No Vale do Silício, Skaf critica burocracia por tirar liquidez e valor das empresas brasileiras

Agência Indusnet Fiesp

Após visita à Intel, maior fabricante de microprocessadores do mundo, o presidente da Fiesp e da Ciesp, Paulo Skaf, analisou as razões para não haver no Brasil mercado de compra e venda de empresas semelhante ao dos Estados Unidos. “A burocracia brasileira e a insegurança jurídica assustam o investidor estrangeiro. Aqui não há nada disso, por isso as empresas têm liquidez e valor alto.”

Um ponto em que Skaf vê melhora é o trabalhista, com a entrada em vigor em novembro da modernização da CLT.

A visita à Intel, no dia 20 de outubro, foi parte de uma série que incluiu também o Centro de Pesquisas da Nasa. Skaf integrou a missão brasileira ao Vale do Silício, região da Califórnia (EUA) que concentra empresas de tecnologia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212594

Paulo Skaf na sede da Intel, no Vale do Silício. Foto: DIvulgação/Fiesp


Após visita nesta terça-feira (17 de outubro) ao Instituto de Pesquisa da Stanford University, no Vale do Silício (Califórnia), Skaf, revelou que negociará uma parceria entre o instituto e o Senai-SP, que também preside, para atender às demandas da indústria de São Paulo.

Outra empresa visitada foi o Facebook, gigante do setor de tecnologia, também na programação da missão brasileira ao Vale do Silício. Skaf também visitou o Centro de Inovação da Ford. Leonardo Nogueira, vencedor do Super Acelera Fiesp que participa da missão, disse que foi uma experiência incrível ter conhecido todo o processo de mudança da empresa para o futuro.

“Discutimos o futuro do automóvel, mobilidade urbana, carro elétrico, o etanol brasileiro”, afirmou Skaf ao sair do Centro de Inovação da Ford.

Skaf visitou também, no dia 16 de outubro, a sede do Google, no Vale do Silício. Além de participar de reuniões, conheceu aplicativos ainda não disponíveis no Brasil. Ao sair, Skaf disse que o objetivo da visita era “levar ideias para aplicar nas escolas do Sesi-SP e do Senai-SP, nas nossas empresas e nossas entidades”.

Artigo de diretor do Departamento de Segurança da Fiesp critica prisão de vice-presidente do Facebook

Rony Vainzof*

Há menos de 3 meses (dezembro de 2015) discutíamos a proporcionalidade da decisão judicial que determinou a suspensão dos serviços do WhatsApp no Brasil, em razão do descumprimento da determinação judicial para fornecimento de dados para a investigação de crimes.

Nesta terça-feira (1/3), conforme nota da Polícia Federal (PF), foi cumprido “um mandado de prisão preventiva, expedido pelo Juiz Criminal da Comarca de Lagarto (SE), em desfavor do representante do site e serviço de rede social Facebook na América do Sul. A prisão foi representada pela Polícia Federal em Sergipe, em razão de reiterado descumprimento de ordens judiciais, de requerimento de informações contidas na página do site Facebook. Essas informações foram requeridas para produção de provas a serem utilizadas em uma investigação de crime organizado e tráfico de drogas, a qual tramita em segredo de justiça naquele Juízo Criminal. O representante encontra-se neste momento prestando declarações na Superintendência de Polícia Federal em São Paulo, onde permanecerá preso à disposição da Justiça”.[1]

Se por um lado as autoridades policiais precisam da cooperação dos provedores de aplicação para tornar mais efetivas as investigações de ilícitos cibernéticos, de acordo com o ordenamento jurídico brasileiro e as ordens judiciais competentes, por outro, a ausência de acordos internacionais (multilaterais) eficazes, que possibilitem a troca rápida de informações visando a prevenção e investigação dos respectivos ilícitos, por vezes, cria grande dificuldade para aplicações estrangeiras, que prestam serviços e exploram o mercado brasileiro, em atender as respectivas ordens judiciais, diante da possível violação, no caso de cumprimento, de leis de seu país de origem, local em que os dados usualmente estão hospedados.

Enquanto não chegamos nesse nível de tratativas internacionais, quando uma aplicação estrangeira pensa em prover serviços e explorar outro mercado, é importante avaliar as regras locais a que estarão sujeitas, visando diminuir os riscos de responsabilização civil da companhia e até mesmo criminal dos seus representantes, cumprindo as determinações judiciais competentes.

É negativa, em todos os sentidos, a prisão do executivo de uma empresa como o Facebook, por reiterado descumprimento de ordem judicial, conforme afirma a PF.

Penso que os provedores de aplicação estrangeiros, visando contribuir com as investigações, preservar sua reputação, seus executivos e demais profissionais, deveriam definitivamente estabelecer de forma clara quem tem poderes para responder pelas ordens de quebra de sigilo, evitando que medidas extremas sejam adotadas para que a legislação brasileira seja cumprida.

Ainda assim, se o que impede os provedores de aplicações é a ausência de acordos internacionais eficazes, precisamos trabalhar de forma urgente com as nações que sempre tiveram boas relações com o Brasil (incluindo os Estados Unidos da América), visando o estabelecimento de tais acordos, para que o nosso país continue sendo um território livre e frutífero para relações comerciais, sob pena de colocarmos em risco a economia digital e a liberdade de ir e vir de empresários.

[1] Fonte: Polícia Federal http://www.pf.gov.br/agencia/noticias/2016/03/pf-cumpre-mandado-de-prisao-em-desfavor-do-representante-do-facebook-no-br, acessado em 1ºde março de 2016.

—————–

Rony Vainzof é diretor do Departamento de Segurança e responsável pelo Grupo de Trabalho de Segurança Cibernética da Fiesp

Testar é a melhor maneira de utilizar as mídias sociais para alavancar negócios

Katya Manira, Agência Indusnet Fiesp

Quem não sabe muito bem como utilizar Facebook, Instagram, Linkedin e outras ferramentas sociais para alavancar seus negócios não tem outra saída que não testar. Esse  foi o principal conselho dado pela especialista em mídias sociais Carla Falcão, durante o Congresso CJE Superação pelo Conhecimento, realizado nesta segunda-feira (9/11) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Apesar de trabalhar há dez nos com marketing digital, Falcão conta que aprendeu mais sobre o funcionamento das ferramentas há cinco anos, quando resolveu criar um blog sobre culinária. “Quando o Facebook pegou aqui no Brasil eu o odiava”, brinca. “Eu tive que aprender a utilizar essas novas ferramentas e meu blog foi criado para isso. Então, coloquei a mão na massa, e esta é minha primeira dica: é fuçando que a gente aprende. Por isso, fucem, testem bastante.”

Não é um teste aleatório, contudo. A especialista explica que antes de sair por aí postando inúmeros memes e compartilhando vídeos engraçados, a empresa precisa definir com clareza quais seus objetivos, seu público estratégico e qual resultado quer atingir. Perguntas como “quero acesso ao meu site ou visitas pessoais à minha loja?”; “quero dois milhões de seguidores ou dois mil compradores?” podem ajudar a estabelecer essas resoluções. O próximo passo é a pesquisa.

“Redes sociais são como países. É preciso entender quem são seus cidadãos, sua cultura. Uma [rede] é mais texto, outra imagem, uma pode gíria, a outra não. Mas só se conhece a Itália indo à Itália”, compara Falcão. “Não existe fórmula mágica, tem que avaliar e criar a sua própria receita. Os ingredientes estão aqui: conheça as ferramentas, seu cliente, analise o que ele compra, o que você vende e a partir daí experimente conteúdo, horários, mídia, postagens. Teste, teste, teste!”

Veja outras dicas da especialista:

– Vasculhe sua rede. Veja quem já fala sobre seu produto / serviço. Pesquise as hashtags relacionadas a sua área, sua marca, com seu nome e também os dos seus concorrentes;

– Defina o que vai fazer: vídeo, texto ou foto. Uma vez definido, mantenha-o. Ative e não pare.

– Faça gestão dos comentários. Responda rápido, dê feedback, mostre ao cliente que você o escuta. “Os clientes adoram quando a marca responde, brinca. A gente precisa de feedback, [somos] iguais a um bebezinho chorão. Porque quando a gente comenta ou publica em uma fan page, queremos atenção”, explica Falcão.

– Monitore. Uma vez por mês utilize as ferramentas estatísticas para analisar quem acessa seu conteúdo, por quanto tempo ficam, o que fazem com aquela informação. Faça a análises e as utilize para estratégias futuras.

– Pense como pensa seu cliente. Descubra o que ele está buscando, transforme em conteúdo e o atraia para si.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212594

Carla Falcão durante palestra sobre mídias sociais no Congresso CJE Superação pelo Conhecimento. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Orquestra Filarmônica Senai-SP: quando a música é o melhor presente

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

“Muito obrigado. Ver vocês foi o melhor presente que eu já recebi na vida”. O agradecimento, ouvido pelo maestro Thomaz Ferreira Martins, em março de 2014, veio de um gari. E logo após uma apresentação da Orquestra Filarmônica Senai-SP, iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) por ele tocada. O concerto aconteceu numa empresa de coleta de lixo em Osasco, na Grande São Paulo, como parte das comemorações do dia dos coletores.

Além de emocioná-lo até hoje, aquelas palavras resumem o principal objetivo da orquestra. “A nossa função é levar a arte para perto das pessoas, aproximar algo que parece distante”, explica Martins. “Muita gente ainda tem medo de ir a um concerto por falta de roupa adequada ou por não saber qual a hora certa de aplaudir”.

Exatamente para quebrar barreiras, a Orquestra Filarmônica Senai-SP foi criada em 2006, desde sempre sob a orientação do maestro Martins, responsável pelo projeto pedagógico da iniciativa. Atualmente, 75 músicos formam o grupo, sendo estimulados com aulas de instrumento, música de câmara e teoria musical. São todos alunos ou ex-alunos do Senai-SP, com ensaios realizados na Escola Senai “Roberto Simonsen”, no Brás, na capital.

O maestro Martins e os integrantes da Orquestra Filarmônica Senai-SP: com aulas de instrumento, música de câmara e teoria musical. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O maestro Martins e os integrantes da Orquestra Filarmônica Senai-SP: com aulas de instrumento, música de câmara e teoria musical. Foto: Everton Amaro/Fiesp


“Tivemos 200 interessados somente nessa escola quando abrimos as primeiras fichas de inscrição”, conta Martins. “Fiquei surpreso e ali quebrei qualquer ideia pré-concebida sobre o fato de trabalhar com música ao lado de profissionais da indústria, do chão da fábrica: o que vale é a sensibilidade de quem está ali tocando”.

De acordo com o maestro, a Filarmônica é uma das únicas no Brasil vinculadas a uma instituição de ensino que não seja um conservatório, escola de música ou projeto social. “Somos uma orquestra jovem, com repertório de peso. Não conheço outra entidade educacional que tenha um plano consolidado como o nosso”.

Fanfarra

O projeto que hoje encanta as plateias é fruto de toda uma tradição do Senai-SP na área musical. “Temos o registro de uma fanfarra na escola desde 1948”, conta Martins. “Depois, em 1990, essa fanfarra se transformou numa banda marcial, que existiu até a formação da orquestra”.

Beethoven na igreja

Ponto fundamental para entender o sucesso do grupo, o envolvimento dos músicos é destacado por Martins. “Até os amigos e as famílias se envolvem”, conta. “Esses jovens levam a música para a sua vida, falam de Beethoven na igreja, no bairro, colaboram para a formação de público”.

Martins: “Até os amigos e as famílias se envolvem”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Martins: “Até os amigos e as famílias se envolvem”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Prova desse vínculo, o maestro lembra, comovido, de uma apresentação feita no velório de um flautista do grupo, falecido aos 17 anos, em decorrência de uma hidrocefalia. “Ele foi sepultado com o uniforme da orquestra e, naquela hora difícil, seu pai ainda veio me agradecer por tudo o que nós tínhamos feito pelo filho”, diz. “A música era a felicidade dele e aquela família vai guardar a lembrança dele tocando conosco, feliz”. Uma recompensa que, segundo Martins, “vale o trabalho de uma vida”.

Quem quiser acompanhar a Filarmônica do Senai-SP deve ficar atento às apresentações do grupo, normalmente realizadas duas vezes por mês, nos teatros do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) no estado (veja abaixo as datas dos próximos concertos).

No repertório da temporada 2013 e 2014, compositores como Beethoven, Schubert, Strauss e Debussy, entre outros.

A quem interessar possa, jeans no vestuário e aplausos em cena aberta estão liberados. “Já fui a muitos concertos de jeans e camiseta quando era estudante”, conta Martins. “E acho que, se deu vontade, tem que mais é que aplaudir mesmo:  a arte deve estar ao alcance de todos”.

Serviço

Confira as próximas apresentações da Orquestra Filarmônica Senai-SP

13 de Setembro – Teatro do Sesi em Itapetininga

Horário: 18h

Endereço: Avenida Padre Antônio Brunetti, 1360

27 de Setembro – Teatro Sesi Amoreiras– Campinas

Horário: 18h

Endereço: Avenida das Amoreiras, 450, Parque Itália

11 de Outubro – Teatro do Sesi Indaiatuba

Horário: 18h

Endereço: Avenida Francisco de Paula Leite, 2701

01 de Novembro – Teatro Municipal de Mairiporã

Horário: 20h

Endereço: Avenida Tabelião Passarella, 850, Centro

Mais informações sobre a orquestra:

https://www.facebook.com/OrquestraSenai

Executivos do Facebook e do Google apresentam ferramentas para impulsionar negócios em Congresso da Fiesp

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Representantes do Facebook e Google no Brasil, duas das maiores empresas de tecnologia de alcance global, apresentaram ferramentas para impulsionar negócios de maneira simples e acessível aos pequenos empreendedores no VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria, realizado nesta quinta-feira (10/10), no Hotel Renaissance, em São Paulo. O terceiro painel do evento, “Mídia Digital – aprenda a usar esta ferramenta”, foi mediado pelo diretor do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) , Augusto Dalman Boccia. E contou com a presença de Gustavo Donda, gerente de Pequenas e Médias Empresas do Facebook no Brasil, e Leonardo Assis, gerente de Novos Negócios do Google Brasil.

O VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria é uma iniciativa do Dempi da Fiesp.

“O Facebook não é só uma rede social, é uma plataforma que conecta pessoas, amigos e familiares, apontando onde elas se organizam, criam conteúdo e compartilham eventos”, disse Gustavo Donda. Segundo ele, são 1 bilhão e 100 milhões de pessoas conectadas no Facebook. No Brasil, são 76 milhões de usuários ativos. Nesse sentido, a rede seria uma plataforma “poderosa e com várias opções de direcionamento”, onde é possível escolher falar apenas com o público que é realmente de interesse da empresa. “Não existe nenhuma mídia tão segmentada e que consegue falar com tantas pessoas”, afirmou Donda.

Há menos de um ano, o Facebook lançou uma ferramenta que dá a oportunidade para as empresas anunciarem seu produto no Feed de Notícias do usuário. Donda afirmou que este espaço alavancou os anúncios no Facebook, tendo, com isso, oito vezes mais engajamento e dez vezes mais recall. “Três coisas combinadas fazem com que o Facebook seja a ferramenta mais poderosa do mundo para pequenas empresas: muito alcance, com possibilidade de alta segmentação, alto grau de engajamento e a possibilidade de anunciar onde as pessoas realmente estão”, disse. “Qualquer negócio pode tirar proveito disso”.

Para Donda, o Facebook é uma plataforma que viabiliza e alavanca negócios, além de possuir múltiplas possibilidades que proporcionam ao empresário a mensuração e o controle de suas ações.

Para saber mais, acesse:

www.facebook.com/business
www.facebook.com/help

Para quem ainda não é anunciante, mas está disposto a começar a investir, o menor valor é de R$ 50 por mês em anúncios no Facebook. Basta se inscrever no programa Rota do Sucesso e contar com suporte pessoal para todos os processos de otimização.

www.facebook.com/business/rotadosucesso

De uma forma diferente

Todas as mídias tradicionais e anteriores à mídia online continuam sendo consumidas, mas de uma forma diferente.  “Hoje, temos uma complementaridade entre essas mídias. O desafio é saber onde, quando e como são impactadas pelas empresas”, afirmou Leonardo Assis, gerente de Novos Negócios do Google Brasil, em sua apresentação. Segundo ele, a maior parte do faturamento do Google, em índices mundiais, vem do pequeno empresário.

Assis: maior parte do faturamento do Google vem do pequeno empresário. Foto: Beto Moussali/Fiesp

Assis: maior parte do faturamento do Google no mundo vem do pequeno empresário. Foto: Beto Moussali/Fiesp


Para Assis, uma das formas para ter sucesso é investir em uma publicidade bem assertiva. Segundo ele, uma boa plataforma nesse sentido é o Google Adwords, serviço do site que vai além da busca.  “A busca dá muito resultado, e se assemelha, antigamente, aos classificados”, disse.  A ferramenta permite que todos os termos que se associam ao produto vendido pelo empresário apareçam na pesquisa online, sempre que alguém procurar por algo relacionado.

Qualquer estímulo que for gerado pelas outras mídias, segundo Assis, vai ter um impacto online. “Em mais de 60% de qualquer compra feita por um internauta, em algum momento, ele passou pelo meio online”, disse. “Ou seja, se você vende algum produto, esteja presente online”, afirmou Assis.

O executivo ainda destacou cinco passos para impulsionar os negócios usando os serviços da sua empresa: criar um site, criar uma campanha de pesquisa (busca), uma campanha de display, um canal no Youtube e uma página no Google +.

Mais informações:

www.google.com.br/adwords
novos.negocios@google.com


Vôlei do Sesi-SP tem novos canais exclusivos nas mídias sociais

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212594

Canais vão acompanhar a participação nas competições, os atletas e os jogos, entre outras informações

Visando estreitar ainda mais o relacionamento com os públicos de interesse do esporte, o Sesi-SP está lançando canais de mídias sociais dedicados exclusivamente às suas equipes masculina e feminina de voleibol.

Com a iniciativa, o vôlei do Sesi-SP passa a ter perfis no Facebook (www.facebook.com/sesisp.volei) e Twitter (www.twitter.com/sesisp_volei). Os canais vão acompanhar a participação nas competições, os atletas e os jogos, entre outras informações. Também serão desenvolvidas ações para incrementar ainda mais a paixão dos fãs.

Entre elas está a distribuição de 30 pares de ingressos (60 no total) para a partida de terça-feira (05/02), às 19h30, no ginásio da Vila Leopoldina, onde o Sesi-SP recebe o time do Sollys/Nestlé pela sétima rodada do returno da Superliga feminina 2012/13.

A ação acontecerá nesta sexta-feira (01/02). Serão três posts-surpresa com a pergunta “Quem quer ingresso?”. Para participar, é preciso uma resposta simples: “Eu quero”. As 10 pessoas que publicarem respostas com mais rapidez ganham dois ingressos.Os ingressos devem ser impreterivelmente retirados na Vila Leopoldina na véspera do jogo, na segunda-feira (04/02), entre 9h e 17h. Não será permitido retirar ingresso no dia do jogo.

Outras ações serão desenvolvidas nos canais na sequência da Superliga 2012/13.

Acompanhe o Sesi-SP vôlei nas mídias sociais:

Sesi Esporte

Os canais do Esporte do Sesi-SP continuam em atividade – o objetivo é que eles explorem ainda mais as demais modalidades esportivas de alto rendimento do Sesi-SP, como atletismo, basquete, bocha paralímpica, judô, luta olímpica, natação, polo aquático, triatlo e rugby, além de iniciativas institucionais.

O perfil no Twitter é o @SESISP_esporte . Já a fanpage pode ser acessada pelo http://www.facebook.com/sesisp.esporte

Leia mais

Acomanhe as notícias de esporte do Sesi-SP no site: www.sesisp.org.br/esporte


Empresas que não se atualizam na era digital correm risco de desaparecer, alerta docente da ESPM

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Com o crescimento da internet, as empresas brasileiras precisam investir os seus esforços na criação de estratégias de comunicação digital para atrair novos clientes. Pelo menos está é a opinião do professor e coordenador do curso de Comunicação e Marketing Digital da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Marcelo Pimenta.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212594

Marcelo Pimenta, da ESPM

“Há uns anos atrás o investimento em marketing digital não era uma preocupação das empresas. Hoje, as empresas precisam pensar em como colocar as suas marcas na internet”, disse Pimenta, emendando com um alerta: “A empresa que não aderir a esta nova onda [digital] corre o risco de desaparecer”.

Durante a sua apresentação, Pimenta alertou os pequenos empreendedores sobre os benefícios de inserir a sua marca na rede virtual. Segundo o especialista, a estratégia permite uma interação maior entre a empresa e o cliente, que estimulam a troca de informações valiosas para o crescimento do negócio.

O docente da ESPM foi um dos convidados do painel “Micro e Pequena Empresa no Comércio Eletrônico e nas Mídias Sociais”, agenda da tarde desta quarta-feira (10/10) no VII Congresso da Micro e Pequena Indústria Fiesp, realizado no Hotel Renaissance, em São Paulo.

O painel foi moderado pelo diretor do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), Augusto Boccia, e contou com a participação do gerente de negócios da Google Brasil, Paulo Cabral; do diretor executivo sênior de Produtos da Visa do Brasil, Percival Jatobá; do diretor de Pequenas e Médias Empresas no Facebook, Partick Hruby; e do diretor da Digipronto, Cristiano Miano.

Google e Facebook: marketing digital

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212594

Paulo Cabral, da Google Brasil

O gerente de negócios da Google Brasil, Paulo Cabral, apresentou aos participantes ferramentas de baixo custo disponíveis na internet: o SEO (Search Engine Optimization) e o SEM (Search Engine Marketing), que possibilitam uma visualização privilegiada ne sites no sistema de busca do Google.

“Quanto mais pessoas estiverem conectadas, a gente vai ter um comércio eletrônico muito mais ativo, ainda mais nas grandes cidades onde você não tem muito tempo de comprar. Cada vez mais a gente vai usar o meio eletrônico como forma de comércio”, avaliou.

O diretor de Pequenas e Médias Empresas do Facebook Brasil, Patrick Hruby, lembrou aos participantes que 60 milhões de brasileiros estão conectados ao Facebook. Segundo ele, a página de relacionamento permite que as empresas conheçam melhor os clientes e conquistem novos consumidores. “Estejam onde os seus consumidores estão. Participem deste diálogo e vocês vão ver os resultados”, afirmou.

Entre as alternativas apresentadas por Hruby está a criação de páginas, mais conhecidas como fanpages. Os empresários que desejam conhecer um pouco mais sobre a ferramenta devem acessar o Facebook Empresa.

Segurança em operações com cartões

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540212594

Patrick Hruby, do Facebook

O diretor executivo sênior de produtos da Visa Brasil, Percival Jatobá, acredita que a internet é uma forma segura e cômoda do consumidor realizar as suas compras. Para isso, Jatobá aconselha que as empresas desenvolvam páginas com sistema acessível que facilite a navegação do cliente no processo de escolha e compra de produtos.

“Segurança, conveniência e educação é um tripé fundamental para que qualquer iniciativa digital possa ter sucesso. Se um deles falhar provavelmente você demorará muito mais tempo para alcançar o seu objetivo”, avaliou.

Opinião compartilhada por Cristiano Miano, diretor da Digiponto que há anos realiza compras na internet. “Compro na internet há 14 anos, sempre com o mesmo cartão. E a única vez que clonaram meu cartão foi no caixa eletrônico. A internet é uma ferramenta segura”, afirmou.

Além disso, o diretor da Digiponto acredita que a internet pode ser uma excelente ferramenta de comunicação entre a empresa e o consumidor: “Hoje o consumidor quer ser ouvido. E com a internet as empresas têm a oportunidade de ouvir ideias dos clientes que gostam da sua marca e, quem sabe, criar novos produtos”, disse.

Gerente de contas do Facebook fala sobre empreendedorismo nas mídias sociais

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

CJE SMW12 - midias sociais. Maggie Louise Sander. Foto: Julia Moraes

Maggie Louise Sander, gerente de contas do Facebook

Jovens estudantes, empreendedores e geeks (apaixonados por tecnologia) animados para um grande debate sobre mídias sociais e como transformá-las em empreendedorismo.

Foi esse o clima amistoso da tarde desta sexta-feira (28/09), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), no evento “Mídias sociais, colaboração e empreendedorismo”, promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da entidade, e que faz parte do SMW/Shared – atividade do evento oficial “Social Media Week”, que acontece desde o dia 24 até hoje (28/09) no Museu da Imagem e do Som (MIS), na capital paulista.

Na Fiesp, o painel de abertura “Cases de empresas que usaram o Facebook para empreender”, contou com a participação da gerente de contas do Facebook, Maggie Louise Sander. Ela explicou como essa plataforma mudou a maneira de compartilhar informações no mundo e como os negócios são melhores em um mundo conectado. “A vida dentro do Facebook é reflexo da vida real”, afirmou, ao ressaltar que essa plataforma é uma oportunidade para empresas de todos os portes, inclusive as pequenas, que podem compartilhar informações com milhares de usuários.

Desafio para as marcas

“O Facebook é feito de pessoas reais que fazem coisas reais e, por isso, é um desafio para as marcas”, enfatizou ao lembrar que a plataforma serve também como um novo SAC, e é sempre importante ouvir as reclamações e opiniões dos consumidores. “Temos que lembrar este poder que temos nas mãos”, afirmou.


“Compartilhamos [na timeline] momentos íntimos para mostrar quem realmente somos”, acrescentou Maggie Louise. Segundo ela, essa é a grande oportunidade para a marca, pois pode unir-se à força que já existe, uma vez que o Facebook possui, atualmente, 1 bilhão de usuários ao redor do mundo. Além disso, sublinhou a gerente de contas, permite a vantagem de entender e dialogar diretamente com o consumidor e filtrar o público-alvo.

“Antes, a informação era solitária. Mas a web social permite que a internet seja construída ao redor de pessoas”, afirmou, lembrando que essa mudança de comportamento social gerou um grau de exigência maior dos usuários e consumidores, que não se satisfazem mais com qualquer tipo de informação: “As pessoas esperam que as marcas entreguem conteúdos tão relevantes para elas, como seus amigos o fazem em suas timelines”.

Na visão da gerente de contas, esse é o momento de os negócios mostrarem suas caras: “Qualquer marca pode ter espaço no Facebook para compartilhar suas ideias”. Maggie Louise ressaltou, ainda, que a ferramenta permite usar de informações pessoais dos curtidores para construir informações focadas em públicos-alvo fortalecidos. “O Facebook pode dar legitimidade e confiança à marca, além de facilitar a vida do usuário”, concluiu.

Fiesp lança no Facebook aplicativo ‘Árvore da Sustentabilidade’

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Print Facebook aplicativo Árvore da Sustentabilidade

Print Facebook aplicativo Árvore da Sustentabilidade

Seis dias antes da abertura do Humanidade 2012, evento concebido para realçar o importante papel que o Brasil exerce hoje como um dos líderes globais no debate sobre o desenvolvimento sustentável, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lança em sua fanpage no Facebook a “Árvore da Sustentabilidade”. A iniciativa marca também a passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente (05/06).

O aplicativo, desenvolvido especialmente para a rede social, é um convite à reflexão sobre os desejos e expectativas para um mundo mais sustentável.

Para participar, é preciso curtir a fanpage da Fiesp no Facebook e escrever uma mensagem com seus anseios para o planeta nos próximos 20 anos.

A árvore, que começou totalmente seca na madrugada desta terça (05/06), começa a ganhar vida na medida em que mais mensagens são registradas. As palavras nais mencionadas ganham mais destaque na árvore digital enquanto as mensagens mais curtidas e mais comentadas têm chance de aparecer no top10 do ranking.

A ideia é que os seguidores da fanpage da Fiesp alimentem a árvore e, dessa maneira, interajam com a temática central da Rio+20 – e também do Humanidade 2012.

Para participar, curta a fanpage da Fiesp no Facebook e deixe sua mensagem: https://www.facebook.com/fiesp

Projeto Cão-Guia Sesi-SP ganha página no Facebook

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

A primeira visita ao supermercado, o trajeto de ônibus e/ou metrô e a circulação em lugares públicos são apenas algumas das aventuras vividas por Cazuza, Frontier, Fiona e outros filhotes do Projeto Cão-Guia Sesi-SP, que agora estão disponíveis no Facebook, na Fan Page oficial do projeto.

No espaço, as famílias acolhedoras contarão o dia a dia dos animais, suas travessuras, fotos, curiosidades, dicas e a evolução destes cães que, muito em breve, serão os olhos de dezenas de pessoas com deficiência visual.

Curta e acompanhe essa aventura!

Outras informações estão disponíveis no hotsite do Projeto Cão-Guia Sesi-SP.