Personalidades do cinema nacional prestigiam cerimônia de entrega do Prêmio Fiesp/Sesi-SP

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

A entrega do IX Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema reuniu atores, diretores e personalidades do cinema brasileiro, nesta terça-feira (11/06), no Teatro do Sesi-SP.

Com o objetivo de incentivar a produção cinematográfica nacional, o evento premiou filmes brasileiros produzidos em 2012, como “Xingu”, “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, “Dois Coelhos”, “Área Q” e “Gonzaga, de pai para filho”.

Terceiro da esquerda para a direita, o ator Felipe Camargo destacou a importância da indústria do cinema. Foto: Julia Moraes

Terceiro da esquerda para a direita, Felipe Camargo destacou a indústria do cinema. Foto: Julia Moraes

Protagonista de “Xingu”, premiado como melhor filme, Felipe Camargo participou da premiação e foi convidado pelo diretor do filme, Cao Hamburger, para receber o troféu. “O cinema brasileiro está caminhando para se tornar uma indústria. Temos que nos espelhar no que os Estados Unidos fazem de bom. O mundo inteiro conhece a história dos Estados Unidos por meio do cinema e é na Califórnia que está o maior PIB [Produto Interno Bruto] americano. Também temos que pensar no cinema como indústria”, afirmou o ator.

Domingos Montagner: mais público para o cinema brasileiro. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Domingos Montagner: prêmio ajuda a atrair público para o cinema brasileiro. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Outro premiado da noite, o ator Domingos Montagner integrou o elenco de “A noite dos palhaços mudos”, eleito melhor curta-metragem. “É importantíssimo ter um prêmio que fomenta a criação que não está vinculada à competição do cinema comercial. É preciso incentivar novos criadores, novos autores e todos os profissionais envolvidos na produção de cinema”, declarou o ator. “Precisamos criar condições para que o cinema brasileiro encontre o público. Eventos como esse também colaboram com essa busca.”

Do elenco de “Dois Coelhos”, Caco Ciocler afirmou ser fundamental contar com iniciativas como o Prêmio Fiesp/Sesi-SP. “Qualquer iniciativa que promova, divulgue, reúna os amigos do cinema é sempre muito bem-vinda. A gente ainda é muito carente de tudo”, disse.

Caco Ciocler: Prêmio Fiesp/Sesi é iniciativa 'bem-vinda'. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Caco Ciocler: Prêmio Fiesp/Sesi é uma iniciativa 'bem-vinda'. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Para Marçal Aquino, autor de “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios” e roteirista do filme, foi ótima a experiência de ver seu livro transformado em longa-metragem. “Quando a gente escreve algo, não sabe até onde ele vai chegar. É motivo de felicidade ver um livro, que é tão especial para mim, chegar nesse prêmio, indicado em todas as categorias.”

O escritor lamentou a falta de público para filmes feitos no país. “O cinema nacional vive um momento estranho porque há produções maravilhosas, mas que não estão sendo vistas. Essa equação tem que ser vencida. O público brasileiro precisa descobrir o cinema brasileiro.”

O ator Murilo Rosa, que participou do filme “Área Q” e foi indicado na categoria melhor ator coadjuvante, também fez questão de prestigiar a cerimônia. “Estou muito feliz em estar aqui, participando do prêmio, que é muito importante para o cinema brasileiro”, comentou Murilo, que adiantou que seu novo filme, “Aplauso e solidão”, tem estreia prevista para em setembro.