Retrospectiva 2013 – Fiesp reforça contatos internacionais e apoio aos exportadores

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

“O Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex)  se empenhou para dar encaminhamento à agenda de competitividade e inserção internacional da indústria brasileira. Acredito que cumprimos o nosso papel”, analisou Roberto Giannetti da Fonseca, diretor-titular do departamento, sobre o desempenho da área em 2013.

Ao longo do ano, o Derex realizou 220 reuniões, dentre elas, 56 seminários, que contaram com a presença de sete chefes de estado, de governo e autoridade real, 15 ministros, sete governadores e 37 embaixadores.

De acordo com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, 2013 trouxe grandes desafios para o Derex que “desempenhou um importante papel na coordenação da ampla agenda internacional e de comércio exterior da Fiesp. Em sintonia com o objetivo de fortalecimento da indústria, o departamento intensificou os contatos internacionais da entidade”.

Além disso, o departamento esteve envolvido em muitas outras iniciativas, que contaram com autoridades de grandes países.

Encontro Econômico Franco-Brasileiro

Em dezembro, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) recebeu a visita da presidente Dilma Rousseff e do presidente da França, François Hollande. Os dois participaram do Encontro Econômico Franco-Brasileiro.

Dilma afirmou durante o evento que um futuro acordo entre o Mercosul e a União Europeia vai contribuir para o potencial “ainda inexplorado” de intercâmbio comercial entre o Brasil e a Europa. Ela acrescentou que o Mercosul e os parceiros brasileiros estão prontos para fazer uma “oferta comercial”.

“Esperamos que a troca de ofertas se realize em janeiro”, afirmou. O evento também contou com o presidente da federação, Paulo Skaf.

Skaf, Hollande e Dilma no Encontro Econômico Franco-Brasileiro, realizado na Fiesp. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Skaf, Hollande e Dilma no Encontro Econômico Franco-Brasileiro, na Fiesp. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Já Hollande afirmou que a França espera dobrar o intercâmbio monetário com o Brasil até 2020. “Quero ver maiores investimentos franceses no Brasil, que já são elevados, em torno de dois bilhões de euros”, disse.  “Desejo, também, multiplicar o investimento brasileiro na França”, acrescentou o presidente da nação europeia.

Para Skaf, é fundamental que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia prospere. O pre3sidente da Fiesp destacou a importância da França enquanto “uma das fundadoras da União Europeia” e uma das nações “líderes do grupo” para o fechamento de um acordo comercial entre os dois blocos de países. “Uma posição francesa favorável vai fazer uma grande diferença”.

31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha

Dilma e Paulo Skaf também participaram do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, ao lado do presidente da Alemanha, Joachim Gauck.

Na ocasião, Dilma reiterou o interesse em aprofundar parcerias estratégicas com a nação germânica e aumentar a reciprocidade de comércio entre os dois países.

“Esse encontro, com líderes da indústria e da economia dos dois países, é uma grande ponte entre a maior nação econômica da América Latina e a maior nação do ponto de vista econômico da Europa”, enfatizou Gauck.

Para Gauck, o evento reúne pessoas importantes para que a relação entre os dois países se consolide. “São testemunhas e atores da amizade entre Brasil e Alemanha, porque puderam conviver com os bons frutos dos contatos entre os dois países desde o início”, afirmou.

Skaf afirmou que o Brasil deve aprender com modelo alemão que fortalece pequenas e médias empresas. “O modelo alemão das pequenas e médias empresas é muito importante e devemos trazê-lo para o Brasil e aprender com ele”, afirmou Skaf. Segundo ele, as PMEs representam 66% do Produto Interno Bruto (PIB) alemão. “Estudos mostram que uma das razões para a resistência à crise da Alemanha é graças à política de pequena e média empresa”, completou.

Expo 2020

Ao longo de 2013, a Fiesp apoiou a candidatura da cidade de São Paulo para receber a Expo 2020 – terceiro maior evento internacional em termos de impacto cultural e econômico, atrás apenas da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

As cidades concorrentes, além de São Paulo, foram: Dubai (Emirados Árabes Unidos); Ecaterimburgo (Rússia) e Izmir (Turquia).

Em novembro, Dubai foi escolhida como a cidade-sede.

Roberto Azevêdo visita Fiesp

Em maio, o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o embaixador Roberto Azevêdo, se reuniu com Paulo Skaf e outros representantes do setor produtivo.

No encontro, representantes do agronegócio e da indústria de transformação falaram sobre negociações internacionais como a Rodada de Doha e incremento da participação da indústria brasileira como competidora no mercado global.

Segundo Azevêdo, o principal desafio levantado durante a reunião foi a inserção da indústria brasileira no mundo.

“Toda conversa foi exatamente em imaginar como melhorar a competitividade da indústria e como fazer que esse seja o caminho que vamos traçar daqui para frente”, afirmou o diretor da OMC.

Necessidade de reformulação da OMC

Para o embaixador Rubens Barbosa, a OMC precisa passar por reformulação. A opinião foi dada durante reunião do Conselho de Comércio Exterior em dezembro.

Segundo Barbosa, o problema atual da OMC não é isolado. “O multilateralismo como um todo vive uma crise geral”, afirmou Barbosa.

A sobrevivência da Organização Mundial do Comércio (OMC) é importante, mas a instituição precisa passar por mudanças, opinou o dirigente.

Acordo entre Mercosul e União Europeia

Acordo entre Mercosul e UE só acontece se houver vantagens para o Brasil, afirmou o secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC )Daniel Godinho na Fiesp.

O governo brasileiro decidiu avançar nas negociações da proposta de acordo comercial do Mercosul com a União Europeia (UE), mas ainda falta muito para que o acesso ao mercado europeu seja garantido, disse ele.

Visitas de autoridades e missões empresariais

Japão

Ao menos 80 empresários japoneses visitaram a sede da Fiesp no dia 30 de janeiro, para um encontro com Paulo Skaf. Em pauta, o incremento das relações comerciais entre o Japão e o Brasil.

Representantes de empresas japonesas estiveram na sede da Avenida Paulista para discutir temas como competitividade, tarifas de importação, infraestrutura e processos jurídicos.  O encontro culminou na apresentação de uma ampla proposta de acordo de parceria econômica entre os países, liderada pelas entidades industriais de ambas as partes.

Nova Zelândia

Primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, encontrou-se com o presidente da entidade, Paulo Skaf, e com o prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad.

Na ocasião, Skaf concedeu medalha da Ordem do Mérito Industrial ao premiê da Nova Zelândia.

O comércio entre Brasil e Nova Zelândia tem muito espaço para expansão, afirmou o 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, na ocasião.

“O Brasil, que atualmente é uma das maiores economias do mundo, não está nem um pouco satisfeito em ser o 47º principal parceiro comercial da Nova Zelândia. Queremos avançar e temos certeza que esse é também o objetivo dos senhores”, disse Ometto.

Pensilvânia, Estados Unidos

Em abril, o governador Thomas Corbett, do estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, visitou a entidade para conversar com o empresariado local. No encontro, Corbett apresentou as oportunidades de investimentos existentes na região e as possibilidades de cooperação entre o estado e empresas brasileiras.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Thomas Corbett apresentou as vantagens competitivas da Pensilvânia na Fiesp. Foto: Julia Moraes/Fiesp


Novo decreto antidumping

O Derex presta assistência técnica aos sindicatos no combate às práticas desleais no comércio exterior e na interlocução de seus interesses perante o governo.  Também busca contribuir para a formulação de políticas públicas que defendam a indústria brasileira em face de irregularidades nas importações, bem como o acesso a mercados.

Dentre as principais ações promovidas pela área em 2013, destaca-se a publicação do “Guia antidumping”, visando apresentar ao público empresarial os principais aspectos relativos ao mecanismo antidumping.

O documento foi inserido no site do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio exterior (MDIC) para consulta e solicitado pela Receita Federal para disponibilizar aos seus servidores. O trabalho foi precedido de uma consulta pública na qual a Fiesp coordenou uma manifestação com entidades do setor privado para alterar a principal regra relativa às medidas antidumping.

Para aprofundar o conhecimento sobre a questão, a Fiesp promoveu o seminário “Novo Decreto Antidumping: mudanças e impactos”, em setembro.

Para Felipe Hees, diretor do Departamento de Defesa Comercial (Decom) do ministério, o decreto é uma etapa na evolução da defesa comercial no Brasil, afirmou durante o seminário “Novo Decreto Antidumping: mudanças e impactos”.

195 mil certificados de origem

A Área de Certificado de Origem, cujo objetivo é fornecer aos exportadores um dos principais documentos nos processos de vendas externas, beneficiando os empresários com a redução ou isenção do imposto de importação nos países com os quais o Brasil possui acordos de comércio, foi outra área que conquistou ótimos resultados em 2013.

Foram cerca de 195.000 processos de certificação, permanecendo a Fiesp como a maior prestadora de serviço deste produto no Brasil.

Expo 2020: Fiesp recebe delegados do BIE para coquetel em agenda oficial da candidatura de São Paulo

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Dezenas de delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), responsáveis pela escolha da cidade-sede da Exposição Universal 2020, a Expo 2020, participaram na noite desta sexta-feira (20/09) de coquetel na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O encontro, parte da agenda oficial elaborada pelo Comitê de Candidatura de São Paulo aos membros do BIE, reforçou o compromisso da indústria com a realização do evento. As cidades concorrentes, além de São Paulo, são Dubai (Emirados Árabes Unidos), Ecaterimburgo (Rússia), Izmir (Turquia) e Ayutthaya (Tailândia). A decisão, programada para o mês de novembro, será em Paris.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, e prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Foto Everton AmaroFiesp


Em seu discurso de boas vindas aos delegados, de diversos países de todos os continentes,  o 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, disse que a indústria está ao lado da prefeitura de São Paulo na candidatura.

“A casa da indústria apoia o pleito da cidade de São Paulo de abrigar este que é um dos mais importantes eventos do mundo”, disse Ometto.

“Um dos mais importantes papéis da indústria tem sido o de fomentar o desenvolvimento e atrair as atenções do mundo e mostrar do que é capaz o Brasil”, prosseguiu o 2º vice-presidente da Fiesp.

“Capaz de inovar, criar oportunidades. Juntos, trabalhamos por um país mais justo, com qualidade de educação, gosto pelo esporte, respeito pela cultura. Zelamos pela qualidade de vida, visando ao desenvolvimento sustentável, com os olhos voltados para o futuro”, continuou Ometto, pedindo aos delegados que, ao partir, levem não só uma boa impressão da cidade, mas o carinho e a hospitalidade dos paulistanos. “E a certeza de que essa é uma terra de gente que se empenha fazer o melhor todo dia”, encerrou.

 >> Presidente da Fiesp participa de simpósio sobre candidatura paulistana à Expo 2020

Em entrevista à reportagem, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse que a candidatura vem se fortalecendo pela consistência. “Independente do resultado, São Paulo vai se sair bem porque apresentou uma candidatura forte, coerente com sua gênese, sua história, um projeto que dialoga com o futuro de São Paulo, dialoga com a comunidade local, com os anseios do Brasil de ter uma maior presença internacional.”

“Estamos vencendo com louvor cada etapa do processo”, resumiu, afirmando que há sintonia do tema da candidatura com a essência da cidade. “A diversidade é realmente um traço essencial da nossa cidade. Isso ficou muito perceptível para os delegados.”

Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo , disse à reportagem que, após cumprir mais uma etapa da candidatura, o trabalho diplomático irá se acentuar até novembro, num trabalho de corpo a corpo com os delegados.

Segundo ela, uma das vantagens da candidatura é “a força da construção humana que São Paulo representa.”

“Eu acho que conseguimos transmitir a força da cidade e o quanto a realização desse evento irá deixar de legado”, explicou a vice-prefeita sobre as atividades realizadas nesta semana, com destaque para o simpósio “São Paulo: Força da Diversidade” ao longo desta sexta-feira (20/09) no hotel Hilton.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo; 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto; prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; Julio Semeghini, secretário estadual de Planejamento. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O evento contou com a presença de do secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, representando o governador Geraldo Alckmin. O assessor Especial para Assuntos Internacionais do Governo de São Paulo, Rodrigo Tavares, também participou.

Coquetel

O coquetel contou com o serviço de quitutes tipicamente brasileiros, como moqueca de peixe de pirarucu, tapioca, carne seca com abóbora, caldinho de feijão com torresmo, creme de mandioquinha, e doces como quindim, manjar de coco e pudim de leite.

Os delegados ainda puderam ouvir música brasileira, com a cantora Paula Lima e banda, interpretando clássicos do samba e da MPB.

Foto: presidente da Fiesp participa de simpósio sobre candidatura paulistana à Expo 2020

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, participou na manhã desta sexta-feira (20/09) do simpósio “São Paulo: Força da Diversidade”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Michel Temer discursa; sentados: Fernando Haddad, Nádia Campeão, Paulo Skaf e Rodrigo Tavares. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O evento, dedicado a apresentar e promover a candidatura paulistana à Exposição Universal (Expo) 2020, reuniu delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), que têm direito a voto para a escolha da cidade sede.

A cerimônia de abertura contou com pronunciamento do vice-presidente da República, Michel Temer, e da vice-prefeita de São Paulo e presidente do comitê de candidatura, ádia Campeão, além do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e do assessor Especial para Assuntos Internacionais do Governo de São Paulo, Rodrigo Tavares, entre outras autoridades.

Apoio da Fiesp

A Fiesp apoia a candidatura paulista à Expo 2020. Já em maio de 2012, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu o secretário-geral do BIE, e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início de outubro do ano passado, a Fiesp assinou um acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

Em março deste ano, a entidade recebeu, em sua sede, a missão do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE) que veio para inspecionar a candidatura de São Paulo em uma série de encontros que tiveram representantes do poder público municipal, estadual e federal.

Em junho, Skaf acompanhou, em Paris, na França, a apresentação da candidatura feita por Haddad.

Foto: Paulo Skaf visita ‘Cidade das Crianças’, em Paris, na França

Agência Indusnet Fiesp

Em sua passagem pela capital francesa, onde reforçou o apoio à candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, visitou na tarde de quarta-feira (12/06) a “Cidade das Crianças”, na Cité des Sciences, no parque La Villette, juntamente ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o governador do Estado, Geraldo Alckmin.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, durante visita à Cidade das Crianças, na Cité des Sciences, no parque La Villette. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Fiesp acompanha, em Paris, defesa de candidatura de São Paulo à Expo 2020

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, desembarcou nesta segunda-feira (10/06) em  Paris, na França, para acompanhar a defesa da candidatura de São Paulo à sede da Exposição Universal em 2020, a Expo 2020.

Da esquerda para a direita: Skaf, Temer e Alckmin: apoio à candidatura de São Paulo. Prefeito Fernando Haddad também compareceu ao evento. Imagem: Junior Ruiz/Fiesp

Da esquerda para a direita: Skaf, Temer e Alckmin: apoio à candidatura de São Paulo. Prefeito da capital paulista, Fernando Haddad, também compareceu ao evento. Imagem: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf participou de coquetel oferecido por São Paulo aos delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que irá escolher a cidade-sede. O compromisso aconteceu no Palácio de Chaillot, às 19h (hora local), com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer; do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; do prefeito da capital paulista, Fernando Haddad; e do embaixador do Brasil na França, José Maurício Bustani, entre outras autoridades. O encontro teve um show da cantora Daniela Mercury.

Nesta terça (11/06), o presidente da Fiesp participa, novamente ao lado de Temer, Alckmin e Haddad, de um jantar oferecido pelo embaixador Bustani. Na quarta (12/06), às 11h05 (hora local), Skaf acompanha a apresentação da candidatura paulistana à sede da Expo 2020.

Concorrem com São Paulo as cidades de Dubai (Emirados Árabes Unidos); Ecaterimburgo (Rússia) e Izmir (Turquia). O anúncio com o nome da cidade-sede está programado para novembro deste ano.

A Expo 2020 é o terceiro maior evento internacional em termos de impacto cultural e econômico, atrás apenas da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

“Caso São Paulo seja a escolhida, será a primeira cidade da América Latina a sediar o evento”, reforça Skaf em artigo publicado nesta segunda-feira (10/06) no Diário de São Paulo e nos jornais da Rede Bom Dia.

Em março, a Fiesp recebeu, em sua sede, a missão do comitê do BIE com o objetivo de inspecionar a candidatura de São Paulo em uma série de encontros que tiveram representantes do poder público municipal, estadual e federal. Na ocasião, o espanhol Vicente Loscertales, secretário-geral do BIE, disse que a realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016 no Brasil credenciam São Paulo como potencial sede da Expo 2020.

Skaf e Loscertales: apoio da Fiesp à Expo 2020 em São Paulo. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf e Loscertales: apoio da Fiesp à Expo 2020 em São Paulo. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

O apoio da Fiesp vem de 2012. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

A candidatura
Com o tema “Força da Diversidade, Harmonia para o Crescimento”, a candidatura de São Paulo será apresentada pela diretora e atriz portuguesa Maria de Madeiros – conhecida por filmes como “Pulp Fiction” e “Xangô de Baker Street”, entre outros.

A proposta brasileira defende a promoção de um espírito de amor, tolerância e generosidade que inspira a cultura brasileira e a criação de novas alianças, entendimentos e parcerias em busca de uma globalização mais igualitária com bem estar e segurança para todos.

Se vencer a disputa, São Paulo pode receber mais de 30 milhões de visitantes de todo o mundo entre os dias 15 de maio a 15 de novembro de 2020, período de realização da exposição.

Para isso, um terreno de cinco quilômetros quadrados localizado no bairro de Pirituba receberá um projeto que transformará a região noroeste da cidade no maior pólo cultural e de atração de feiras e eventos na América Latina.

O terreno do futuro Centro de Exposições já foi declarado de utilidade pública para desapropriação. O local compreenderá uma extensão equivalente a quatro vezes o tamanho do Anhembi, atualmente o maior centro de exposições da cidade.

A proposta é que o projeto tenha como legado para a cidade um parque municipal com equipamentos de esportes, cultura e lazer, além de uma reserva ambiental natural. Para facilitar a mobilidade ao local, serão construídas novas estações do Metrô e da CPTM, além de alças de acesso rodoviário.

Por se tratar de um evento nacional, a oficialização da candidatura foi feita por meio da entrega de carta assinada pela presidente Dilma Rousseff, em 28 de outubro de 2011, ao BIE, órgão regulamentador dessas exposições. A delegação do BIE realizou a visita de inspeção a São Paulo entre os dias 11 e 14 de março.

Sobre a Expo

As Exposições Universais surgiram no século 19, na Europa, para estimular a inovação, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico, tão importante para o progresso humano. São realizados a cada cinco anos com seis meses de duração.

Além de divulgar e promover ciência, técnica, arte e cultura, as Expo eram um encontro de negócios que visava fomentar a indústria e promover apresentações públicas de novas invenções. Entre as importantes invenções que esses eventos já apresentaram ao público estão o telefone, de Graham Bell, o elevador de Otis e a máquina de escrever Remington.

As Expo também deixaram um importante legado arquitetônico que se tornaram símbolos para as cidades-sede como a Torre Eiffel (Paris), o Space Needle (Seatle) e o Unisphere (Nova York).

Para a maior metrópole brasileira, a previsão é de que seja construída uma torre de observação e de geração de energia renovável, projetada especialmente para o evento e instalada no ponto mais elevado da parte montanhosa da região, ao norte da área da Expo de São Paulo.


São Paulo na disputa para sediar a Expo 2020

São Paulo na disputa para sediar a Expo 2020

Paulo Skaf 

A cidade de São Paulo é forte candidata a sediar a Exposição Universal de 2020. Realizada a cada cinco anos, com duração de seis meses, este evento tem como objetivo promover o encontro entre as nações e apresentar questões relativas à cultura, aos negócios e às propostas de inovação desenvolvidas no mundo inteiro.

Concorrendo com Dubai (Emirados Árabes), Ekaterinburgo (Rússia), Ayutthaya (Tailândia) e Izmir (Turquia), São Paulo tem o apoio dos governos federal, estadual e municipal, do setor privado e de toda a sociedade. Terceiro maior evento do mundo, as exposições geram investimentos em infraestrutura, benefícios sociais e novas oportunidades de emprego.

Realizada pela primeira vez em Londres, em 1851, a Exposição Universal foi de grande importância para as cidades-sedes.  Na Expo 1889 de Paris, por exemplo, a Torre Eiffel foi construída especialmente para o evento. Eleita Patrimônio da Humanidade, a torre atrai milhões de visitantes todos os anos, movimenta a economia da cidade e é o cartão-postal do país.

As exposições também apresentaram pela primeira vez à população invenções como o telefone, o elevador de passageiros, a máquina de costura, a máquina de escrever e a criação do projeto do Canal de Suez, entre tantos outros.

No ano de 2010, a exposição foi em Xangai. Em 2015 será a vez de Milão. Em novembro próximo, os representantes dos 161 países-membros do Bureau Internacional de Exposições, órgão coordenador do evento, irão eleger a cidade-sede da Expo 2020. CasoSsão Paulo seja a escolhida, será a primeira cidade da América Latina a sediar o evento.

Uma etapa decisiva da competição entre as candidatas está acontecendo esta semana em Paris: cada uma vai apresentar seu projeto. O tema escolhido por São Paulo é  “O poder da diversidade, harmonia para o crescimento”.  O local em que será realizada a Expo 2020 já foi definido. É um terreno de cerca de 5 mil metros quadrados, entre o bairro de Pirituba e o parque estadual do Jaraguá, na Zona Norte, o que trará desenvolvimento para essa região com reflexo em outras da cidade.  Será mais uma oportunidade de mostrar por que São Paulo é uma das metrópoles mais importantes da atualidade.

Expo 2020: Copa e Rio-2016 são pontos positivos de pretensões brasileiras, afirma secretário-geral do BIE

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O fato de o Brasil organizar eventos mundiais como a Copa do Mundo de futebol, em 2014, e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (Rio-2016), no ano de 2016, representam ponto positivo para que o país receba a Exposição Universal de 2020 (Expo 2020). A conclusão é do secretário-geral do Bureau Internacional de Exposições (BIE), Vicente Loscertales, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (14/03).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Steen Christensen e Vicente Loscertales, do BIE, durante entrevista coletiva. Foto:: Helcio Nagamine/BIE


“O país pode criar infraestrutura. Eles vão preparar a imagem do país no caso de acontecer a Expo. Não há lado negativo nisso”, afirmou Loscertales, que chefiou a missão de inspeção feita pelo BIE desde segunda-feira (11/03), em São Paulo, candidata à Expo 2020.

“Nessa comissão tentamos entender qual é o sentido para o governo do Brasil e para o Estado de São Paulo de sediar uma Expo. O que eles querem transformar. Este projeto é parte do plano estratégico da cidade. Esse projeto vai contribuir com a qualidade de vida dos cidadãos”, afirmou o secretário-geral do BIE.

Na entrevista, Loscertales afirmou estar ciente dos problemas de mobilidade urbana de São Paulo. “Eles [o comitê] explicaram para nós sobre isso, muito honestamente”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Missão do BIE cumpriu quatro dias de agenda na inspeção a São Paulo. Foto: Helcio Nagamine

Após deixar a capital paulista nesta quinta-feira (14/03), a comissão de inspeção da candidatura de São Paulo deve redigir um relatório com as considerações finais da visita e apresentá-lo em uma assembleia, juntamente com as missões dos outros quatro países candidatos, segundo o presidente da comissão em São Paulo, Steen Christensen.

“Os relatórios vão conter recomendações sobre cada país candidato. A votação e a seleção do anfitrião da Expo 2020 vão acontecer durante uma assembleia do BIE (Bureau Internacional de Exposições) em novembro deste ano”, afirmou.

Segundo ele, as apresentações dos projetos de São Paulo para sediar a Expo 2020 foram objetivas e profissionais. “Mas não esperem nenhum outro sinal”, afirmou Christensen ao ser questionado sobre pontos negativos e positivos para o Brasil na disputa.

“O Brasil não precisa convencer a missão de inspeção que tem o melhor projeto, mas convencer os membros do BIE. Esse é o verdadeiro desafio”, completou.

Pessoalmente, o presidente da comissão disse ter visto em São Paulo uma cidade “vibrante, dinâmica e enorme”.

Análise da Prefeitura

No balanço após quatro dias de trabalhos com o BIE, a vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, reiterou que as apresentações não deixaram de mencionar os problemas da maior cidade do país.

“Nós não iriamos subestimar a capacidade e o papel que a missão tem e e maquiar algum problema. Mostramos como lidamos com os problemas da segurança da cidade, de mobilidade, de moradia e procuramos apresentar aquilo que estamos apresentando para a cidade de São Paulo, para nós que vivemos e conhecemos como é aqui”, afirmou Nádia.

Expo 2020

Para ser organizada, a Expo 2020 exigirá uma infraestrutura especial, com esperados reflexos positivos para o desenvolvimento da cidade-sede.

Se São Paulo for escolhida, está prevista a construção de uma área de aproximadamente cinco quilômetros quadrados (três vezes maior que o parque Ibirapuera) ) entre o bairro de Pirituba e o parque estadual do Jaraguá, no noroeste do município.

O novo centro de exposições será o maior da América Latina, com diversos pavilhões que, após o evento serão transformados em escolas, postos de saúde e teatros.

‘São Paulo tem toda a condição de abrigar a Expo 2020’, afirma Fernando Haddad na Fiesp

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad, participou na manhã desta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), da primeira missão de inspeção do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que em novembro irá escolher a cidade-sede da Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Prefeito Fernando Haddad fala das razões para a cidade de São Paulo ser a escolhida. Foto: Airton Vignola

Confiante, Haddad acredita que a visita da comitiva do BIE é muito salutar para esclarecer dúvidas e para comprovar viabilidade do plano de negócio apresentado pela cidade.

“A delegação vai perceber que se trata de um projeto que faz sentido. São Paulo é uma cidade cosmopolita e que tem toda a condição de abrigar a Exposição Universal, não apenas pela sua infraestrutura, mas pela sua cultura. Uma cultura voltada para abertura, para acolhimento, para receber, para intercambiar”, afirmou o prefeito de São Paulo.

O evento teve a participação do secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini. O segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, representou a entidade.

Visita a Pirituba

Realizada de cinco em cinco anos, a Expo é considerada o terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico – atrás apenas dos Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Espera-se que a edição de 2020 reúna cerca de 30 milhões de visitantes ao longo de seis meses.

Nos trabalhos que prosseguem até quinta-feira (14/03), a comitiva do BIE tem a missão de analisar o projeto paulistano para sediar a Expo 2020. Está programada uma visita dos delegados ao local onde será construído o centro de exposição, no bairro de Pirituba.

Na quarta-feira (13/03), o grupo tem viagem marcada para Brasília (DF), onde serão recebidos pela presidente Dilma Rousseff.

Segundo o prefeito de São Paulo, os custos do novo centro de exposição – estimado em US$ 3 bilhões – deverão ser autofinanciáveis. No seu entendimento, a construção deste novo ambiente vai trazer desenvolvimento para região noroeste da cidade.

“Isso [candidatura] está coroando um processo de melhoria dos indicadores ambientais, sociais, de distribuição de renda e assim por diante. Neste contexto que nós queremos acolher a exposição”, completou.

A escolha do país-sede acontecerá em novembro de 2013. As outras candidatas a sediar a Expo 2020 são Ayutthaya (Tailândia), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Esmirna (Turquia) e Iekaterimburgo (Rússia).

Participação da Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Fernando Haddad e João Guilherme Sabino Ometto: reunião com delegados do BIE. Foto: Ayrton Vignola

A candidatura de São Paulo conta com o apoio da Fiesp. Em maio de 2012, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu Locertales e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer, e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

Na ocasião, Temer anunciou o seu apoio à candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020.

Além disso, o presidente da Fiesp integrou a comitiva brasileira que, defendeu, em Paris, a candidatura de São Paulo.

No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020. O documento reforça o compromisso da federação em desenvolver ações, como a elaboração de estudos e projetos relacionados a candidatura da cidade para o Expo 2020.

Sobre o Expo 2020

Criado em 1851, a Exposição Universal promove a troca de experiência entre dezenas de países, sobre temas importantes como: sustentabilidade, inovação tecnologia, cultura e urbanismos.

A exposição deixou legados importantes em diferentes áreas de conhecimento, como por exemplo, a construção de dois marcos da arquitetura: a Torre Eiffel, em Paris, e o edifício Atomium, em Bruxelas, na Bélgica. O telefone, por exemplo, teve sua primeira aparição pública na edição de 1876, na Filadélfia (EUA). A última edição foi realizada em Xangai, em 2010, alcançando 73 milhões de visitantes e a participação de 190 países.

Na Fiesp, prefeito Fernando Haddad apresenta cidade de São Paulo ao Comitê que avalia candidaturas à Expo 2020

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, estiveram na manhã desta segunda-feira (11/03) na sede da  Federação das Industrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para apresentar as razões para São Paulo sediar a Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

O encontro foi realizado com a comitiva do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que avalia as candidaturas de cinco cidades.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, defendem a escolha de São Paulo, como sede da Expo 2020. Foto: Airton Vignola/FIESP

A candidatura de São Paulo à Expo 2020 conta com o apoio da Fiesp. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf,  recebeu o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer. No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

Ao longo do dia, outros encontros estão programados. A agenda dos grupos técnicos prossegue até quinta-feira (14/03).

Fiesp recebe missão do BIE para avaliar candidatura de São Paulo à Expo 2020

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Sede da Fiesp: quatro dias de reuniões técnicas para inspeção da candidatura de São Paulo à Expo 2020. Foto: Julia Moraes

Agência Indusnet Fiesp

Começa nesta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a missão do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE) com o objetivo de inspecionar a candidatura da cidade de São Paulo à Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

Logo pela manhã, o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e mais nove integrantes da comitiva, têm um encontro com a vice-prefeita, Nadia Campeão, e com secretário municipal de Relações Internacionais e Federativas, Leonardo Barchini.

Em seguida, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, fazem uma apresentação sobre as razões locais, nacionais e internacionais para São Paulo sediar a Expo 2020, abordando o contexto político, social e econômico. A agenda dos grupos técnicos prossegue até quinta-feira (14/03).

Terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico, atrás apenas dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo, a Expo tem duração de seis meses e acontece a cada cinco anos. É considerada referência na troca de experiências em temas como urbanismo e sustentabilidade.

São Paulo concorre com outras quatro cidades: Ayutthaya, na Tailândia; Dubai, nos Emirados Árabes; Ecaterimburgo, na Rússia; e Esmirna, na Turquia.  A decisão da cidade-sede da Expo 2020 será anunciada em novembro deste ano, em Paris.

A candidatura de São Paulo conta com o apoio da Fiesp. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf,  recebeu Locertales e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer. No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

“O Brasil está em um momento muito positivo. Daqui até 2020, grandes eventos terão sido realizados e essa grande exposição vai criar uma sinergia em todos esses bons momentos pelos quais o país irá passar”, disse Skaf após a assinatura do protocolo.

Infraestrutura e desenvolvimento

O evento exigirá uma infraestrutura especial e resultará em um significativo desenvolvimento para a cidade-sede. Caso São Paulo seja a escolhida, está prevista a construção de uma área de aproximadamente cinco quilômetros quadrados (três vezes maior que o parque Ibirapuera).

O novo centro de exposições será o maior da América Latina, com diversos pavilhões que após o evento serão transformados em escolas, postos de saúde e teatros.

Para sediar a exposição, a candidatura paulistana escolheu um local na zona norte da cidade, entre o bairro de Pirituba e o parque estadual do Jaraguá.

História 

A Exposição Universal nasceu há mais de um século e meio e reúne países do mundo todo a cada cinco anos.

A primeira edição foi em 1851, em Londres, no Palácio de Cristal, construído para a ocasião. A Torre Eiffel foi projetada para a edição de 1889. Durante os anos, a exposição apresentou grandes inovações ao mundo, como a iluminação pública, o telefone e o elevador.

Em 2010, a cidade de Xangai, na China, recebeu 73 milhões de visitantes e contou com a participação de 190 países.

Em Paris, Skaf defende candidatura de São Paulo à Expo 2020 ao lado de autoridades

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, integra comitiva brasileira que defende nesta quinta-feira (22/11), em Paris, a candidatura da cidade de São Paulo para sediar a Expo 2020, terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico – atrás apenas dos Jogos Olímpicos e Copa do Mundo.

Os projetos finais serão apresentados para membros do Bureau Internacional de Exposições (BIE) por delegações das cinco candidatas – concorrem, além da capital paulista, as cidades de Ayutthaya, na Tailândia; Izmir, na Turquia; Dubai, nos Emirados Árabes; e Ekaterimburgo, na Rússia.

A feira internacional, que tem duração de seis meses e acontece a cada cinco anos, é considerada referência na troca de experiências em temas como urbanismo e sustentabilidade.

Na terça-feira (20/11), Skaf participou de um coquetel de boas vindas realizado na Embaixada do Brasil, na capital francesa, ao lado do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, do prefeito Gilberto Kassab e do prefeito eleito, Fernando Haddad, e dos secretários estaduais Sidney Beraldo (Casa Civil) e Edson Aparecido (Desenvolvimento Metropolitano), que integram a comitiva brasileira disposta a trazer o evento para o país.

A decisão da cidade-sede da Expo 2020 será anunciada em novembro de 2013, em Paris. No total, 161 delegados membros da organização vão votar.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

No início de outubro, Skaf assina termo de cooperação com a Prefeitura de São Paulo. Foto de arquivo

“O Brasil está em um momento muito positivo. Daqui até 2020, grandes eventos terão sido realizados e essa grande exposição vai criar uma sinergia em todos esses bons momentos pelos quais o país irá passar”, afirmou Skaf no início de outubro, durante assinatura de acordo de cooperação técnica com a Prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

Em maio, o presidente da Fiesp e do Ciesp recebeu o secretário-geral do Comitê Internacional de Exposições, Vicente Loscertales, e o acompanhou em encontros com o vice-presidente da República, Michel Temer, e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

O dinamismo multicultural e a pujança econômica da capital paulista inspiraram a escolha do tema da exposição paulistana: “Força na diversidade; harmonia de seu crescimento”.

Paulo Skaf reforça campanha para São Paulo sediar Expo 2020

Em maio, Skaf recebe o secretário-geral do Comitê Internacional de Exposições, Vicente Loscertales. Foto de arquivo

A candidatura de São Paulo definiu o local da exibição caso seja eleita: um terreno de aproximadamente cinco quilômetros quadrados (três vezes maior que o parque Ibirapuera), entre o bairro de Pirituba e o parque estadual do Jaraguá, na zona norte.

Durante seis meses, a Expo, com vários pavilhões, mostra o que a cidade e o país têm para vender ao mundo, inclusive em termos de inovação tecnológica, projetos sustentáveis e cultura.

As exposições mundiais ocorrem desde o século XIX e deixam importantes legados em diferentes áreas do conhecimento. A última edição foi realizada em Xangai, em 2010, alcançando 73 milhões de visitantes e a participação de 190 países.

Fiesp e Prefeitura de SP assinam acordo de cooperação técnica para a Expo 2020

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Com o objetivo de estabelecer ações de subsídio à candidatura da cidade de São Paulo para receber a Exposição Universal de 2020 – Expo 2020, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, assinaram nesta quinta-feira (04/10) um termo de cooperação técnica entre as instituições.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Presidente da Fiesp, Paulo Skaf, assina termo de cooperação na Prefeitura de São Paulo. Foto: Junior Ruiz


A Expo 2020 é o terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico – atrás apenas dos Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. O evento – referência na troca de experiências em temas como urbanismo e sustentabilidade – tem duração de seis meses e acontece a cada cinco anos, quando reúne dezenas de nações.

O termo de cooperação foi assinado na sede da Prefeitura, no Vale do Anhagabaú, e traz o compromisso da Fiesp em desenvolver ações, como a elaboração de estudos e projetos que subsidiarão a administração municipal  na candidatura da capital paulista.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Walter Vicioni (superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP), Paulo Skaf (presidente da Fiesp)e Carlos Cavalcanti (diretor-titular do Deinfra) na reunião com prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (à direita), momentos antes da assinatura do termo de cooperação. Foto: Junior Ruiz

“Essa abertura por parte da prefeitura, de buscar a sociedade, é que permitiu que pudéssemos ter essa participação. O Brasil está em um momento muito positivo. Daqui até 2020, grandes eventos terão sido realizados e  essa grande exposição vai criar uma sinergia em todos esses bons momentos pelos quais o país irá passar”, afirmou Skaf logo após a assinatura do termo.

A escolha do país-sede acontecerá em novembro de 2013. As outras candidatas a sediar a Expo 2020 são Ayutthaya (Tailândia), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Esmirna (Turquia) e Iekaterimburgo (Rússia). “Ainda temos uma votação, mas com a grande articulação entre os governos estadual e federal mostra que o negócio está indo muito bem”, ponderou Skaf.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, destacou que a vinda da Fiesp para a liderança da candidatura em conjunto com a prefeitura dá “envergadura” ao projeto. “Não é apenas a chancela da Fiesp, é a participação e a liderança de um árduo processo que envolve uma campanha de caráter universal junto a 160 países, que terão a oportunidade de escolher no ano que vem o país-sede  da Expo Universal 2020”.

Cerimônia

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925482

Participaram do evento, pela Fiesp, o chefe de Relações Governamentais e Institucionais, Sérgio Barbour; o assessor para assuntos estratégicos da presidência, Carlos Alberto Demeterco; a gerente do Departamento Jurídico Corporativo, Luciana Freire; o diretor do Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da entidade, Carlos Cavalcanti; e o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni.

Também estiveram presentes à assinatura do termo, por parte da prefeitura de São Paulo, o secretário de Relações Internacionais e vice-presidente do Comitê de Candidatura São Paulo Expo 2020, Alfredo Cotait; o chefe de gabinete da secretaria de Relações Internacionais, Elcio de Oliveira Junior; o secretário executivo da Candidatura São Paulo Expo 2020, Carlos Kendi; e o secretário adjunto, Guilherme Mattar.

Paulo Skaf acompanha secretário do BIE em encontro com Michel Temer e Antonio Patriota

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Da esq. p/ dir.: Vicente Loscertales, secretário-geral do BIE, Michel Temer, vice-presidente da República, e Paulo Skaf, presidente da Fiesp, em Brasília

Da esq. p/ dir.: Vicente Loscertales, secretário-geral do BIE, Michel Temer, vice-presidente da República, e Paulo Skaf, presidente da Fiesp, em Brasília










A cidade de São Paulo ganhou na tarde desta quarta (23/05) mais um importante apoio em sua campanha para sediar a Expo 2020: o de Michel Temer. O vice-presidente da República recebeu o espanhol Vicente Loscertales, secretário-geral do Comitê Internacional de Exposições (Bureau International des Expositions, BIE), e Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Em campanha para trazer a Expo 2020 para São Paulo, o presidente da Fiesp levou Loscertales para encontros em Brasília com Temer e Antonio Patriota. O ministro das Relações Exteriores também manifestou apoio à candidatura paulistana para receber em 2020 a feira internacional, que acontece de cinco em cinco anos.

O secretário-geral do BIE é um dos responsáveis por avaliar os prós e contras de São Paulo e das demais cidades candidatas à Expo 2020: Ayutthaya (Tailândia), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Esmirna (Turquia) e Iekaterinburgo (Rússia). Paulo Skaf reforçou a campanha na véspera (22/05), ao receber Locertales na Fiesp.

“O Brasil vive um momento positivo no cenário nacional, com grande expectativa para sediar grandes eventos, como a Copa 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Agora São Paulo é candidata a receber a Exposição Universal, que certamente será muito bem realizada pela cidade e trará enormes benefícios para a nossa sociedade”, afirmou Skaf na ocasião.

A decisão do BIE será divulgada em 2013, na França.