade foi a continuidade da campanha Água na Medida, com a distribuição de mais de mil kits compostos por quatro redutores de vazão de ½ polegada. O redutor plástico pode reduzir, no ponto instalado, em até 50% a vazão de uma torneira ou chuveiro, contribuindo de forma efetiva para minimizar o impacto da crise hídrica em residências, condomínios, prédios comerciais e industriais e escolas. Para demonstração junto ao público da Feira, em exposição o tanque que mostra o consumo de água com e sem redutor, que foi desenvolvido pelos alunos do Senai Mario Amato. Apoiada pela Fiesp, a campanha “Não Vou Pagar o Pato” – contra a criação de mais impostos – foi bem recebida pelo público.

Outra ação foi a distribuição de mais de 500 guias técnicos da Fiesp (Licenciamento Ambiental, Áreas Contaminadas e Produção e Consumo Sustentável)

Consumo da indústria

Ao menos 65% da indústria reutiliza a água em seus processos produtivos, segundo o Departamento de Meio Ambiente da Fiesp e do Ciesp. A conscientização e o incentivo a essa boa prática levaram a indústria, desde 2002, a reduzir em 47% a água utilizada na região de Campinas, tendo como base os volumes autorizados de uso de água superficial e subterrânea publicados no Relatório de Situação do Comitê de Bacias Hidrográficas Piracicaba, Capivari, Jundiaí (PCJ). Este é um bom exemplo.

Para o diretor do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp e do Ciesp, Nelson Pereira dos Reis, “com o trabalho intenso de uso eficiente da água que tem sido feito, a indústria reduz cada vez mais a sua demanda e também os impactos provenientes da atual crise”.