Na Fiesp, José Pastore fala de trabalho para ex-infratores

Cesar Augusto, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540266564

José Pastore, sociólogo e professor de relações sindicais da Universidade de São Paulo

O sociólogo e professor de relações sindicais da Universidade de São Paulo, José Pastore, participou nesta sexta-feira (26) da reunião do Conselho Superior de Responsabilidade Social (Consocial), na qual falou a uma plateia de empresários e representantes de entidades da sociedade civil sobre o Trabalho para Ex-Infratores, título do seu novo livro, lançado este mês.

Na obra, Pastore discute os motivos da reincidência e as variáveis que levam o ex-infrator a manter-se ou desistir da vida ligada ao crime. De acordo com ele, uma pesquisa realizada para produção do livro mostrou que 30 mil pessoas terminam de cumprir suas penas e deixam as cadeias todo ano no Brasil. Dessas, 70% acabam reincidindo caso não arrumem emprego. Quando conseguem trabalho, a probabilidade de reincidência cai para 20%.

“A sociedade precisa decidir o que quer fazer com essas pessoas. Estamos gerando 150 mil postos de trabalho com carteira assinada por mês e precisamos incluir uns 1.500 egressos com pena cumprida. Não é muito, o mercado está carente de mão de obra”, observou.

Em sua pesquisa, Pastore constatou que alguns dos mais importantes motivos que levam um cidadão a desistir da vida criminosa estão ligados à afetividade. Entre eles, a família, a fé religiosa e as relações pessoais são as mais importantes.

Além do sociólogo, estiveram no encontro a diretora-titular do Comitê de Responsabilidade Social (Cores) da Fiesp, Eliane Belfort; o ex-deputado federal Paulo Delgado; a presidente do Conselho Superior de Responsabilidade Social (Consocial) da Fiesp, Maria Helena de Castro; e a representante do Ministério da Saúde, Adelina Melo Feijão.