Profissionalização de ex-atletas de alto rendimento é discutido em congresso

Celso Lopes, Agência Indusnet Fiesp

Giovane Gávio, bicampeão olímpico e mundial de voleibol, e José Alves dos Santos Neto, auxiliar técnico da seleção brasileira masculina de basquete, participaram nesta quarta-feira (19) da mesa redonda sobre Planejamento e Administração Esportiva e Recreativa. O foco do debate foi a profissionalização de ex-atletas e o tema é parte do 2º Congresso Ibero-americano de Instalações Esportivas e Recreativas, que acontece na Fiesp até sexta-feira (22).

Gávio, que começou a atuar como técnico a partir de 2005, após um período bem-sucedido de conquistas na seleção brasileira, acredita que a valorização desses profissionais no mercado é de extrema importância, pois não são apenas ex-atletas, mas pessoas com uma extensa bagagem prática no esporte e que podem agregar conhecimento teórico por meio de faculdade ou cursos.

Neto concorda com o colega e acrescenta que o governo deve potencializar condições para que o atleta possa ter conhecimento teórico a fim de seja um profissional do esporte em sua totalidade.

Giovane observa que a profissionalização é uma iniciativa própria do atleta. Complementou dizendo que órgãos como o Ministério dos Esportes e o COB vem desenvolvendo ferramentas que viabilizam oportunidades a esses profissionais: “É fundamental para o futuro do atleta ter uma formação de base. Assim ele colherá frutos do seu esforço”.

Formação

Questionado sobre seu futuro daqui a dez anos, Giovane disse que pretende continuar atuando como técnico, porém com maior experiência teórica embasada pelo curso de educação física que faz atualmente na faculdade paulista Uninove:

“Conhecimento é um fator que precisa constantemente ser adquirido, independentemente de idade e da atividade que desenvolvemos. Com certeza, o curso me proporcionará mais segurança nas questões técnicas que aparecerão a todo momento. Eu aprenderei muita coisa que ainda não vi por meio da universidade. Importante é investir em si mesmo, sempre”.