Faturamento de micro e pequenas indústrias cresce 15,4% em agosto ante período em 2011

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544678262

Economista Antônio Correa de Lacerda, Marco Antonio dos Reis, diretor-adjunto do Dempi/Fiesp, e Bruno Caetano, do Sebrae-SP

O faturamento das micro e pequenas indústrias em agosto de 2012 foi superior em 15,4% na comparação com agosto de 2011, de acordo com pesquisa do Sebrae-SP.

Em julho deste ano o faturamento foi superior em 9,4% na comparação de julho de 2011. Segundo o Sebrae-SP, no ano de 2011 a indústria começou a produzir para o Natal após setembro e outubro – este ano ela começou um pouco mais cedo: no meses de julho e agosto.

“Empresários se mostram otimistas com relação ao seu faturamento no segundo semestre de 2012”, informou Bruno Caetano, superintendente do Sebrae-SP.

Segundo o especialista, mais de 80% dos empresários consultados sustentaram que tanto a economia do Brasil quanto o faturamento das suas empresas vai permanecer no mesmo patamar ou vai crescer.

Ainda conforme dados da pesquisa, as micro e pequenas indústrias injetaram R$35,7 bilhões na economia paulista durante 1º semestre. A receita medida deste tipo de empresa no setor industrial, no mês de junho de 2012, foi de R$ 38,7 mil no universo estimado de 151,2 mil empresas industriais.

Perpectivas

O economista Antonio Correa de Lacerda, professor-doutor do departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), credita o otimismo das micro e pequenas indústrias a estimativas mais otimistas do Produto Interno Bruto (PIB) para os próximos 12 meses.

“Se compararmos o desempenho da economia brasileira nos 12 meses encerrados em junho nós vamos ter uma estagnação. Olhando para os próximos 12 meses, incluindo o terceiro trimestre, já tem um crescimento de pelo menos 4%. Então desde o efeito macro, até as micro e pequenas empresas, isso acaba produzindo um ambiente mais favorável”, explica Lacerda.