‘A Madrinha Embriagada’ recebe quatro prêmios Bibi Ferreira

Agência Indusnet Fiesp

Ao lado do ator Cleto Baccic, o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, discursa durante cerimônia de premiação. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O espetáculo “A Madrinha Embriagada” venceu três categorias do mais importante prêmio do teatro musical brasileiro, o Bibi Ferreira, em cerimônia realizada na noite de segunda-feira (13/10), no tradicional Theatro São Pedro, na Barra Funda, zona Oeste de São Paulo.

A peça foi eleita como melhor musical pelo voto popular. Kiara Sasso conquistou o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, por sua interpretação da personagem ‘Eva’, Fause Haten venceu na categoria Melhor Figurino e Gabriel D’Angelo levou o troféu de Melhor Desenho de Som.

Kiara Sasso agradece pelo prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O Sesi-SP conquistou ainda a Medalha Arthur Azevedo – Prêmio Bibi Ferreira pelo Projeto Educacional em Teatro Musical. A premiação tem como objetivo de homenagear instituições que contribuem para o crescimento e o fortalecimento do teatro musical no país. A medalha foi concedida ao Sesi-SP pelas ações, que incluem o curso de formação de atores, as oficinas de vivência em teatro musical e a montagem “A Madrinha Embriagada”.

Produzido pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e pela Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), “A Madrinha Embriagada” foi o espetáculo que concorreu no maior número de categorias, com 10 indicações.

O superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni Gonçalves, participou da cerimônia de entrega dos prêmios.

Criado em 2012, o Prêmio Bibi Ferreira celebra o crescimento dos musicais no país e já se tornou referência para artistas, público e crítica. Anualmente, o evento premia as produções e profissionais de teatro musical de destaque na cidade de São Paulo.

Fause Haten foi o vencedor na categoria Melhor Figurino. Foto: Everton Amaro/Fiesp

‘A Madrinha Embriagada’: musical em cartaz no Centro Cultural Fiesp é elogiado em crítica da Folha de S. Paulo

Agência Indusnet Fiesp

O jornal Folha de S. Paulo, publicou, nesta quinta-feira (05/12), no caderno Ilustrada, crítica elogiosa ao musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista, e financiado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A peça foi adaptada e dirigida por Miguel Falabella a partir do espetáculo canadense “The Drowsy Chaperone”.

Em seu texto, o crítico Marcio Aquiles destaca o tom de paródia da trama e afirma que “Falabella se sai bem ao transpor a história para São Paulo. Adapta nomes e lugares, brinca com sotaques paulistas e regionaliza o enredo sem fazê-lo perder o charme”.

Os figurinos, assinados pelo estilista Fause Haten, também mereceram elogios: “O belo figurino de Fause Haten tem trajes femininos com silhuetas tubulares e cós baixo, fidedignos ao vestuário do final da década de 1920”.

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingerie. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, típicas dos anos 1920. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

E isso não foi tudo: o elenco também foi destacado. “Além de técnica vocal, o elenco tem versatilidade. Frederico Reuter canta, dança, sapateia e anda de patins. Cleto Baccic destaca-se com uma interpretação hilária para Aldolpho, conquistador argentino cheio de trejeitos.”

Para ler a crítica completa, só clicar aqui.

“A Madrinha Embriagada” é um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’
Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

Figurinos dão o tom de liberdade e estilo em ‘A Madrinha Embriagada’

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Sejam bem-vindos a um mundo de vestidos soltos, com muito brilho e renda, que vestem mulheres que usam batom escuro nos lábios e enfeites na cabeça. Tudo muito feminino e leve. Entre os homens, ternos bem cortados, ao melhor estilo gângster. Criador dos figurinos de “A Madrinha Embriagada”, o estilista Fause Haten é o responsável pelo desfile para os olhos que são as roupas dos anos 1920 usadas pelo elenco do musical, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista, desde agosto, numa iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Mesmo preferindo a moda que se vê nas ruas hoje, Haten se diz orgulhoso do trabalho, principalmente pela boa parceria com o diretor do espetáculo, Miguel Falabella, e pela oportunidade de trabalhar com uma época que ele nunca tinha destacado em nenhuma coleção.

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingerie. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingeries. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

“Nunca tinha trabalhado com os anos 1920 antes”, diz. “Mas gosto do estilo principalmente porque ele marca um momento de liberdade da mulher, com vestidos mais soltos e curtos”, explica.

Passada em 1928, a peça destaca o amor pelos musicais no período. E traz todos os elementos típicos das roupas usadas então, como franjas, braços de fora e modelos que muitas vezes lembram lingeries. “Também gosto dos ternos estilo gânster dos homens”, afirma Haten.

Figurinos masculinos criados por Fause Haten que lembram as roupas dos gângsters. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Figurinos masculinos criados por Fause Haten que lembram as roupas dos gângsters. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

O vestido mágico 

Outro detalhe ligado ao figurino que chama a atenção do público do espetáculo é a hora em que a personagem Jane Valadão, interpretada pela atriz Sara Sarres, tem uma troca de roupas em pleno palco, diante de todos, sem que se perceba como um vestido se transforma em outro. Uma espécie de mágica cujo segredo não se decifra da plateia. E nem é explicado pelo responsável pelo truque, “para não perder a graça”. “Só digo que aquele é um vestido mágico”, brinca o estilista. “O próprio vestido se transforma, se desdobra para virar outra peça”, diz. “Deu trabalho para cortar e ajustar, mas como desenho roupas e sei como elas vão ser construídas, deu certo”.

Vestidos soltos e muitos enfeites de cabelo para marcar os anos 1920 no musical em cartaz no Teatro do Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Vestidos soltos e muitos enfeites de cabeça para marcar os anos 1920 no musical. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

Para Haten, o bom resultado do trabalho está ligado ainda à boa parceria com o diretor de “A Madrinha Embriagada”, Miguel Falabella. “É muito bom trabalhar com o Miguel”, conta. “Temos uma sintonia boa”.

O musical em cartaz no Teatro do Sesi-SP é o segundo trabalho da dupla, já que Haten também assinou os figurinos de “Allo Dolly!”, dirigido por Falabella em 2012. Além disso, Haten cuidou das peças de “O Médico e o Monstro”, em 2010, e de “O Mágico de Oz” e “Romeu e Julieta da Turma da Mônica”, ambos no ano passado.

Haten ajusta peça usada por atriz de "A Madrinha Embriagada": primeira vez no estilo. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Haten ajusta peça usada por atriz do musical: primeira vez no estilo dos anos 1920. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Ingressos gratuitos

Ficou com vontade de ver “A Madrinha Embriagada”? Os ingressos para o espetáculo são disponibilizados de forma inteiramente gratuita e com reserva on-line no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi.

Os ingressos para os próximos meses da temporada serão disponibilizados sempre a partir do dia 20 do mês anterior.

O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada – a última apresentação está programada para  29 de junho de 2014.

Fiesp e Sesi-SP recebem convidados para pré-estreia de ‘A Madrinha Embriagada’

Ariett Gouveia e Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) receberam na noite de quarta-feira (14/08), no Centro Cultural Fiesp, centenas de profissionais do teatro, da TV e das artes, entre outros convidados, para a pré-estreia da comédia musical  “A Madrinha Embriagada”. A estreia para o público está marcada para sábado (17/08), com ingressos (gratuitos) já esgotados.

Paulo Skaf e Miguel Falabella na estreia para convidados de 'A Madrinha Embriagada'. Foto: Julia Moraes/Fiesp

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, esteve presente no evento e falou sobre a importância do projeto para a indústria do teatro. “O Sesi-SP abraçou a ideia do projeto em teatro musical porque há muito a ser feito nessa área no Brasil. Além da peça ‘A Madrinha Embriagada’, o projeto engloba um trabalho completo, com a formação de atores em musical e oficinas nas escolas”, explicou.

O evento contou com a participação do diretor do espetáculo, Miguel Falabella, responsável pela adaptação da peça original “The Drowsy Chaperone”, e de dois dos quatro autores do espetáculo – Don McKellar (que assina o texto ao lado de Bob Martin) e Lisa Lambert (autora das músicas ao lado de Greg Morrison). Ambos vieram ao Brasil especialmente para a pré-estreia.

“O teatro musical é muito bonito, une dança, interpretação e canto. Mas é caro, no mundo inteiro, e não são todos que têm acesso a um espetáculo como esse. O diferencial é que, durante 45 semanas, todas as pessoas vão ter acesso a essa peça porque a indústria está oferecendo ao povo de São Paulo”, afirmou o presidente.

Elogios dos convidados também não faltaram, ao espetáculo, ao elenco e à iniciativa do Sesi-SP. Confira abaixo.

Oscar Magrini, ator. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Oscar Magrini, ator

“É um ‘presentaço’ do Sesi-SP! A cultura do Brasil é televisiva; depois, ir ao cinema e, se sobrar um tempo, dinheiro e vontade, aí ir ao teatro. Então, esse projeto do Sesi-SP é convidativo para quem não tem oportunidade de ir ao teatro porque é caro. E essa peça maravilhosa, tudo o que o Miguel [Falabella] faz, é fantástico. Adorei muito. São quase duas horas de pura diversão!”

Fause Haten, estilista e figurinista da peça ‘A Madrinha Embriagada’

“Ver o trabalho pronto, no palco, é muito gostoso. Para mim, que venho da moda e estou acostumado a fazer desfiles tão rápidos, é muito prazeroso ver uma obra que vai ficar quase um ano em cartaz. Além disso, trabalhar com o Miguel [Falabella] é incrível e esse elenco é muito especial. Estou muito feliz.”

Fernanda Chamma, coreógrafa

“Faltava isso não só para o Brasil, mas para o mundo, porque a gente não vê uma iniciativa desse porte em nenhum lugar. Algo que já começa com uma qualidade incrível como essa é um estímulo, um incentivo e, para nós, profissionais da área, é um presente. Quanto mais se estimula o gênero, mais plateia, mais espetáculos, mais espaços, mais elenco. Só temos que agradecer e torcer para que tudo continue correndo bem. Hoje, os internacionais têm vindo para o Brasil e nos elogiam e copiam ações e projetos. Esse projeto de Teatro Musical do Sesi-SP é para o mundo. É uma nova fase do teatro musical brasileiro. Estou orgulhosa do projeto, de ser brasileira, de a gente ter conseguido chegar onde a gente chegou.”

Amilcare Dalevo, presidente da Rede TV. Foto: Julia Moares/Fiesp

Amilcare Dallevo, presidente da Rede TV

“É extremamente importante essa iniciativa do Paulo Skaf porque o teatro musical é muito incipiente no Brasil ainda. Hoje, não estamos aqui só para assistir uma peça, mas começar um conceito novo, de treinamento e desenvolvimento de atores e autores. É um momento muito importante para o teatro brasileiro.”

 

Nando Prado, ator de musicais

“O projeto do Sesi-SP é um marco. Aprendemos muitas coisas com as grandes produções de fora, mas temos uma criatividade diferente. É uma grande vitória e dá muito orgulho ver que podemos mostrar a qualidade do trabalho que a gente tem, mas que estava restrita a um público muito pequeno e de condição financeira privilegiada. Parabéns à produção, à Fiesp, ao Sesi-SP e a todo o elenco por essa conquista.”

José Possi Neto, diretor de teatro. Foto: Julia Moraes/Fiesp

José Possi Neto, diretor de teatro

“A peça é deliciosa, muito engraçada. Ela traz um estilo dos anos 20, de interpretação, de impostação. E, acima de tudo, é uma peça instrutiva e formadora de público. Acho fantástica a iniciativa do Sesi-SP de criar uma escola de musical, para formar atores. O mercado brasileiro se abriu para isso e o país é o terceiro mercado de musical no mundo, passou a Austrália e a Alemanha. Era algo que nós não tínhamos como segmento, mas veio crescendo nos últimos 15 anos. O Sesi-SP teve a sensibilidade para criar um espetáculo assim, que instrui o público para gostar de musical, e ter essa escola, que vai criar elenco para nós, que produzimos e dirigimos.”

Jacqueline Dalabona, atriz e apresentadora de TV

“A peça é maravilhosa! Leve, pra cima e com um toque de realidade, que vem por meio do narrador. A maneira que a gente tem de extravasar as frustrações da vida, como acontece com ele na peça, é pela arte, participando da vida dos personagens. O figurino está lindo, a luz está incrível e a adaptação do Miguel [Falabella] é sensacional. O projeto me chama muita atenção pelo cuidado com a educação voltada para a área do teatro. Para se formar, os atores procuravam os complementos para poder cantar ou dançar em estradas paralelas. Poder centralizar isso em um lugar, com a credibilidade do Sesi-SP e da Fiesp e sob a batuta do Paulo Skaf, não tem como esse projeto não dar certo.”

 

Suzana Pires, atriz. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Suzana Pires, atriz

“Assisto tudo que o Miguel Falabella faz, sou apaixonada pelo trabalho dele, pela pessoa que ele é e pelo que pensa de teatro. A versão dele para ‘A Madrinha Embriagada’ é incrível, com a figura do narrador, que faz observações que fazem parte de cada um de nós. Esse é o grande mérito do Miguel: ele olha para o público e por isso consegue nos encantar. É um elenco bárbaro, uma produção muito caprichada. Estamos no nível da Broadway. A iniciativa do projeto é a cara do Sesi-SP, que já dá um apoio fundamental ao teatro há algum tempo. Já temos grandes talentos na área do musical e agora é o momento de expandir. Parabéns ao Sesi-SP!”

Ingressos

Os ingressos para “A Madrinha Embriagada” são disponibilizados de forma inteiramente gratuita para reserva on-line no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi.

Para as apresentações em agosto, os ingressos já estão esgotados.

Os ingressos para os próximos meses da temporada serão disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior.

O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada – a última apresentação está programada para  29 de junho de 2014.